Siga-nos nas redes sociais

Destaque

The Walking Dead S09E11: 5 coisas que você pode ter perdido em “Bounty”

Ivy Leça

Publicado há

em

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do décimo primeiro episódio, S09E11 – “Bounty”, da nona temporada de The Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

Depois do acalorado clima construído em Omega, o episódio dessa semana veio para cavar ainda mais fundo no que concerne o desenvolvimento da liderança dos Sussurradores. Já que a trama constrói dois pontos bastantes contrastantes: de um lado a tensão envolvida na negociação estabelecida entre os novos antagonistas e Hilltop e do outro uma divertida busca por uma lâmpada de projeção para o cinema da feira no Reino.

O clima de terror se destacou muito bem e a direção somada a um roteiro bastante consistente resultou em cenas memoráveis. É o caso da cena do milharal envolvendo Connie. Porquanto, o mais surpreendente é pensar que a personagem surda vive exatamente essa mesma tensão em todos os momentos de sua vida desde que o apocalipse zumbi começou.

Entre idas e vindas na hibridização de terror e leveza você pode ter deixado de prestar atenção em alguns momentos do episódio. Então que tal dar uma olhada nas cinco coisas que você pode ter perdido em “Bounty“? Confira:

1. Apenas sobreviva de alguma forma

The Walking Dead tem gostado muito de criar elo entre os personagens e seus passados nesse nono ano. Inclusive, rotineiramente temos visto os heróis rebuscarem momentos vividos em temporadas anteriores para se entenderem no presente. E é nessa ideia que Enid, ao se engajar para tentar convencer Henry de cooperar com a negociação estabelecida por Alpha e salvar a vida de Alden, lembra de como ela se sentiu quando ficou órfã em meio ao caos zumbi. Nesse momento ela retrata especificamente o segundo episódio da sexta temporada, JSS, que é um acrónimo para “Just Survive Somehow” (Apenas sobreviva de alguma forma).

É interessante notar que ao relembrar o passado e especificamente a frase, Enid também estabelece uma relação com o que Carl lhe disse em sua carta de despedida “[…] apenas sobreviver não é viver”. E mais do que isso. A situação é totalmente oportuna para Lydia, já que ela foi incluída pela mãe desde a primeira infância a um modo de vida que leva em consideração apenas os instintos mais primários humanos. E isso se afasta totalmente daquilo que é viver – na visão de Carl e agora da médica de Hilltop.

2. O paralelo com o Governador

Outra das coisas que a série gosta muito de fazer é reutilizar momentos chaves para explorar novos desfechos. Ficou evidente nessa semana, por exemplo, o paralelo criado entre a negociação de Alpha com Daryl ao ter dois reféns de Hilltop nos portões da comunidade com o momento em que o Governador tem Michonne e Hershel rendidos em frente à prisão.

Apesar da semelhança, no entanto, das cenas, cabe salientar que diferentemente do Governador, Alpha não foi uma vilã nos portões de Hilltop. Por mais que seja mesquinha e tenha uma visão de sobrevivência totalmente deturpada, em momento nenhum ela parece estar interessada em derrubar os muros do local. Ela propõe uma negociação simples: sua filha em troca de Luke e Alden.  Alpha não se importa com o que há dentro dos portões e nem com o fato de uma mulher desconhecida salvar a vida do bebê abandonado por eles. Ao final da troca, Alpha e seus seguidores vão embora demonstrando nenhuma intenção em retornar. O problema é que nossos heróis parecem estar buscando a vilania dela, diga-se de passagem, especificamente Henry.

3. Novas referências no tic tac do relógio

Diz o ditado “Se um relógio aparecer em The Walking Dead, existe uma referência em tela”. E de fato, os relógios vêm sendo utilizados desde muito tempo para trazer pequenas citações de roteiro que não são tão fundamentais, mas que no fim querem dizer alguma coisa.

É o caso da cena inicial do episódio dessa semana, em que Ezekiel, Carol e Jerry esperam por Jesus e Tara em um ponto específico. Entre o descontraído papo com seu guarda real, o Rei olha em seu relógio que marca o horário de 9h11. Uma pequena referência ao nono ano da série e ao episódio que estávamos assistindo no momento, já que Bounty foi o décimo primeiro da temporada.

Outro paralelo específico é que os relógios são um mau presságio para quem os observa. São os casos de Beth, Tyresse e Denise, todos eles, em algum momento, tiveram um momento encarando as horas correrem antes de suas mortes se concretizarem. Será que a cena quer dizer que a majestade está em perigo?

4. O abusador e o abusado

Desde Omega a trama parece querer criar um elo entre Alpha e Carol. De um lado, uma mulher egocêntrica e com o perfil de abusadora (em nível físico e psicológico) e de outro uma mulher que a partir de experiências de abuso se constituiu em uma das sobreviventes mais fortes e adaptáveis do apocalipse.

Agora, em Bounty, a trama justamente se subdividiu entre as duas. Enquanto uma buscava seu objeto de abuso nos portões de Hilltop, a outra vivia plenamente em seus anos de liberdade que o apocalipse lhe proporcionou. É justamente essa a comparação que o enredo tem tentado construir: o como a catástrofe zumbi de um lado pôde libertar uma mulher das mãos de um abusador ao mesmo passo que impulsionou outra a se tornar a mesma figura monstruosa. Será que isso significa um confronto mais a frente entre ambas?

5. O mundo é nosso por direito

Rick pode estar ausente da série, mas sua presença se não é física é moral. No inicio do episódio, na cena de flashback que traz Tara e Jesus dando a Ezekiel a unidade do Estatuto que Michonne esteve desenvolvendo, pudemos notar uma frase bastante conhecida pelos fãs ao final do documento. Ela usa no terceiro artigo da carta normativa a frase “O mundo é nosso por direito”. Essa frase, além de soar muito bem aos ouvidos de quem quer encontrar seu local no mundo, é creditada a Rick, já que ele discursa sobre ela no inicio do oitavo ano ao tentar unir as comunidades contra Negan.

E é engraçado que ao ser firmemente inspirada pelo que Rick quis construir nos últimos tempos de sua estádia com as comunidades, o Estatuto seja evitado por Michonne e quem esteja com seu poder sejam Ezekiel e Carol. Basicamente, a carta normativa foi construída com base nos princípios morais pregados pelo xerife e aparentemente algo fez com que sua mulher esquecesse de tudo isso. É como se Michonne simplesmente tivesse enrolado quem Rick foi e deixado de lado, pegando pó, prosseguindo para uma ideologia própria e oposta a dele.

Você percebeu algo além das cinco coisas acima? Deixe abaixo nos comentários para que a gente também possa saber.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

10ª Temporada

Trailer LEGENDADO dos episódios extras da 10ª temporada de The Walking Dead

Assista ao trailer dos episódios extras da 10ª temporada de The Walking Dead. Série retorna em 28 de Fevereiro!

Rafael Façanha

Publicado há

em

daryl armado em imagem dos episódios extras da 10ª temporada de The Walking Dead

The Walking Dead está se preparando para retornar com 6 episódios extras da 10ª temporada e a AMC acaba de divulgar o trailer oficial para aquecer a ansiedade dos fãs.

Os novos episódios vão focar em determinados grupos de personagens e prometem responder algumas perguntas em aberto, como onde Maggie estava, o passado de Negan e sobre os soldados que cercaram o grupo de Eugene no final do episódio “A Certain Doom”.

Assista ao trailer de The Walking Dead:

LEIA TAMBÉM:
Títulos e sinopses dos episódios extras da 10ª temporada de The Walking Dead

Nesses episódios extras, encontraremos nossos sobreviventes tentando se reerguer após a destruição que os Sussurradores deixaram para trás. Os anos de luta pesam sobre eles e os traumas do passado ressurgem, expondo seus lados mais vulneráveis. Ao questionarem o estado da humanidade, o estado de sua comunidade coletiva e o estado de suas mentes, eles encontrarão a força interior para perseverar com suas vidas, amizades e grupo intactos?

A 11ª temporada de The Walking Dead – que tem previsão de estreia para Outubro deste ano – será a última da série inspirada nos quadrinhos de Robert Kirkman. Para dar uma despedida digna e épica ao universo zumbi, serão exibidos 24 episódios nesta parte final da história, oito a mais em relação aos tradicionais 16 capítulos divididos em duas partes que nos acompanharam na maioria das temporadas.

The Walking Dead retorna em 28 de Fevereiro com o episódio “Home Sweet Home”.


Legenda por: Guilherme Catai / Equipe The Walking Dead BR

Continue lendo

Destaque

Anunciada data de retorno da 10ª temporada de The Walking Dead

Confira a data de estreia dos episódios extras da 10ª temporada de The Walking Dead. Série se encaminha para a reta final.

Rafael Façanha

Publicado há

em

A AMC divulgou através de uma nova leitura de roteiro a data de retorno da 10ª temporada de The Walking Dead. Por conta da pandemia de COVID-19, a temporada ganhou 6 episódios extras.

A 10ª temporada de The Walking Dead retorna em 28 de Fevereiro de 2021. Os seis episódios extras, até certo ponto, vão seguir um formato de antologia, focados em personagens individuais ou pequenos grupos de personagens.

Já sabemos que pelo menos um desses episódios vai explorar o passado de Negan, provavelmente mostrando partes da HQ “Here’s Negan”. A atriz Hilarie Burton, esposa de Jeffrey Dean Morgan (Negan), foi anunciada recentemente no papel de Lucille (a esposa do personagem).

The Walking Dead é uma história que começou há 10 anos com um homem tentando encontrar sua família. Essa família cresceu e gradualmente as comunidades tomaram forma. Eles lutaram e sobreviveram, prosperaram e deram origem a uma nova geração. É um conto sobre a humanidade e há mais histórias para contar.

Continue lendo

10ª Temporada

Hilarie Burton entra para o elenco de The Walking Dead e interpretará Lucille

A atriz Hilarie Burton participará de um dos seis episódios extras da 10ª temporada de The Walking Dead dando vida a esposa de Negan.

Rafael Façanha

Publicado há

em

O Comic Book acaba de revelar com exclusividade que Hilarie Burton entrou para o elenco de The Walking Dead. A atriz interpretará Lucille, a esposa de Negan, em um dos seis episódios extras da 10ª temporada, que serão lançados no início de 2021.

Burton é a esposa na vida real do ator Jeffrey Dean Morgan (Negan) e os dois já começaram a trabalhar em um episódio juntos na Geórgia. Os fãs dos quadrinhos de The Walking Dead, nos quais a série de zumbis da AMC é baseada, provavelmente têm uma ideia precisa do que esperar.

Nos quadrinhos The Walking Dead, Negan foi casado com uma mulher chamada Lucille antes do fim do mundo. Nos últimos dias do mundo normal, Lucille estava lutando contra o câncer. O casamento não era tradicional, pois Negan estava tendo um caso que sua esposa tinha conhecimento antes de seu diagnóstico. Após o diagnóstico, Negan queria passar o máximo de tempo possível com sua esposa, terminando seu caso e dedicando todo seu tempo a Lucille.

A morte de Lucille veio quase simultaneamente com a queda do mundo e o vírus zumbi começando a se espalhar, então ela acabou se transformando na cama do hospital. Conforme a história continua, Negan deu o nome de sua falecida esposa a um taco de beisebol que usava para proteger a si mesmo e aos outros.

LEIA TAMBÉM:
Leitura de roteiro de The Walking Dead revela reunião de Maggie e Negan

Os seis episódios extras, até certo ponto, vão seguir um formato de antologia, focados em personagens individuais ou pequenos grupos de personagens. A história de Negan contada na HQ “Here’s Negan” parece ser o foco de um desses episódios.

Burton é mais conhecida por seu trabalho em “One Tree Hill” e também desempenhou papéis em “The Secret Life of Bees”, “Surprised by Love”, “Extant” e “Grey’s Anatomy”. Hilarie Burton e Jeffrey Dean Morgan se casaram em outubro de 2019, tendo estado juntos muitos anos antes do casamento, e têm dois filhos juntos.

The Walking Dead volta com seis episódios bônus da 10ª temporada no início de 2021.

Continue lendo

EM ALTA