Siga-nos nas redes sociais

Curiosidades

Adeus, Andy! Atores de The Walking Dead do passado e presente homenageiam Andrew Lincoln

Avatar

Publicado há

em

Com Andrew Lincoln (Rick Grimes) terminando sua épica jornada de 9 temporadas em The Walking Dead neste outubro, a Entertainment Weekly pediu a 23 membros do elenco que trabalharam com ele ao longo dos anos para escrever suas considerações à respeito do ator e sobre o impacto que ele causou dentro e fora das telas. Confira:

Sarah Wayne Callies (Lori) sobre Andrew Lincoln

Tudo o que eu tento escrever parece vir de um anuário do ensino médio. Nós estávamos no começo juntos. Eu sempre me lembrarei do nascer do sol na fazenda. Obrigado por me fazer uma pessoa melhor. “MELHORES AMIGOS PARA SEMPRE!!! OMG TWD! LOL” E eu sei que você odeia ser elogiado; A melhor maneira de acionar uma das suas “saídas irlandesas” é começar a dizer o quanto você é ótimo. Você é uma estrela, você tem noção disso? Você odeia atenção, festas e ser elogiado pelo trabalho por centenas de pessoas. A primeira vez que vi sua caneca de 3 metros de altura na Comic-Con, eu ri alto. Eu pensei “ele vai engolir a língua quando ele vir isso”. Nós nos inscrevemos para um pequeno programa que você chamou de “um drama familiar ambientado no inferno”. A imprensa riu de nós quando promovemos a primeira temporada, só nós dois na Europa, lembra? Você me ensinou – e provavelmente muitos de nós do programa – algo: o que significa não ser uma estrela. A ser o mais trabalhador, a nunca se queixar. Dar o seu melhor dentro e fora das câmeras para as pessoas. Isso me traz de volta ao anuário: obrigada por me fazer uma pessoa melhor. Você é uma estrela merda, irmão. Mas é um ator extraordinário e um homem ainda melhor.

Chandler Riggs (Carl) sobre Andrew Lincoln

Eu sempre considerei Andy meu “pai de TV”. Ele sempre foi alguém que eu admirei com o maior respeito pelo quão dedicado ele era ao seu papel. Todos os dias ele aparecia conhecendo cada palavra do roteiro – as falas de todos os outros, a direção do palco, tudo. Houve momentos no programa em que me senti desmotivado ou exausto, mas depois que olhei para Andy e vi quanto trabalho ele dedicava ao seu papel, ele me inspirou para avançar. Eu sempre perguntei a mim mesmo como ele conseguia deixar sua casa e família por tanto tempo, anos após ano para este papel.

Dito isto, sempre que eu tinha uma cena com ele, eu estava muito animado. A energia que ele traz para cada cena é tão extrema, independentemente do que ele está fazendo, e sua preparação para entrar no personagem foi sempre grande e intensa. Às vezes, depois de algumas tentativas, ele me puxava de lado e dava uma ideia para pensar ou uma maneira diferente de dizer uma fala específica e, de repente, tudo faria mais sentido e, finalmente, a cena floresceria de uma maneira que nunca poderia ter florescido antes. Eu sempre desejei que Andy dirigisse um episódio estrelado por mim, mas tenho certeza de que vou ter essa oportunidade no futuro.

Quando eu descobri que ele estava deixando a série, eu tive emoções mistas. Como fã, fiquei triste, mas como seu “filho de TV” e seu amigo, estou muito empolgado por ele. Saber que ele terá muito mais oportunidades de fazer o que ama é incrível! Ele tem me dito há anos todas essas ideias e projetos surpreendentes que ele quer trabalhar, mas nunca foi capaz de fazer por causa da série – e agora ele terá a oportunidade de fazê-las. Estou muito animado para ver os caminhos que sua carreira tomará e eu mal posso esperar para apoiá-lo!

Jon Bernthal (Shane) sobre Andrew Lincoln

Eu amo o Andy. Eu não consigo pensar em outro ator em minha vida que tenha tido mais impacto sobre mim, e isso é o mais importante para mim. Ele é ferozmente dedicado, mas também inacreditavelmente disponível e gentil. Eu acho que o detalhe sobre Andy que mais me impressiona é que muitas vezes você trabalha com um ator bom. Muitas vezes você tem pessoas que são tão inacreditavelmente focadas e abrangidas pelo trabalho que elas são maravilhosas de se observar, porém elas permanecem meio fechadas, e parte de seu processo requer uma inacreditável quantidade de autoreflexão e há quase uma parede ao redor delas. Andy é realmente o único cara com quem já trabalhei, que tem essa quantidade de dedicação e essa quantidade de comprometimento, mas permanece completamente aberto e completamente disponível para qualquer um. Acho que, quando se trata disso, existe um amor definitivo pelo projeto, um amor pelo trabalho e um amor pela comunidade de pessoas que fazem o trabalho.

Minhas primeiras memórias de Andy estão em sua audição, e depois nós indo para a Geórgia juntos e iniciando este processo. Nós éramos dois jovens atores famintos que se sentiam incrivelmente abençoados por estar lá. Estávamos nervosos, cara. Nós éramos um “par de destroços” nervosos. Lembro-me de um dia em nossa primeira semana de filmagem, Andy se virou para mim e disse: “Ei cara, eu não vou mais ficar nervoso.” Eu vi esse homem se apropriar não só nesse quesito, mas se apropriar em ser o líder do projeto num todo. Lembro-me que quando estávamos filmando suas cenas iniciais no hospital, eu o vi andando sem nada além de um vestido hospitalar, gritando até o céu para se preparar para uma cena. Eu lembro de apenas sentar em uma pedra e observar isso. Eu nunca tinha visto nada assim antes – ele estava incrivelmente comprometido e indo até seu máximo.

Quando conheci o Andy, estava à beira de ser pai e marido. Eu aprendi lições de vida com ele sobre como fazer isso – como fazer esse trabalho, como ser pai, marido e líder. Até hoje, não passa muito tempo sem que eu me olhe no espelho e diga: “O que Andy faria?” Tantas vezes quando estou ficando frustrada no set, ou quando as cenas estão fracas, ou quando eu só preciso de um segundo para mim mesmo, eu preciso me concentrar apenas no meu próprio personagem e sinto que estou prestes a explodir, tento me centrar. Eu digo: “O que Andy faria? Pense no Andy. Pense em Andy Lincoln.” Eu o amo e acredito nele, e fico muito grato por ele ter tido uma influência tão grande na minha vida. Eu não seria o homem que eu sou, eu não seria o pai que eu sou, eu não seria o marido que eu sou e eu, certamente, não seria o ator que eu sou, se não fosse pelo meu tempo com ele.

Ele é uma pessoa muito importante para mim… diferente de qualquer outro. Definitivamente, a melhor liderança com a qual já trabalhei em toda minha vida. À medida que vou adiante com o “O Justiceiro” e com alguns dos filmes que faço, muitas vezes faço tudo o que posso para imitar isso e falhei. Eu falhei. Eu não acho que haverá outro Andy Lincoln no mundo.

Lennie James (Morgan) sobre Andrew Lincoln

Há uma canção que costumamos cantar na igreja que tem a letra, “Quando o teste lhe chamar, eu estarei lá.” Eu gostaria de parafrasear essa frase para dizer que quando o teste chamar os principais homens da história da TV, lá ou em qualquer outro lugar, o nome de Andrew Lincoln estará. Tem que estar lá. Andy assumiu a responsabilidade de The Walking Dead como nenhum outro ator que eu já tenha visto ou ouvido falar. Ele só queria o que era melhor para a série e transferiu esse desejo para seus colegas atores, escritores, produtores e toda equipe. E ele fez isso exigindo nada mais do que ele fez sobre si mesmo. Ele liderou e deu exemplo. Ele fez tudo ao mesmo tempo, sendo um membro totalmente comprometido do conjunto. Ninguém envolvido no show, em qualquer nível, era mais importante do que ele e também ninguém era menos importante no que dizia respeito a ele. A jornada de The Walking Dead nem sempre foi doce e luminosa. Eu não quero dar essa impressão. Houveram tempos difíceis, mas Andy sempre agiu como um marcador consistente para todos nós e nos manteve firmes em mais de uma ocasião. Nós gritávamos: “Vamos esmagar!” E nos lembrávamos o porquê de estarmos todos lá.

Na segunda temporada, quando o elenco e a produção começaram a se perguntar “Onde está Morgan e quando ele voltará?”, foi Andy quem me ligou para dizer que isto estava acontecendo. Ele queria que eu soubesse. Quando a série quis me trazer de volta na terceira temporada, foi Andy quem me ligou para ter certeza de que eu iria dizer sim. Ele também apareceu no meu primeiro dia após o retorno, um dia em que ele não estava trabalhando, mas fez questão ir para “me receber em casa”. E quando a série me pediu para voltar como personagem regular, a primeira pessoa a entrar em contato comigo para ver o que eu estava pensando e sentindo sobre a oferta foi Andy. Ele defendeu a mim e meu personagem desde o primeiro dia. Pergunte a qualquer outro ator passado ou presente e eles terão sua própria versão de Andy fazendo o mesmo por eles. Considerando o quanto ele tinha que fazer por si mesmo, sua família e seu personagem – onde diabos ele encontrou o tempo?!

Foi uma das maiores alegrias da minha carreira ter trabalhado com Andy e uma alegria e um privilégio ainda maior, poder chamá-lo de meu amigo.

Steven Yeun (Glenn) sobre Andrew Lincoln

Acho que seria difícil encontrar pessoas como Andy. Ele é a mistura perfeita de classe, humor e talento. Lembro-me dos meus primeiros dias com ele na nossa série e lembro-me de como ele acalmou a todos. Como um garoto totalmente verde começando a trabalhar na sua primeira série, eu estava absolutamente aterrorizado, mas de, alguma forma, naquele primeiro dia eu não pude deixar de ter uma sensação de facilidade, como se alguém tivesse tirado toda a dificuldade e o estresse da situação para mim. O responsável por isso foi Andy Lincoln. Eu aprendi bastante durante meus sete anos naquela série ao lado dele. Ele constantemente arranjava tempo em seus dias de folga para exercitar uma cena comigo. Outras vezes, eu apenas ficava olhando para ele, perguntando-me se poderia fazer aquilo um dia; se um dia eu conseguiria ser tão excelente e impecável diante de uma enorme pressão.

Eu ouvi isso da minha prima e parece encapsular o ambiente que Andy gerou em torno dele: bondade gera segurança; segurança gera confiança. Saber que as coisas foram bem sucedidas graças ao ator principal que também era um líder incrível, é algo pelo qual serei eternamente grato. Eu devo muito ao Andy por me ajudar e me guiar durante todo o meu tempo que tive com ele naquele programa. Eu sempre tentarei seguir o seu exemplo.

Parabéns, Andy. Você é um dos melhores. Te amo.

Laurie Holden (Andrea) sobre Andrew Lincoln

Quando nós começamos The Walking Dead, não sabíamos que a série cativaria as pessoas ao redor do mundo e se tornaria um fenômeno global. Ela tinha os ingredientes de um potencial hit, com nomes como Frank Darabont, Gale Anne Hurd e Robet Kirkman no comando, mas ninguém sabia se um programa sobre zumbis seria adotado pelo público, quanto mais se se tornaria um sucesso. Há muitos fatores que entram em uma série sendo bem-sucedida: excelente escrita, cinematografia, atuação estelar e direção. No entanto, um dos principais atributos que sinto que podem quebrar um show, é a liderança. Com qualquer projeto, o protagonista geralmente dá o tom para o ambiente geral de trabalho, o nível de produtividade do elenco e da equipe.

Em Andy, tínhamos não apenas um tipo generoso no comando, mas um verdadeiro líder em todos os aspectos. Nos três anos em que estive no programa, nunca o ouvi reclamar. Isso não é uma tarefa fácil, trabalhando em climas de mais de 40 graus no calor georgiano, com demandas emocionais pesadas sendo feitas a seu personagem em uma agenda de filmagem de 18 horas por dia. Todos os dias, Andy cumprimentava o elenco e a equipe com a mais contagiante positividade, energia e uma gentileza que sempre faziam com que você sentisse que, independentemente das exigências do dia, tudo ficaria bem. Ele literalmente daria até seu último suspiro para estender a mão se alguém estivesse em necessidade e aparecesse e para apoiar seus colegas atores durante suas cenas mais desafiadoras. Sua graça altruísta como homem e como ator é incomparável, correspondida apenas por seu talento. Eu sempre irei apreciar meu tempo trabalhando com Andy e saúdo todas e quaisquer oportunidades para dançar criativamente com esse belo espírito novamente.

Norman Reedus (Daryl) sobre Andrew Lincoln

Andy é o melhor protagonista da televisão e um exemplo brilhante que todos que participaram desse programa tentaram seguir, e ele fez isso desde o primeiro dia. Ele sempre foi a primeira pessoa a dizer oi, ele sempre foi a primeira pessoa a oferecer ajuda, ele sempre foi a primeira pessoa a se colocar além do que seu trabalho lhe pede para fazer. Ele é a primeira pessoa a chegar, e ele é a última pessoa a sair. E ele quer falar sobre isso, o que às vezes é exaustivo. Mas ele quer manter a energia. Ele quer falar sobre suas partes, minhas partes, as partes de todos. Observar a quantidade de tempo que Andy coloca em seu trabalho, inspira outros atores do programa a fazer o mesmo.

Quando meu papel no programa começou a mudar, ele e Jon Bernthal começaram a me incluir em suas decisões. Eu não sei se alguma vez isso foi dito a alguém. Eu acho que eles fizeram isso naturalmente. Quando íamos inspecionar algo e falar sobre qual era o plano, em vez de Shane e Rick apenas olharem um para o outro e falarem sobre isso, eles começaram a olhar para mim também. Isso ajudou a impulsionar meu personagem para um dos líderes do programa, e esses dois atores fizeram isso naturalmente. De repente, eu estava incluído e não era apenas o cara de fora, caçando esquilos e querendo esfaquear pessoas. Eles transformaram meu personagem em outra coisa, quer eles saibam ou não.

Posso dizer, honestamente, que Andy me fez um ator melhor, um amigo melhor e até um pai melhor, porque vejo o quanto ele trabalha para manter sua vida familiar e sua vida profissional. É mais fácil para mim. Meu filho está em Nova York. Eu posso pular em um avião e pular lá para o fim de semana nos dias de folga que tenho, mas sua família está na Inglaterra. Então, vê-lo equilibrar isso e equilibrar o trabalho – tem sido uma coisa admirável de se assistir. Eu não posso dizer coisas boas o suficiente sobre esse cara. Por que ele não tem 15 malditos Emmys ainda? Isso me surpreende!

Emily Kinney (Beth) sobre Andrew Lincoln

Andy me ensinou muito sobre foco e atitude no set. Uma vez ele me contou como ele olha para a palma da mão para se concentrar e voltar ao personagem. Às vezes podem haver tantas coisas acontecendo em um set; coisas que podem distraí-lo da história que você está tentando contar. Eu realmente usei esse truque de olhar para a minha própria mão e continuo a usá-lo quando necessário, quando estou me sentindo distraída.

Eu me sinto sortuda por ter tido Andy na minha carreira tão cedo. A emoção, ética de trabalho e atenção aos detalhes que ele traz para o seu trabalho eleva o nível para todos ao seu redor. Eu sou definitivamente uma atriz melhor por ter trabalhado com ele. Eu nunca conheci um ator como ele, ele é extremamente gentil. Eu quero ser como o Andy, e eu penso nele e em outras pessoas do elenco do The Walking Dead toda vez que eu estou em um novo set.

Lauren Cohan (Maggie) sobre Andrew Lincoln

Andy é um profissional impecável – ele torna tudo mais fácil para nós. Ele inspira um nível de autenticidade, entrega e trabalho em equipe que nos eleva ao nosso melhor, não apenas através de seu trabalho, mas de quem é como pessoa também. No que acabou sendo uma experiência que eu acho que muitos de nós compartilhamos, quando comecei a trabalhar no programa, Andy me ligou no meu caminho para casa depois do meu primeiro dia de trabalho. Ele me avisou que ele estava lá caso eu precisasse, disse que estávamos todos juntos nisso e me assegurou de que ele estava do outro lado do telefone, disponível para conversar a qualquer momento.

Acredito que coisas realmente boas não acontecem isoladamente. Muitas vezes, elas podem estar prestes a se materializar, podem ser uma boa ideia, mas geralmente precisam de algo generoso, cheio de amor e esforço – alguém contagioso para trazê-las à vida. Temos muita sorte em ter esse catalisador em muitas formas em nossa família The Walking Dead. E nós somos insanamente sortudos por termos experimentado o cuidado de uma pessoa como esse grande amigo de espírito feroz. Obrigada. Nós amamos você, Andy!

Danai Gurira (Michonne) sobre Andrew Lincoln

Andy é tudo à respeito de boas maneiras. “Nunca”, ele costumava dizer, “perca suas boas maneiras.” Eu o assisti nessa função como principal orientador por sete temporadas e assisti como isso criou um ambiente de trabalho incrível. Eu sempre digo que ele nasceu de um ovo, porque ele é uma raça extremamente rara. Realmente fui surpreendida quando entrei para a série em 2012, o ator principal era altruísta, ansioso para que todos se sobressaíssem, celebridade, engraçado e gentil. Ele também é dotado um poço infinito de alegria. Eu frequentemente chamo de alegria infantil. Sem limites, resiliente e leve. Todos os dias, ele entrava no trailer de cabelo e maquiagem, em qualquer momento, transbordando positividade e afeição. E esse estouro era contagiante. Tornou este trabalho muito mais agradável para todos, incluindo elenco e equipe. Seu enfoque e paixão infalíveis nos mantinham todos, como ele, prontos para dar tudo de si. Muitos vinham ao nosso elenco e comentavam que nunca tinham experimentado nada parecido. Fomos, como resultado de seu exemplo e espírito surpreendentes, um alegre grupo de sobreviventes apocalípticos.

Para mim, ele era uma âncora, como um líder deve ser, mas ele também era alguém que nunca deixava de conquistar, sem esforço, meu mais profundo respeito. Passei muitos dias de longo trabalho na Georgia com Andy, e observei como esse homem nunca se cansava, nunca parava de doar mais do que 100%, e mantinha todos ao seu redor motivados e animados para estar lá. E nunca, nunca perdeu suas boas maneiras. Há sempre uma maneira de alcançar seus objetivos, lidar com situações muito intensas sem perder as boas maneiras. Foi um exemplo incrível de ser seguido, especialmente nos dias de hoje. Qualquer que seja o ovo do qual ele tenha nascido, precisamos começar a cloná-lo porque o mundo seria muito melhor com mais Andy Lincoln nele!

David Morrissey (Governador) sobre Andrew Lincoln

Tive a sorte de conhecer Andrew há muitos anos. Não apenas através do meu tempo em The Walking Dead. Ele não é só um grande amigo, mas também um profissional incrível. Uma série como The Walking Dead tem consideráveis elementos para ser o enorme sucesso que se tornou. Andrew lidera da frente. Seu compromisso e cuidado são sempre 100%. Ele cuida de todos os novos membros do elenco e da equipe. Ele é acessível e aberto. E isso significa que a atmosfera e o espírito do show, a natureza do conjunto de The Walking Dead, são estabelecidos por ele. Todos trabalham um para o outro porque esse é o exemplo que ele define. Ele também é, claro, um ator fantástico. Eu tive o prazer de vê-lo no palco e na tela em muitas ocasiões e estou ansioso por vê-lo viver diversos novos papéis no futuro. Ele é um ator brilhante, um grande homem, e sei que ele vai se encolher quando ler tudo isso, porque ele também é uma das pessoas mais modestas que já conheci. Tenho o privilégio de conhecê-lo e de ter trabalhado com ele.

