Siga-nos nas redes sociais

Série

Jordan Woods-Robinson fala sobre os momentos finais de Eric em The Walking Dead

Fernanda Rochinski

Publicado há

em

Toda guerra tem baixas e a aliança Alexandria-Hilltop-Reino vivenciou sua primeira grande perda da temporada, nesta noite de domingo, quando Eric sucumbiu à ferida da bala da semana passada. As coisas estavam melhorando para o ex-escoteiro de Alexandria, depois de ter levado um tiro ele teve humor suficiente para brincar com Aaron e força para enviar seu namorado de volta à batalha. Mas depois de deixar Eric machucado e encostado contra uma árvore, Aaron voltou mais tarde para encontrá-lo andando para longe como um zumbi.

A Entertainment Weekly conversou com o ator que interpretou Eric, Jordan Woods-Robinson, sobre seu episódio final. Ele compartilha muitas coisas que aconteceram nos bastidores, incluindo o significado por trás de sua frase final, e o fato de que sua cena final foi originalmente filmada sem ele.

Como e quando você soube da morte prematura de Eric?

Jordan Woods-Robinson: Tive a sorte de receber uma ligação muito sincera e íntima do showrunner Scott M. Gimple, e falamos por cerca de 45 minutos. Ele disse: “Infelizmente, chegamos à parte da história em que Eric vai nos deixar. E nós pensamos nisso e é assim que queremos fazê-lo.” Ele falou comigo por um longo período de tempo e você percebe quando fala com Scott ou qualquer outra pessoa que seja criativa no show que todas as decisões são difíceis, e cada decisão que eles tomam é feita com o intuito de contar uma ótima história.

E então Scott me contou sobre a sequência de batalhas. Eu estava filmando o primeiro episódio da temporada quando conversamos, e ele me contou o que iria acontecer no próximo episódio e como estaríamos lutando na locação do satélite, e depois me contou como a cena seria diferente da dos quadrinhos, o que me deixou bem aliviado. Nos quadrinhos, Ezekiel está contando a história sobre como essa batalha começou e quando você vira a página vê uma imagem de página completa, de Eric sendo baleado na cabeça e sua cabeça voando pelo ar e Aaron está atrás dele gritando, e então Rick diz: “Nós não temos tempo”, e eles continuam correndo, e é esse o final de Eric.

Então fiquei muito feliz por darem foco ao relacionamento, e desde o momento em que ele começou a explicar, pensei que seria lindo. Fiquei muito feliz pelo fato do relacionamento ser tão importante e, em muitos aspectos, o relacionamento não deixa de existir.

Vamos falar sobre a evolução de Eric, porque ele originalmente não queria fazer parte da guerra contra Negan. O que você acha que finalmente o levou a mudar de ideia? Tem a ver com o fato de ver seu namorado ser espancado várias vezes?

Jordan Woods-Robinson: Eu acho que foram por alguns motivos. Eu acho que houve uma grande mudança na forma de Eric pensar quando viu o que aconteceu com Sasha. Ela tomou essa iniciativa e ela se sacrificou por um bem maior, sabendo que havia a possibilidade de acabar com Negan no final da temporada passada, mas, se isso não acontecesse, sua ação iria reunir as tropas, levando todos a uma posição em que poderiam dizer que sim, podemos retaliar e vamos lutar.

Então, a morte de Sasha foi para Eric o momento em que ele mudou de ideia, em que ele disse sim, eu vou lutar ao lado de Aaron e eu vou estar lá e vai ser difícil. Mas lutar pelo bem maior acaba com o fato de ficar em Alexandria e protegê-la – e realmente neste momento, há muito pouco para proteger. A história está fora das muralhas alexandrinas, e temos que sair e criar novos caminhos.

Vamos falar sobre essa grande cena entre Eric e Aaron na árvore. Aaron está desnorteado, e Eric é o único com o senso de humor, conversando para acalmá-lo e, em última instância, ordenando que ele volte para a luta. Diga-me como você e Ross Marquand visualizaram fazer essa cena, porque esse foi um grande momento para vocês dois.

Jordan Woods-Robinson: Sim, e eu acho que a cena ficou ótima. Matt Negrete escreveu uma cena maravilhosa para nós e o diretor Greg Nicotero estava lá para transformá-la em realidade. Essa é uma equipe que você sempre pode confiar. E sobre o fato de Eric apoiar Aaron, eu sempre vi isso em Eric, como se ele fosse a primeira dama da Casa Branca.

Aaron está lá na linha de frente tomando decisões difíceis – que seria o presidente nesta analogia – e então eu estou lá quando ele chega em casa, quando ele se sente acabado e completamente sobrecarregado. Eu sou o único que está lá para dar amor e dizer “Você pode fazer isso. Você fará isso. Você tem que fazer isso. As pessoas estão confiando em você.” Senti isso em todo o âmbito do meu personagem. E estou tão feliz de ver que isso aparece tão claramente nessa cena final.

Há uma fala naquela cena, que Ross e eu tínhamos gostado muito, quando ele diz: “Eu te amo”, e Eric diz: “Engraçado, eu sempre achei que você me amava”. É uma fala lindamente escrita e nós inventamos a história que assim foi a primeira vez que falamos “eu te amo” há anos atrás, antes do apocalipse. Nós inventamos a história de que, quando ele disse: “Eu te amo”, eu disse “não é que eu tive um pressentimento sobre isso?”. E então, ao dizer: “Engraçado, eu sempre achei que você me amava” agora, é mais forte do que dizer que eu também te amo. Pois tem um significado só deles.

Isso os leva de volta ao começo do relacionamento, que superou tudo o que passamos. O mundo foi para o inferno, mas nosso relacionamento foi mais forte do que tudo, e essa frase para nós realmente teve um significado muito especial: “E no final das contas é isso que importa.”

Praticamente todas as suas cenas no show foram com Ross. Como foi trabalhar com ele?

Jordan Woods-Robinson: Ah, foi horrível. [Risos] Não, Ross é ótimo. Ele é uma pessoa bem realista, mas também é uma pessoa pensativa, atenciosa, solidária, possivelmente uma das mais que eu já conheci. Foi muito fácil amá-lo e é isso que nos concentramos desde a nossa primeira cena.

E a nossa última cena foi um espelho da primeira cena – de nos encontrarmos e um de nós estar ferido, e eu tendo uma atitude passiva e cômica dizendo que “tudo está bem”. Desde que tivemos a primeira cena, nos reunimos, e dissemos “Olha, este é um relacionamento tão forte e está tão bem escrito. Nós não necessariamente temos que nos concentrar no amor. Podemos nos concentrar na amizade. Que somos verdadeiros amigos, somos realmente parceiros e nos apoiamos, é esta relação que esse casal tem.” Então, foi muito fácil ser amigo de Ross, e ainda considero obviamente um ótimo, ótimo amigo.

Quando Eric envia Aaron de volta à luta, você acha que ele sabe que esse é seu fim?

Jordan Woods-Robinson: Sabia que essa pergunta nunca surgiu? Eu acho que há essa vontade de acreditar que vai ficar tudo bem. Eu vou sobreviver, nós vamos voltar para Hilltop e encontrar um médico que tem o conhecimento para me salvar. E o fato da bala ter saído pelas costas é um bom sinal. Contanto que pare de sangrar e não seja atacado enquanto estou aqui, há uma chance.

Mas, ao mesmo tempo, acho que ele sabe que vai ser o fim. Mas de qualquer maneira, é apenas um momento final tão lindo. E não há um ponto final para o relacionamento. Quando Aaron vai até a árvore para tentar encontrar Eric e ele não está lá, vemos Eric caminhando pelo campo e você ainda pode ver que a relação está viva. Eu acho que isso é igualmente lindo e horrível que Aaron não teve essa chance de dizer adeus. Nós conseguimos uma boa despedida e acho que no final das contas, estávamos preparados para que esse fosse nosso último adeus. Mas então nós o vemos, sem conseguir dar um ponto final, e eu tenho tantos sentimentos contraditórios sobre isso. Eu acho que é tão bonito e tão horrível.

Eu me sinto tão mal por Aaron porque isso é algo que pode acabar com uma pessoa. E veremos nos próximos episódios o personagem lutando com isso – como vimos com o personagem de Lennie James no início da série, quando ele está procurando por sua esposa e se transformou em um homem devastado sem saber o que fazer, porque ele sabe que sua parceira está lá fora, mesmo que não seja a versão real. Mesmo que seja apenas uma imitação, essa pessoa ainda está por aí, andando pelo mundo.

Isso leva a algumas perguntas realmente interessantes em termos do que é pior? Lembro-me de assistir a Daryl ter que matar a versão zumbi de seu irmão, e Spencer ter que fazer isso com sua mãe, Deanna, e você pensa: o que poderia ser pior do que isso? E, talvez o que é pior do que isso é não conseguir fazê-lo.

Jordan Woods-Robinson: Absolutamente. Dói muito saber que a pessoa está lá e que você pode encontrá-la.

Greg Nicotero e seu time colocaram alguma maquiagem de zumbi em você na cena em que você está andando pelo campo?

Jordan Woods-Robinson: Eu estava completamente maquiado como um zumbi naquela cena, acredite ou não. Eles filmaram essa cena com outra pessoa no meu lugar porque eu estava filmando outras coisas e então eles disseram: “Ok, bem, conseguiremos uma pessoa, que será seu dublê e ele vai andar pelo campo.” E depois que isso aconteceu, fiquei um pouco desapontado e acabei mencionando isso algumas vezes e eles acreditavam em mim, e acabaram por filmar a cena novamente comigo nela.

