Siga-nos nas redes sociais

Talking Dead

Talking Dead Brasil #6 – Kumail Nanjiani, Todd McFarlane e Laurie Holden

Rafael Façanha

Publicado há

em

Agora toda segunda-feira nós teremos o Talking Dead Brasil, uma coluna recapitulando tudo o que aconteceu no último Talking Dead. A coluna é escrita pela talentosíssima Sabrina Picolli que além de aficionada pelo Norman Reedus, sabe absolutamente tudo sobre The Walking Dead.

Talking Dead, para quem ainda não conhece, é um programa onde só falam sobre a série e suas curiosidades. Apresentado pelo comediante e podcaster Chris Hardwick, o Talking Dead vai ao ar logo após os episódios de The Walking Dead na AMC.

Talking Dead Brasil #6 – Kumail Nanjiani, Todd McFarlane e Laurie Holden

No Talking Dead desta semana Chris Hardwick recebeu, como convidados, o comediante Kumail Nanjiani, Todd McFarlane, da McFarlaneToys (sim, ele mesmo, o cara das action figures de The Walking Dead) e a atriz Laurie Holden, a.k.a. Andrea, para falar sobre o episódio 14 da terceira temporada, “Prey”.

Bem, parece que as coisas não terminaram muito bem para Andrea neste episódio. O que estava passando pela cabeça dela durante aquele final, na câmara de tortura?

Laurie acredita que o mesmo que estava passando pela cabeça de todo o público – ela estava chocada. Andrea estava a um passo de voltar ao seu “lar”, chegar na prisão, de volta ao seu povo… foi o seu pior pesadelo.

Houve vários “quase” ultimamente para Andrea. Ela quase atirou no Governador, quase esfaqueou-o, quase chegou à prisão. Qual foi a gota d’água para ela?

Todd pondera que, desde os episódios anteriores, acredita que ficou claro que, na verdade, o inimigo é quem está do lado de fora (referindo-se aos walkers), e que não deveria ser algum outro ser humano. O perigo real são os zumbis. Ele acredita que, sob a perspectiva de Andrea, o ideal seria unir forças – juntar os dois grupos, apesar de seus defeitos e virtudes, e tornarem-se um grupo maior e mais forte contra o inimigo em comum, e se encontrassem outros grupos, que os recrutassem também, para essa mesma finalidade. Enquanto Andrea pensa em somar forças, os dois líderes apenas pensam em como diminuir o seu poder, destruindo uns aos outros, enquanto deveriam colocar suas diferenças de lado, brigar juntos contra os verdadeiros vilões e só então, depois de vencê-lo, voltar a discutir suas diferenças. Kumail complementa dizendo que gostou de ver Todd descrevendo o Governador como alguém longe de ser perfeito. “Ele tem uma câmara de tortura! Ele REALMENTE está longe de ser perfeito! ” Holden comenta que desde o episódio 10, após ver Daryl e Merle jogados um contra o outro na arena de Woodbury, e após ver o Governador dar as costas à cidade, todo o sentimento romântico que poderia haver por ele acabou morrendo. Ela pensou que poderia ir adiante com o plano de Carol de matá-lo, mas ela não é uma assassina a sangue frio. Entretanto, o tempo todo sua preocupação foi a de tentar estabelecer a paz e manter seus amigos da prisão longe do perigo. Nanjiani ainda brinca com a cena de Andrea tentando esfaquear o Governador, dizendo que, ainda que ele acordasse, ela teria como sair da situação. Com um olho apenas, e faltando-lhe a percepção de profundidade, ela simplesmente poderia dizer-lhe “faca? Onde? Eu apenas fui buscar um copo d’água, querido!” A observação arrancou risos gerais.

002

Andrea tentou toda solução possível, antes de chegar à conclusão de que precisaria matá-lo…

Laurie concorda. No episódio anterior houve uma cena entre Andrea e Daryl (que foi cortada, e que Holden espera que apareça no DVD) em que ela explica exatamente os motivos pelos quais ela ficou em Woodbury. Ela saberia que, se voltasse à prisão, todos estariam mortos. Seria melhor retornar à cidade, descobrir e jogar o jogo do Governador.

Se compararmos a Andrea da primeira temporada, totalmente sem esperanças, a Andrea desta temporada parece estar tomada dela, cheia de esperanças. O que a fez ganhar este sentimento de volta?

Laurie fala da beleza em interpretar essa personagem, completamente destruída, que perdeu seus entes amados e que não tinha motivos para viver, todos os lados terríveis de seu luto explorados, e a jornada em direção à superação disso tudo – ela aprendeu a viver com esse grupo, ela aprendeu a sobreviver, ela quer ser uma parte importante do grupo, e mesmo tendo feito escolhas erradas ela descobriu que ainda é capaz de amar.

No final do primeiro quadro ocorre o tradicional “in memoriam”, onde todos manifestam seus sentimentos aos mortos do episódio:

– O “Walker-Alvo”
– As “walkers-hippies’
– O Walker abraçado na árvore
– O Walker com a pá no rosto
– O Walker do grancho do frigorífico
– Os Walkers da pira crematória

“Primeiro eles morreram. Depois, se transformaram. Agora eles ardem.”

Laurie, a cena entre Andrea e o Governador foi maravilhosa, assustadora, arrepiante, aterrorizante, tudo ao mesmo tempo. Como foi filmá-la?

Laurie responde que foi bastante divertido fazer a cena, e que David Morrissey realmente faz coisas apavorantes, como o assobiar. O que foi mais legal foi que ela não sabia em que momento David iria bater em algo com a pá, ou quebrar os vidros, ou fazer qualquer tipo de barulho em cena. Realmente foi tudo de surpresa, e ela realmente ficava assustada sem saber onde ele estava e de onde vinham os barulhos. McFarlane pergunta quanto tempo durou a filmagem daquele episódio, e Holden responde que, aproximadamente, duas noites.

003

É muito divertida aquela cena em que você simplesmente abre a porta e se esconde por detrás dela, deixando os walkers entrarem, e depois você simplesmente passa pela porta e faz aquela cara de “f****-se!” Aquilo foi ótimo, um momento maravilhoso. E eu não imaginei como o episodio terminaria, achei que seria algo tipo você chegando à prisão, tudo estaria bem…

Laurie: “Hey! Isso é The Walking Dead!” [risos] Todd também comenta que talvez até Rick pudesse ter visto alguma coisa – percebe-se que ele vê o movimento ao redor da prisão em algum momento, mas não encontra nada.

Kumail Nanijani volta a brincar, perguntando por que colocam Rick para fazer a guarda da prisão, já que ele “vê coisas” – gente e fantasmas [risos gerais].

O que você acha que o flashback inicial conta a respeito do relacionamento entre Michonne e Andrea?

Kumail comenta que parece ter sido um daqueles momentos em que elas realmente estão tentando se conhecer melhor. O que realmente era interessante é que Michonne conhecia os dois walkers e parecia não gostar deles. Hardwick comenta que nos quadrinhos há uma explicação para os pet walkers, e Kumail rebate, dizendo que Michonne é um gênio e que aquela é uma grande vingança: aproveitar o apocalipse zumbi em causa própria, fazendo o que ela fez com os pet zombies a serviço dela! Holden diz que o que há melhor na cena é que foi mostrada exatamente como era o relacionamento de ambas, e que a comunicação nunca foi o forte entre elas – se fosse, talvez elas nao tivessem se separado em Woodbury. Porém, claramente, algo muito doloroso aconteceu a Michonne, há algo muito pessoal com aqueles dois walkers, foram pessoas que ela conhecia. Laurie não sabe se algo será explicado. Todd complementa, dizendo que Michonne agiu como se dissesse: “Nós não precisamos falar disso agora à noite.”

Afinal, Andrea falou para o Governador sobre Shane, e todo o triângulo amoroso que havia envolvendo Rick e Lori?

Holden responde enfaticamente que Andrea NÃO FALOU nada ao Governador sobre Judith e Shane. As pessoas precisam compreender que o Governador é um sociopata e, como tal, é manipulador e mentiroso. Ele pode dizer coisas simplesmente para desestruturar. Laurie admite que, na fase em que tudo eram rosas junto com o Governador, talvez ela tivesse contado sobre as pessoas fantásticas com quem ela conviveu, sobre Shane, sobre a gravidez de Lori, mas nunca teria insinuado nada. Todo o resto pode ter vindo de Tyreese, de Sasha, de algum dos espiões, mas neste estágio da história Andrea jamais daria esse tipo de munição a um sociopata.

O que você acha da câmara de tortura do Governador, para que todo aquele instrumental?

Todd McFarlane comenta que o Governador não parece ser do tipo que simplesmente vai lá e mata seus oponentes. Assim como ele fez com a filha – manteve-a acorrentada e brincou de ‘papai’, ainda que ela não fosse mais sua filha, ele parece ter seu “tempo” para eliminar as pessoas. Ele poderia ter matado Andrea, Merle, Daryl, Michonne, mas não parece ter pressa para isso. O instrumental naquela câmara parece ilustrar bem isso: ele quer cortar, ver sangrar, torturar, depois ir lá e suturar, manter vivo, para prolongar a agonia, enquanto ele assiste pacientemente a dor do seu inimigo. Ele acredita que aquelas coisas não foram colocadas gratuitamente em cena, e que, com o passar dos episódios, veremos o uso que o Governador dará a elas.

Na reportagem especial de Talking Dead, o destaque foi justamente a câmara de tortura e todos os instrumentos do Governador. John Sanders explica toda a dinâmica da “sala de interrogatórios”. Esta sala vira a câmara de tortura do Governador e possui uma antiga cadeira de dentista e instrumentos loucos: serrotes, bisturis, pinças, facas, cortadores de ossos, agulhas, serras elétricas, funis para exigir que a vítima se hidrate e não morra, cateteres, pílulas para dormir e despertar, entre outros instrumentos.

Hardwick brinca com a cena: “levante a mão quem ficou excitado com tudo aquilo,” levando a plateia ao riso. Todd reitera que se o Governador desejasse que seus inimigos tivessem uma morte rápida, teria uma ou duas armas e ponto. Entretanto, ele tem um instrumental de tortura completo.

O que o Governador está pensando nesse momento, com aquela câmara de tortura?

Kumail acredita que ela pode ter sido toda montada para consumar a vingança contra Michonne mas que, com o desenrolar dos acontecimentos, Andrea será levada para lá. Laurie Holden concorda e diz que fica feliz em saber que não será Michonne a ser torturada, uma vez que são amigas.

Durante o intervalo são mostradas algumas curiosidades a respeito do episódio:

– Nas cenas com vários walkers, cada um deles recebe um número, uma vez que é difícil guardar todos os nomes. Quando o número é chamado, o walker sabe que precisa se apresentar para ser morto.
– Na cena dos walkers sendo queimados, três extras foram posicionados para aparentar que eles estavam sob uma massa de corpos derretidos. Eles usavam roupas de spandex recobertas com próteses de espuma de látex para simular carne carbonizada.
– Um dos walkers comentou que eles primeiramente desejam aparecer em The Walking Dead para depois serem mencionados no Talking Dead.

004

A hashtag no Twitter na noite foi #OuttaThere, referindo-se à fuga de Andrea de Woodbury. Uma das frases da noite falava sobre Milton e a possibilidade de ele também criar “culhões” para ir embora de Woodbury também. Holden fez objeção à ideia, dizendo que sim, Milton tem culhões, tanto que botou fogo nos zumbis, estragando os planos do Governador. Ela acredita que ele realmente está reagindo. Ele é um homem íntegro e, asism como Andrea, se importa com a humanidade, e que se dedica a saber onde as almas das pessoas ficaram depois do Apocalipse. Ele está tão indignado como Andrea ao descobrir que o Governador não é o homem que ele pensava ser. McFarlane ainda levanta hipóteses mirabolantes de que Milton poderia ser o mentor de tudo, por ser extremamente inteligente – querer conhecer os zumbis e dominá-los, jogar Rick e Governador um contra o outro, e não ser tão inocente assim, hipótese rebatida por Holden.

Hardwick fala em Tyreese no meio de toda a história e seu papel diante da guerra que se aproxima. Nanijani comenta que Tyreese parece ser aquele cara que quer andar na linha e fazer a coisa certa. Ele é incrível. Todd concorda: Tyreese é aquele tipo de pessoa que não se irrita facilmente, que aguenta uma, duas, três vezes e então acaba deixando a educação de lado e partindo para a grosseria. Ele é o tipo de cara que ninguém quer ver bravo. No fundo todos do seu grupo tem uma certa ideia do que seja o Governador, mas eles não teriam escolha, caso queiram permanecer em Woodbury.

Todd pondera a respeito das mudanças no visual do Governador: de um homem impecável, ele se transformou em um homem desgrenhado, barba por fazer, o tapa-olho dando um aspecto aterrador, o que o tornou ainda mais legal, mais próximo do vilão que ele é. Aos poucos ele mostra seu lado sombrio e a aparência acompanha. Há um consenso a respeito da sociopatia do Governador, como bem lembrado por Nanijani.

A seguir, são comentadas as dicas de sobrevivência no apocalipse zumbi, afinal ele pode acontecer a qualquer momento (risos), no quadro Dicas de Sobrevivência do Talking Dead: Matt Mogk recapitula os itens básicos no kit de sobrevivência de 72 horas e as necessidades básicas neste período: alimento, abrigo, água, roupas e kits de primeiros socorros. No Survival Tips deste domingo ele falou sobre a importância da… meia-calça!

– a meia-calça pode ser usada de várias maneiras: amarrar coisas, usar como cinto para segurar a roupa, como “segunda pele” para mantê-lo aquecido e protegido, filtrar água, servir como bolsa. É um item valioso no seu kit de sobrevivência.

005

Em mais uma reportagem especial, Todd McFarlane comenta rapidamente como são feitas as action figures: o rosto do ator/personagem é escaneado, sendo as imagens lançadas no computador, e um artista gráfico complementa o perfil captado com características detalhadas do personagem, como cicatrizes, sinais e outros detalhes. A partir desta versão computadorizada é feito um protótipo, que vai ao departamento de pintura para concluir os detalhes da peça que se tornará uma action figure. Após a reportagem, Chris Hardwick mostra a action figure de Merle e comenta que Laurie Holden já foi escaneada para a realização da action figure da Andrea. Todd ainda conta, em tom jocoso, que já recebeu pedidos da AMC para fazer uma action figure de Chris Hardwick, que recebe a notícia com gracejos, já que ele imaginaria que ninguém se interessaria por um boneco de um apresentador de talk show!

Toda essa esperança de Andrea em fazer a coisa certa e promover a paz, seria algo que Dale faria se estivesse vivo?

Holden acredita que sim, definitivamente. Ele foi um grande presente na vida dela – e por mais que tente, ela não consegue deixar de se emocionar ao falar em Dale. Foi ele quem a fez acordar para o que ela realmente é, depois de tudo o que aconteceu com Andrea. Ela estava tão quebrada e em má situação, e Dale devolveu-lhe a humanidade. Dale é como um anjo guardião no ombro de Andrea, e tudo o que ela faz é em honra a ele. McFarlane comentou que Dale era um homem que sabia que nem todas as pessoas reagiriam da mesma maneira ao apocalipse – algumas estavam vivendo o seu melhor, outras o seu pior, quando tudo aconteceu de repente. Algumas precisariam de duas semanas para se recuperar; outras, como Andrea, precisariam de meses. Ele agiu quase como um psicólogo com o grupo, graças à essa compreensão .

Há algum significado no fato de Andrea sempre esfaquear os walkers no olho?

Laurie não sabe responder. Kumail brinca com a especulação de que é exatamente o que Andrea gostaria de fazer com o Governador – acertá-lo no outro olho.

Quem você acha que deveria matar o Governador?

Kumail brinca, dizendo que gostaria que fosse Beth, enquanto canta alguma canção! Ele acredita que o Governador não morrerá – como assim, ter uma câmera de tortura e nunca usar? (risos gerais)

Todd McFarlane acredita que uma grande morte seria tendo o Governador sentado em sua própria armadilha de morte, naquela sala, e sendo morto ali.

006

Laurie, você pode nos dar uma impressão do que virá nos próximos dois episódios?

Holden comenta que nada poderá ser dito, infelizmente.

No último quadro foi mostrado mais um sneak peek do próximo episódio, mostrando um diálogo entre Merle e Rick.

Hardwick insiste com Holden, perguntando se ela sabe alguma coisa a mais sobre aquela cena e o que acontecerá, mas ela se mantém de boca fechada, sinalizando que não poderá responder a respeito. Nanijami acha interessante que eles estejam discutindo algo em relação ao que pode ocorrer a Michonne, mas sem saber que isto já possa estar acontecendo, naquele momento, com Andrea. Todos são unanimes em concordar que, mesmo Merle sendo um ‘badguy’, naquele momento eles não tem outra alternativa a não ser confiar nele.

O programa termina mostrando os resultados da enquete da noite:

Se Andrea tivesse matado o Governador, o que teria acontecido?

57% – Um novo líder surgiria para continuar a guerra
43% – O grupo de rick faria a paz com Woodbury

Todos acreditam que Martinez poderia ser o novo líder.

Na próxima semana os convidados são David Morrisey, Greg Nicotero e mais um membro surpresa do elenco.

008

VEJA TAMBÉM:

• Talking Dead Brasil #1 – Kevin Smith e Steven Yeun

• Talking Dead Brasil #2 – Robert Kirkman e Joe Manganiello

• Talking Dead Brasil #3 – Scott Adsit e Retta

• Talking Dead Brasil #4 – Aisha Tyler e Scott Porter 

• Talking Dead Brasil #5 – Eliza Dushku, Keegan-Michael Key e Lauren Cohan

• Todas as informações sobre o próximo episódio: 3×15 – “This Sorrowful Life”

• Galeria de imagens do Talking Dead

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Talking Dead

CORONAVÍRUS | Talking Dead cancela programa do episódio de hoje de The Walking Dead

O Talking Dead, que normalmente é transmitido ao vivo após os novos episódios de The Walking Dead, ficará ausente neste domingo.

Diana Monteiro

Publicado há

em

O Talking Dead, que normalmente é transmitido ao vivo após os novos episódios de The Walking Dead, ficará ausente no domingo, 15 de março, em meio a preocupações com Coronavírus, anunciou a AMC na sexta-feira.

O episódio que seria transmitido ao vivo após o episódio 12 da 10ª temporada, dirigido por Greg Nicotero, “Walk With Us“, teria marcado o retorno no Talking Dead do ex-ator de Jesus, Tom Payne, que estava programado para aparecer ao lado de dois membros surpresa do elenco.

O anúncio veio apenas algumas horas depois que a AMC Networks atrasou a pré-produção na 11ª temporada de The Walking Dead em três a quatro semanas e colocou uma pausa de três semanas na sexta temporada do spin-off Fear the Walking Dead.

“Queríamos que você soubesse que, à luz de tudo o que está acontecendo, o #TalkingDead ficará temporariamente escuro neste domingo, 15 de março”, twittou a conta oficial do Talking Dead na sexta-feira. “Cuidem de si e uns dos outros! Entraremos em contato em breve.”

LEIA TAMBÉM:
CORONAVÍRUS | Roteiristas de The Walking Dead estão trabalhando remotamente por causa do surto

O programa apresentado por Chris Hardwick, Talking Dead, agora se junta ao crescente número de produções de televisão e cinema adiadas por preocupações com a pandemia de coronavírus.

Os programas de auditório “Jeopardy!” e a “Wheel of Fortune” renunciarão à gravação com o público tradicional de estúdio ao vivo, uma abordagem replicada por programas de entrevistas diurnos como o “Dr. Phil”, o “Ellen DeGeneres Show” e o “The View”. Apenas alguns dias atrás, os talk shows noturnos, incluindo “The Tonight Show”, estrelado por Jimmy Fallon, “Late Night With Seth Meyers” e “The Late Show With Stephen Colbert”, suspenderam a produção por pelo menos duas semanas.

Embora o Talking Dead às vezes tenha pré-gravado episódios, o programa voltado para fãs geralmente é transmitido ao vivo na frente de uma plateia.

Um membro selecionado do público tem a chance de usar um microfone, em frente ao sofá do Talking Dead, e perguntar aos convidados – normalmente elenco e equipe de The Walking Dead, ou fãs celebridades do drama sobre zumbis – perguntas sobre o episódio de domingo de The Walking Dead.

Talking Dead, da AMC, é o primeiro pós-show ao vivo da rede que serve como plataforma de discussão para a série da AMC, The Walking Dead. Talking Dead vai ao ar imediatamente após a estréia da transmissão de novos episódios de The Walking Dead. O AMC Talking Dead mostra Hardwick passando tempo com fãs, atores, produtores e entusiastas da TV, recapitulando o episódio mais recente do Dead, fornecendo bônus exclusivos e discussão dos próximos episódios e recebendo perguntas e comentários dos telespectadores.

Nenhuma informação foi revelada sobre os próximos episódios do Talking Dead da 10ª temporada de The Walking Dead. Informaremos aqui quando novas atualizações saírem.

Continue lendo

7ª Temporada

Khary Payton, Dana Gould e Chloe Bennet estarão no Talking Dead do episódio S07E02 – “The Well”

Rafael Façanha

Publicado há

em

Neste domingo (30/10), vai ao ar mais um episódio da nova temporada do talk show Talking Dead – imediatamente após o segundo episódio da sétima temporada de The Walking Dead, “The Well”. Junto ao apresentador Chris Hardwick, nesta semana, teremos Khary Payton (Rei Ezekiel), Dana Gould (comediante) e Chloe Bennet (Agents of Shield). Eles comentarão sobre o episódio da noite e responderão perguntas ao vivo durante a transmissão, então acessem TalkingDead.com para enviar suas perguntas.

Durante o show, aproveitem para votar na pesquisa online e fiquem ligados nos resultados que Chris Hardwick apresentará no ar. No dia seguinte, retorne ao TalkingDead.com para ver os vídeos exclusivos e fotos do episódio e não esqueça de visitar o Walking Dead Brasil para conferir o nosso quadro Talking Dead Brasil, onde recapitulamos o episódio da semana.

talking-dead-s07e02

The Walking Dead, a história de drama mais assistida da TV a cabo, vai ao ar aos domingos no AMC Internacional, às 23h, e no FOX Action (canal do pacote premium FOX+) e FOX Brasil, às 23h30. Confira todas as notícias sobre a sétima temporada.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.

Continue lendo

7ª Temporada

The Walking Dead S04E10 – S07E01: Em memória de Abraham Ford

Gabriel Simonassi

Publicado há

em

Sempre com frases profundas e filosóficas, o Sargento Abraham Ford chegou em The Walking Dead na quarta temporada junto com seus companheiros com uma simples missão: levar Eugene até Washington. Desde a sua chegada, Abraham se mostrou um personagem forte e determinado, sempre com algumas belas palavras para dividir com seus colegas e com o público.

Acompanhar o desenvolvimento desse personagem foi uma experiência muito intrigante. Vimos Abraham lutar por Eugene, lutar COM Eugene, vimos suas esperanças serem destroçadas e reconstruídas, sua sanidade chegar na beira do penhasco e voltar, mas também vimos a aceitação do mundo como está, uma aceitação tão grande que o fez inclusive perceber que poderia até ser pai, mesmo em meio ao caos.

Infelizmente, depois deste último episódio, onde tivemos de nos despedir de Abraham, não sabemos o que é maior: a saudade do personagem, a tristeza com a brutalidade de sua morte ou o bigode de Michael Cudlitz, que vivenciou o sargento boca-suja mais destemido do pós-apocalipse. O programa The Talking Dead preparou, na última semana, um pequeno memorial de Abraham – que se despediu da série na estreia da sétima temporada. Vocês podem conferir o vídeo legendado a seguir.

Como assuntos inacabados dão coceira no rabo de Abraham, não poderíamos finalizar esta matéria sem agradecer a Michael Cudlitz por todos esses anos dedicados ao universo de The Walking Dead! Toda a equipe do Walking Dead Brasil deseja toda a felicidade do mundo e muito sucesso! Obrigado, Michael! <3

The Walking Dead, a história de drama mais assistida da TV a cabo, vai ao ar aos domingos no AMC Internacional, às 23h, e no FOX Action (canal do pacote premium FOX+) e FOX Brasil, às 23h30. Confira todas as notícias sobre a sétima temporada.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Legenda: Gabriel Simonassi / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo

EM ALTA