Siga-nos nas redes sociais

Curiosidades

Produtores de The Walking Dead entram com processo milionário contra a AMC

Robert Kirkman, Gale Anne Hurd e outros produtores executivos de The Walking Dead pedem 200 milhões de dólares por quebra de contrato.

Publicado há

 

em

Robert Kirkman fazendo joinha ao lado de 3 zumbis da 1ª temporada de The Walking Dead.

O último episódio de The Walking Dead está chegando neste final de semana, mas as batalhas por muito dinheiro da série de apocalipse zumbi estão longe de terminar.

Com os restos desgastados de um processo de participação nos lucros de 2017 movido por Robert Kirkman, Gale Anne Hurd, David Alpert, Charles Eglee e o ex-showrunner Glen Mazzara ainda caminhando pelos tribunais, os produtores atacaram a AMC com uma nova ação de quebra de contrato no valor de 200 milhões de dólares.

“Mesmo que a AMC tenha explorado as ideias e serviços dos queixosos para ganhar bilhões com a franquia The Walking Dead, a AMC emitiu uma definição MAGR que, em sua forma original, não teria pago um único dólar em participação nos lucros aos queixosos”, diz o processo divulgado pelo Deadline.

“Os queixosos têm direito ao mesmo tratamento concedido a Darabont com relação aos seus interesses MAGR, portanto, eles têm direito a ter a mesma avaliação aplicada aos seus interesses MAGR, que, coletivamente, excedem os de Darabont e CAA”, diz o documento sobre o acordo de 2021 pouco antes do julgamento com o showrunner original de The Walking Dead, Frank Darabont e CAA, após quase uma década. “Como resultado, os queixosos têm direito a um pagamento de mais de US$200 milhões da AMC, em valor a ser provado em julgamento.”

LEIA TAMBÉM:
Quem vai morrer no último episódio de The Walking Dead?

Olhando para o fim da série principal e o início de vários spin-offs derivados do Universo Walking Dead, o principal advogado externo da AMC comentou sobre o processo:

“Robert Kirkman, David Alpert e os demais queixosos tiveram suas maiores reivindicações contra a AMC Networks retiradas do tribunal duas vezes, então agora eles estão de volta com outro processo”, disse Orin Snyder, sócio da Gibson Dunn, ao Deadline em comunicado. “E outro processo significa outra tentativa de reescrever seus acordos e extrair ainda mais do que os milhões que já foram pagos, e os outros que ainda serão pagos no futuro, por suas participações nos lucros em The Walking Dead. Este é apenas mais um roubo de dinheiro grosseiro. Estamos confiantes de que falhará, pois suas tentativas anteriores falharam.”

Centrando-se agora nas alegações de auditoria depois de serem derrotados em abril, Kirkman, Hurd e o processo inicial dos outros devem ir a julgamento em fevereiro de 2023. Tendo apresentado sua ação abrangente pela primeira vez em 2013, o diretor da Shawshank Redemption, Darabont e a CAA viram quase todos os seus direitos comprados “por um pagamento em dinheiro de US$ 200 milhões (o “Pagamento de Liquidação”) aos queixosos e compartilhamento de receita futura relacionada a certa exibição futura de streaming de The Walking Dead e Fear The Walking Dead”, de acordo com o processo de 16 de julho de 2021.

LEIA TAMBÉM:
Por que Frank Darabont deixou The Walking Dead?

“Os queixosos foram forçados a entrar com este processo como resultado do tratamento de duas faces da AMC de seu direito de participar do sucesso histórico de The Walking Dead”, disse o advogado Sheldon Eisenberg ao Deadline em nome de Kirkman, Hurd e os outros. “Por um lado, a AMC diz a eles que eles não têm direito a nada com base em decisões errôneas pré-julgamento que estão sujeitas a apelação, enquanto a AMC pagou US$ 200 milhões a Frank Darabont e CAA para evitar a revisão de um júri de Nova York da mesma definição de compensação contingente.”, afirmou o advogado da Sullivan & Triggs. “Em vez de dar aos queixosos o benefício do acordo de Darabont, conforme exigido pelos termos expressos de seus contratos, a atividade criativa da AMC hoje em dia parece limitada a descobrir novas maneiras de maltratar os talentos responsáveis por seu sucesso passado”.

The Walking Dead chegará ao fim em 20 de novembro, após 11 temporadas e 177 episódios. Enquanto Robert Kirkman concluiu os quadrinhos em 2019, a lucrativa franquia continuará no próximo ano com a 8ª temporada de Fear the Walking Dead, um spin-off focado em Daryl Dixon, outro focado em Maggie e Negan, intitulado de “The Walking Dead: Dead City“, e uma série limitada ainda sem título de Rick Grimes e Michonne, estrelando Andrew Lincoln e Danai Gurira.

Publicidade
Comentários