Siga-nos nas redes sociais

Curiosidades

Por que Frank Darabont deixou The Walking Dead?

Confira todos os detalhes sobre a saída/demissão de Frank Darabont, o idealizador e showrunner da 1ª temporada de The Walking Dead.

Publicado há

em

O que causou a saída de Frank Darabont (idealizador da Série de TV e showrunner da primeira temporada) de The Walking Dead após apenas uma temporada? Muito antes de entrar no apocalipse zumbi com The Walking Dead, Frank Darabont fez seu nome no reino cinematográfico com a adaptação de 1994 de Stephen King de “Um Sonho de Liberdade”. Enquanto a história de Andy Dufresne falhou em acender a bilheteria após o lançamento, o filme foi nomeado para uma série de prêmios e sua reputação cresceu muito no novo milênio. Darabont seguiu com um outro live-action, “À Espera de Um Milagre”, de Stephen King, que dessa vez provou ser um filme bem sucedido criticamente e comercialmente.

Em ambos os casos, Darabont atuou como escritor e diretor, demonstrando versatilidade e aptidão para traduzir uma visão única e completa da página para a tela. Começando com À Espera de Um Milagre, Darabont adicionou um terceiro chapéu à sua coleção, servindo como produtor em adição às suas outras responsabilidades.

Os trabalhos mais famosos de Darabont podem ter sido para o cinema, mas o diretor nascido na França também enveredou para a TV, escrevendo para séries como “Tales From The Crypt” e dirigindo/produzindo para o crime dramático da NBC “Raines”. The Walking Dead, entretanto, representou o primeiro grande projeto de Darabont para a TV e a dupla parecia ser perfeita. Então onde deu tudo errado?

No momento se preparando para sua décima temporada, The Walking Dead já passou dos tempos de Frank Darabont, mas as contribuições do cineasta para a série foram vitais, e não é exagero dizer que o show poderia não existir sem ele. Já sendo fã dos quadrinhos de Kirkman, Darabont levou seu conceito de uma adaptação de The Walking Dead para a TV para diversas emissoras, finalmente encontrando um lar na AMC. Dada sua experiência em Hollywood e posição cultural, Darabont foi certamente uma estratégia para o projeto de Robert Kirkman da AMC e com temas como escuridão, isolamento e uma fraca esperança (e também uma prisão como futuro cenário), Darabont e The Walking Dead pareciam perfeitamente adequados.

LEIA TAMBÉM:
Elenco de The Walking Dead fala sobre como foi trabalhar com Frank Darabont

Frank Darabont esteve envolvido com The Walking Dead durante os primeiros estágios de seu desenvolvimento e, em adição à sua posição de direção e roteiro, teve um papel fundamental em estabelecer o tom, o estilo visual e a configuração do live-action da série de The Walking Dead. Após passar cinco anos trabalhando no show e ajudando a decidir como o surto zumbi pareceria, Darabont foi dado a honra de dirigir e escrever o episódio piloto “Days Gone Bye” – uma abertura altamente cotada, que ainda se classifica como um dos melhores episódios de The Walking Dead.

No total, Darabont é creditado como escritor em 4 dos 6 episódios da primeira temporada de The Walking Dead e serviu como produtor executivo durante todo seu curso. Ele também escreveu a premiere da segunda temporada, “What Lies Ahead”, antes das coisas ficarem complicadas.

Durante a produção da segunda temporada de The Walking Dead, foi anunciada a saída de Frank Darabont. Informações iniciais diziam que era devido a problemas ao se ajustar a uma pesada programação de produção de TV, mas considerando que Darabont esteve presente no painel de The Walking Dead na San Diego Comic Con dias antes discutindo a chegada da nova temporada, alguma coisa não parecia certa. Enquanto a segunda temporada era lançada, novas informações surgiam afirmando que Darabont havia sido demitido pela AMC, com a rede buscando alterar o formato em resposta ao grande sucesso da primeira temporada. AMC estava agora procurando produzir o dobro da quantidade de episódios na segunda temporada, mas com um orçamento menor do que a primeira.

Conhecido por seus empreendimentos cinematográficos, Darabont defendeu abertamente a escala épica de The Walking Dead e não é difícil imaginar sua reação ao receber ordens para controlar as coisas. A informação inicial (via THR) inclusive sugeriu que a AMC estava procurando filmar mais cenas interiores e diminuir a quantidade de zumbis mostrados na tela. Enquanto sem confirmação, isso faria sentido dado ao fato de que a segunda temporada de The Walking Dead passou boa parte do tempo na fazenda Greene.

LEIA TAMBÉM:
Entenda a linha do tempo de The Walking Dead

A resposta dos fãs à demissão de Darabont foi em sua maioria de confusão. O showrunner esteve envolvido com The Walking Dead desde o primeiro dia e contribuiu em quase todo aspecto possível em termos de desenvolvimento, produção, direção e escrita. Para todas as intenções e propósitos, The Walking Dead era um projeto de Darabont e, não era necessário dizer, um processo contra a AMC foi aberto em resposta à sua demissão.

O processo de U$280 milhões contra a AMC alega que Frank Darabont nunca recebeu pagamento por desenvolver The Walking Dead e foi injustamente demitido sem aviso para evitar um aumento contratual no salário que viria com a segunda e terceira temporadas. Interessantemente, o processo também alega que o contrato de Darabont o deixava preso como produtor executivo por tanto tempo quanto The Walking Dead durasse e também o deu a oportunidade de se envolver em qualquer spinoff.

A queixa legal surgiu pela primeira vez em 2013 e ainda está para ser resolvida, continuando pelos últimos 6 anos. A situação teve uma virada dramática quando no início de 2018, entretanto, Darabont e sua agência de talento abriram um segundo processo e adicionaram U$10 milhões. Essa moção reivindicou ter descoberto mais práticas financeiras suspeitas feitas pela AMC, que eram designadas a privar produtores e showrunners de suas partes dos lucros de The Walking Dead, e ocorreu na sequência de uma ação legal semelhante contra a AMC por Robert Kirkman, Gale Anne Hurd, Glen Mazzara (sucessor de Darabont) e mais.

Finalmente, em Fevereiro de 2019, Joel Cohen da Suprema Corte de Nova York anunciou que a disputa legal em andamento entre a AMC e Darabont iria a julgamento, começando em 11 de Maio de 2020 e durando por aproximadamente um mês. Ambos os times afirmaram que esse avanço era uma vitória para seus respectivos lados mas, eventualmente, haverá somente um vencedor, e após uma longa luta que durou mais que o grande Rick Grimes, o resultado finalmente será decidido ano que vem.

A 10ª temporada de The Walking Dead estreia dia 6 de Outubro.

Publicidade
Comentários

EM ALTA