Siga-nos nas redes sociais

TWD World Beyond

CRÍTICA | TWD World Beyond S02E05 – “Quatervois”: O Começo do Fim

Quatervois foi o quinto episódio da 2ª temporada de The Walking Dead: World Beyond. Veja a nossa crítica ao episódio.

Publicado há

 

em

Silas com as mãos para cima enquanto é detido pelos soldados da CRM no episódio 5 da 2ª temporada de The Walking Dead: World Beyond.

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do quinto episódio, S02E05 – “Quatervois”, da 2ª temporada de The Walking Dead: World Beyond. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

O quinto episódio da segunda temporada de TWD: World Beyond, intitulado “Quatervois” (ou, do francês, “Encruzilhada”), dá início aos planos do grupo para resgatar seus membros das instalações da Civil Republic. Novas descobertas aumentam a tensão.

Quatervois se inicia com uma cena “emblemática” para a equipe, onde cada um dos personagens mata um empty, em especial Iris (Aliyah Royale) e Elton (Nicolas Cantu), relembrando que o ponto em que os personagens estão é bem diferente do ponto de partida no início da temporada anterior.

Durante o início vemos Iris, Elton, Felix (Nico Tortorella), Will (Jelani Alladin) e Percy (Ted Sutherland) realizando um reconhecimento de campo em busca do local onde Silas (Hal Cumpston) está. O encontro é marcado por Iris convencendo o garoto a ajudá-los no plano de tirar Hope (Alexa Mansour) e Leo (Joe Holt) da CR e depois ir em direção a Portland, informar o que o CRM fez com a cidade de Omaha. A sequência tenta nos pegar pelo lado emocional, mas não consegue muito. Aliás, problema recorrente no episódio, talvez por consequência de uma não direção muito eficaz para os atores.

O plano era infiltrar Iris e Will na CR e, quando estivessem reunidos à Hope e Leo, iriam embora pelo Terminal de Detrito com a ajuda de Silas. Tudo já começa a dar errado quando Percy se mete e vai junto com a equipe, fingindo ser Elton. Embora nada tenha sido descoberto – o que poderia ter sido, caso Huck (Annet Mahendru) decidisse – foi extremamente irresponsável da parte dele fazer isso.

Ao serem recolhidos pela CR, os três passam por um momento com e tenente Elizabeth (Julia Ormond) em outra cena que está completamente fora de tom. São quase engraçadas as caras e bocas dos personagens, todos eles, durante esse momento, que deveria ser tenso e definitivamente não engraçado. A tentativa de manter um diálogo cheio de cinismo falhou feio aqui.

Huck e Elizabeth tem alguns dos momentos mais legais do episódio. Após a primeira se infiltrar no escritório da mãe e achar documentos comprometedores, ela precisa manter a fachada e passar que nada estava acontecendo, com diálogos que deixam de fato uma dúvida se a tenente consegue captar as entrelinhas na conversa ou se ela realmente está apenas tentando ser uma boa mãe – seja lá o que isso significa. Ambas personagens são muito complexas e é algo muito bem vindo dentro da série.

Antes de tudo se iniciar Hope é assombrada por um sonho onde o seu pai acaba morto pela CRM por, segundo ele, não parar de questionar sobre Iris. Assombrada por isso ela parte a sua procura e acaba encontrando-o no laboratório, com outros pesquisadores, que falam que a fórmula de Hope para fermentação – aquele diálogo chato no episódio “Exit Wounds” e a forma que ela fazia bebida em Omaha – podem ser útil para a aceleração da decomposição dos empties. É engraçado prestar atenção a essas pequenas coisas pois é possível de futuramente plantarem uma possível lealdade da Hope para com a CR.

Então, chega o momento do plano. Silas vai em direção ao local de onde eles deveriam sair e Leo decide que precisa se despedir de Lyla (Natalie Gold) – o que obviamente não deveria fazer tendo em vista que foi ela que contou às autoridades sobre o fato de Hope ser “superdotada” sem avisar a ele, o que já prova que ela não é das mais confiáveis – e Will e Percy se preparam do lado de fora. E é aí que tudo começa a dar errado.

Silas é descoberto e cercado por oficiais da CRM e Leo é encontrado por Huck que mostra a eles os documentos roubados. Ela levanta a suspeita de que Omaha realmente foi destruída pelo exército, e que, além disso, experimentos estão acontecendo ali dentro das instalações da CR.

Sobre os experimentos, não é algo novo para nós. Em “The Wrong End of a Telescope” vemos Lyla relatando seus experimentos e resultados realizados no empty conhecido anteriormente por dr. Samuel Abott. Já em “Foothold” ela pergunta a Elizabeth quando irá receber novas cobaias para dar continuidade aos estudos.

E, na cena pós crédito do episódio, temos mais uma cobaia sendo entregue. Se trata do sargento Barca (Al Calderon), visto pela última vez em “The Tyger and the Lamb” (terceiro episódio da primeira temporada) que havia sido encaminhado ao “Complexo de Saúde e Bem Estar” pela tenente Elizabeth. Uma soldado do CRM informa a Lyla que ela deverá informar seus resultados a ela enquanto Elizabeth está fora. Quando a tal soldado tira o capacete, é ninguém mais, ninguém menos, que Anne/Jadis (Pollyanna McIntosh) – finalmente.

Com um episódio que aparenta ser o início do fim, Quatervois eleva um pouco a esperança do que pode ser um final de série que trará algo realmente interessante para o universo The Walking Dead. Embora a empolgação ainda seja baixa, agora é esperar para ver o que nos aguarda no final da temporada.

O que você achou do episódio “Quatervois“? Deixe sua opinião nos comentários!

Publicidade
Comentários

EM ALTA