Siga-nos nas redes sociais

Elenco

Tom Payne estava constantemente “frustrado” com seu papel desapontador em The Walking Dead

Publicado há

 

em

O astro de The Walking Dead estava bastante frustrado com o seu papel (ou com a falta de um) na série da AMC, o que contribuiu para a sua saída.

Com a midseason finale da atual temporada, The Walking Dead trouxe de volta a sua clássica atitude de “ninguém está seguro” de uma forma chocante. Ao apresentar os Sussurradores para o público, Jesus foi morto de uma maneira aterradora. Um “walker” passou sob sua espada e cravou a sua no líder de Hilltop de maneira fatal. Ao mesmo tempo em que levava a narrativa para um caminho bombástico e impressionante, a cena também atendia a um pedido feito pelo intérprete de Paul “Jesus” Rovia, Tom Payne.

“Eu amo o personagem,” Payne declarou à The Hollywood Reporter. “É triste dar adeus a ele. Mas havia tanto potencial para esse personagem, e isso não se concretizou. Eu estava frustrado por isso e gostaria que ele tivesse sido melhor explorado. Não foi triste dar adeus à frustração, e ela era constante. Eu vinha treinando por dois anos. Eu estava tão preparado para este personagem e para tudo o que sei que ele seria capaz de fazer.”

Payne sempre foi um fã de Jesus na HQ de Robert Kirkman, e repetidamente via momentos importantes de seu personagem serem cortados na versão televisiva.

“Havia tanto potencial desperdiçado. Foi decepcionante para mim. Quando finalmente ele mostrou a que veio, durante esta temporada, foi excelente. Mas eu não queria voltar a me frustrar novamente. É apenas parte de uma série em andamento, você está constantemente esperando que no próximo episódio algo aconteça pra você. Você fica na expectativa o tempo todo, torcendo as mãos, desejando que algo legal venha em sua direção. Até para isso há um limite. Eu fico ansioso agora por fazer algo que tenha um começo, meio e fim, então eu posso ter o personagem inteiro diante de mim. Esperei por muito tempo que este personagem tivesse mais por fazer e fico feliz por ter tido um início fantástico, um pouquinho mais (no meio) com Lennie e um grande final. Foi o suficiente pra mim.”

Ainda que Payne não tenha pedido explicitamente para deixar The Walking Dead, ele não escondeu o seu desejo.

“Eles sabiam que eu não ficaria infeliz se precisassem se livrar de mim. Eu expressei meu descontentamento na temporada passada. Estava chateado com o que estava sendo feito com o personagem. Ele chegou de maneira muito legal, e depois foi apagado em Hilltop. Durante a guerra com os Salvadores, a única pessoa com quem ele lutou foi com alguém que estava ao seu lado (Morgan/ Lennie James). Na história em quadrinhos, ele tem esta gigantesca luta com Negan. Ele pega esta granada e joga de volta em direção aos inimigos. Ele é o membro mais capaz de todo o grupo, e isso jamais chegou a ser mostrado no show.”

Payne, de fato, estava mais do que preparado para o papel, quando suas expectativas não foram atingidas. “Nos bastidores, eu estava treinando toda semana,” Payne admite. “Eu estava preparado e pronto para ir. Não dá pra evitar se sentir desapontado quando você não tem permissão de fazer algo legal. Isso era mútuo, e eu sei que eles estavam OK com isso. É um show incrível e eu me sinto honrado por fazer parte dele, mas, ao mesmo tempo, interpretar o mesmo personagem sem nada de divertido para fazer é um pouco decepcionante.”

Você compartilha do mesmo pensamento que o ator? Jesus poderia ter sido mais aproveitado na versão televisiva? Deixe seus comentários abaixo.

The Walking Dead retorna para os oito episódios finais de sua 9ª temporada em 10 de fevereiro de 2019.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.

Publicidade
Comentários

EM ALTA