Chad Coleman (Tyreese) sobre Andrew Lincoln

Ele é o mais altruísta e apaixonante das pessoas que já trabalhei. Enfrentando o calor, grandes mudanças na equipe de produção, diferenças artísticas, membros do elenco mortos, mas sempre com uma graça e dignidade que palavras nunca farão justiça. Vocês sempre ouvem sobre ele, seja relacionado ao show ou a pessoa. A 4ª temporada foi incrivelmente difícil para mim e eu me lembro, claramente, desse homem compartilhando coisas profundamente pessoais comigo para me ajudar a enfrentar certos desafios. Ele está ferozmente comprometido com a narrativa que é rica, profunda e substantiva! Nunca o vi ter um colapso. Nunca o vi com negatividade. Não nas minhas temporadas. Qual número 1 você conhece que aparece no set quando não está trabalhando para assistir sua cena e ligar para você depois para dizer que ele é um fã? Este super talentoso ator é um líder em todos os sentidos da palavra. Muito amor, Grande Linc!

Sonequa Martin-Green (Sasha) sobre Andrew Lincoln

Se você me perguntar, e eu escuto essa pergunta com bastante frequência, “Quem é o melhor ator com quem você já trabalhou?” Eu respondo com uma rapidez extrema: “Andrew Lincoln”.

Ele me apresentou um nível de excelência neste ofício que eu não tinha experimentado antes de trabalhar com ele. O nível de dedicação que ele traz para a história e para as pessoas ao seu redor, tanto na história quanto fora dela, é surpreendente. É poderoso e transformador ver alguém dar cada fibra do seu ser. Tudo muda quando você testemunha isso. Nós o observávamos, com olhos arregalados e os queixos caídos e dizíamos: “Olhe para ele! Como ele está fazendo isso?” Ele é nossa família. Ele nos guiou pelo caminho, ele estabeleceu uma cultura de excelência e união, ele nos deu o exemplo. Eu sempre serei grata a ele. Eu agradeço a Deus por ele. Agradeço a Deus por me colocar na família The Walking Dead, porque sou melhor em todos os aspectos graças a isso.

Michael Cudlitz (Abraham) sobre Andrew Lincoln

Andy Lincoln é uma das pessoas mais legais que já conheci. Ele é alguém que no minuto em que você o conhece, quer saber mais sobre ele. E depois de saber mais sobre ele, você quer ser amigo dele.

Eu tive uma experiência maravilhosa em uma das minhas primeiras grandes cenas, e foi minha primeira cena com Andy, onde tivemos um grande conflito na igreja. Andy e eu meio que fomos com tudo e, ao longo do dia, as pessoas estavam chegando e nos perguntando: “Ei, vocês estão bem? Você e Andy realmente estão chateados um com o outro?” Isso é porque nós dois realmente entramos na cena, e ele permaneceu nela. Ele estava andando entre as tomadas e batendo o ombro no meu. No almoço, nós sentamos em extremidades opostas no refeitório. Mais tarde, voltamos e terminamos a cena. Andy acabou e começou a rir. Ele disse: “Oh meu Deus, isso foi muito divertido!” Então, nos abraçamos.

Lembro-me de olhar para ele e, na época, foi incrivelmente emocionante. Eu olhei para ele e apenas disse: “Eu sinto como se tivesse arrasado!” E ele disse: “Sim, você arrasou, irmão.”, e me deu um grande abraço. Desde aquele dia, eu me senti extremamente ligado a ele e eu sinto que naquele dia ele me ajudou a encontrar e definir quem Abraham seria para o resto da série. Eu simplesmente amo esse cara.

Ross Marquand (Aaron) sobre Andrew Lincoln

Andy foi o primeiro ator que eu conheci no programa e ele não poderia ter me recebido mais calorosamente. Poucos minutos depois da reunião, ele me fez sentir como se eu fosse da família e essa energia, esse calor, não cessou em nenhum momento nas cinco temporadas que trabalhei com ele. Ele não só é o ator mais dedicado que eu já conheci, mas também é o mais gentil. Andy deu o tom para todos nós, elenco e equipe, e eu me sinto honrado por ter compartilhado a tela com ele. Espero que eu possa seguir seus passos e imitar, mesmo que um pouco, da classe e dignidade que ele exibia todos os dias no set.

Tovah Feldshuh (Deanna) sobre Andrew Lincoln

Eu não sou nenhuma Madre Teresa, mas a bondade de Andy Lincoln era inacreditável. Ele sabia o nome de todos. Ele sabia o nome do jardineiro. Ele sabia os nomes dos trabalhadores que estavam construindo o set. Ele começava a trabalhar cedo para poder abraçar todo mundo no trailer de cabelo e maquiagem. Foi uma lição de como unir uma comunidade.

Quando cheguei, a primeira coisa que ele disse foi: “Do que você precisa? O que você quer? O que posso fazer para que isso seja bom para você?” E eu disse: “O que você realmente pode fazer é conversar comigo, por mais de uma hora, hoje à noite e ensaiar a cena pelo telefone. Eu sei que você está trabalhando o dia todo, mas essa cena tem nove páginas.” E ele e eu ensaiamos naquela noite e, em tempo recorde, estávamos preparados. Ele sempre se certificou que a cena funcionaria. Ele é atencioso e dedicado. Ele é irresistivelmente e implacavelmente gentil. Eu nunca o vi perder a paciência.

Muitas vezes, o ator principal está sempre ausente, sempre no trailer. Não Andy. Ele é extremamente comunitário e todo mundo sabia que as coisas funcionariam. Todo mundo.

Tom Payne (Jesus) sobre Andrew Lincoln

Eu conheci Andy nos últimos dias de 1999. Eu fazia parte de um grupo de teatro em nossa cidade natal chamado de “The Musical Youth Theatre Company”. Andy tinha sido um membro dele alguns anos antes de mim e foi o grande responsável pelo sucesso. Ele foi, definitivamente, uma inspiração para a minha adolescência e um exemplo o qual eu seguia, além de ser um cara muito legal. Depois disso, cruzamos o caminho de novo em “Wuthering Heights” e, alguns anos depois, eu estava trabalhando em um programa para a HBO e meu treinador de sotaque estava ajudando Andy em um piloto de uma nova série chamada “The Walking Dead”. Meu programa só durou uma temporada, mas todos nós sabemos o que aconteceu com o outro… E assim, seis anos depois, encontrei-me no set com um rosto familiar. Todos na série sempre falam sobre o grande líder que Andy é por trás dos bastidores e eu sempre me sinto um pouco privilegiado por saber disso desde antes de The Walking Dead ter começado. A última coisa que ele mencionou para mim foi que ele esperava que pudéssemos fazer uma peça juntos em Londres. Estou ansioso por isso. (Aqui está a foto que apareceu no The Bath Chronicle de Tom na The Musical Youth Theater Company com o visitante especial, Andrew Lincoln.)

Jeffrey Dean Morgan (Negan) sobre Andrew Lincoln

Foi logo após a primeira cena que meu telefone tocou. “Ei, alô”, minha voz resmungou. “Bem-vindo à família.” Era Andy Lincoln, com sua voz tão trespassada quanto a minha. Nós tínhamos acabado de terminar a noite… o final da sexta temporada e a introdução de Negan. A noite não era apenas intensa e emocionante, mas também significava dizer adeus a duas pessoas que estavam na série há anos, duas pessoas que eram amadas por todos. Tinha sido, ao mesmo tempo, uma noite surpreendente e, por outro lado, uma noite “sã”. Para todos. Mas havia essa parte de mim que parecia ser parcialmente responsável por destruir uma família. Atuando, claro. Porém, esta era uma família.

Andy certamente não me devia essa ligação, e mesmo assim, lá estava ele… não só me recebendo e me agradecendo pelo trabalho, mas me abraçando como um dos seus. Um deles. É apenas um pedacinho do tipo de cara que o Andy é; ele é o número um na lista de chamadas, o verdadeiro líder do nosso show, e ele confia em mim… Ele é o topo. Ele é o patriarca da família The Walking Dead e lidera com seu coração, paixão, empolgação e amor. Não há como substituí-lo. Nem vamos tentar. Eu amo aquele homem não apenas como ator e inspiração, mas principalmente como amigo. Vou sentir falta dele todos os dias. Eu sinto falta dele todos os dias.

Mas a coisa que eu, e todos nós, devemos nos consolar, é que Andy colocou seu sangue, suor, lágrimas em The Walking Dead. Literalmente. E agora? Ele consegue fazer exatamente isso com sua linda família. Uma família que dividiu seu marido, pai e filho conosco por quase uma década. Eu adoro a família de Andy e, na verdade, não posso agradecer o suficiente por nos empresta-lo como fizeram. Mas o mais importante, sou muito grato por Andy, o irmão insubstituível. Tem sido uma honra e um privilégio. Depois que ele me ligou naquela primeira noite, ele me mandou uma mensagem, reiterando suas palavras, “Bem vindo à família”. Ainda não sei por que ele mandou aquela mensagem… talvez ele tenha pensado que eu não acreditei nele, não tenho certeza e eu nunca perguntei, mas eu salvei essa mensagem de quatro anos atrás, e vou guardá-la para sempre. Nós podemos ter virado a página neste capítulo, mas é um livro grande, e eu mal posso esperar para virar a página para a nossa próxima aventura juntos!

Alexandra Breckenridge (Jessie) sobre Andrew Lincoln

Andy é um espírito muito criativo, incrivelmente acolhedor e entregue como ator. Quando eu o conheci, eu estava do lado de fora dos trailers, tentando entender o mundo de The Walking Dead em que eu acabava de entrar. Ele e Norman vieram andando e ele estava coberto de sujeira (como é o traje tradicional de TWD), e ele ainda não tinha raspado aquela barba gigante. Eu não estava tão longe na série ainda, então ainda não o havia visto daquele jeito e fiquei completamente surpresa. Eu sabia que era para ser um interesse amoroso momentâneo e, na minha cabeça, estava tentando envolver minha mente em torno de toda a tristeza e coragem agarrada a este homem. Eu disse: “Olá, sou Alex, interpretarei Jessie” e ele me deu um firme aperto de mão, me dando as boas vindas de uma maneira que nenhum ator fez antes ou depois da série. Não foram necessariamente as palavras que ele disse, foi a energia e a intenção que ele tinha. Eu me senti em casa. Eu ainda estava incrivelmente nervosa, porque queria fazer um bom trabalho.

Katelyn Nacon (Enid) sobre Andrew Lincoln

A coisa sobre Andy é que o cara que você conhece pessoalmente é exatamente o mesmo que o da TV. Ele é muito autêntico, gentil e generoso. Ainda me lembro do meu primeiro dia no set. Eu estava realmente muito nervosa, porque havia todas aquelas pessoas realmente talentosas que estavam fazendo isso há muito tempo. A maioria do elenco estava nessa filmagem de área distinta, e eu meio que me separei deles ao fundo, e lembro que Andy andou até mim e se apresentou, apertando minha mão, o que foi muito gentil e me fez sentir muito mais confortável.

Andy estabeleceu os padrões dessa mentalidade familiar do elenco e da equipe, e isso se deu por meio de várias temporadas. Ele define esse exemplo, e as pessoas percebem o quão bem ele funciona e o acompanha. Ele trouxe muito para esse programa, e vai ser muito triste e difícil vê-lo partir. Mas, graças a ele, a série se tornou o que é. Um grande obrigado a Andrew Lincoln.

Steven Ogg (Simon) sobre Andrew Lincoln

Capitão. Nosso capitão. Andrew Lincoln. Primeira vez no set, fui ao trailer de maquiagem. Lá estava ele. Nós nos cumprimentamos. Nós conversamos. Falamos do mundo The Walking Dead, da família e do mundo. Esperando a equipe decidir sobre minha barba, ligamos para o meu filho – um grande fã da série. Andrew, como de sua natureza, estava confortável. Isso foi o suficiente para mim – o núcleo desse homem foi exposto – era um homem maravilhoso. Então, pude ver seu compromisso com seu personagem, o trabalho e a série. Seja através de uma gravação por drone, seu close-up, uma cena magistral, um close-up daquela árvore sob o luar, Andrew Lincoln sempre deu mil por cento!!! Na noite em que Negan matou Abraham e Glenn, eu fiquei lá, assistindo este homem atuar. Ele estava devastado e aquilo me fez sentir incrivelmente inspirado. Austin Amelio e eu, instantaneamente, nos ligamos a isso – nunca tínhamos visto alguém tão comprometido em trazer seu personagem à vida. Era inspirador. Apaixonado. Tenho tanta sorte de ter tido esse momento do ele! Sou muito grato. Obrigado, Andrew! Estamos juntos para isso, aquilo e além! Muito amor!

Khary Payton (Ezekiel) sobre Andrew Lincoln

Quando apareci pela primeira vez no set de The Walking Dead, Andy estava me esperando. Ele não estava trabalhando em nenhuma parte desse episódio, mas ele ficou lá a metade da noite. Eu não percebi isso na hora, mas eu já era da família. Eu sei disso porque ao longo dos anos, eu o vi tratar cada membro desse elenco e equipe com o mesmo apoio e respeito. É por isso que todos nós nos inspiramos neste homem.

Pollyanna McIntosh (Jadis/Anne) sobre Andrew Lincoln

Andrew Lincoln é um ser humano humilde, gentil, atencioso, divertido e dotado de um talento ousado e ferozmente inteligente, dedicado a servir histórias e personagens. Ele dirá “f- aquele cara”, que geralmente significa “f- o medo”. Como os melhores atores, ele quer compartilhar as coisas boas. Eu tive momentos fantásticos trabalhando com ele. Ele estava sempre focado, sempre procurando por verdade e por diversão. Eu também vi como ele trata o elenco e a equipe com extremo respeito e expectativa, assim como faz consigo mesmo. Sua mais recente decisão, a de estar presente em sua casa ao lado de sua família, é apoiada por todos nós. Ele deixa The Walking Dead com um vibrante legado de bravura, profissionalismo, compromisso, humildade e partilha da alegria do que fazemos. Nós o amamos e estamos ansiosos para saber o que vem a seguir para ele. “Rock on, Clutterbuck.”

The Walking Dead, a história de drama número #1 da TV a cabo, vai estrear sua 9ª temporada no dia 7 de Outubro de 2018. Confira o trailer oficial da temporada e fique por dentro de todas as notícias.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Curiosidades

Todos os nomes dados aos zumbis do universo de The Walking Dead

Confira uma lista completa de todos os nomes utilizados pelos sobreviventes do universo The Walking Dead para descreverem os zumbis.

Avatar

Publicado há

em

Os Vazios (zumbis) em imagem de The Walking Dead World Beyond

Durante as 10 temporadas de The Walking Dead e as 6 temporadas de Fear the Walking Dead, o Universo The Walking Dead viu muitos sobreviventes, comunidades e zumbis. No mundo fragmentado pós-apocalíptico, sem um governo ou sistema de informação comum – como, digamos, a Internet – os laços que unem o mundo foram rompidos, e isso inclui a linguagem.

Embora alguns desses personagens vivam a poucos quilômetros de distância e falem a mesma língua, eles desenvolveram diferentes convenções de nomenclatura. Isso é especialmente verdadeiro para os fenômenos mais recentes em seu mundo: os cadáveres andando por aí, causando estragos e comendo seus amigos. Enquanto o bando de sobreviventes de Rick decidiu-se pelo termo ‘caminhantes’, existem inúmeras outras maneiras de descrever os mortos-vivos, mesmo dentro das áreas geográficas limitadas para as quais seu grupo se espalhou na Geórgia e Virgínia.

Na mais nova série de TWD, The Walking Dead: World Beyond, que se passa em Nebraska, não é surpreendente que haja uma nomenclatura totalmente diferente para os mortos. Eles os chamam de ‘vazios’. Com isso em mente, coletamos todas as maneiras criativas como os personagens do Universo The Walking Dead descrevem os monstros comedores de carne mais conhecidos como ‘caminhantes’ em todas as três séries para uma breve atualização. Confira a lista:

Walkers (Caminhantes)

Quem usa esse termo?
O grupo original de sobreviventes de Rick cunhou o termo e o carregou com eles aonde quer que fossem (ou colonizassem, dependendo de sua perspectiva).

O que o termo significa?
Os zumbis estão andando por aí. Eles não deveriam estar caminhando, então… caminhantes.

É um termo preciso?
Não completamente. Caminhantes rastejam. Eles flutuam. Eles rolam.

O termo pegou?
Sim. Enquanto o grupo de Rick vagava pela Geórgia, e eventualmente se estabelecia na Virgínia, eles seguiram seu caminho descrevendo os mortos a quem encontrava com eles. Agora esta é a maneira dominante de descrever a ameaça dos mortos-vivos dentro de uma variedade de comunidades que antes usavam outros termos.

LEIA TAMBÉM:
Quem morreu no 16º Episódio da 10ª Temporada de The Walking Dead?

The Infected (Os infectados)

Quem usa esse termo?
Pessoas da ciência, incluindo Dr. Edwin Jenner, e quase todo mundo no início de Fear the Walking Dead.

O que o termo significa?
Bem, as pessoas pegam um vírus, morrem e se tornam mortas-vivas.

É um termo preciso?
Definitivamente.

O termo pegou?
Na verdade não. No início, era assim que algumas pessoas chamavam os zumbis, mas parece ter desaparecido rapidamente. Faz sentido que, com o colapso da sociedade, os usos mais clínicos morram e sejam substituídos por termos mais terrosos.

Empties (Vazios)

Quem usa esse termo?
Residentes do Campus Colony em The Walking Dead: World Beyond.

O que o termo significa?
Jesus usou o termo nos quadrinhos e, de acordo com o produtor executivo Matt Negrete, os andadores estão vazios e isso faz um bom paralelo com o show porque Iris se sente vazia por dentro.

É um termo preciso?
Absolutamente. Os caminhantes não são nada senão cascas vazias.

O termo pegou?
Veremos. Mas, como World Beyond está definido no futuro do apocalipse zumbi e o termo está em uso generalizado em uma sociedade desenvolvida como a Campus Colony, a resposta provavelmente é sim.

Roamers (Perambulantes)

Quem usa esse termo?
Quando Aaron e os alexandrinos originais liderados por Deanna apareceram, era assim que eles se referiram aos zumbis. Até aquele ponto, eles haviam feito um trabalho incrível em mantê-los fora de sua comunidade.

O que o termo significa?
Este é bastante óbvio, já que a maioria dos zumbis vagam por aí, caçando comida (também conhecida como pessoas).

É um termo preciso?
Nem sempre. Tal como acontece com os caminhantes, muitos dos mortos-vivos não são exatamente perambulantes, mas ainda são bastante perigosos. A precisão da linguagem é importante ao rotular uma ameaça como um morto-vivo.

O termo pegou?
De modo nenhum. Assim que o grupo de Rick apareceu, esse termo foi jogado pela janela.

Stinker (Fedorento)

Quem usa esse termo?
Connie, Kelly, Luke, Magna e Yumiko referem-se aos zumbis dessa forma quando eles encontram os sobreviventes em The Walking Dead.

O que o termo significa?
Presumivelmente porque cadáveres em decomposição, como os mortos-vivos, cheiram mal. Isso sugere que os caminhantes cheiram tão mal quanto qualquer outro cadáver, o que dá uma visão inteiramente nova dos horrores do apocalipse.

É um termo preciso?
Se o que foi dito acima for realmente verdade, então, definitivamente.

O termo pegou?
Não. A dominação cultural do grupo de Rick continua.

Lurkers (Espreitadores)

Quem usa esse termo?
Uma variedade de sobreviventes, principalmente no início do surto, especialmente em Woodbury.

O que o termo significa?
Refere-se a um tipo específico de morto-vivo que fica sentado imóvel, parecendo um cadáver (ou seja, sem andar ou perambular) e então ataca.

É um termo preciso?
100%.

O termo pegou?
Espreitadores parece ter morrido no início do surto, mas deve voltar porque descreve um tipo particular de andador, ou não-andador para ser mais exato.

Floaters (Flutuadores)

Quem usa esse termo?
O grupo principal, com o primeiro caso conhecido sendo na fazenda de Hershel, quando eles encontram o infame e grotesco Zumbi do Poço.

O que o termo significa?
Esse termo descreve os caminhantes ligados à água.

É um termo preciso?
Muitas vezes, embora os flutuadores possam fazer outras coisas, como golpear, morder e ser dilacerados em pedaços grotescos e inchados.

O termo pegou?
Já faz um tempo que o grupo usou esse, mas é possível que eles simplesmente não tenham tido a oportunidade de fazer isso, pois é um caso altamente específico.

