Siga-nos nas redes sociais

Análises

Os 10 melhores episódios de The Walking Dead – até o momento

Publicado há

em

Com o fim da oitava temporada, tivemos a exibição do centésimo décimo quinto episódio de The Walking Dead. Dentre todos esses há aqueles que mais cativaram o público, em partes por causa da trama desenvolvida, do amadurecimento dos personagens apresentados, da ação bem executada ou do drama pontual. Vários são os aspectos que fazem a audiência se agradar, não havendo uma fórmula exata do necessário para que isso seja alcançado.

O que é certo é: dentro do coração de cada um dos fãs de The Walking Dead, sempre há aqueles episódios que de alguma forma foram os mais marcantes e relevantes. Isso nunca será um consenso. No mesmo modo que episódio X possa ter sido o melhor para um fã, pode ter sido o pior para outro.

Pensando nisso, nós do Walking Dead Brasil decidimos abrir nossa caixinha de lembranças e apresentar para nossos ávidos leitores os 10 episódios que, na nossa opinião, são os melhores da série.

1 – Aquele onde tudo começou

O inicio de tudo.

O episódio piloto da série, intitulado Days Gone Bye é tido como um dos melhores pela maioria das pessoas. Na verdade, não há nenhuma análise técnica precisa ou julgamento de atuação. O que classifica o episódio como um dos melhores é simplesmente o fato de ele representar o inicio de tudo, o começo de uma paixão ardente pela série.

Nesse episódio além de vermos algumas cenas pré-apocalípticas (introduzindo a amizade profunda de Rick e Shane, bem como o relacionamento conturbado com Lori e a dedicação com o filho Carl), temos as icônicas cenas do hospital e das zumbis mais conhecidas do universo The Walking Dead: Summer (a garotinha zumbi) e morta-viva da bicicleta.

Além de tudo, o episódio conta com a introdução de Morgan e Duane, que auxiliam Rick a compreender os acontecimentos durante seu tempo em coma. Mais tarde, com a ida para Atlanta, também somos apresentados a Dale e Amy, que recebem transmissões de Rick pelo rádio no acampamento.

2 – Aquele em que Sophia é encontrada

Uma das cenas mais impactantes de toda a série.

Essa lista de dez episódios poderia ser 60% composta pelos seis da primeira temporada, mas, para não ser injusto com os demais anos (e nem comigo mesmo), não poderia excluir Pretty Much Dead Already – o sétimo da segunda temporada.

Quando Glenn descobre que Hershel esconde um segredo tenebroso dentro do seu celeiro na fazenda, o patriarca Greene estabelece um prazo para que Rick e seus aliados deixem sua propriedade. Enquanto isso, Daryl e Carol ainda se dedicam a buscar por Sophia, embora ela já esteja desistindo da ideia de que a filha será realmente encontrada, o que irrita o caipira. Shane entra em surto e decide agir por si, abrindo as portas do celeiro e iniciando um tiroteio contra os mortos que representam a família e amigos dos Greene.

Quando tudo parecia estar resolvido, a cena que dilacera o coração de qualquer marmanjo vem à tela: Sophia sai do celeiro zumbificada. Lembrar do momento em que Carol corre desesperada e é impedida por Daryl e de Rick tendo que agir rápido ao mesmo tempo em que lida com emoções fortes para matar a garota zumbi acaba por reviver as emoções complexas ao assistir o episódio.

Além de tudo, a trama traz uma mudança fundamental para a história, que até então vinha seguindo majoritariamente os quadrinhos. Sophia, que é uma personagem viva até os dias de hoje – ao passo que Carol morre tão logo é introduzida – não seguirá seu enredo dos impressos. A história de Carol se torna um livro em branco para ser escrita pelos roteiristas, desprendendo-a de qualquer obrigação em corresponder com as HQ’s.

3 – Aquele em que a Judith nasceu

O episódio que marca a despedida de Lori e a inesquecível cena de “Cooooooralll”

Killer Within é o quarto episódio da terceira temporada da série. Justamente por não se tratar de uma mid-season ou season premiere/finale, o episódio que conta com a morte de Lori, T-Dog e Andrew é repleto de ação mixada com dramaticidade surpreendendo o público.

Uma infinidade de walkers invade os corredores e alas da prisão de Rick, fazendo que o grupo tenha que lidar com a ameaça. Enquanto T-Dog se sacrifica para salvar Carol (que desaparece após esse episódio), Andrew é morto por Oscar após se rebelar contra Rick, o que prova a fidelidade do antigo presidiário ao xerife. Lori entra em trabalho de parto e toma a decisão de se sacrificar para que Judith possa nascer. Maggie e Carl trabalham no nascimento da pequena Grimes, sendo que o garoto se incumbe de dar o fim na mãe antes de sua reanimação.

O episódio se torna um dos melhores justamente por causa da mixagem de momentos dramáticos com a ação dada na fuga dos mortos. São diversos clímax espalhados ao longo dos 45 minutos e quando o telespectador tenta se recuperar de um, acaba caindo em outro momento embaraçoso.

O final que acabou virando um meme recorrente, com Rick descobrindo que Lori está morta, ao mesmo tempo que temos o primeiro vislumbre da pequena Judith, é emocionante.

4 – Aquele sem pé nem cabeça

A despedida de um dos grandes mentores de Rick.

Na quarta temporada temos o fim do conflito iniciado no terceiro ano com o Governador. Após convencer um grupo de sobreviventes – formado por ex-militares – de que necessitam lutar contra Rick e tomar a prisão, o Governador, em Too Far Gone, oitavo da 4ª Temporada, sequestra Hershel e Michonne e os usa como forma de ameaçar os sobreviventes da prisão.

Com toda a certeza a cena mais marcante e desesperadora é quando o Governador usa a espada de Michonne para arrancar a cabeça de Hershel, surpreendendo até mesmo seus aliados. A partir desse momento vemos a guerra ser instaurada e uma troca de tiros intensa ser iniciada.

São várias coisas acontecendo ao mesmo tempo, diversos personagens enfrentando a morte quase certa numa mixagem de tiros com inimigos humanos e walkers. A prisão é destruída; Judith desaparece; grande parte dos aliados do Governador são mortos; Os personagens se desvencilham; Michonne salva a vida de Rick, enquanto Lilly lhe dá o tiro final.

O episódio termina com Rick e Carl indo embora da prisão, olhando a ao longe totalmente destruída e repleta de walkers se alimentando da carne fresca daqueles que foram mortos no embate.

5 – Aquele sobre as flores

The Grove é totalmente insano em seu enredo e atuações.

The Grove é o décimo quarto episódio da quarta temporada. Com um enredo que lida com diversos conflitos, é desesperador em sua conclusão. Muita gente relatou estar abalada psicologicamente ao fim do episódio.

Com uma narrativa que centra a relação de Tyreese e Carol – que ainda tenta esconder o motivo real que a fez desaparecer da prisão – e a conturbada afetação mental de Lizzie, o episódio inicia estabelecendo o pequeno grupo em uma cabana em meio a floresta. Carol e Tyresse parecem estar dispostos a viver o resto de seus dias no local com as três meninas (Lizzie, Mika e Judith).

Descobrimos que a mais velha filha da família Samuels foi a responsável por alimentar zumbis com ratos e coelhos na época da prisão. Aí Tyreese já demonstra desconfiar da sanidade mental da pequena.

O irmão de Sasha é totalmente insistente em demonstrar para Carol o quanto ele confia nela e é grato por ela ter salvo a vida dele e das meninas na floresta, o que a deixa incomodada por estar lidando com a culpa de esconder dele a verdade. Quando os dois voltam de uma busca por água, encontram o corpo de Mika estripado ao chão sendo observado por Lizzie que segura uma faca, enquanto Judith engatinha pela grama. Ao ser questionada, Lizzie diz que apenas queria que Mika pudesse retornar melhor do que já era e que seu plano era fazer o mesmo com a bebê Grimes.

Após uma decisiva conversa, os dois adultos decidem que Lizzie não é mais capaz de viver, por ser uma ameaça para todos e para ela mesma. Assim, temos a cena arrepiante de Carol levando a garota para observar as flores e, sucessivamente, disparando contra sua cabeça.

No fim do episódio, Carol entrega seu revólver para Tyreese e diz que ele deve tomar uma importante decisão quanto a algo que ela irá lhe contar. Assim, vemos Peletier confessando que foi a responsável pela morte de Karen e que se ele quiser lhe matar, está livre para o fazer. Entretanto, Tyresse declara seu perdão a ela.

O episódio não se torna impecável apenas pelo seu enredo psicótico e bem elaborado, mas também pela excelente atuação dos atores que conseguem despertar os mais profundos sentimentos na audiência.

6 – Aquele em que a humilhada é exaltada

Talvez uma das cenas mais emocionantes envolvendo dois personagens.

Outro daqueles episódios que conseguem equilibrar carga dramática com explosões, tiros e mortes. No Sanctuary, que é o marco de estreia do quinto ano da série, traz quase todo o grupo caminhando para o matadouro no Santuário dos canibais. Depois de ficarem presos em um contêiner, Rick, Glenn, Bob, Abraham e Daryl são os primeiros a serem arrastados para o local onde os corpos são preparados para que os residentes do Terminus se alimentem.

Quando parece que tudo está perdido, uma explosão é ouvida. Sim, do lado de fora, Carol viu os amigos serem arrastados pro interior do prédio e agiu habilmente, atirando em um tanque de inflamáveis, causando uma grande explosão e atraindo centenas de walkers pro interior do local. Assim, ela consegue fazer com que Rick e seus aliados, sem saber que com a ajuda dela, se safem das mãos dos inimigos.

No final, temos o reencontro de Carol com Daryl e Rick. O abraço e o choro dos três é totalmente emocionante, pois representa milhares de sentimentos carregados nos cinco anos da série. Rick expulsou ela da prisão e no fim ela o salvou. Outro emocionante momento é quando o xerife e Carl reencontram Judith.

Esse é o terceiro episódio dessa lista em que Carol figura como centro de enredo, mais uma vez provando a grandeza da personagem e da sua intérprete, Melissa McBride.

7 – Aquele em que Rick meteu o louco

Rick mata Pete.

Nós acabamos de falar do episódio que abriu o quinto ano e vamos nesse ponto explorar aquele que o fechou. Conquer, décimo sexto episódio da quinta temporada, traz as consequências da ação de Rick contra Pete no seu antecessor. O personagem central acorda com o rosto machucado, após ter sido nocauteado por Michonne, e logo descobre que naquela noite Deanna e o restante dos residentes de Alexandria irão fazer uma sessão de julgamento para definir o que irão fazer com ele.

Além disso, temos a trama de Aaron e Daryl que aos poucos vão sendo confrontados por mortos com um “W” marcado nas testas. Os dois são ponte de ligação de Rick com Morgan posteriormente, que nesse momento está em busca de Grimes após anos afastado.

No final do episódio, aconselhado por Carol – de quem ouve a icônica frase “Minta para eles. Lhes conte uma história. Eles são crianças e crianças gostam de histórias…” – Rick diz que fez tudo o que fez para defender Jessie, mas Pete invade o local com a espada de Michonne e ataca Reg, marido de Deanna. Rapidamente Deanna muda seu posicionamento e manda que Rick mate Pete. O xerife executa o algoz de Reg e quando se vira se depara com Aaron, Daryl e Morgan o encarando com uma expressão de “Esse não é o Rick Grimes que eu conheci.”.

O episódio se torna um dos nossos preferidos justamente porque demonstra a disparidade entre a atual fase de Rick e Morgan, que na última vez que vimos na terceira temporada estava insanamente fora de si e também constrói a credibilidade de Rick frente a Deanna e toda Alexandria.

8 – Aquele em que o Carl vira rei em terra de cego

Carl é atingido por Ron.

No way out é o nono episódio da sexta temporada e demonstra a continuação da invasão zumbi em Alexandria e de Rick, Carl, Jessie, Ron e Sam tentando escapar das mandíbulas dos mortos se cobrindo com suas entranhas.

Quando Sam começa a entrar em desespero, os mortos começam a cercá-los. O garoto acaba sendo mordido o que leva Jessie a gritar, atraindo mais walkers que a cercam e mordem também. Jessie segura o braço de Carl e Rick se vê obrigado a cortar seu braço com o machado para que o filho consiga fugir dos mortos. Ron começa a disparar sua arma, mas acaba sendo alcançado pelos zumbis também. De repente ouvimos Carl sussurrar “Pai…” e é quando a câmera foca em seu rosto e vemos que um dos tiros de Ron atingiram o olho do garoto, que cai desmaiado, desesperando Rick que o pega no colo e com a ajuda de Michonne, o leva até Denise.

Enquanto o drama de Carl se desenvolve, os residentes de Alexandria, liderados por Carol saem para as ruas e resolvem agir, lutando contra os walkers. A cena chama atenção de Rick e Michonne que percebem o quanto eles ainda podem fazer.

Em um único episódio vimos a família Anderson ser extinta ao mesmo tempo em que lidamos com o risco iminente que Carl corria. As cenas combinadas a ação de todos os residentes de Alexandria, englobaram uma história muito bem construída.

9 – Aquele em que Lucille chegou

O episódio que destruiu as estruturas de qualquer fã.

Nenhum episódio consegue assustar e aterrorizar tanto quanto The Day Will Come When You Won’t Be, primeiro da sétima temporada. Após um cliffhanger odiado por toda a audiência, finalmente descobrimos o nome escolhido pelo uni-duni-tê de Negan: Abraham. E se já não tivesse sido chocante o bastante vermos o ruivo ter sua cabeça dilacerada à pauladas, Daryl resolve demonstrar indignação, o que irrita Negan e o faz escolher outra vítima. E aí, a edição número 100 da HQ se repete: Glenn é beijado por Lucille.

Após isso, passamos por outros traumas, com Rick sendo obrigado a cortar a mão de Carl (o que de fato não aconteceu) e sendo humilhado psicologicamente por Negan demonstrando toda a sua capacidade de maleficência ao fazê-lo recuperar a machadinha em meio a uma horda de mortos.

Cada frame desse episódio é dotado de tortura psicológica com o espectador. A audiência não teve um minuto se quer de descanso mental durante os quarenta e cinco minutos que estrearam o sétimo ano. O episódio mixou cenas da noite da morte dos dois membros, com a manhã posterior onde Rick é obrigado a recuperar o machado e após a cortar a mão do filho.

O episódio termina com os Salvadores indo embora e deixando o recado de que Rick e seu grupo agora são propriedade deles e irão trabalhar para Negan. Rick então desenvolve uma memória idílica de todos sentados a mesa (inclusive Glenn e Abraham), tomando um café da manhã, repletos de paz.

O episódio em si e a forma como ele tortura a audiência entra para a história como um dos que mais marcou os fãs.

10 – Aquele em que a tigresa salva o dia

Shiva fez toda a audiência vibrar.

Após uma série de ataques direcionados de Rick contra os Salvadores, Negan decide que é o momento exato para dar mais um susto no líder de Alexandria. Por isso, ele prende Sasha em um caixão no intuito de mostrar para eles que eles poderão se dar bem se cooperarem com ele. Entretanto, em The First Day of the Rest of Your Life, último da sétima temporada, Sasha resolve agir dentro daquilo que estava disposta a fazer: permitir que Rick construa o mundo que todos estão sonhando sem a presença dos Salvadores. Assim, ela toma pílulas mortais e quando Negan abre o caixão em frente à Alexandria, uma Sasha zumbi o ataca.

Com a oportunidade dada por Sasha, Rick começa um tiroteio contra os Salvadores, mas o povo do lixão que em teoria estaria o ajudando no interior de Alexandria, se alia a Negan e rende Rick.

Nos minutos finais vemos Negan pronto para matar Carl usando Lucille, mas ao fundo, Shiva salva o dia atacando os aliados do antagonista e o assustando. Com a chegada do Reino e de Hilltop para ajudar Rick, os Salvadores se obrigam a fugir.

A união das lideranças, combinado com o discurso de Maggie, é um ponto forte do episódio. Fora toda a oportunidade de ver a tigresa de Ezekiel devorando Salvadores que fez a audiência vibrar.

EXTRA: Aquele episódio que nem chegou ainda

A New Beginning promete reinventar a série.

No último ano The Walking Dead foi duramente criticado por um enredo enrolado e sem muito foco, além de uma história desinteressante. Entretanto, aproveitando-se do salto temporal dos quadrinhos, a nona temporada chegará para reconstruir a credibilidade da série frente ao seu público.

Nós do Walking Dead Brasil já assistimos ao episódio de estreia da nova temporada e, no mesmo sentido em que a crítica internacional apontou, acreditamos que o nono ano virá para trilhar uma história totalmente diferenciada para o público. Valendo-se do título A New Beginning, a história se reinventa e abre possibilidades para que a temporada alcance o respeito de seus fãs novamente.

E você? Quais seriam seus 10 episódios para uma lista semelhante a essa? Espera que os episódios da nona temporada superem esses listados aqui? Deixe sua opinião abaixo.

The Walking Dead, a história de drama número #1 da TV a cabo, vai estrear sua 9ª temporada no dia 7 de Outubro de 2018, próximo domingo. Confira o trailer oficial da temporada e fique por dentro de todas as notícias.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA