Siga-nos nas redes sociais

Série

The Walking Dead 8ª Temporada: Perguntas e Respostas com Ross Marquand (Aaron)

Publicado há

em

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do terceiro episódio, S08E03 – “Monsters” (Monstros), da oitava temporada de The Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

Ross Marquand, que interpreta Aaron em The Walking Dead, fala sobre a enorme batalha contra os Salvadores e sobre o que Aaron e Eric representam.

P: Dado tudo que aconteceu até agora, você acha que Aaron se arrependeria de ter trazido o grupo de Rick para Alexandria?

Ross Marquand: [Risos] Quem sabe os Salvadores ou os Lobos teriam encontrado Alexandria por conta própria? Mas parece que o problema segue Rick e seu povo. Pode ser uma possibilidade, mas não acho que é assim que Aaron se sente. Aaron e Eric rastrearam Rick e seu grupo por várias semanas. No final do dia, Aaron é realmente bom em sentir se as pessoas são boas e é o que ele viu nesse grupo. Embora fosse um risco e terminou com ele levando um soco em cinco minutos após conhecê-los, o que se seguiu foi uma ótima relação entre os Alexandrinos e o grupo de Rick. Os Alexandrinos aprenderam a lutar e Rick aprendeu a confiar novamente e a acreditar num futuro. Isso foi o sonho de Alexandria – um retorno à normalidade e à como as coisas eram antes do apocalipse. Eu acho que tem sido uma amizade e vínculo gratificantes. Muitas coisas terríveis aconteceram, mas acho que ambos concordariam que estes são os sacrifícios que você precisa fazer para manter uma comunidade sustentável no futuro.

P: Como foi a filmagem do ataque aos Salvadores? Foi tão elaborado como apareceu na TV?

Ross Marquand: Foram tiros e lutas sem parar durante todo o episódio. Como fã da série, estou ansioso para ver mais disso porque a última temporada foi sobre o grupo tendo sua dignidade e esperança jogadas no lixo. É bom vê-los novamente juntos e agora conseguimos ver esses heróis lutarem. A vitória nunca é tão fácil, mas estamos vendo essas comunidades se juntar para ganhar.

P: Eric é baleado no terceiro episódio e Aaron imediatamente se desculpa por isso. Como você descreveria o peso dessa culpa?

Ross Marquand: Ele se sente massivamente culpado. Eric disse para Aaron: “Não é muito esperto ir para uma batalha armada contra Negan sem recursos ou pessoas para uma vitória certeira”. Esse é o ponto que ele estava tentando chegar o tempo todo… Ele estava tentando ser a voz de razão. Ele também queria matar esse cara, mas apenas se eles tivessem os recursos necessários para tornar isso realidade. Aaron sente uma enorme quantidade de culpa, porque eles finalmente têm a vantagem e as coisas parecem boas, mas mesmo com aquela pequena vitória, eles tiveram muitas vítimas – e a pior delas é a perda de seu namorado.

P: Scott tenta consolar Aaron dizendo: “Não é ele.” Como Aaron leva isso ou percebe quem Eric se tornou?

Ross Marquand: Isso não foi bem um consolo, mas uma declaração de fato. Scott estava tentando dizer: “Você pode seguir essa criatura se quiser. Não é o Eric. Você precisa perceber que o desfecho que você está esperando não virá do zumbi Eric. Seu namorado agora é um zumbi.” É um momento doloroso. Lembro-me de quando filmei e não foi divertido. As lágrimas vieram naturalmente porque realmente gostei de trabalhar com Jordan Woods-Robinson nesses últimos três anos. Nós ficamos muito próximos tanto na tela quanto fora e foi triste tanto para Aaron quanto para mim como ator.

P: Eric representou algo puro neste mundo?

Ross Marquand: Ele representa. Seu amor era muito puro. Às vezes, as pessoas podem ficar muito cansadas neste apocalipse… como o amor não pudesse existir. Eu sempre achei que seu relacionamento era um lembrete que o amor pode existir mesmo nos momentos mais sombrios. Eu acho que a presença e o amor serão muito perdidos na série.

P: Falando em pureza, o que imediatamente liga Aaron ao bebê que Rick encontrou no complexo dos Salvadores?

Ross Marquand: Esta é uma criança que ainda não foi tocada pelos horrores e as duras realidades do mundo. Suas preocupações são apenas “Posso comer e alguém vai trocar minha fralda?” Existe uma espécie de realização existencial quando Eric morre e essa nova vida aparece em sua frente. É uma linda lembrança do ciclo da vida. Ele está nesse furacão de emoção e encontrou essa âncora. A batalha foi conquistada, mas ele perdeu o namorado por conta disso, então não é uma vitória real para ele. Gracie é uma âncora nestes tempos loucos. Ele precisa se dar algum propósito ou algum tipo de missão porque, se ele deixa a emoção dominá-lo, ele não funcionará de forma alguma.

P: Há algo a ser dito sobre morte e nascimento neste apocalipse e como os nossos sobreviventes estão remodelando o mundo para as gerações futuras?

Ross Marquand: Absolutamente. Precisamos nos preocupar com as gerações futuras e manter sociedades e comunidades sustentáveis. Essa é a coisa mais importante. Essa mensagem é repetida porque essa sustentabilidade deve ser protegida a todo custo e temos que lutar por ela. Não podemos viver como cães. É um belo discurso que Rick dá no início da temporada – que, não importa o que aconteça, eles já ganharam porque estão lutando pela humanidade.

The Walking Dead vai ao ar todo domingo, legendado, às 00h30 e toda segunda-feira, dublado, às 22h30, na Fox.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: AMC

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA