Siga-nos nas redes sociais

Bastidores

Elenco de The Walking Dead compartilha histórias de seus primeiros dias no set

Atores recordam dos primeiros dias no set de gravações de The Walking Dead com várias histórias incríveis dos bastidores.

Publicado há

 

em

Montagem com imagens de Carol, Daryl, Aaron e Magna em suas primeiras aparições em The Walking Dead.

Falta apenas um dia para o episódio final de The Walking Dead. Após 11 temporadas e 12 anos no ar, o drama zumbi da AMC está finalmente fechando as portas com o final da série no dia 20 de novembro.

A tão esperada conclusão da série está quase entre nós, e todas as histórias – e mais – chegarão a um final emocionante após muitas reviravoltas ao longo do caminho. Os espectadores terão respostas para todas as suas perguntas sobre a Commonwealth, incluindo quem sobrevive, quem morre e o destino de Pamela Milton.

É claro que haverá várias novas produções com uma infinidade de spin-offs do Universo The Walking Dead em 2023, mas a série-mãe está realmente prestes a ser concluída. E com o final épico chegando, o elenco revelou algumas histórias incríveis dos bastidores de seus primeiros dias no set. Confira:

Melissa McBride (Carol Peletier)

“O que só se sabia naquela época, é claro, era que este era um piloto de 6 episódios para o que se esperava que se tornasse uma série contínua. Para alguns de nós, o destino de nosso próprio personagem nesses episódios também era desconhecido. E eu tinha visto a imagem de Carol deixando um zumbi morder seu pescoço na história em quadrinhos, então não esperava ficar por aqui por muito tempo. O não-saber-quando era intrigante.

Meu primeiro dia em The Walking Dead foi o terceiro dia do terceiro episódio. Como eles já estavam filmando há semanas, eu sabia que eles estavam em um bom momento de trabalho juntos, e meu pensamento opressor do dia era não estragar tudo. Para minha sorte, Carol estava principalmente em segundo plano, e eu estava confortável lá, você sabe… apenas sentindo tudo. Além disso, como eu poderia estragar tudo? “Melissa, você pode se mover um pouco para a esquerda, não podemos ver você lá atrás.” Isso aconteceria com frequência.

Lembro-me vividamente de minha empolgação ao ver Madison Lintz (Sophia) e Chandler Riggs (Carl), ambos moradores de Atlanta que eu já conhecia. Ver que esses dois jovens atores fantásticos conseguiram essa oportunidade foi muito importante para mim, para eles e para todos os atores “locais” que reconheci no set naquele dia. Também fiquei feliz em ver alguns membros da equipe local no set que eu não via há algum tempo. E vários outros no elenco e na equipe eram pessoas com quem trabalhei brevemente em The Mist alguns anos antes. Ver todos aqueles rostos familiares foi uma sensação muito calorosa e uma surpresa muito boa!”

Norman Reedus (Daryl Dixon)

“Lembro-me do primeiro dia em que fiquei muito nervoso. A cena em que saio da floresta foi minha primeira cena, e eu não sabia o significado de todo o diálogo e pensei que seria difícil dizer, mas simplesmente fui em frente. Na segunda cena, eles me deram cerca de uma dúzia de esquilos em uma corda. Eles apenas me entregaram no último minuto e eu tive que descobrir como jogá-los. Eu ainda não sabia exatamente o que queria fazer com aquele papel, ainda não tinha descoberto. Quando me virei e vi todo o elenco (que era um monte de gente que já eram amigos), me senti muito inseguro e só corri com aquele chip no ombro dali para frente. Quando eles começaram a me aceitar, eu fiz o mesmo. Eu estava feliz que foi assim.”

LEIA TAMBÉM:
Quem vai morrer no último episódio de The Walking Dead?

Lauren Cohan (Maggie Rhee)

“No primeiro dia, foi descer do cavalo, chegar em casa e ficar na varanda com Lori. Tenho certeza que foi só isso. Foi estar na varanda com o binóculo e ver Andy correndo de longe com Carl nos braços. E acho que minha primeira fala no programa foi “Papai”. [Risos] Foi uma vantagem muito boa filmar de forma bem sequencial e ter todos os roteiros com antecedência. O show definitivamente despeja você. Ele coloca você bem na zona e foi tudo muito tangível.”

Josh McDermitt (Eugene Porter)

“Estou no voo de Los Angeles para Atlanta, e estou tentando manter a calma como se não estivesse perdendo a cabeça porque agora estava trabalhando no meu programa favorito.

Renée, do nosso departamento de transporte, veio nos buscar e perguntei se poderíamos encostar para que eu pudesse jogar meu suéter em um varal aleatório para secar porque eu estava soando muito de nervoso. “Não” foi a resposta dela. Acho que esse pessoal da Geórgia não está pronto para o meu senso de humor idiota. Cudlitz meio que riu.

A primeira coisa que me lembro de ter dito a Cudlitz foi perguntar se ele gostava de futebol. “Eu gosto de hóquei”, disse ele com uma autoridade que eliminou qualquer pergunta subsequente. Entramos no acampamento base onde eles estavam filmando naquele dia. Andrew Lincoln nem estava em nosso primeiro episódio, mas ele fez uma viagem de uma hora e meia de Atlanta para nos encontrar. Ele agiu como se estivesse lá para fazer uma adaptação ou algo assim, mas depois de trabalhar com ele por anos, descobri que era tudo besteira. Ele estava lá apenas para nos encontrar e nos dar boas vindas. Mas ele não queria ser o esquisito. Então ele fingiu que estava lá por algum outro motivo. Ele fez isso para todos. Que cara bacana.

Naquela noite, Cudlitz, Christian e eu fomos a um bar italiano em Peachtree City. Por mais abalado que eu estivesse por ter um mullet, lembro-me de olhar para o cabelo de Cudlitz e pensar: “Estou tão feliz que meu cabelo não é assim”.

Ross Marquand (Aaron)

“Então, o primeiro dia em que fui ao set foi bem louco porque eu era um grande fã da série antes de entrar nela. E eu me lembro de ter assistido a 4ª temporada alguns meses antes de fazer o teste para Aaron. E eu estava suando como um louco. Eu estava tão nervoso para chegar ao set. E a primeira pessoa que conheci foi Andrew, e ele me deu um grande abraço e disse: “Bem-vindo à família”. E eu pensei: “Puta merda. Esse é Rick Grimes!” E depois disso, conheci Josh McDermitt e Michael Cudlitz, e eles foram igualmente calorosos à sua maneira engraçada. Sinceramente, foi uma das experiências mais surreais da minha vida passar de fã de algo para conhecer as pessoas com quem trabalharia pelos próximos sete anos da minha vida.”

LEIA TAMBÉM:
Assista ao especial Bastidores da Última Temporada de The Walking Dead

Jeffrey Dean Morgan (Negan em The Walking Dead)

“Minha primeira lembrança é que fazemos uma coisa chamada hora da história de uma cena antes da filmagem, onde o assistente de direção lê o roteiro e os atores fazem as falas e nós meio que temos uma ideia das palavras e seja o que for. E nisso, é apenas Negan falando. E são 17 páginas de Negan falando, e muita direção de palco. Mas lembro que não tinha um roteiro comigo e lembro de ver o elenco, todos na escalação, olhando para mim.

Eu conhecia Norman um pouco e dissemos oi, mas ninguém sabia o que diabos eles estavam fazendo comigo. E ainda estávamos com roupas de rua e eu estava totalmente por fora. Eu já conhecia todas as falas e pude ver Andy olhando para Norman e todo mundo dizendo: “Ohhhhhhhh”.

Lembro-me de colocar a roupa naquela noite, Scott Gimple estava no meu trailer e estávamos olhando para a roupa de Negan pela primeira vez. Tudo aconteceu naquele dia porque eu estava fazendo The Good Wife na época. Então eu voei, fui para o set, fiz uma coisa rápida enquanto eles montavam as câmeras, eu estava provando meu guarda-roupa, e eu estava naquele trailer esperando.

Eu tinha um pequeno walkie-talkie comigo esperando que o assistente de direção dissesse: “Ação, Jeff. Ação!” E eu ia sair. E eu me lembro vividamente. Todos naquela escalação estavam tão comigo e tão conectados por aquelas duas noites de trabalho simplesmente brutal. Eu nunca esquecerei isso.”

