Siga-nos nas redes sociais

Série

Jordan Woods-Robinson fala sobre os momentos finais de Eric em The Walking Dead

Fernanda Rochinski

Publicado há

em

Toda guerra tem baixas e a aliança Alexandria-Hilltop-Reino vivenciou sua primeira grande perda da temporada, nesta noite de domingo, quando Eric sucumbiu à ferida da bala da semana passada. As coisas estavam melhorando para o ex-escoteiro de Alexandria, depois de ter levado um tiro ele teve humor suficiente para brincar com Aaron e força para enviar seu namorado de volta à batalha. Mas depois de deixar Eric machucado e encostado contra uma árvore, Aaron voltou mais tarde para encontrá-lo andando para longe como um zumbi.

A Entertainment Weekly conversou com o ator que interpretou Eric, Jordan Woods-Robinson, sobre seu episódio final. Ele compartilha muitas coisas que aconteceram nos bastidores, incluindo o significado por trás de sua frase final, e o fato de que sua cena final foi originalmente filmada sem ele.

Como e quando você soube da morte prematura de Eric?

Jordan Woods-Robinson: Tive a sorte de receber uma ligação muito sincera e íntima do showrunner Scott M. Gimple, e falamos por cerca de 45 minutos. Ele disse: “Infelizmente, chegamos à parte da história em que Eric vai nos deixar. E nós pensamos nisso e é assim que queremos fazê-lo.” Ele falou comigo por um longo período de tempo e você percebe quando fala com Scott ou qualquer outra pessoa que seja criativa no show que todas as decisões são difíceis, e cada decisão que eles tomam é feita com o intuito de contar uma ótima história.

E então Scott me contou sobre a sequência de batalhas. Eu estava filmando o primeiro episódio da temporada quando conversamos, e ele me contou o que iria acontecer no próximo episódio e como estaríamos lutando na locação do satélite, e depois me contou como a cena seria diferente da dos quadrinhos, o que me deixou bem aliviado. Nos quadrinhos, Ezekiel está contando a história sobre como essa batalha começou e quando você vira a página vê uma imagem de página completa, de Eric sendo baleado na cabeça e sua cabeça voando pelo ar e Aaron está atrás dele gritando, e então Rick diz: “Nós não temos tempo”, e eles continuam correndo, e é esse o final de Eric.

Então fiquei muito feliz por darem foco ao relacionamento, e desde o momento em que ele começou a explicar, pensei que seria lindo. Fiquei muito feliz pelo fato do relacionamento ser tão importante e, em muitos aspectos, o relacionamento não deixa de existir.

Vamos falar sobre a evolução de Eric, porque ele originalmente não queria fazer parte da guerra contra Negan. O que você acha que finalmente o levou a mudar de ideia? Tem a ver com o fato de ver seu namorado ser espancado várias vezes?

Jordan Woods-Robinson: Eu acho que foram por alguns motivos. Eu acho que houve uma grande mudança na forma de Eric pensar quando viu o que aconteceu com Sasha. Ela tomou essa iniciativa e ela se sacrificou por um bem maior, sabendo que havia a possibilidade de acabar com Negan no final da temporada passada, mas, se isso não acontecesse, sua ação iria reunir as tropas, levando todos a uma posição em que poderiam dizer que sim, podemos retaliar e vamos lutar.

Então, a morte de Sasha foi para Eric o momento em que ele mudou de ideia, em que ele disse sim, eu vou lutar ao lado de Aaron e eu vou estar lá e vai ser difícil. Mas lutar pelo bem maior acaba com o fato de ficar em Alexandria e protegê-la – e realmente neste momento, há muito pouco para proteger. A história está fora das muralhas alexandrinas, e temos que sair e criar novos caminhos.

Vamos falar sobre essa grande cena entre Eric e Aaron na árvore. Aaron está desnorteado, e Eric é o único com o senso de humor, conversando para acalmá-lo e, em última instância, ordenando que ele volte para a luta. Diga-me como você e Ross Marquand visualizaram fazer essa cena, porque esse foi um grande momento para vocês dois.

Jordan Woods-Robinson: Sim, e eu acho que a cena ficou ótima. Matt Negrete escreveu uma cena maravilhosa para nós e o diretor Greg Nicotero estava lá para transformá-la em realidade. Essa é uma equipe que você sempre pode confiar. E sobre o fato de Eric apoiar Aaron, eu sempre vi isso em Eric, como se ele fosse a primeira dama da Casa Branca.

Aaron está lá na linha de frente tomando decisões difíceis – que seria o presidente nesta analogia – e então eu estou lá quando ele chega em casa, quando ele se sente acabado e completamente sobrecarregado. Eu sou o único que está lá para dar amor e dizer “Você pode fazer isso. Você fará isso. Você tem que fazer isso. As pessoas estão confiando em você.” Senti isso em todo o âmbito do meu personagem. E estou tão feliz de ver que isso aparece tão claramente nessa cena final.

Há uma fala naquela cena, que Ross e eu tínhamos gostado muito, quando ele diz: “Eu te amo”, e Eric diz: “Engraçado, eu sempre achei que você me amava”. É uma fala lindamente escrita e nós inventamos a história que assim foi a primeira vez que falamos “eu te amo” há anos atrás, antes do apocalipse. Nós inventamos a história de que, quando ele disse: “Eu te amo”, eu disse “não é que eu tive um pressentimento sobre isso?”. E então, ao dizer: “Engraçado, eu sempre achei que você me amava” agora, é mais forte do que dizer que eu também te amo. Pois tem um significado só deles.

Isso os leva de volta ao começo do relacionamento, que superou tudo o que passamos. O mundo foi para o inferno, mas nosso relacionamento foi mais forte do que tudo, e essa frase para nós realmente teve um significado muito especial: “E no final das contas é isso que importa.”

Praticamente todas as suas cenas no show foram com Ross. Como foi trabalhar com ele?

Jordan Woods-Robinson: Ah, foi horrível. [Risos] Não, Ross é ótimo. Ele é uma pessoa bem realista, mas também é uma pessoa pensativa, atenciosa, solidária, possivelmente uma das mais que eu já conheci. Foi muito fácil amá-lo e é isso que nos concentramos desde a nossa primeira cena.

E a nossa última cena foi um espelho da primeira cena – de nos encontrarmos e um de nós estar ferido, e eu tendo uma atitude passiva e cômica dizendo que “tudo está bem”. Desde que tivemos a primeira cena, nos reunimos, e dissemos “Olha, este é um relacionamento tão forte e está tão bem escrito. Nós não necessariamente temos que nos concentrar no amor. Podemos nos concentrar na amizade. Que somos verdadeiros amigos, somos realmente parceiros e nos apoiamos, é esta relação que esse casal tem.” Então, foi muito fácil ser amigo de Ross, e ainda considero obviamente um ótimo, ótimo amigo.

Quando Eric envia Aaron de volta à luta, você acha que ele sabe que esse é seu fim?

Jordan Woods-Robinson: Sabia que essa pergunta nunca surgiu? Eu acho que há essa vontade de acreditar que vai ficar tudo bem. Eu vou sobreviver, nós vamos voltar para Hilltop e encontrar um médico que tem o conhecimento para me salvar. E o fato da bala ter saído pelas costas é um bom sinal. Contanto que pare de sangrar e não seja atacado enquanto estou aqui, há uma chance.

Mas, ao mesmo tempo, acho que ele sabe que vai ser o fim. Mas de qualquer maneira, é apenas um momento final tão lindo. E não há um ponto final para o relacionamento. Quando Aaron vai até a árvore para tentar encontrar Eric e ele não está lá, vemos Eric caminhando pelo campo e você ainda pode ver que a relação está viva. Eu acho que isso é igualmente lindo e horrível que Aaron não teve essa chance de dizer adeus. Nós conseguimos uma boa despedida e acho que no final das contas, estávamos preparados para que esse fosse nosso último adeus. Mas então nós o vemos, sem conseguir dar um ponto final, e eu tenho tantos sentimentos contraditórios sobre isso. Eu acho que é tão bonito e tão horrível.

Eu me sinto tão mal por Aaron porque isso é algo que pode acabar com uma pessoa. E veremos nos próximos episódios o personagem lutando com isso – como vimos com o personagem de Lennie James no início da série, quando ele está procurando por sua esposa e se transformou em um homem devastado sem saber o que fazer, porque ele sabe que sua parceira está lá fora, mesmo que não seja a versão real. Mesmo que seja apenas uma imitação, essa pessoa ainda está por aí, andando pelo mundo.

Isso leva a algumas perguntas realmente interessantes em termos do que é pior? Lembro-me de assistir a Daryl ter que matar a versão zumbi de seu irmão, e Spencer ter que fazer isso com sua mãe, Deanna, e você pensa: o que poderia ser pior do que isso? E, talvez o que é pior do que isso é não conseguir fazê-lo.

Jordan Woods-Robinson: Absolutamente. Dói muito saber que a pessoa está lá e que você pode encontrá-la.

Greg Nicotero e seu time colocaram alguma maquiagem de zumbi em você na cena em que você está andando pelo campo?

Jordan Woods-Robinson: Eu estava completamente maquiado como um zumbi naquela cena, acredite ou não. Eles filmaram essa cena com outra pessoa no meu lugar porque eu estava filmando outras coisas e então eles disseram: “Ok, bem, conseguiremos uma pessoa, que será seu dublê e ele vai andar pelo campo.” E depois que isso aconteceu, fiquei um pouco desapontado e acabei mencionando isso algumas vezes e eles acreditavam em mim, e acabaram por filmar a cena novamente comigo nela.

Ninguém mais saberia, exceto agora, ao dizer isso. Ninguém mais saberia que não era eu caminhando pelo campo, mas eu sabia e eles me ouviram e disseram: “Sim, você está certo. Deve ser você na cena.” E então voltamos em outro dia e re-filmamos e isso acalma meu coração. Não é algo que tinham que fazer, mas eles concordaram com isso porque eu realmente queria, sim, sou eu que ando pelo campo. E, o meu rosto está completamente maquiado de zumbi. E sobre as reações de Ross, ao longo do resto do episodio, eu estava lá, afastando-me dele. E pela primeira vez não estarei lá, para apoiá-lo.

O que você vai sentir mais falta sobre trabalhar em The Walking Dead?

Jordan Woods-Robinson: Das pessoas. Todos os dias no set havia muitas piadas. Houve algumas vezes na 7ª temporada quando ficou um pouco tenso e não houve muitas piadas. Mas, além disso, as pessoas estão apenas tendo excelentes conversas. Há um desafio e uma excitação adicional ao trabalhar em projetos de filmes e TV onde você aparece e você trabalha em uma cena por algumas horas e depois passa para a próxima cena. Eu sentia falta de ter esse tempo para conhecer uma família de pessoas ao longo de quatro anos e realmente conseguir criar algo excelente com eles.

The Walking Dead vai ao ar todo domingo, legendado, às 00h30 e toda segunda-feira, dublado, às 22h30, na Fox.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: Entertainment Weekly

Continue lendo
Publicidade
Comentários

10ª Temporada

Leitura de roteiro de The Walking Dead revela reunião de Maggie e Negan

Confira o vídeo legendado da leitura de roteiro de um dos episódios extras da 10ª temporada de The Walking Dead, que vai ao ar no primeiro semestre de 2021.

Rafael Façanha

Publicado há

em

Lauren Cohan (Maggie), Jeffrey Dean Morgan (Negan), Melissa McBride (Carol), Norman Reedus (Daryl), Angel Theory (Kelly), Cassady McClincy (Lydia), Cailey Fleming (Judith) e Khary Payton em vídeo chamada fazendo leitura do roteiro de The Walking Dead

As gravações dos episódios extras da 10ª temporada de The Walking Dead começaram na última semana e a Entertainment Weekly teve acesso a uma leitura de roteiro virtual.

Enquanto Maggie estava feliz em ver pessoas como Gabriel, Aaron e Judith em seu retorno em The Walking Dead, há uma pessoa que sabemos que ela ficará consideravelmente menos emocionada de encontrar – o cara que assassinou seu marido com um taco de beisebol coberto de arame farpado. E você pode ver o início desse encontro no vídeo abaixo mostrando uma parte da leitura do episódio intitulado “Home Sweet Home” (Lar Doce Lar), que irá ao ar no início de 2021.

O table read (leitura do roteiro) mostra Lauren Cohan (Maggie), Jeffrey Dean Morgan (Negan), Melissa McBride (Carol), Norman Reedus (Daryl), Angel Theory (Kelly), Cassady McClincy (Lydia), Cailey Fleming (Judith) e Khary Payton (Ezekiel, que atua como narrador aqui). Confira:

LEIA TAMBÉM:
The Walking Dead S10E16: As teorias mais loucas sobre a identidade do mascarado

Parece que recebemos trechos de duas cenas no vídeo, mostrando o primeiro encontro de Maggie com Negan, bem como uma conversa entre Maggie, Carol e Daryl, na qual Carol conta que deixou Negan sair da prisão e o papel de Negan no ataque à Hilltop.

Após esse vídeo, temos algumas perguntas em aberto: Quem é Elijah? Será que é o guerreiro mascarado que apareceu ao lado de Maggie no episódio “A Certain Doom” ou alguém totalmente diferente? E Maggie está de acordo com o que Carol fez? E Carol vai realmente conseguir tratar Negan como um amigo?

The Walking Dead volta com seis episódios bônus da 10ª temporada no início de 2021.


Legendas por: Thalia Tormes / Equipe The Walking Dead BR

Continue lendo

10ª Temporada

The Walking Dead S10E16: As teorias mais loucas sobre a identidade do mascarado

Quem é o personagem mascarado acompanhado de Maggie em The Walking Dead? Confira 5 teorias tão absurdas que não podem ser verdadeiras

Rafaela Mazulquim

Publicado há

em

personagem mascarado que apareceu no episódio 16 da 10ª temporada de The Walking Dead

Muitos desejos dos fãs de The Walking Dead foram atendidos no episódio “final” da 10ª temporada, “A Certain Doom” (Um Destino Certo). Os Sussurradores foram destruídos de uma vez por todas, Maggie (Lauren Cohan) voltou para salvar o dia e foi revelado que Connie (Lauren Ridloff) está viva.

É claro que mistérios ainda precisam ser desvendados, incluindo um dos maiores recentemente: a chegada de um guerreiro mascarado com Maggie. Quem está por trás daquela máscara? O mistério é tão atraente, que não podemos deixar de entrar na especulação. Aqui estão cinco teorias tão absurdas que não podem ser verdadeiras.

LEIA TAMBÉM:
The Walking Dead S10E16: Quem é o mascarado que estava com Maggie?

A Teoria: Maggie clonou Glenn

Onde quer que Maggie esteja, sua tecnologia está muito além da que os sobreviventes estão trabalhando. Quando Georgie apareceu para atrair Maggie na 9ª temporada, ela tinha alguns esquemas salvos, e uma quantia razoável de combustível e balas em um momento em que as comunidades estavam desesperadamente com falta de ambos.

Porque queremos desesperadamente que essa teoria seja verdadeira: Maggie traria Glenn de volta. Imagine as possibilidades. Quem seria o próximo? Abraham? Sim. Carl? Continue.

Porque esta teoria não pode ser verdadeira: Mesmo com algum grau de avanço tecnológico maior do que Alexandria e o Hilltop, ter gasolina suficiente parece um desafio até mesmo para as sociedades mais avançadas do apocalipse… então a clonagem humana não vai acontecer.

A Teoria: Um Ciborgue

Guerreiros em trajes como esse geralmente são ciborgues. Então isso confere.

Porque queremos desesperadamente que essa teoria seja verdadeira: Adeus problemas com caminhantes.

Porque esta teoria não pode ser verdadeira: Olá problemas com ciborgues.

personagem mascarado que apareceu no episódio A Certain Doom da 10ª temporada de The Walking Dead

A Teoria: Hershel em cima dos ombros de outra criança

Bem, se ele não for o Hershel, então onde está o Hershel exatamente?

Porque queremos desesperadamente que essa teoria seja verdadeira: Por que Maggie não trouxe o Hershel com ela? Vamos lá, é claro que todos querem ele lá.

Porque esta teoria não pode ser verdadeira: Maggie não parece o tipo de pessoa que coloca seu filho em perigo ao trazê-lo para o meio de uma batalha enorme como esta. Além disso, o homem mascarado tinha movimentos incríveis. Não é o tipo de movimento que uma criança em cima de outra criança teria. Acho que teremos que esperar para ver Hershel.

A Teoria: Maggie descobriu como transformar caminhantes em guerreiros

Como já dito anteriormente, nós não sabemos com que tipo de tecnologia a comunidade nova de Maggie está trabalhando. Nós vimos vários grupos experimentando em caminhantes antes…

Porque queremos desesperadamente que essa teoria seja verdadeira: Qual é a arma definitiva em um mundo cercado por caminhantes? Alpha sabia a resposta.

Porque esta teoria não pode ser verdadeira: Não queremos nem pensar sobre as implicações disso. Não mesmo. Seguindo em frente.

A Teoria: O mascarado é o Rick!

Sr. Grimes desapareceu na mesma época que Maggie, não foi?

Porque queremos desesperadamente que essa teoria seja verdadeira: Dois heróis antigos voltando para salvar o dia é melhor do que um.

Porque esta teoria não pode ser verdadeira: Rick foi levado em um helicóptero por Jadis e o CRM. Além disso, Maggie provavelmente teria mencionado em uma de suas cartas para Michonne que ela estava com o marido da sua velha amiga.

Tem outra teoria maluca sobre a identidade do mascarado? Compartilhe conosco nos comentários abaixo!

Continue lendo

10ª Temporada

The Walking Dead evita morte terrível da HQ com resgate de última hora

Retorno de Maggie foi responsável por evitar a morte que estava praticamente certa no “último” episódio da 10ª temporada de The Walking Dead.

Rafaela Mazulquim

Publicado há

em

gabriel segurando uma arma em imagem do 16º episódio da 10ª temporada de The Walking Dead

The Walking Dead termina a Guerra dos Sussurradores sem perdas significativas dos sobreviventes no final da 10ª temporada, onde um resgate de última hora de Maggie (Lauren Cohan) poupa o Padre Gabriel (Seth Gilliam) de sua terrível morte dos quadrinhos.

Em “A Certain Doom” (Um Destino Certo), o padre se prepara para encontrar seu criador quando Beta (Ryan Hurst) chega no esconderijo da torre do hospital do grupo com uma horda de zumbis de proporções bíblicas.

Enquanto Daryl (Norman Reedus) e uma tropa de heróis travam guerra com o exército de Beta do lado de fora, Gabriel é derrotado e quase morto por Sussurradores invasores nos andares superiores da torre quando Maggie chega atirando com seu arco e flecha e um lutador mascarado.

Na edição nº 158 da HQ de The Walking Dead, Gabriel atua como vigia no topo de uma torre de água quando avista a horda dos Sussurradores avançando em direção aos sobreviventes. Descendo a escada da torre em pânico, Gabriel escorrega e fica pendurado indefeso com um tornozelo quebrado. Beta sai da horda com uma lâmina e acerta Gabriel, avisando que ele “deveria ter sussurrado”. Uma multidão de caminhantes come Gabriel vivo, deixando-o uma casca de ossos apanhados.

“Foi incrível. Foi um momento tão divertido”, disse Cohan no Talking Dead sobre salvar Gabriel da morte certa na hora exata. “As pessoas que conhecem os quadrinhos sabem que é assim que o padre Gabriel deve morrer, então o fato de haver esse grande momento de última hora é muito emocionante.”

Cohan só ficou sabendo que Maggie resgataria Gabriel das garras dos Sussurradores quando ela leu o roteiro.

“Para mim, ler o roteiro e meio que chegar a esse ponto… eu não tinha ideia do que iria acontecer e como eu voltaria. E do jeito que aconteceu, me deu arrepios”, disse Cohan. “Falei com Angela [Kang, showrunner] e perguntei, ‘Posso ter uma nova arma ou algumas novas habilidades do meu tempo longe?’ E era uma pessoa [risos]. Adorei que foi uma arma humana viva.”

Gilliam acrescentou, “Eu fiquei muito feliz por Maggie ter voltado. Fiquei mais feliz por ela ter voltado quando ela voltou [risos]. Se ela tivesse voltado talvez três dias depois, eu não sei o quão feliz eu ficaria pela Maggie ter voltado [risos].”

The Walking Dead volta com seis episódios bônus da 10ª temporada no início de 2021.

Continue lendo

EM ALTA