Siga-nos nas redes sociais

Destaque

Review The Walking Dead S09E16 – “The Storm”: O fim de uma temporada atípica

The Storm foi o décimo sexto episódio da nona temporada de The Walking Dead. Veja a nossa crítica ao episódio e discuta conosco.

Carlos Knewitz

Publicado há

em

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do décimo sexto episódio, S09E16 – “The Storm”, da nona temporada de The Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

A fórmula Kang é totalmente diferenciada do que os showrunners anteriores vinham aplicando nas temporadas de The Walking Dead. Angela dilacerou a metodologia de primeiro, oitavo e décimo sexto episódio estrondosos e os demais mornos. Com histórias de meio bem construídas e muito mais surpreendente, por vezes, do que os marcos finais e inicias, apostou em espantar o público e construir uma trama totalmente atada. Nada foi descartado, nem uma cena foi mera enrolação. No final, tudo fez sentido

The Storm veio para encerrar o nono ano da série zumbi mais aclamada de todos os tempos. Trabalhando um cenário nunca visto antes, inovou, inserindo os personagens em um meio desconhecido do público: a neve. É claro que durante os anos os heróis já haviam passado pelo inverno e, provavelmente, pela nevasca – a própria Michonne cita isso para Ezekiel. Ocorre que pela primeira vez a audiência pôde ver a sobrevivência nesse meio.

O fim de uma comunidade

Ezekiel e Carol fecham as portas do Reino.

Não foi só a temporada que se encerrou. O Reino, uma das comunidades, também viu seu fim no último episódio do nono ano. Além de parecer terminar um ciclo para Ezekiel, o fim dessa locação também facilita o ritmo da história a partir de agora. Diferentemente dos quadrinhos, que temos cinco comunidades amigas, aqui teremos apenas três – AlexandriaHilltop Oceanside – o que facilita a distribuição da trama (nos quadrinhos, apenas duas das comunidades são frequentes, as demais ficam mais de vinte edições, as vezes, sem aparecer ou influenciar na história).

Angela, inclusive, construiu a queda do Reino desde o salto temporal no sexto episódio. Desde lá nós vemos que os prédios onde os súditos de Ezekiel estão morando, caminham para uma deterioração. Além disso, os problemas com os dutos de água foram recorrentes na trama. Cenas que pareciam apenas jogadas ali para promover o encontro de personagens e desenvolver um diálogo, se expandiram para o fim da comunidade.

Ver Ezekiel e Carol tendo que fechar as portas e se despedir de tudo o que construíram – de Shiva a Henry – foi de cortar o coração. Ali estava o investimento e esforço (e morte) de muitos para manter o local. Fechar as portas significa que tudo deverá ser recomeçado em outro lugar. A partida dali foi bonita.

Carol e Lydia: Os nomes do episódio

Carol e Lydia. Forças que se encontram.

Carol segue abalada pela morte de mais um filho. Lydia se sente culpada pelas várias pessoas que morreram pelas mãos de sua mãe. Ambas são pessoas em sofrimento e trabalho de luto e que precisam lidar com suas dores. A relação entre elas é trabalhada no centro desse episódio – assim como várias outras relações – e é um chamativo acalentador.

Imitando a cena em que Carl fica observando um walker atolado no pântano lá na segunda temporada (que consequentemente leva à morte de Dale), Lydia encontra um morto vivo afundado em uma poça de gelo. Querendo dar fim à sua própria dor, a garota oferece o pulso para que seja mordida. Entretanto, Carol aparece e a observa. Isso acaba a impedindo.

LEIA TAMBÉM:
Como os filmes de Rick Grimes afetarão o rumo de The Walking Dead?

Mais tarde, quando tentam atravessar sobre um rio congelado, Lydia aproveita a distração de todos para fugir novamente. Carol se responsabiliza em encontrá-la. E aí Melissa e Cassady demonstram o quão grande podem ser juntas. A emoção escorre pelos olhos e Lydia pede para que Carol a mate, já que é fraca e não pode suportar viver com a dor da perda e da responsabilidade pelas mortes. Entretanto, a garota desconhece que súplica para alguém que sabe exatamente o que ela passa. Carol se nega a fazer e diz que a menina não é fraca.

Isso é, se Carol admite que Lydia é fraca, admite também a sua própria fraqueza. Se há alguém que sabe o que é ver pessoas amadas morrendo e se sentir responsável e culpada por isso, é Carol. Então, sabendo o que cada dor a fez crescer e se tornar forte, Carol entende que precisa ensinar Lydia a viver com isso.

O apaixonante Negan

Negan e Judith formaram outro relacionamento explorado. 

A relação de Negan Judith não vem de hoje. É algo que é trabalhado desde que a menina era um bebê. E nesse final de temporada a exposição aos riscos que ele se colocou por ela demonstram o quão verdadeiro é o amor e a admiração que o antigo antagonista tem pela menina.

Judith, querendo salvar a vida de Cão, se arrisca na nevasca, mas acaba sendo afetada pela hipotermia. Então, temos uma das cenas mais bonitas envolvendo ela e Negan: o homem tirando seus casacos e se expondo à temperatura negativa para aquecer o corpo da menina.

Parece pouco, mas a relação de ambos fala muito sobre o que Carl e Rick criam antes de partir. Como Negan falou ao final do episódio para Michonne, as pessoas ruins nem sempre querem ser ruins, elas só estão tentando dar um jeito de serem boas, mas escolhendo formas contrárias para isso.

Carol e Daryl seguem sendo a maior construção de toda a série

A melhor construção de relacionamento da história.

Quando falamos do relacionamento de Carol e Daryl como amigos, irmãos ou seja lá como você queira encarar isso, não há nada mais puro e bem fundamentado em toda a história da série. Nem Rick com Michonne; nem GlennMaggie; nada é capaz de ser superior a divisão de tela entre ambos. Isso se desenrola desde a primeira temporada com a morte de Ed; se estende com Sophia e se perpetua com o reencontro deles após o Terminus.

A amizade com ele é inegociável. Qualquer coisa que ouse tentar destruir o vínculo afetivo é ligeiramente cortado. Carol não pensa duas vezes entre escolher Daryl ou Ezekiel. Nesse episódio isso fica totalmente esclarecido. Por mais que ela ame o Rei, o vínculo não consegue ser profundo o suficiente para superar o que Dixon significa para ela. Tudo o que passaram juntos, toda a simetria e leitura de olhar e expressões é insuperável.

Quando Carol sugere que talvez esteja se perdendo novamente, Daryl é rápido em sugerir que ele leve Lydia para longe. Mas se a presença da garota a leva para a perdição, estar longe de Daryl a leva para um lugar desolador ainda inexplorado. Então, Carol prefere se sentir ameaçada por o que Lydia representa a ter que lidar com a ausência de sua pessoa no mundo.

Um final leve com bastante complexidade

A guerra de neve significa a leveza.

A cena em que os três nomes principais chegam à Alexandria e se reúnem dentro do mesmo muro depois de tantos anos novamente, seguida por todos brincando em uma guerra de neve ilustra o quão bonita pode ser a vida mesmo em meio às dificuldades. Ali estão todos, esquecendo suas diferenças e brincando como crianças. Sorrisos e diversão.

Ainda temos a cena de Negan e Michonne que é bastante significativa. Anos atrás, no mesmo leito, no mesmo quarto, Rick e Michonne diziam que a pena de Negan era perpétua. Agora, sozinha com o antigo inimigo que acabara de salvar sua filha da morte certa, ela confronta seus próprios sentimentos quanto a ele.

Carol está de volta para a cidade de onde ela um dia fugiu e quer se reconstruir. Ela sabe que sua responsabilidade agora é manter Daryl perto e trabalhar para que Lydia se entenda como parte da comunidade.

Nossa opinião

Ezekiel e Daryl se confrontam sobre Carol.

Um final merecido para uma ótima temporada. Mesmo sem nomes centrais na trama, Angela se mostrou capaz de fazer uma linda história. Os dezesseis episódios possuem particularidades e são marcantes. Depois de muitos anos, The Walking Dead consegue formar uma temporada completa que não será esquecida pelo público. Isso porque Kang se importou com a trama, fundamentou-a e a planejou do inicio ao fim. Ouviu as críticas do público e deu respostas.

Com um episódio atípico para o fim de uma temporada e trazendo uma roupagem diferenciada, vimos momentos emocionantes que abrem espaço para novas histórias no décimo ano. Tudo o que esperamos é que Angela consiga manter os pés no chão como manteve nessa temporada e execute uma trama ainda mais complexa e profunda.

LEIA TAMBÉM:
Andrew Lincoln admite que escolheu a hora errada para deixar The Walking Dead

A curta cena de Alpha e Beta nesse episódio também deixam a entender que veremos ainda mais da ameaça que os Sussurradores são para os heróis. Muito sofrimento está adiante, mas por enquanto descansemos o nosso coração com o leve clima gerado por The Storm. Contrariando o dito popular, a calma veio durante a tempestade.

Aliás, os walkers congelados nesse episódio e as pequenas referências como a do zumbi na poça de água já citada e uma walker muito parecida com a famosa morta viva da bicicleta, ilustraram para o público o quanto as condições climáticas podem auxiliar ou prejudicar no cenário apocalíptico. Direção e roteiro souberam usar o clima ao seu favor.

The Walking Dead se mostra capaz de respirar ainda, por mais que muitos tentem dizer o contrário. Sem os braços de Rick e Carl, a história conseguiu andar sozinha e crescer em um vértice totalmente diferenciado, com um tom bastante diferente. Se Angela Kang vai continuar o ótimo trabalho que fez nessa temporada na próxima, vida longa à ela.

E você, o que achou do episódio? Comente abaixo e vote na enquete:

The Walking Dead é exibido no Brasil no FOX Premium 2, no FOX Channel e, ao mesmo tempo, no APP DA FOX, para assinantes dos pacotes FOX+ e FOX Premium. No destino streaming também é possível ver todas as outras temporadas completas – para quem quiser maratonar.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Destaque

Anunciada data de retorno da 10ª temporada de The Walking Dead

Confira a data de estreia dos episódios extras da 10ª temporada de The Walking Dead. Série se encaminha para a reta final.

Rafael Façanha

Publicado há

em

A AMC divulgou através de uma nova leitura de roteiro a data de retorno da 10ª temporada de The Walking Dead. Por conta da pandemia de COVID-19, a temporada ganhou 6 episódios extras.

A 10ª temporada de The Walking Dead retorna em 28 de Fevereiro de 2021. Os seis episódios extras, até certo ponto, vão seguir um formato de antologia, focados em personagens individuais ou pequenos grupos de personagens.

Já sabemos que pelo menos um desses episódios vai explorar o passado de Negan, provavelmente mostrando partes da HQ “Here’s Negan”. A atriz Hilarie Burton, esposa de Jeffrey Dean Morgan (Negan), foi anunciada recentemente no papel de Lucille (a esposa do personagem).

The Walking Dead é uma história que começou há 10 anos com um homem tentando encontrar sua família. Essa família cresceu e gradualmente as comunidades tomaram forma. Eles lutaram e sobreviveram, prosperaram e deram origem a uma nova geração. É um conto sobre a humanidade e há mais histórias para contar.

Continue lendo

10ª Temporada

Hilarie Burton entra para o elenco de The Walking Dead e interpretará Lucille

A atriz Hilarie Burton participará de um dos seis episódios extras da 10ª temporada de The Walking Dead dando vida a esposa de Negan.

Rafael Façanha

Publicado há

em

O Comic Book acaba de revelar com exclusividade que Hilarie Burton entrou para o elenco de The Walking Dead. A atriz interpretará Lucille, a esposa de Negan, em um dos seis episódios extras da 10ª temporada, que serão lançados no início de 2021.

Burton é a esposa na vida real do ator Jeffrey Dean Morgan (Negan) e os dois já começaram a trabalhar em um episódio juntos na Geórgia. Os fãs dos quadrinhos de The Walking Dead, nos quais a série de zumbis da AMC é baseada, provavelmente têm uma ideia precisa do que esperar.

Nos quadrinhos The Walking Dead, Negan foi casado com uma mulher chamada Lucille antes do fim do mundo. Nos últimos dias do mundo normal, Lucille estava lutando contra o câncer. O casamento não era tradicional, pois Negan estava tendo um caso que sua esposa tinha conhecimento antes de seu diagnóstico. Após o diagnóstico, Negan queria passar o máximo de tempo possível com sua esposa, terminando seu caso e dedicando todo seu tempo a Lucille.

A morte de Lucille veio quase simultaneamente com a queda do mundo e o vírus zumbi começando a se espalhar, então ela acabou se transformando na cama do hospital. Conforme a história continua, Negan deu o nome de sua falecida esposa a um taco de beisebol que usava para proteger a si mesmo e aos outros.

LEIA TAMBÉM:
Leitura de roteiro de The Walking Dead revela reunião de Maggie e Negan

Os seis episódios extras, até certo ponto, vão seguir um formato de antologia, focados em personagens individuais ou pequenos grupos de personagens. A história de Negan contada na HQ “Here’s Negan” parece ser o foco de um desses episódios.

Burton é mais conhecida por seu trabalho em “One Tree Hill” e também desempenhou papéis em “The Secret Life of Bees”, “Surprised by Love”, “Extant” e “Grey’s Anatomy”. Hilarie Burton e Jeffrey Dean Morgan se casaram em outubro de 2019, tendo estado juntos muitos anos antes do casamento, e têm dois filhos juntos.

The Walking Dead volta com seis episódios bônus da 10ª temporada no início de 2021.

Continue lendo

Destaque

[EXCLUSIVO] Elenco de The Walking Dead comemora os 10 anos da série em vídeo especial

Em comemoração aos 10 anos de The Walking Dead, reunimos mais de 40 atores do elenco para comemorar essa data tão especial. Confira o vídeo!

Rafael Façanha

Publicado há

em

Ao longo dos dois últimos meses, divulgamos entrevistas com vários atores que passaram pelo elenco de The Walking Dead em comemoração aos 10 anos da série, que teve sua estreia em 31 de Outubro de 2010.

Nossos sobreviventes enfrentaram muitos desafios desde que se encontraram em Atlanta, quando Rick Grimes reencontrou sua família e, juntos, construíram amizades que os seguiriam por vários anos. Diversos obstáculos foram apresentados pelo caminho do grupo. Eles enfrentaram tanto zumbis quanto humanos para tentar sobreviver, e sabemos muito bem que nem todos conseguiram.

Durante esses 10 anos, muitas histórias foram contadas, muitos personagens foram apresentados, muitas despedidas foram feitas e temos uma gratidão enorme de ter a oportunidade de levar diariamente para os fãs brasileiros as últimas notícias desse universo que já se reinventou várias vezes e está crescendo cada dia mais.

Para concluir esse projeto que foi tão especial para nós do The Walking Dead BR, reunimos mais de 40 atores – entre antigos e atuais – para prestar uma homenagem a esse marco histórico da série que tanto amamos. Confira:

AGRADECIMENTOS ESPECIAIS

• Ao elenco:

Sarah Wayne Callies (Lori), Xander Berkeley (Gregory), Elizabeth Faith Ludlow (Arat), Lew Temple (Axel), Juan Gabriel Pareja (Morales), Andrew J. West (Gareth), Thora Birch (Gamma), Juan Javier Cardenas (Dante), Samantha Morton (Alpha), Jayson Warner Smith (Gavin), Jeryl Prescott (Jacqui), Jordan Woods-Robinson (Eric), Major Dodson (Sam), Sabrina Gennarino (Tamiel), Vincent M Ward (Oscar), Kelley Mack (Addy), Lawrence Gilliard Jr. (Bob), Corey Brill (Pete), Melissa Ponzio (Karen), Jeff Kober (Joe), Andrew Rothenberg (Jim), Denise Crosby (Mary), Brighton Sharbino (Lizzie), Jason Douglas (Tobin), Emma Bell (Amy), IronE Singleton (T-Dog), Emily Kinney (Beth), Benedict Samuel (Owen), Daniel Bonjour (Aiden), Steve Coulter (Reg), Joshua Mikel (Jared), Teri Wyble (Oficial Shepherd), Lindsley Register (Laura), Ann Mahoney (Olivia), Erik Jensen (Steven Edwards), John Carroll Lynch (Eastman), Matt Mangum (D.J.), Alex Sgambati (Jules), Anabelle Holloway (Grace), Avianna Mynhier (Rachel), Cailey Fleming (Judith), Cassady McClincy (Lydia), Dan Fogler (Luke), Gustavo Gomez (Marco), Karen Ceesay (Bertie), Khary Payton (Ezekiel), Cooper Andrews (Jerry), Lauren Ridloff (Connie) e Nadia Hilker (Magna).

• Aos membros da equipe The Walking Dead BR:

Rafael Façanha, Bruno Favarini, Margo Goldwyn, Victoria Rodrigues, Thalia Tormes, Rafaela Mazulquim, Estefany Souza, Dhebora Fonseca, Elayne Gonçalves, Marcela Aquino, Marcello Oliveira, Stephani Gimenes, Ávila Souza e Ludmilla Peixoto.

• Edição do vídeo:

FORMES

Continue lendo

EM ALTA