Nadia Hilker (Magna em The Walking Dead)

“Uma vez atrás do portão da Stalwart Films, eu fazia parte da família TWD. Todos me cumprimentaram e pareciam saber quem eu era e qual personagem eu estava prestes a interpretar. Meu coração batia muito rápido e eu realmente tive que me concentrar para acompanhar todas as novas impressões. Entre uma rápida adaptação e finalmente conhecendo o grupo de Magna pela primeira vez, Lauren Cohan passou por mim, parou, pegou minhas mãos e me disse: “Você agora faz parte dessa família!” Isso realmente me tocou, e foi esse sentimento até o meu último dia e além..”

Eleanor Matsuura (Yumiko em The Walking Dead)

“Meu alarme tocou às 3h45, o mais cedo que já o ajustei para o trabalho, ou talvez para qualquer outra coisa. Eu tinha acabado de me mudar para a América com minha família e meu bebê de 7 meses. Eu estava tão cansada e nervosa que deixei meu corpo completamente. Acho que apenas flutuei no set, mas não uma flutuação relaxante, uma flutuação estressante… Sinceramente, não tenho memória real disso ou é difícil lembrar o que é real. Estávamos na floresta, estava quente, o suor escorria em meus olhos e lembro-me de pensar: “Como vou me lembrar dos nomes de todos?”

LEIA TAMBÉM:
Último episódio de The Walking Dead vai passar na TV no Brasil?

Lauren Ridloff (Connie em The Walking Dead)

“Meu primeiro dia no set também foi o último dia de Andrew Lincoln. Na verdade, eu não estava filmando naquele dia – era mais uma turnê, uma introdução. Quando chegou a hora do intervalo para o almoço, fomos todos para o refeitório e eles tinham um bolo enorme magnífico em forma de botas de Rick! Acho que foi a primeira coisa que tirei foto no set: o bolo do Rick.”

Cailey Fleming (Judith Grimes em The Walking Dead)

“Lembro que meu primeiro dia no set foi incrível! Minha primeira cena como Judith foi sua cena de introdução. Fiquei super empolgada por poder colocar meu chapéu e botas pela primeira vez. Sua apresentação sempre terá um lugar especial em meu coração. Eu me senti tão bem-vinda e animada para fazer parte desta família! Todos me receberam de braços abertos e eu não poderia ter pedido um primeiro dia melhor.”

Cassady McClincy (Lydia em The Walking Dead)

“Lembro que meu primeiro dia no set foi em Hilltop, e foi um dos raros dias em que todo o elenco estava junto. Estava fazendo tipo uns 40°, mas todo mundo estava tão feliz só de estar lá, fazendo parte da série. Devo ter ouvido “Bem-vinda a The Walking Dead” contado por um sorriso conhecido pelo menos 50 vezes naquele dia. Foi tão surreal e nunca vou esquecer como fiquei feliz em fingir estar com tanta angústia.”

Paola Lázaro (Princesa em The Walking Dead)

“No meu primeiro dia em Walking Dead, cheguei ao set para fazer uma prova de figurino e a primeira pessoa que conheci foi Norman. Scott, o chefe de maquiagem, estava conversando comigo e disse “Oh, espere, venha conhecer Norman”, e eu fiquei tipo “Não, tudo bem. Eu o encontrarei mais tarde”. E Scott disse: “Não, venha conhecê-lo agora, ele é ótimo!” Um personagem tão forte e meio rude e durão que eu estava com medo de que ele fosse assim na vida real e eu simplesmente não queria incomodar ele nem nada.

Mas Scott insistiu e disse: “Norman, venha aqui” e Norman disse: “E aí, cara?” e ele se aproximou de nós e, por algum motivo, fiquei apavorada. Sou uma garota muito durona, mas estava apavorada, e Norman se aproximou de nós e Scott disse: “Ei, esta é a Paola, ela vai interpretar a princesa no programa”, e Norman apenas se aproximou de mim, estendeu sua braços e apenas me deu um grande abraço e disse “Bem-vinda ao show.”

Na verdade, ele se tornou uma das pessoas mais doces que já conheci em um set. Ele foi simplesmente gentil, engraçado e receptivo, e me fez sentir imediatamente em casa. Apenas receber aquele abraço realmente me deu uma noção do tipo de família da qual eu estava prestes a fazer parte; o tipo de família pela qual sempre serei grata.”

Michael James Shaw (Mercer em The Walking Dead)

“Lembro-me principalmente de ter ficado apavorado na maior parte da primeira semana. Acho que Josh McDermitt percebeu isso. Entre as tomadas de um dia no intervalo, conversamos sobre música. Não consigo lembrar exatamente como, mas aquele momento me tirou o nervosismo e me trouxe para o presente. Muito grato por Josh e pelas vezes que trabalhei com ele.”

Margot Ninham (Max em The Walking Dead)

“Eu tinha agendado The Walking Dead cerca de dois anos antes de chegar a Atlanta. A pandemia realmente esticou o tempo, toda a indústria foi fechada, junto com o mundo. Depois que me mudei para a Geórgia, tive cerca de um mês ou mais antes de poder realmente estar no set! Então, quando meu primeiro dia chegou, eu estava uma mistura de nervos, antecipação, ansiedade, excitação, o que você quiser! Lembro-me de chegar ao nosso acampamento base, passando pelos trabalhos de figurino, cabelo, maquiagem, a coisa toda – e então caminhando até o set real e apenas pensando, meu Deus, esta pode ser a maior produção em que já participei.

Graças a Deus, Greg Nicotero estava dirigindo aquele episódio. Já havíamos nos tornado almas gêmeas por causa de nossas raízes em Pittsburgh, então eu sabia que estava em boas mãos. Ele percebeu que eu estava muito nervosa, mesmo sem falas (nossa Max/Stephanie ainda não falou para não estragar seu disfarce), e ele se aproximou e me disse para “relaxar, se divertir”, do jeito que só Greg pode fazer.”

Laila Robins (Pamela Milton em The Walking Dead)

“Eu estava nervosa no meu primeiro dia, pois estava interpretando um grande papel de antagonista contra um elenco que estava junto há 11 anos! Como eles me aceitariam entrar no show? Como eu me encaixaria? Eu capturaria o tom, estilo, mundo certo? Eu tinha visto a série, mas não o seguia religiosamente, então como eu poderia acompanhar a história deles?

Então percebi que minha personagem, a governadora Pamela Milton, tem seu PRÓPRIO mundo e também estava aprendendo sobre essas outras pessoas, então, de certa forma, eu estava com a mentalidade certa organicamente. Era um mundo muito diferente para os regulares do elenco. Uma cidade muito funcional com roupas bonitas, ruas limpas e até sorvete! Os atores ficavam dizendo como era estranho estar em um ambiente como aquele. Fiquei tão impressionado com a cidade que o departamento de arte havia construído, incluindo o Milton Hotel! Eu me senti confiante de que, junto com cabelo, maquiagem e figurinos, tínhamos chegado ao visual certo para Pamela: roupas maravilhosas de grife vintage e uma ótima peruca duende. Era importante acertar isso desde o primeiro dia.

Todos os atores foram tão calorosos e acolhedores. Eu senti que entrei “no clube” imediatamente. Fiquei impressionada com o contínuo entusiasmo e dedicação deles ao show, mesmo depois de 11 anos! Juntos, eles criaram um show MUITO especial e amado e você pode sentir o orgulho deles por isso. Eu também estava muito animada para trabalhar com o diretor Jon Amiel! Eu admirava muito seu trabalho em The Singing Detective com Michael Gambon e me senti honrada por trabalhar com ele. Foi uma delícia. A primeira cena foi um festival ao ar livre e tivemos muitos atores de fundo. Estavam todos muito animados e concentrados. Soube mais tarde que muitos deles também interpretam os Walkers. Eles limpam bem, no entanto. 🙂 Foi um dia lindo de sol e muita diversão! Foi uma adorável iniciação na família The Walking Dead. Me senti aliviada!”

Não estamos prontos para dizer adeus. O último episódio de The Walking Dead vai ao ar neste domingo, 20 de novembro.

Publicidade
Comentários