Siga-nos nas redes sociais

Destaque

REVIEW THE WALKING DEAD S08E03 – “Monsters”: Máquina de matar

Publicado há

em

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do terceiro episódio, S08E03 – “Monsters” (Monstros), da oitava temporada de The Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

O episódio dessa semana trouxe mais algumas baixas da guerra, algumas dolorosas e outras nem tantas. A primeira delas foi Morales, que mal apareceu e já foi embora – dessa vez definitivamente – e sem tempo para despedida, graças ao ataque silencioso de Daryl, mas não antes de colocar em dúvida uma dualidade que vem sendo colocada em xeque desde a 6ª temporada, lá quando Rick resolveu atacar o complexo de Negan pela primeira vez. Afinal, seria Rick Grimes tão diferente assim de Negan? E é exatamente isso que Morales afirma, ao dizer que foi Rick quem os atacou primeiro. Não é a primeira vez que o questionamento surge na série desde a introdução de Negan, mas acredito que essa insistência da série insinua uma possível misericórdia da parte de Rick para o vilão, justamente por talvez perceber que eles não são tão diferentes assim, e que tudo não passa de uma questão de perspectiva, de que lado você está.

A cena da morte do Morales marcou muito pela reação tanto do Daryl como do Rick, pois enquanto de um lado Daryl não esboçou a mínima reação em matar um homem a sangue frio, Rick se mostrou perturbado pela situação e também pela reação do Daryl, que está no modo máquina de matar, o que é absolutamente compreensível, principalmente pelo que ele sofreu nas mãos dos Salvadores, e pelo meu ponto de vista, ele entendeu algo que Rick parece não ter consolidado ainda, de que, embora alguns deles não concordem com a forma de Negan lidar com as coisas, a verdade é que a maioria daqueles caras são uns putos que não sentem o menor remorso ou culpa. Como Daryl disse após matar Fat Joe, não é apenas sobre sobreviver para eles, mas sobre ter tudo, e isso faz toda a diferença.

Enquanto isso o mesmo argumento se desenvolve entre Jesus, Tara e Morgan, que assim como Daryl está no modo máquina mortífera, só que com um grau levemente elevado de maluquice, o que o faz partir para cima de Jesus e perder de vista por um momento quem é o verdadeiro inimigo. Enquanto entendo realmente o ponto que Jesus defende, não posso deixar de analisar as complicações que a situação gera, afinal de contas, isso é o fim do mundo, e além de não ter lugar suficiente para manter toda aquela gente presa, as provisões não realmente abundantes no apocalipse o que inclusive é ponderado por Maggie ao receber todos em Hilltop, logo após ter cometido a maior cagada da vida dela, que foi deixar Gregory voltar à comunidade.

Falando em Gregory, não podemos deixar de comentar o que ele deixou escapar sobre um espião que está contando todos os planos da frente unificada das comunidades para Negan. A opção óbvia seria Dwight, pois enquanto sabemos pelo que o personagem passou e toda sua evolução durante a última temporada que o levou a oferecer ajuda a Rick, é muita coincidência que ele sabendo do ataque, tenha passado informações sobre as armas que no final das contas foram movidas de lugar um dia antes do ataque, conforme informações do rapaz lá que o Daryl matou (ele tá matando todo mundo!).

Contudo, não acredito que a série faria isso, não apenas por ser óbvio demais, mas principalmente porque isso anularia todo o arco do personagem desde que ele apareceu, como eu disse, acompanhamos sua jornada de homem honesto fugindo do mal para soldado babacão, e de corno sofrido a aliado provável. Confesso que não tenho apostas e acho que o Gregory só estava apontando para outra direção a fim de desviar atenção de si, mas tudo é possível, e nós exploramos algumas dessas opções aqui.

Outro ponto alto do episódio para mim foi o arco do Ezekiel, que foi fielmente adaptado da HQ. Bom, pelo menos a maior parte, e espero que continue assim por motivos de: se a Shiva morrer na série, eu começo uma rebelião. A confiança extrema de Ezekiel desde o início da guerra estava me incomodando bastante, principalmente tendo visto na última temporada o quanto ele estava relutante em lutar, e embora eu soubesse o que estava por vi de acordo com a HQ, sempre pensei na possibilidade de alterarem o curso das coisas, mas não foi o que aconteceu.

A arrogância de Ezekiel para com os Salvadores foi presságio para a morte em massa dos guerreiros do Reino, toda vez que ele falava “não vamos perder ninguém” eu sentia um calafrio de nervoso. Não sabemos ao certo o destino do Rei, provável que ele não tenha morrido, mas acredito que todos os outros pereceram – espero que o Jerry tenha sobrevivido – e sabemos que Carol rainha da série está viva, mas se ela vai sair ilesa, não sabemos ainda.

Despedidas nunca são fáceis, mas confesso que desde a morte do Glenn, dizendo em suas últimas palavras que ia encontrar Maggie, um adeus me doeu tanto quanto o do Aaron e do Eric. Embora o Eric nunca teve muito espaço na série para que a gente se apegasse de verdade ao personagem, o Aaron teve, e ver ele se despedir do amor da vida dele em prol de uma causa maior que ambos foi de partir o coração. Desde a primeira aparição dos dois juntinhos, sempre achei eles um dos casais mais fofos da série, e eu particularmente adoro o Aaron, então vê-lo convencendo o Eric a se envolver na guerra e depois assistir ele o deixando para trás para continuar a lutar foi difícil, e foi uma cena tão bonita, tão emocionante, e o discurso do Eric foi tão bem feito e bem interpretado que confesso que derramei algumas lágrimas. Quando tudo acaba e o Aaron vai atrás dele e vê um walker andando a distância, aí abriu a torneira de vez.

Estou amando a temporada até agora, principalmente porque temos de um lado muita ação tiro-porrada-bomba e do outro temos esses desenvolvimentos absurdamente significantes de alguns personagens, e a forma como a série vem envolvendo esses elementos tão distintos, mas que estão sendo abordados tão bem conjuntamente, está sendo majestoso de poder assistir. Vamos esperar que o ritmo se mantenha assim até o final da temporada! E o que você achou do episódio? Quais suas apostas para o próximo episódio? Vem comentar com a gente!

PS¹: Sobre Gracie: será que Rick vai criar outra filha que não é dele? Veremos nos próximos capítulos.
PS²: Viu a promo do próximo episódio? COMO ASSIM CAROL CAPTURADA? WHAAAAT?
PS³: Pessoas interessadas em fazer um motim caso matem a Shiva, me add.

 

The Walking Dead vai ao ar todo domingo, legendado, às 23h30 e toda segunda-feira, dublado, às 23h15, na Fox.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA