Siga-nos nas redes sociais

TWD World Beyond

CRÍTICA | TWD World Beyond S02E02 – “Foothold”: Novas Direções

Foothold foi o segundo episódio da 2ª temporada de The Walking Dead: World Beyond. Veja a nossa crítica ao episódio.

Publicado há

 

em

Dra. Lyla e Hope fazendo uma tour pelas instalações da CRM no episódio 2 da 2ª temporada de The Walking Dead: World Beyond.

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do segundo episódio, S02E02 – “Foothold”, da 2ª temporada de The Walking Dead: World Beyond. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

O segundo episódio da segunda temporada de TWD: World Beyond, intitulado “Foothold” (“Base” ou “Ponto de Apoio”), nos conduz, junto a Hope, por um passeio nas instalações da República Cívica Militar. Além disso, novos personagens são apresentados e planos são traçados.

Chegou um momento muito aguardado pelos que assistem World Beyond: finalmente um belo passeio por dentro das instalações secretas da organização que explica um pouco mais quais os planos e experimentos realizados ali. Conduzida pela Dra. Lyla (Natalie Gold), Hope (Alexa Mansour) é apresentada a alguns dos principais experimentos realizados pela CRM para tentar encontrar a salvação da humanidade. Hope, aliás, também conhece Mason (Will Meyers), um jovem astuto que tem potencial como interesse romântico para a personagem.

Mesmo sabemos que isso é apenas o que está na superfície das experiências que são realizadas alí – já que temos acesso aos testes que a própria Lyla realiza com cobaias em “pré morte” -, a visita serve para deixar Hope um pouco mais esperançosa – trocadilho intencional – sobre o seu papel nisso tudo, mesmo com falta de confiança com a organização. Aliás, não seria mais interessante para reacender a fé na humanidade da Hope simplesmente realizar uma visita como essa mais cedo ao invés de levar ela pro pandemônio do apocalipse (duas vezes)?

LEIA TAMBÉM:
CRÍTICA | TWD World Beyond S02E01 – “Konsekans”: Um Futuro Sombrio

Enquanto isso, Iris (Aliyah Royale), Felix (Nico Tortorella) e Will (Jelani Alladin) precisam dar um jeito na bagunça que a garota causou ao matar um dos soldados do CRM, o que ocasiona uma grande tensão dentro do Perímetro. A coisa piora com a visita de Elizabeth (Julia Ormond), que vai à comunidade em busca de seu soldado desaparecido.

Nessa visita vemos que Elizabeth e Indira (Anna Khaja) possuem uma relação que vai além do “trabalho”. Vimos que Indira sabe que Huck (Annet Mahendru) é filha da tenente, coisa que não é muito divulgada por nenhuma das duas, inferindo um certo grau de proximidade entre as representantes. Além disso, é interessante ver como Elizabeth reage às obras de arte da comunidade, o que ajuda – levemente – na humanização da personagem.

A trama do Perímetro nesse episódio foi lenta, serviu apenas para direcionar um pouco mais os seus personagens em busca de vingança contra Elizabeth e seus soldados além da dedução de Iris sobre o que de fato aconteceu em Omaha.

Por último vemos o que aconteceu com Silas (Hal Cumpston), que após ser capturado pelo CRM em “In This Life“, último episódio da primeira temporada, está sendo levado a algum lugar pelo soldado Dennis (Max Osinski). Descobrimos depois que o Silas está em uma instalação – das sete – responsável por “limpar” os empty e tentar controlar a propagação deles.

Junto com Dennis, somos apresentados a outros três personagens adolescentes que provavelmente vão ajudar Silas futuramente. Já Dennis, é interessante ressaltar, possui uma foto com Huck em que ambos estão com roupas do exército. Ao apresentar o personagem, em entrevistas, Dennis é descrito como “alguém que já foi um dedicado soldado e agora busca dar um jeito na vida”. Provavelmente teremos novas revelações sobre o passado de Huck em breve.

A relação de Elizabeth com Leo (Joe Holt) – que exige que Iris e Felix também sejam levados a CRM está cada vez pior, fazendo até com que Leo ameace não trabalhar mais nos experimentos. Vemos que a pressão sobre a tenente aumenta cada vez mais e sabemos que ela não poupa esforços para realizar o que precisa ser feito, logo é possível que toda essa pressão desencadeie numa grande guerra interna.

Apesar de ser um episódio mais lento que o costume, “Foothold” se aprofunda nos pontos de tensão nas relações entre os personagens além de traçar um objetivo para a maioria deles – ou pelo menos um esboço do que eles realizarão para desempenhar seus papéis. Porém, faltando poucos episódios para a conclusão da série, TWD: World Beyond precisa ser mais ágil se quiser apresentar algo de real influência dentro do universo estendido de The Walking Dead.

O que você achou do episódio “Foothold“? Deixe sua opinião nos comentários!

Publicidade
Comentários

EM ALTA