Siga-nos nas redes sociais

Curiosidades

Por que Frank Darabont deixou The Walking Dead?

Confira todos os detalhes sobre a saída/demissão de Frank Darabont, o idealizador e showrunner da 1ª temporada de The Walking Dead.

Avatar

Publicado há

em

O que causou a saída de Frank Darabont (idealizador da Série de TV e showrunner da primeira temporada) de The Walking Dead após apenas uma temporada? Muito antes de entrar no apocalipse zumbi com The Walking Dead, Frank Darabont fez seu nome no reino cinematográfico com a adaptação de 1994 de Stephen King de “Um Sonho de Liberdade”. Enquanto a história de Andy Dufresne falhou em acender a bilheteria após o lançamento, o filme foi nomeado para uma série de prêmios e sua reputação cresceu muito no novo milênio. Darabont seguiu com um outro live-action, “À Espera de Um Milagre”, de Stephen King, que dessa vez provou ser um filme bem sucedido criticamente e comercialmente.

Em ambos os casos, Darabont atuou como escritor e diretor, demonstrando versatilidade e aptidão para traduzir uma visão única e completa da página para a tela. Começando com À Espera de Um Milagre, Darabont adicionou um terceiro chapéu à sua coleção, servindo como produtor em adição às suas outras responsabilidades.

Os trabalhos mais famosos de Darabont podem ter sido para o cinema, mas o diretor nascido na França também enveredou para a TV, escrevendo para séries como “Tales From The Crypt” e dirigindo/produzindo para o crime dramático da NBC “Raines”. The Walking Dead, entretanto, representou o primeiro grande projeto de Darabont para a TV e a dupla parecia ser perfeita. Então onde deu tudo errado?

No momento se preparando para sua décima temporada, The Walking Dead já passou dos tempos de Frank Darabont, mas as contribuições do cineasta para a série foram vitais, e não é exagero dizer que o show poderia não existir sem ele. Já sendo fã dos quadrinhos de Kirkman, Darabont levou seu conceito de uma adaptação de The Walking Dead para a TV para diversas emissoras, finalmente encontrando um lar na AMC. Dada sua experiência em Hollywood e posição cultural, Darabont foi certamente uma estratégia para o projeto de Robert Kirkman da AMC e com temas como escuridão, isolamento e uma fraca esperança (e também uma prisão como futuro cenário), Darabont e The Walking Dead pareciam perfeitamente adequados.

LEIA TAMBÉM:
Elenco de The Walking Dead fala sobre como foi trabalhar com Frank Darabont

Frank Darabont esteve envolvido com The Walking Dead durante os primeiros estágios de seu desenvolvimento e, em adição à sua posição de direção e roteiro, teve um papel fundamental em estabelecer o tom, o estilo visual e a configuração do live-action da série de The Walking Dead. Após passar cinco anos trabalhando no show e ajudando a decidir como o surto zumbi pareceria, Darabont foi dado a honra de dirigir e escrever o episódio piloto “Days Gone Bye” – uma abertura altamente cotada, que ainda se classifica como um dos melhores episódios de The Walking Dead.

No total, Darabont é creditado como escritor em 4 dos 6 episódios da primeira temporada de The Walking Dead e serviu como produtor executivo durante todo seu curso. Ele também escreveu a premiere da segunda temporada, “What Lies Ahead”, antes das coisas ficarem complicadas.

Durante a produção da segunda temporada de The Walking Dead, foi anunciada a saída de Frank Darabont. Informações iniciais diziam que era devido a problemas ao se ajustar a uma pesada programação de produção de TV, mas considerando que Darabont esteve presente no painel de The Walking Dead na San Diego Comic Con dias antes discutindo a chegada da nova temporada, alguma coisa não parecia certa. Enquanto a segunda temporada era lançada, novas informações surgiam afirmando que Darabont havia sido demitido pela AMC, com a rede buscando alterar o formato em resposta ao grande sucesso da primeira temporada. AMC estava agora procurando produzir o dobro da quantidade de episódios na segunda temporada, mas com um orçamento menor do que a primeira.

Conhecido por seus empreendimentos cinematográficos, Darabont defendeu abertamente a escala épica de The Walking Dead e não é difícil imaginar sua reação ao receber ordens para controlar as coisas. A informação inicial (via THR) inclusive sugeriu que a AMC estava procurando filmar mais cenas interiores e diminuir a quantidade de zumbis mostrados na tela. Enquanto sem confirmação, isso faria sentido dado ao fato de que a segunda temporada de The Walking Dead passou boa parte do tempo na fazenda Greene.

LEIA TAMBÉM:
Entenda a linha do tempo de The Walking Dead

A resposta dos fãs à demissão de Darabont foi em sua maioria de confusão. O showrunner esteve envolvido com The Walking Dead desde o primeiro dia e contribuiu em quase todo aspecto possível em termos de desenvolvimento, produção, direção e escrita. Para todas as intenções e propósitos, The Walking Dead era um projeto de Darabont e, não era necessário dizer, um processo contra a AMC foi aberto em resposta à sua demissão.

O processo de U$280 milhões contra a AMC alega que Frank Darabont nunca recebeu pagamento por desenvolver The Walking Dead e foi injustamente demitido sem aviso para evitar um aumento contratual no salário que viria com a segunda e terceira temporadas. Interessantemente, o processo também alega que o contrato de Darabont o deixava preso como produtor executivo por tanto tempo quanto The Walking Dead durasse e também o deu a oportunidade de se envolver em qualquer spinoff.

A queixa legal surgiu pela primeira vez em 2013 e ainda está para ser resolvida, continuando pelos últimos 6 anos. A situação teve uma virada dramática quando no início de 2018, entretanto, Darabont e sua agência de talento abriram um segundo processo e adicionaram U$10 milhões. Essa moção reivindicou ter descoberto mais práticas financeiras suspeitas feitas pela AMC, que eram designadas a privar produtores e showrunners de suas partes dos lucros de The Walking Dead, e ocorreu na sequência de uma ação legal semelhante contra a AMC por Robert Kirkman, Gale Anne Hurd, Glen Mazzara (sucessor de Darabont) e mais.

Finalmente, em Fevereiro de 2019, Joel Cohen da Suprema Corte de Nova York anunciou que a disputa legal em andamento entre a AMC e Darabont iria a julgamento, começando em 11 de Maio de 2020 e durando por aproximadamente um mês. Ambos os times afirmaram que esse avanço era uma vitória para seus respectivos lados mas, eventualmente, haverá somente um vencedor, e após uma longa luta que durou mais que o grande Rick Grimes, o resultado finalmente será decidido ano que vem.

A 10ª temporada de The Walking Dead estreia dia 6 de Outubro.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Curiosidades

AMC Networks atinge 6 milhões de assinantes com a ajuda de The Walking Dead

Graças ao enorme sucesso da franquia The Walking Dead ao longo dos anos, o AMC ainda segue colhendo bons frutos com o drama zumbi.

Rafaela Mazulquim

Publicado há

em

personagens reunidos no pôster da 10ª temporada de The Walking Dead - episódios extras

No início desta semana, a AMC Networks trouxe boas notícias para os investidores quando divulgou seus lucros do quarto trimestre e do final do ano. A empresa terminou 2020 com mais de 6 milhões de assinantes em suas várias plataformas, incluindo AMC +, Acorn TV, Shudder, Sundance Now e ALLBLK. Isso é um crescimento de 157% agregado de assinantes ano a ano.

O presidente e CEO Josh Sapan credita parte desse sucesso à franquia em expansão The Walking Dead, que lançou 40 novos episódios em 2020 entre The Walking Dead, Fear the Walking Dead e The Walking Dead: World Beyond. AMC Networks não mostra sinais de desacelerar a produção de sua franquia de sucesso, mesmo quando a série original se aproxima de sua temporada final.

“2020 foi um ano de forte desempenho para AMC Networks, à medida que continuamos a transformar nossa empresa enquanto navegávamos com sucesso em um ambiente operacional excepcionalmente desafiador e incerto”, disse Sapan em um comunicado à imprensa. “AMC Networks é agora a líder mundial em streaming direcionado e, com a adição de nossa nova oferta de pacote premium AMC +, streaming é agora a área de crescimento mais significativa de nossa empresa. Nossas relações de distribuição são fortes, agora suportadas por nossas ofertas de streaming, com nossa capacidade de concluir várias renovações em 2020, ressaltando a força contínua e o valor atraente de nossos canais a cabo lineares. Nossas iniciativas de publicidade digital são uma prioridade principal, incluindo a distribuição expandida de nosso conteúdo nas plataformas AVOD e FAST. Nossa capacidade comprovada e contínua de criar e selecionar seletivamente conteúdo obrigatório está nos permitindo alimentar o pipeline de conteúdo que dá suporte a todas as nossas ofertas. Nossa estratégia está nos fornecendo fortes ventos favoráveis e acreditamos que existem oportunidades significativas e sustentáveis diante de nós, à medida que continuamos a reconstituir nossa empresa.”

Como todo estúdio de produção, o AMC enfrentou desafios em 2020 devido à pandemia.

LEIA TAMBÉM:
Última temporada de The Walking Dead ganha previsão de estreia e teaser

O diretor de conteúdo da AMC Networks e do Universo The Walking Dead, Scott M Gimple, anunciou em setembro que a décima primeira temporada de The Walking Dead, agora em andamento, será a última. A showrunner Angela Kang seguirá para a série spin-off sem título, estrelada por Daryl (Norman Reedus) e Carol (Melissa McBride).

“Já se passaram dez anos, o que vem pela frente são histórias e histórias para contar além disso”, disse Gimple em um comunicado. “O que está claro é que este show tem sido sobre os vivos, feito por um elenco apaixonado, equipe de roteiristas/produtores, produtores e equipe, dando vida à visão apresentada por Robert Kirkman em seu brilhante quadrinho – e apoiado pelos melhores fãs do mundo.”

Ainda este ano o AMC vai lançar a segunda parte da 6ª temporada de Fear the Walking Dead, a 2ª e última temporada de World Beyond e a 11ª e última temporada de The Walking Dead.

Continue lendo

Curiosidades

AMC anuncia especial de Natal de The Walking Dead

Atores antigos e atuais de The Walking Dead vão se reunir virtualmente para o especial de natal “The Walking Dead Holiday Special” da AMC.

Avatar

Publicado há

em

Personagens reunidos em uma mesa cheia de comida em um futuro alternativo de The Walking Dead

Você consegue imaginar a união entre o apocalipse zumbi e o Natal? Pois pode começar a imaginar como seria essa mistura. Isso porque, pela primeira vez, The Walking Dead foi incluída no especial de Natal da AMC dos Estados Unidos, “Best Christmas Ever”. O evento contará com uma reunião virtual com membros do elenco e o apresentador de Talking Dead, Chris Hardwick.

Anunciado exclusivamente para o serviço de streaming AMC+ (o pacote de streaming sob demanda da rede que oferece acesso antecipado e visualização sem anúncios), o evento festivo é um dos vários especiais de feriado que vão ao ar em dezembro. Vale lembrar que episódios selecionados de Talking Dead, o tradicional programa que vai ao ar após os episódios na emissora, já vão ao ar exclusivamente pelo streaming após novos episódios de Fear the Walking Dead e The Walking Dead: World Beyond. Devido à pandemia, o programa é gravado virtualmente.

The Walking Dead Holiday Special será transmitido no domingo, dia 13 de dezembro, uma semana após o fim da primeira temporada de The Walking Dead: World Beyond, o segundo spinoff da série original que promete dar pistas sobre o destino de Rick Grimes e sobre a misteriosa CRM.

LEIA TAMBÉM:
Última temporada de The Walking Dead pode ser dividida em três partes

Arte feita por fã de The Walking Dead com Rick, Michonne, Carl e Judith comemorando o Natal

Participações no especial de Natal de The Walking Dead

Estrelas do passado e do presente de The Walking Dead têm presença garantida no especial de Natal da AMC. Estão confirmadas as participações de Lauren Cohan (Maggie), Melissa McBride (Carol), Josh McDermitt (Eugene), Khary Payton (Rei Ezekiel), Eleanor Matsuura (Yumiko), Cooper Andrews (Jerry), Cassady McClincy (Lydia), Lauren Ridloff (Connie), Cailey Fleming (Judith) e dos “falecidos” IronE Singleton (T-Dog) e Emily Kinney (Beth Greene). Também participam das festividades Scott M. Gimple, diretor de conteúdo do Universo The Walking Dead, e a showrunner Angela Kang.

Os atores se juntam ao apresentador Chris Hardwick durante o programa, que terá uma hora de duração, para falar sobre essa temporada de férias e repassar estes 10 anos de franquia, completados em 2020. Além da retrospectiva de The Walking Dead, os espectadores terão momentos festivos, incluindo uma apresentação de “Up on the Housetop” de Kinney e uma paródia de “Twelve Days of Christmas” realizada por Payton, Andrews, Matsuura e McClincy.

O especial também apresenta um vídeo exclusivo da leitura de “Diverged”, um dos seis novos episódios que estendem a 10ª temporada até 2021. O especial apresentará os novos atores: Robert Patrick (Mays), Okea Eme-Akwari (Elijah) e Hilarie Burton Morgan (Lucille), que vão aparecer ao lado das estrelas Norman Reedus, Jeffrey Dean Morgan, Seth Gilliam, Ross Marquand e Paola Lázaro.

Segundo a AMC, nos capítulos que prorrogam a 10ª temporada de The Walking Dead, “encontramos nossos sobreviventes tentando se levantar após a destruição que os Sussurradores deixaram. Os anos de luta pesam sobre eles enquanto traumas passados vêm à tona, expondo seus lados mais vulneráveis. Todos questionam o estado da humanidade, de sua comunidade e de suas próprias mentes. Eles encontrarão a força interior para perseverar com suas vidas, amizades e grupo intactos?”.

O streaming AMC+ não está disponível no Brasil. Ainda não sabemos se o canal disponibilizará o especial em suas redes sociais para o resto do mundo.

Continue lendo

Curiosidades

Todos os nomes dados aos zumbis do universo de The Walking Dead

Confira uma lista completa de todos os nomes utilizados pelos sobreviventes do universo The Walking Dead para descreverem os zumbis.

Avatar

Publicado há

em

Os Vazios (zumbis) em imagem de The Walking Dead World Beyond

Durante as 10 temporadas de The Walking Dead e as 6 temporadas de Fear the Walking Dead, o Universo The Walking Dead viu muitos sobreviventes, comunidades e zumbis. No mundo fragmentado pós-apocalíptico, sem um governo ou sistema de informação comum – como, digamos, a Internet – os laços que unem o mundo foram rompidos, e isso inclui a linguagem.

Embora alguns desses personagens vivam a poucos quilômetros de distância e falem a mesma língua, eles desenvolveram diferentes convenções de nomenclatura. Isso é especialmente verdadeiro para os fenômenos mais recentes em seu mundo: os cadáveres andando por aí, causando estragos e comendo seus amigos. Enquanto o bando de sobreviventes de Rick decidiu-se pelo termo ‘caminhantes’, existem inúmeras outras maneiras de descrever os mortos-vivos, mesmo dentro das áreas geográficas limitadas para as quais seu grupo se espalhou na Geórgia e Virgínia.

Na mais nova série de TWD, The Walking Dead: World Beyond, que se passa em Nebraska, não é surpreendente que haja uma nomenclatura totalmente diferente para os mortos. Eles os chamam de ‘vazios’. Com isso em mente, coletamos todas as maneiras criativas como os personagens do Universo The Walking Dead descrevem os monstros comedores de carne mais conhecidos como ‘caminhantes’ em todas as três séries para uma breve atualização. Confira a lista:

Walkers (Caminhantes)

Quem usa esse termo?
O grupo original de sobreviventes de Rick cunhou o termo e o carregou com eles aonde quer que fossem (ou colonizassem, dependendo de sua perspectiva).

O que o termo significa?
Os zumbis estão andando por aí. Eles não deveriam estar caminhando, então… caminhantes.

É um termo preciso?
Não completamente. Caminhantes rastejam. Eles flutuam. Eles rolam.

O termo pegou?
Sim. Enquanto o grupo de Rick vagava pela Geórgia, e eventualmente se estabelecia na Virgínia, eles seguiram seu caminho descrevendo os mortos a quem encontrava com eles. Agora esta é a maneira dominante de descrever a ameaça dos mortos-vivos dentro de uma variedade de comunidades que antes usavam outros termos.

LEIA TAMBÉM:
Quem morreu no 16º Episódio da 10ª Temporada de The Walking Dead?

The Infected (Os infectados)

Quem usa esse termo?
Pessoas da ciência, incluindo Dr. Edwin Jenner, e quase todo mundo no início de Fear the Walking Dead.

O que o termo significa?
Bem, as pessoas pegam um vírus, morrem e se tornam mortas-vivas.

É um termo preciso?
Definitivamente.

O termo pegou?
Na verdade não. No início, era assim que algumas pessoas chamavam os zumbis, mas parece ter desaparecido rapidamente. Faz sentido que, com o colapso da sociedade, os usos mais clínicos morram e sejam substituídos por termos mais terrosos.

Empties (Vazios)

Quem usa esse termo?
Residentes do Campus Colony em The Walking Dead: World Beyond.

O que o termo significa?
Jesus usou o termo nos quadrinhos e, de acordo com o produtor executivo Matt Negrete, os andadores estão vazios e isso faz um bom paralelo com o show porque Iris se sente vazia por dentro.

É um termo preciso?
Absolutamente. Os caminhantes não são nada senão cascas vazias.

O termo pegou?
Veremos. Mas, como World Beyond está definido no futuro do apocalipse zumbi e o termo está em uso generalizado em uma sociedade desenvolvida como a Campus Colony, a resposta provavelmente é sim.

Roamers (Perambulantes)

Quem usa esse termo?
Quando Aaron e os alexandrinos originais liderados por Deanna apareceram, era assim que eles se referiram aos zumbis. Até aquele ponto, eles haviam feito um trabalho incrível em mantê-los fora de sua comunidade.

O que o termo significa?
Este é bastante óbvio, já que a maioria dos zumbis vagam por aí, caçando comida (também conhecida como pessoas).

É um termo preciso?
Nem sempre. Tal como acontece com os caminhantes, muitos dos mortos-vivos não são exatamente perambulantes, mas ainda são bastante perigosos. A precisão da linguagem é importante ao rotular uma ameaça como um morto-vivo.

O termo pegou?
De modo nenhum. Assim que o grupo de Rick apareceu, esse termo foi jogado pela janela.

Stinker (Fedorento)

Quem usa esse termo?
Connie, Kelly, Luke, Magna e Yumiko referem-se aos zumbis dessa forma quando eles encontram os sobreviventes em The Walking Dead.

O que o termo significa?
Presumivelmente porque cadáveres em decomposição, como os mortos-vivos, cheiram mal. Isso sugere que os caminhantes cheiram tão mal quanto qualquer outro cadáver, o que dá uma visão inteiramente nova dos horrores do apocalipse.

É um termo preciso?
Se o que foi dito acima for realmente verdade, então, definitivamente.

O termo pegou?
Não. A dominação cultural do grupo de Rick continua.

Lurkers (Espreitadores)

Quem usa esse termo?
Uma variedade de sobreviventes, principalmente no início do surto, especialmente em Woodbury.

O que o termo significa?
Refere-se a um tipo específico de morto-vivo que fica sentado imóvel, parecendo um cadáver (ou seja, sem andar ou perambular) e então ataca.

É um termo preciso?
100%.

O termo pegou?
Espreitadores parece ter morrido no início do surto, mas deve voltar porque descreve um tipo particular de andador, ou não-andador para ser mais exato.

Floaters (Flutuadores)

Quem usa esse termo?
O grupo principal, com o primeiro caso conhecido sendo na fazenda de Hershel, quando eles encontram o infame e grotesco Zumbi do Poço.

O que o termo significa?
Esse termo descreve os caminhantes ligados à água.

É um termo preciso?
Muitas vezes, embora os flutuadores possam fazer outras coisas, como golpear, morder e ser dilacerados em pedaços grotescos e inchados.

O termo pegou?
Já faz um tempo que o grupo usou esse, mas é possível que eles simplesmente não tenham tido a oportunidade de fazer isso, pois é um caso altamente específico.

Geeks

Quem usa esse termo?
Alguns personagens dos membros originais do grupo de Rick: primeiro Daryl, depois Glenn, Shane e T-Dog.

O que o termo significa?
Essa é uma questão em aberto. Daryl poderia estar zombando dos zumbis ao chamá-los de geeks como um vilão em um filme do colégio dos anos 80. Também é possível que isso se refira a um arcaico artista de carnaval que arrancaria a cabeça de um animal vivo durante sua apresentação.

É um termo preciso?
Isso realmente depende do que Daryl está se referindo aqui.

O termo pegou?
Definitivamente não. Daryl mudou para coisas maiores e melhores, e todos os outros que usaram esse termo estão mortos.

Biters (Mordedores)

Quem usa esse termo?
Os residentes de Woodbury.

O que o termo significa?
Os mortos-vivos têm um trabalho. E é morder.

É um termo preciso?
Sim. Este é um dos melhores termos para descrever os zumbis, para ser honesto.

O termo pegou?
Não. Depois que Woodbury foi destruída, os “mordedores” parecem ter morrido tão rápido quanto Governador quando Michonne sua katana nele.

Lame-Brains (Cérebros Falho)

Quem usa esse termo?
Dave e Tony, dois caras que se cruzaram com o grupo de Rick no início do apocalipse, tentaram dominá-los e falharam.

O que o termo significa?
Os caminhantes não são espertos (embora pareçam ter dominado a terra, então…).

É um termo preciso?
Talvez.

O termo pegou?
Definitivamente não. Este termo morreu com Dave e Tony. Eles tentaram matar Rick e companhia uma vez que descobriram que os sobreviventes tinham um lugar seguro para pendurar seus chapéus (a fazenda de Hershel) e foram mortos imediatamente, levantando assim a questão “quem exatamente é o cérebro falho?”

Creepers (Rastejadores)

Quem usa esse termo?
Merle diz isso antes de fazer sua coisa e matar um bando de mortos-vivos.

O que o termo significa?
Na grande tradição de caminhantes e errantes, o termo descreve a natureza cambaleante dos mortos-vivos.

É um termo preciso?
Sim e não. Os mortos-vivos passam muito do seu tempo se mexendo, mas fazem muito mais.

O termo pegou?
Não. Merle infelizmente se foi e este foi com ele e seu gancho: para o túmulo.

Rotters (Podres)

Quem usa esse termo?
Os policiais que dirigem o Hospital Grady Memorial.

O que o termo significa?
Os mortos nada mais são do que cadáveres que estão se decompondo, embora lentamente. Consequentemente, podres.

É um termo preciso?
Sim. Porém, como observado acima, é uma questão em aberto o quanto esses cadáveres estão apodrecendo e qual pode ser a resposta olfativa que os acompanha. Mas, o termo foi usado no início do surto e eles eram policiais, não cientistas com uma quantidade infinita de tempo em suas mãos.

O termo pegou?
Como tantos outros grupos, este termo entrou em conflito com o grupo de Rick, foi merecidamente rejeitado e, pelo que sabemos, sua terminologia nunca foi além do hospital.

Deadheads (Cabeças mortas)

Quem usa esse termo?
Pelo que sabemos, apenas Nicholas, que se desviou do idioma local de seu grupo, que usava o termo ‘errante’, usou o termo.

O que o termo significa?
Embora seja possível que Nicholas fosse um grande fã do Grateful Dead, a explicação mais óbvia é provavelmente a verdadeira.

É um termo preciso?
Sim.

O termo pegou?
Não.

The Wasted (Definhados)

Quem usa esse termo?
O grupo de Brandon, os amigos assassinos do surf party de Fear the Walking Dead, e também alguns membros do Reino.

O que o termo significa?
Os corpos dos mortos-vivos estão, literalmente, se definhando.

É um termo preciso?
Definitivamente. Esta é uma maneira muito boa de descrever os mortos-vivos, o que é surpreendente para um grupo de cabeças-duras liderado por Brandon, embora nem tanto para os membros do Reino. É provável que o grupo de Brandon tenha gostado de como soa a palavra porque gostava de ficar bêbado.

O termo pegou?
Surpreendentemente, não. Quando o Reino, Alexandria e Hilltop se fundiram, este termo nunca mais foi ouvido novamente.

The Passed (Os passados)

Quem usa esse termo?
John Dorie.

O que o termo significa?
Aqueles que já faleceram e ainda estão andando por aí… e comendo gente.

É um termo preciso?
De certa forma. Pessoas mortas comuns também podem ser passadas.

O termo pegou?
Como tantas coisas acontecendo, este termo parece ser exclusivo de John Dorie, um dos personagens verdadeiramente singulares do Universo TWD. Ele provavelmente não se importaria que tivesse pegado.

Hissers (Assobiadores)

Quem usa esse termo?
Amelia, uma mulher com um filho a quem Negan tenta ajudar antes que Brandon (outro Brandon, mesmo resultado) a mate.

O que o termo significa?
Esta é uma referência ao som de marca registrada do morto-vivo.

É um termo preciso?
Absolutamente preciso.

O termo pegou?
Não, mas é difícil dizer por que não. Essa é uma das assinaturas dos zumbis. Outras nomenclaturas para os mortos-vivos se concentram na maneira como eles se movem, cheiram e parecem, mas poucos estão focados na maneira como soam, embora seja uma das melhores maneiras de identificá-los. Amelia pode ter sido um gênio.

Growlers (Rosnadores)

Quem usa esse termo?
Molly, uma salvadora que leva Carol e Maggie como reféns.

O que o termo significa?
Como assobiadores, isso se refere ao som dos mortos-vivos.

É um termo preciso?
Sim, é. Embora assobiadores seja provavelmente melhor. Seu cachorro rosna, e você sabe como soa.

O termo pegou?
Bem, Molly é espancada até a morte por Maggie, e os salvadores estão praticamente aniquilados, então não.

Cold-Bodies (Corpos Frios)

Quem usa esse termo?
Martin, um dos membros do Terminus. Não está claro se esta é uma linguagem comum entre sua comunidade ou se eles simplesmente se referem aos caminhantes como não-comestíveis.

O que o termo significa?
Este termo se refere à temperatura corporal dos mortos-vivos.

É um termo preciso?
De certa forma. Os corpos dos zumbis estão frios. Mas os cadáveres que não são caminhantes também estão, portanto, não é um termo claro.

O termo pegou?
Não. E com uma boa razão. Ninguém quer ouvir um canibal.

Rippers (Estripadores)

Quem usa esse termo?
Virgil, o cara que manteve Michonne como refém, inadvertidamente levando-a a evidências de que Rick está vivo.

O que o termo significa?
Deve ser porque os zumbis rasgam a carne… Brutalmente.

É um termo preciso?
Sim.

O termo pegou?
Não está claro. Nós realmente não sabemos quem mais, além de Virgil, conhece o termo, ou onde ele esteve. Portanto, é possível que ele tenha aprendido esse termo de outra sociedade.

Continue lendo

EM ALTA