Geeks

Quem usa esse termo?
Alguns personagens dos membros originais do grupo de Rick: primeiro Daryl, depois Glenn, Shane e T-Dog.

O que o termo significa?
Essa é uma questão em aberto. Daryl poderia estar zombando dos zumbis ao chamá-los de geeks como um vilão em um filme do colégio dos anos 80. Também é possível que isso se refira a um arcaico artista de carnaval que arrancaria a cabeça de um animal vivo durante sua apresentação.

É um termo preciso?
Isso realmente depende do que Daryl está se referindo aqui.

O termo pegou?
Definitivamente não. Daryl mudou para coisas maiores e melhores, e todos os outros que usaram esse termo estão mortos.

Biters (Mordedores)

Quem usa esse termo?
Os residentes de Woodbury.

O que o termo significa?
Os mortos-vivos têm um trabalho. E é morder.

É um termo preciso?
Sim. Este é um dos melhores termos para descrever os zumbis, para ser honesto.

O termo pegou?
Não. Depois que Woodbury foi destruída, os “mordedores” parecem ter morrido tão rápido quanto Governador quando Michonne sua katana nele.

Lame-Brains (Cérebros Falho)

Quem usa esse termo?
Dave e Tony, dois caras que se cruzaram com o grupo de Rick no início do apocalipse, tentaram dominá-los e falharam.

O que o termo significa?
Os caminhantes não são espertos (embora pareçam ter dominado a terra, então…).

É um termo preciso?
Talvez.

O termo pegou?
Definitivamente não. Este termo morreu com Dave e Tony. Eles tentaram matar Rick e companhia uma vez que descobriram que os sobreviventes tinham um lugar seguro para pendurar seus chapéus (a fazenda de Hershel) e foram mortos imediatamente, levantando assim a questão “quem exatamente é o cérebro falho?”

Creepers (Rastejadores)

Quem usa esse termo?
Merle diz isso antes de fazer sua coisa e matar um bando de mortos-vivos.

O que o termo significa?
Na grande tradição de caminhantes e errantes, o termo descreve a natureza cambaleante dos mortos-vivos.

É um termo preciso?
Sim e não. Os mortos-vivos passam muito do seu tempo se mexendo, mas fazem muito mais.

O termo pegou?
Não. Merle infelizmente se foi e este foi com ele e seu gancho: para o túmulo.

Rotters (Podres)

Quem usa esse termo?
Os policiais que dirigem o Hospital Grady Memorial.

O que o termo significa?
Os mortos nada mais são do que cadáveres que estão se decompondo, embora lentamente. Consequentemente, podres.

É um termo preciso?
Sim. Porém, como observado acima, é uma questão em aberto o quanto esses cadáveres estão apodrecendo e qual pode ser a resposta olfativa que os acompanha. Mas, o termo foi usado no início do surto e eles eram policiais, não cientistas com uma quantidade infinita de tempo em suas mãos.

O termo pegou?
Como tantos outros grupos, este termo entrou em conflito com o grupo de Rick, foi merecidamente rejeitado e, pelo que sabemos, sua terminologia nunca foi além do hospital.

Deadheads (Cabeças mortas)

Quem usa esse termo?
Pelo que sabemos, apenas Nicholas, que se desviou do idioma local de seu grupo, que usava o termo ‘errante’, usou o termo.

O que o termo significa?
Embora seja possível que Nicholas fosse um grande fã do Grateful Dead, a explicação mais óbvia é provavelmente a verdadeira.

É um termo preciso?
Sim.

O termo pegou?
Não.

The Wasted (Definhados)

Quem usa esse termo?
O grupo de Brandon, os amigos assassinos do surf party de Fear the Walking Dead, e também alguns membros do Reino.

O que o termo significa?
Os corpos dos mortos-vivos estão, literalmente, se definhando.

É um termo preciso?
Definitivamente. Esta é uma maneira muito boa de descrever os mortos-vivos, o que é surpreendente para um grupo de cabeças-duras liderado por Brandon, embora nem tanto para os membros do Reino. É provável que o grupo de Brandon tenha gostado de como soa a palavra porque gostava de ficar bêbado.

O termo pegou?
Surpreendentemente, não. Quando o Reino, Alexandria e Hilltop se fundiram, este termo nunca mais foi ouvido novamente.

The Passed (Os passados)

Quem usa esse termo?
John Dorie.

O que o termo significa?
Aqueles que já faleceram e ainda estão andando por aí… e comendo gente.

É um termo preciso?
De certa forma. Pessoas mortas comuns também podem ser passadas.

O termo pegou?
Como tantas coisas acontecendo, este termo parece ser exclusivo de John Dorie, um dos personagens verdadeiramente singulares do Universo TWD. Ele provavelmente não se importaria que tivesse pegado.

Hissers (Assobiadores)

Quem usa esse termo?
Amelia, uma mulher com um filho a quem Negan tenta ajudar antes que Brandon (outro Brandon, mesmo resultado) a mate.

O que o termo significa?
Esta é uma referência ao som de marca registrada do morto-vivo.

É um termo preciso?
Absolutamente preciso.

O termo pegou?
Não, mas é difícil dizer por que não. Essa é uma das assinaturas dos zumbis. Outras nomenclaturas para os mortos-vivos se concentram na maneira como eles se movem, cheiram e parecem, mas poucos estão focados na maneira como soam, embora seja uma das melhores maneiras de identificá-los. Amelia pode ter sido um gênio.

Growlers (Rosnadores)

Quem usa esse termo?
Molly, uma salvadora que leva Carol e Maggie como reféns.

O que o termo significa?
Como assobiadores, isso se refere ao som dos mortos-vivos.

É um termo preciso?
Sim, é. Embora assobiadores seja provavelmente melhor. Seu cachorro rosna, e você sabe como soa.

O termo pegou?
Bem, Molly é espancada até a morte por Maggie, e os salvadores estão praticamente aniquilados, então não.

Cold-Bodies (Corpos Frios)

Quem usa esse termo?
Martin, um dos membros do Terminus. Não está claro se esta é uma linguagem comum entre sua comunidade ou se eles simplesmente se referem aos caminhantes como não-comestíveis.

O que o termo significa?
Este termo se refere à temperatura corporal dos mortos-vivos.

É um termo preciso?
De certa forma. Os corpos dos zumbis estão frios. Mas os cadáveres que não são caminhantes também estão, portanto, não é um termo claro.

O termo pegou?
Não. E com uma boa razão. Ninguém quer ouvir um canibal.

Rippers (Estripadores)

Quem usa esse termo?
Virgil, o cara que manteve Michonne como refém, inadvertidamente levando-a a evidências de que Rick está vivo.

O que o termo significa?
Deve ser porque os zumbis rasgam a carne… Brutalmente.

É um termo preciso?
Sim.

O termo pegou?
Não está claro. Nós realmente não sabemos quem mais, além de Virgil, conhece o termo, ou onde ele esteve. Portanto, é possível que ele tenha aprendido esse termo de outra sociedade.

Continue lendo

Curiosidades

The Walking Dead e Magic: The Gathering fecham parceria para nova coleção de cartas

The Walking Dead será tema de algumas cartas da nova coleção de Magic: The Gathering – “Secret Lair”. Lançamento será em 4 de Outubro!

Dhebora Fonseca

Publicado há

em

imagem promocional de um zumbi com cartas de Magic para celebrar a parceria entre The Walking Dead e Magic: The Gathering

No início de setembro foi revelada a programação de lançamento completa do jogo de cartas colecionáveis Magic: The Gathering para 2021. Entre os anúncios, veio a novidade: o jogo terá uma colaboração com a série dramática de terror da AMC, The Walking Dead. A próxima edição “Secret Lair – Drop Series” terá The Walking Dead como tema em algumas cartas.

A publicadora de jogos Wizards of the Coast ainda não apresentou nenhum detalhe sobre o lançamento, mas revelou uma nova ficha de zumbi, gerada pelas cartas Campo do Mortos – que foi banida – e Liliana, General da Horda Medonha. A ficha é personalizada com uma imagem da “Garota da Bicicleta”, um dos zumbis clássicos de The Walking Dead, e a frase dita por Rick Grimes momentos antes de mata-la: “I’m sorry this has happened to you” (Eu sinto muito que isso tenha acontecido com você).

Esse tipo de colaboração entre propriedades está se tornando cada vez mais comum para Magic: The Gathering. Os monstros de Godzilla apareceram na coleção Ikoria: Lair of Behemoths, que foi lançada no começo do ano. Uma coleção oficial de Dungeons & Dragons, um clássico entre os jogos de RPG, será lançada em 2021.

Os lançamentos da série Magic: The Gathering’s Secret Lair Drop são lançamentos impressos especiais e limitados dos cards de Magic: The Gathering, com arte, temas e designs exclusivos diferentes do que os fãs normalmente esperam em um conjunto típico de cartas do jogo. Isso incluiu lançamentos com foco em gatos, colaborações com artistas de rua e agora colaborações entre marcas.

O perfil oficial de The Walking Dead no Twitter anunciou hoje (27) que o lançamento das cartas com o tema da série vai acontecer juntamente com a estreia do último episódio da 10ª temporada, no dia 4 de Outubro:

“Há mais uma estreia de #TWD neste domingo que ninguém previu… Os sobreviventes mais fortes chegam ao melhor jogo de cartas. @MTGSecretLair. 4 de outubro. Apenas uma semana.”

Mais detalhes sobre Secret Lair: The Walking Dead estão na loja oficial e no Twitter.

Continue lendo

Curiosidades

Anunciado canal oficial do Universo The Walking Dead na Twitch

A AMC Networks anunciou nesta quinta-feira (17) o lançamento de um novo canal de streaming na Twitch, dedicado ao Universo de The Walking Dead.

Dhebora Fonseca

Publicado há

em

personagens de the walking dead, fear the walking dead e world beyond reunidos em imagem promocional do lançamento do canal oficial na Twitch

A AMC Networks anunciou nesta quinta-feira (17) o lançamento de um novo canal de streaming na Twitch, dedicado ao Universo de The Walking Dead. O que isso significa para os fãs? Conteúdos exclusivos e originais, interação com a programação temática da franquia e muito mais de The Walking Dead para desfrutar.

Esta parceria nova e ousada entre AMC e Twitch é a primeira desse tipo. De acordo com o comunicado de imprensa emitido pela AMC, o canal TWDUniverse entregará “uma experiência única e interativa para os fãs celebrarem e se envolverem com o Universo The Walking Dead, transmitindo ao vivo a programação criada exclusivamente para o canal na Twitch. Programas ao vivo originais permitem que os fãs se tornem parte da experiência de conteúdo, e junto com a interatividade única da Twitch, o serviço se torna ideal para criar conversas e um lar para a comunidade de The Walking Dead.”

A diversão em streaming começará no domingo (20), e o lançamento inicial inclui cerca de doze horas de conteúdo original toda semana, incluindo a festa de lançamento e o The Walking Dead Catch-Up; um mergulho profundo semanal em episódios no Re-Watching Dead às quintas-feiras – iniciando no dia 24 de setembro -, e uma comemoração de The Walking Dead: World Beyond em 27 de setembro, para dar início à jornada do spinoff.

Os anfitriões e fãs de The Walking Dead Clarke Wolfe, Ronetta Renay e Dylan Gabriel Guerra conduzirão os fãs durante o entretenimento, que promete ser inovador.

Em 4 de outubro – data de lançamento do “último” episódio da 10ª temporada e o primeiro de The Walking Dead: World Beyond -, o TWDUniverse ganhará mais vida com o programa TWD Sundays. Os fãs poderão assistir ao pré-show intitulado Recapping Dead, que vai ao ar às 19h30 (horário dos EUA), seguido pela Live Watch Party dos novos episódios às 21h (horário dos EUA), finalizando com um After Show ao vivo após o Talking Dead, por volta das 23h (horário dos EUA). Os fãs poderão assistir e interagir com a comunidade de fãs ao vivo na Twitch, com informações e conteúdo exclusivos dos bastidores.

A AMC está criando uma comunidade de fãs vibrante e interativa, mais uma vez mostrando sua dedicação à franquia The Walking Dead conforme ela continua a crescer e se expandir. David Beck, vice-presidente executivo da AMC e chefe de estratégia de programação, vê o TWDUniverse como uma chance de conectar o fandom e o universo sempre crescente.

LEIA TAMBÉM:
Confira 31 fotos do “último” episódio da 10ª temporada de The Walking Dead

“À medida que a narrativa e os personagens que abrangem The Walking Dead Universe continuam a crescer, o mesmo acontece com as formas inovadoras de alcançar e interagir com os fãs – antigos e novos – nas mídias sociais e em novas plataformas populares como a Twitch”, comenta Beck. “As noites de domingo na Twitch priorizam o público e os fãs, e estamos entusiasmados com esta oportunidade de construir algo novo para fãs apaixonados do Universo The Walking Dead, dando a eles uma nova comunidade para celebrar o universo, canalizar seu entusiasmo e expressar seu amor.”

Uma parceria foi feita entre AMC e o canal da Twitch Hyper RPG para ajudar com as transmissões ao vivo e detalhes técnicos do TWDUniverse. Michael Aragon, vice-presidente sênior de conteúdo da Twitch, observa que essa parceria ajudará a fornecer conteúdo aos fãs da forma como o público deseja vivenciá-lo, com maior interação além de assistir ao programa.

“No Twitch, somos capazes de criar experiências profundamente imersivas que estendem o mundo de The Walking Dead e aprimoram a forma como os fãs interagem com o programa e entre si”, conta Aragon.

Continue lendo

EM ALTA