Siga-nos nas redes sociais

7ª Temporada

Audiência de The Walking Dead S07E05: Entendendo a queda dos índices

Publicado há

em

Se você acompanha qualquer site focado em cultura pop/nerd, deve estar ciente de que a audiência de The Walking Dead vem caindo desde a premiere da sétima temporada, quando marcou 17 milhões de telespectadores ao revelar quem era(m) a(s) vítima(s) de Negan e Lucille.

Entretanto, de acordo com dados divulgados pela imprensa internacional, “Go Getters” registrou a pior marca em audiência para The Walking Dead desde a terceira temporada, em “This Sorrowful Life”, alcançando 10.99 milhões de telespectadores no total.

É, não vamos mentir, os números ainda são absurdamente GIGANTES para uma série de TV a cabo (e seria espetacular pra inúmeras de TV aberta), mas mesmo assim ainda é uma queda brusca em relação ao que foi atingido na premiere.

Então o que resta é perguntar: O que levou The Walking Dead a perder tanto público nesta temporada?

• TRAMA REPETIDA E MODELO

Perdão, vamos voltar ao clichê. Todo o público sabe que a narrativa de The Walking Dead é cíclica, ou seja, há um padrão seguido plot atrás de plot, e mesmo que haja uma reinvenção no desenrolar destes, o final é quase sempre o mesmo. Foi assim com o arco do Governador, dos Canibais, ou até mesmo do Hospital Grady Memorial.

Contudo, a forma como o roteiro busca trabalhar estas tramas se diferencia, e o equilíbrio entre o combate e drama pessoal dos personagens é sempre muito bem explorado, não há como negar. Neste sétimo ano, entretanto, o andar lento da história, e padrão de “episódios de núcleo” parece ter incomodado o público.

• HERÓIS CAÍDOS

Digam o que quiser, mas esta é a primeira vez na história de The Walking Dead em que não há saída para o grupo principal. Eles estão caídos e sendo feitos de gato e sapato pelos Salvadores.

Negan chegou jogando a história de cabeça para baixo, matando dois personagens amados logo de cara, e ainda por cima, não economizando no excesso de brutalidade e violência para realmente chocar e mostrar quem é que está no comando agora.

Para uma série onde quase o dobro da demo é formada por adolescentes – mesmo que o público alvo seja o adulto -, ver esse tipo de situação para personagens tão amados não é tão chamativo assim.

Por mais que o futuro aguarde uma boa revanche, ainda há um pouco mais a se ver deste sofrimento de Rick e os outros.

• AMC E A GANÂNCIA POR DINHEIRO

A AMC sempre foi um caso a parte em The Walking Dead. A emissora responsável pelo fenômeno nunca pareceu se importar tanto com o que um drama tão rico poderia proporcionar em termos de roteiro, focando sempre no bem-estar monetário.

Para se ter uma base, o público americano tem que aguentar a, pelo menos, 5 intervalos de cinco minutos a cada “bloco” do episódio, e nem sempre o episódio é escrito para alcançar este formato. Imagine se você precisasse aguentar 6 meses de hiatus e mais duas pequenas cenas (sendo apenas uma inédita, já que a outra estava disponível online) de um episódio unidas a 10 minutos de comerciais, só para descobrir a resolução de um cliffhanger imposto no final da outra temporada? É um absurdo!

É por isso que a série tem ultrapassado os 25 milhões em índices após o acréscimo nas gravações em DVR, e é sucesso em serviços de streaming e de pirataria, já que o episódio pode ser assistido completo e sem o uso abusivo de comerciais repetitivos e desinteressantes.

• A CONCORRÊNCIA NO DOMINGO A NOITE

Já falamos anteriormente que The Walking Dead vem enfrentando de frente um dos mais esperados campeonatos de futebol americano e beisebol da história, e isso continuou nesse domingo, em um jogo que rendeu até mesmo duas tags que permaneceram em alta nas redes sociais durante cinco horas.

E além desses jogos, a série disputou o ranking da audiência com o AMA, premiação musical que contou com a presença de grandes astros influentes da música pop internacional, gerando um alvoroço surpreendente nas redes sociais.

Enfim, não há motivo para se preocupar, já que, muito provavelmente, a audiência deve voltar a ficar entre 11 e 12 milhões na próxima semana, e voltar a aumentar com a aproximação da midseason finale.

Lembrando, não deem atenção a qualquer matéria sensacionalista por aí dizendo que a série “está beirando o cancelamento” ou coisa do tipo, porque isso está longe de acontecer. Mesmo com os índices “fracos”, The Walking Dead atrai 6 vezes mais público que “Westworld”, o novo sucesso da HBO, por exemplo.

The Walking Dead, a história de drama mais assistida da TV a cabo, vai ao ar nas madrugadas de domingo para segunda-feira no AMC Internacional, às 00h, e no FOX Action (canal do pacote premium FOX+) e FOX Brasil, às 00h30. Confira todas as notícias sobre a sétima temporada.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.

Publicidade
Comentários

EM ALTA