Siga-nos nas redes sociais

7ª Temporada

REVIEW THE WALKING DEAD S07E01 – “The Day Will Come When You Won’t Be”: Adeus

Publicado há

 

em

ATENÇÃO: Esta matéria contém spoilers do primeiro episódio da sétima temporada de The Walking Dead, S07E01 – “The Day Will Come When You Won’t Be” (Chegará o Dia em que Você não Estará). Leia por sua conta e risco. Você foi avisado.

Foram sofridos sete meses desde a última vez que vimos nossos queridos sobreviventes no sufocante season finale da sexta temporada, em S06E16 – “Last Day On Earth” (Último Dia na Terra). O esperado episódio terminou em decepção para os fãs quando não revelou a vítima fatal de Negan. Gritos, raiva e promessas de deixar de assistir a série à parte, o que reinou durante o hiatus foi a grande pergunta: Quem foi a vítima de Lucille?

A pergunta foi respondida logo no primeiro episódio – ao contrário do que uma galera acreditava – e chocou os fãs não só pela revelação de quem foi a vítima, mas também pela quantidade de vítimas. Sim, como o próprio Jeffrey Dean Morgan havia falado, ele matou mais de dois no episódio de estreia: as vítimas foram nossos queridos Abraham Ford e Glenn Rhee. Para quem acompanha os quadrinhos, a morte de Glenn era esperada, afinal, foi ele quem foi batizado por Lucille na edição #100 da HQ, apesar de alguns acreditarem que não seria ele, por ser muito óbvio e também porque a série sempre foi conhecida por não seguir exatamente à risca a HQ.

Mas vamos voltar um pouquinho, para o início do episódio, que retomou exatamente de onde paramos, após o infame “uni duni tê”. Logo de cara, o foco é no rosto de Rick, com uma expressão de completo e total desespero. Eu já disse antes, vou dizer de novo, e repito quantas vezes for preciso: Andrew Lincoln é o ápice desse show; sua atuação é sempre impecável e no episódio de estreia não foi diferente, dava para sentir na pele a agonia de Rick Grimes ao ver seus amigos, considerados sua família, serem brutalmente assassinados na frente de todo mundo. Ainda assim, Rick teve convicção (ou arrogância) suficiente para ameaçar Negan: “Eu vou matar você. Não hoje. Não amanhã. Mas eu vou matar você.”

the-walking-dead-s07e01-the-day-will-come-when-you-wont-be-review-001

Ainda sem saber quem Lucille havia vitimado, vemos Rick ser arrastado por Negan para dentro do trailer, onde um jogo psicológico muito macabro se inicia. Dizer que o Jeffrey Dean Morgan está sendo perfeito para esse papel é tão óbvio quanto necessário, a forma como ele incorporou o personagem está sendo fantástica e tá sendo lindo de se assistir, e esse é apenas o segundo episódio em que ele aparece! Ao decorrer da viagem, Negan está decidido em fazer Rick entender que quem manda agora é ele, mas principalmente, ele quer tirar aquela arrogância que Rick teve ao dizer que um dia ainda iria matá-lo, aquela pouca esperança de que, um dia, ele poderia se vingar.

Confesso que fiquei angustiada com toda aquela tortura psicológica, mas é preciso admitir que, pela primeira vez, vi Rick Grimes totalmente impotente. Em meio ao desespero, Rick relembra momentos com todos que ficaram para trás, até lembrar o momento fatídico, onde Negan escolhe sua vítima. Quando o uni duni tê termina, Negan aponta Lucille para Abraham e começa a desferir golpes, e convenhamos que quando ele fala “tomando como um campeão” era de imaginar que o único que conseguiria se levantar depois de uma porrada daqueles era o Abe. Morte brutal a parte, as reações da Rosita e da Sasha foram de cortar o coração; Rosita perdeu o homem que amava, já Sasha, perde alguém importante pela terceira vez no show: Bob, Tyreese e agora Abraham. Toda a vida que os dois estavam decididos a começar juntos foi destruída por um golpe. Ou melhor, vários golpes.

Queria dizer que não esperava que fosse o Abraham, mas eu já desconfiava. Inclusive, também sentia que se realmente houvesse uma segunda vítima, seria o Glenn, mas o que eu não conseguia visualizar era o motivo pelo qual Negan faria uma segunda vítima. E a resposta veio no nome de uma única pessoa: Daryl Dixon. NAMORAL, QUE RAIVA! Faltam palavras para descrever o ódio que estou sentindo do Daryl. Glenn foi morto simplesmente porque ele não consegue ficar sem fazer cagada. Primeiro, o Glenn saiu de Alexandria para ir atrás dele, e depois morre justamente por causa do ataque de pelancas que ele teve. Mas acho que ele vai aprender a lição, já que foi levado cativo pelos Salvadores. Pausa para falar sobre como chorei quando o Glenn fala “Maggie, eu vou te encontrar”. Sem resistência emocional no momento.

the-walking-dead-s07e01-the-day-will-come-when-you-wont-be-review-002

Retornando do passeio que deram, Negan ainda não está satisfeito com a forma que Rick insiste em desafiá-lo. Para completar o ciclo de destruição psicológica, ele manda os Salvadores apontarem armas para os outros sobreviventes, dizendo que se Rick não cortar o braço esquerdo de Carl, ele ia matar todo mundo. Eu nem respirei nessa hora! Pensei comigo: será que Kirkman e Gimple seriam tão cruéis a esse ponto? Não cortaram o braço de Rick, mas cortariam o do Carl?! Graças a deus foi apenas mais um teste de Negan; ver o Rick dizendo que pertence a ele foi triste quanto perturbador de se testemunhar. Deu um dó imenso ver o estado do Rick implorando para que ele não fizesse aquilo, e deu um orgulho imenso de ver o Carl sem sequer piscar dizendo para Rick cortar logo, o crescimento do Carl na última temporada foi incrível, e esse acontecimento só serviu para reforçar como o personagem evoluiu.

Com a promessa de irem à Alexandria em uma semana buscar o primeiro carregamento de suprimentos, Negan e os Salvadores vão embora levando Daryl, deixando nossos sobreviventes e os corpos de Abe e Glenn. Eu me surpreendi com a forma que a Maggie lidou com a situação, ao contrário do que acontece na HQ, onde ele parte pra cima de Rick, ela pediu que eles voltassem para Alexandria, enquanto ela iria sozinha para Hilltop. O mais doído foi ela dizendo que eles estavam lá fora por culpa dela, e que ela não poderia lidar com eles lá fora em perigo. Por fim, todos entram no trailer com os corpos de Abraham e Glenn e se dirigem à Hilltop. Pausa para falar sobre como chorei vendo a cena daquele futuro alternativo, com todo mundo na mesa, rindo e brincando, e o Glenn segurando o Hershel Jr.

E é nesse tom que terminamos o episódio de estreia da temida e aguardada 7ª temporada. Valeu a espera? Para mim, valeu. O episódio sem dúvidas superou minhas expectativas, e com certeza, essa promete ser uma temporada e tanto. Tô louca pra ver mais Negan, Reino, Shiva (claro <3), quero saber o que está acontecendo com dona Carol, conhecer o Rei Ezekiel, mas principalmente, quero ver como o grupo vai lidar com as perdas e como será a interação entre Maggie e Daryl, afinal, ele foi o culpado pela morte do Glenn; quero muito saber como isso vai repercutir dentro do grupo e para o próprio Daryl, que deve estar se sentindo muito culpado. Enfim, muita coisa boa (e terrível) está pra vir por aí! Afinal, esse é um dos arcos mais gigantescos e significativos na história da HQ.

Agora só nos resta aguardar o próximo domingo, e enquanto fazemos isso, conta aqui pra gente, o que você acharam do episódio! Para vocês, valeu a espera? Negan tá arrasando? Querem uma Lucille pra enfeitar a sala? Eu quero! Cola com a gente! <3

PS: RIP Glenn. RIP Abraham. Vocês serão lembrados.

the-walking-dead-s07e01-the-day-will-come-when-you-wont-be-review-003

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.

Publicidade
Comentários

EM ALTA