Siga-nos nas redes sociais

11ª Temporada

CRÍTICA | The Walking Dead S11E18 – “A New Deal”: Infiltrados

A New Deal foi o 18º episódio da 11ª temporada de The Walking Dead. Veja a nossa crítica ao episódio e discuta conosco.

Publicado há

 

em

Sebastian falando no microfone em cena do episódio 18 da 11ª temporada de The Walking Dead.

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do 18º episódio, S11E18 – “A New Deal”, da 11ª temporada de The Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

Carol faz um acordo que acalma os ânimos em Commonwealth – por enquanto. Um plano em conjunto com outras comunidades entra em ação. Hornsby põe em ação seu plano de fuga enquanto a comunidade comemora o “Dia dos Fundadores”.

Mais um episódio se inicia com um voice over de Judith, agora com ainda mais flashbacks de personagens importantes que já morreram ou não estão mais ali. Esse episódio, inclusive, foca bastante em falar sobre outros personagens como Rick, Michonne e Sophia.

Voltando ao plot principal, no momento em que os grupos de Daryl e Maggie entram em contato direto com Hornsby, Pamela Milton chega com Carol e argumenta que precisa de Lance e que assim, todos sairiam vivos. E Daryl entrega o homem, mas não ileso.

Carol explica que o acordo com Pamela foi: o grupo a entrega Hornsby para ela colocar a culpa de tudo que Sebastian fez sobre ele enquanto Commonwealth disponibiliza o material necessário para reformar Hilltop e Alexandria e também deixa, aqueles que escolherem, livres para partir ou ficar lá.

LEIA TAMBÉM:
CRÍTICA | The Walking Dead S11E17 – “Lockdown”: Ligações Perigosas

Alguns já decidem colocar o plano em prática, Aaron parte com Lydia, Elijah e Jerry para informar Oceanside e verificar o que elas precisam enquanto Maggie fala que vai demorar um pouco, mas que assim que der vão partir de lá em direção a Alexandria e depois Hilltop para finalizar os reparos.

Gostei do momento fofo entre Lydia e Carol. É fácil a gente esquecer que ela é muito jovem e que o Henry foi o primeiro relacionamento dela. Ela pedindo desculpas a Carol por estar se aproximando de Elijah é algo tão inocente e doloroso que achei maravilhoso estar aqui. Além de servir a nostalgia que esse final está se propondo ao lembrar do finado Henry, dá tons de humanidade muito bem vindos aos personagens.

E nisso chegamos naquele impasse onde alguns personagens mostram desejos de continuar onde estão. Judith, por exemplo, se mostra contrária à ideia de partir. Ezekiel é outro que diz ter encontrado seu lugar e que pretende continuar em Commonwealth. Até Negan fica balançado com a tentação de permanecer ali enquanto realiza o ultrassom de sua esposa, Annie.

LEIA TAMBÉM:
Títulos e sinopses dos últimos episódios de The Walking Dead

Fica meio no ar se Eugene pretende sair ou não devido ao seu relacionamento com Max, embora as coisas tenham chegado a um ponto decisivo ao fim do episódio. Isso porque Max fica inconsolada que os Miltons viraram o jogo e fizeram com que a comunidade engolisse as desculpas esfarrapadas sobre o que de fato aconteceu com as pessoas mortas por Sebastian.

Isso leva o casal até Hornsby. E este diz que é impossivel mexer com os Miltons e não esperar um contra ataque tão forte quanto, além de se mostrar muito confortável com a sua situação, dando a entender que tem algum plano para sair de lá. E esse plano realmente já está em andamento. Lembra daquela dupla que foi atrás das crianças no episódio anterior, eles aqui exterminam um grupo de trabalhadores de limpeza do local, contando que eles se tornassem walkers e, assim, se tornassem a distração perfeita para liberar o chefe da prisão.

Max também decide realizar uma manobra arriscada ao gravar Sebastian num belo momento em que ele esculhamba com todo o povo da comunidade. E essa jogada foi ousada pois ela sabe que não haveria escapatória para ela depois disso, ela era a culpada e os Milton saberiam. É legal inclusive o timing disso.

Na hora do discurso, Sebastian meio que consegue convencer a opinião pública de que ele realmente estava disposto a mudar. A comunidade já estava olhando para ele com outros olhos até Eugene dar play na gravação.

Eu gostei muito do último ato desse episódio, com o Sebastian surtando atrás da Max enquanto a comunidade explode em revolta somado a aparição do walkers que surgem no meio do pátio matando geral.

Acho meio estranho o Mercer não ter ido atrás da irmã, mas tudo bem pois esse meio que foi mais um momento importante do rompimento dele com a sensação de lealdade para com Pamela e o governo ao deixar ela em cima do palco e ir em direção aos walkers.

Enquanto a comunidade é atacada, Sebastian agarra Max e a joga para cima de um walker. Eu realmente achei que ela ia de base alí mas Eugene surge e joga o zumbi para cima do filho da governadora, que é atacado enquanto toda a comunidade observa imóvel – até Judith intervir e dar um tiro no morto vivo, mas já era tarde demais.

Apesar de curtir a sequência, é inegável que tem uns figurantes perdidos no personagem alí, né? Uns walkers que estavam andando normalmente, outros humanos totalmente sem expressão no meio da confusão, além de coreografias de lutas bem ruins. Outra coisa foi, mesmo com a briga generalizada – nem tão generalizada assim – os soldados simplesmente ficaram parados enquanto a população jogava garrafas e lixo em Pamela.

Ela é literalmente a maior representação de poder ali, a primeira coisa a ser feita era tirar ela dali. A gente sabe que os soldados da comunidade são organizados e seguem um código rígido de proteção, custa acreditar que não foi somente um problema de coreografia e direção do que qualquer outra coisa. A série já teve uma preocupação muito maior com a produção do que esses dois últimos episódios mostraram.

OBS 1: Eu adorei a cena de luta livre. Assim como a perseguição de carro do episódio passado, foi uma coisa que eu não esperava ver num episódio de The Walking Dead e remete a uma “normalidade banal” que aquela comunidade se encontra. Achei 10/10 a ideia de colocar a sequência no episódio.

OBS 2: O Rick Jr. apareceu lendo uma história em quadrinhos de Invincible, criada por Robert Kirkman (que também é o criador de TWD) e que foi adaptada como uma série animada na Amazon Prime Video e é estrelada por Steven Yeun, o nosso eterno Glenn.

A conclusão da série está cada vez mais próxima e o cerco se fecha cada vez mais para nossos protagonistas. Basta saber como eles vão sair dessa depois de matar o filho da Governadora que havia feito um acordo com eles.

E por aí, o que você achou de “A New Deal”, o 18º episódio da 11ª temporada de The Walking Dead? Deixe sua opinião nos comentários!

Publicidade
Comentários