Ninguém mais saberia, exceto agora, ao dizer isso. Ninguém mais saberia que não era eu caminhando pelo campo, mas eu sabia e eles me ouviram e disseram: “Sim, você está certo. Deve ser você na cena.” E então voltamos em outro dia e re-filmamos e isso acalma meu coração. Não é algo que tinham que fazer, mas eles concordaram com isso porque eu realmente queria, sim, sou eu que ando pelo campo. E, o meu rosto está completamente maquiado de zumbi. E sobre as reações de Ross, ao longo do resto do episodio, eu estava lá, afastando-me dele. E pela primeira vez não estarei lá, para apoiá-lo.

O que você vai sentir mais falta sobre trabalhar em The Walking Dead?

Jordan Woods-Robinson: Das pessoas. Todos os dias no set havia muitas piadas. Houve algumas vezes na 7ª temporada quando ficou um pouco tenso e não houve muitas piadas. Mas, além disso, as pessoas estão apenas tendo excelentes conversas. Há um desafio e uma excitação adicional ao trabalhar em projetos de filmes e TV onde você aparece e você trabalha em uma cena por algumas horas e depois passa para a próxima cena. Eu sentia falta de ter esse tempo para conhecer uma família de pessoas ao longo de quatro anos e realmente conseguir criar algo excelente com eles.

The Walking Dead vai ao ar todo domingo, legendado, às 00h30 e toda segunda-feira, dublado, às 22h30, na Fox.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: Entertainment Weekly

Continue lendo
Publicidade
Comentários

10ª Temporada

Sobrenome de Negan é revelado no final da 10ª temporada de The Walking Dead

Episódio “Here’s Negan” da 10ª temporada de The Walking Dead revelou com exclusividade o sobrenome de Negan (Jeffrey Dean Morgan).

Gina Machado

Publicado há

em

Negan jogando videogame em flashback mostrado no episódio Here's Negan da 10ª temporada de The Walking Dead

The Walking Dead revelou o sobrenome de Negan (Jeffrey Dean Morgan) no episódio “Here’s Negan” – e é um sobrenome que o criador Robert Kirkman revelou brincando anos antes.

Quando o ex-líder dos Salvadores é exilado para uma cabana longe de Alexandria, onde Maggie Rhee (Lauren Cohan) agora vive com seu filho Hershel (Kien Michael Spiller), ele se lembra de sua falecida esposa Lucille (Hilarie Burton Morgan) enquanto reflete sobre os eventos que o levaram até este ponto. Quando ele tem um flashback de 12 anos antes, ele relembra de sua vida pré-apocalipse como um professor de ginástica escolar desbocado: o treinador Negan Smith.

Em “Here’s Negan“, o sobrenome Smith aparece na caixa de correio do lado de fora da casa de Negan e Lucille. Uma olhada mais de perto na coleção de troféus esportivos mostra um prêmio concedido a Negan Smith. (Exibido atrás do troféu está uma flâmula do Saviors Athletics, um easteregg que dá o nome aos Salvadores de Negan.)

Quando Morgan e Kirkman foram questionados sobre a revelação do nome completo de Negan durante uma aparição conjunta em uma convenção em 2018, Kirkman disse que não havia dado um sobrenome ao personagem. “Ele não tem sobrenome. É como Madonna, Cher e Negan”, acrescentou Morgan, que brincou que o nome completo do personagem é “Negan Babaca”.

Troféus de Negan que revelam o sobrenome do personagem no episódio "Here's Negan" da 10ª temporada de The Walking Dead

LEIA TAMBÉM:
Revelada data de estreia da 11ª temporada de The Walking Dead

“Eu faço coisas para me entreter que, então, quando o quadrinho vira um programa de TV, é super estranho. Mas eu só acho engraçado não dar sobrenomes aos personagens porque, eu não sei, é interessante para mim”, Kirkman disse na época. “Mas quando estou em casa e escrevendo, fico tipo, ‘Não estou fazendo isso’, porque você tem que fazer uma lista de nomes e escolher um e nunca é interessante.”

Kirkman confirmou que Negan é “definitivamente um primeiro nome” antes de sugerir casualmente um sobrenome improvisado: “Seu sobrenome é Smith, vamos lá. Esse é um bom nome?”

O criador de The Walking Dead revelou anteriormente a origem do nome de Negan em um episódio de Talking Dead de 2016, explicando que ele queria que o nome do vilão “soasse negativo”.

“Eu gosto de inventar nomes que não são realmente nomes, e então eu procuro no Google e fico tipo, ‘Ah, sim, alguém tem esse nome’, o que acontece de vez em quando”, disse Kirkman. “Eu só queria que o nome soasse negativo de alguma forma, então eu o chamei de ‘Nagus’ por um longo tempo, o que pensei ser apenas uma palavra que tirei do nada, mas aparentemente é como o líder Ferengi… no Star Trek: Deep Space Nine. Então eu pensei, ‘Bem, eu não posso chamá-lo de Nagus.’ Então eu disse ‘Negan, parece ótimo.'”

Continue lendo

11ª Temporada

Revelada data de estreia da 11ª temporada de The Walking Dead

The Walking Dead retorna em Agosto para a última temporada, que contará com 24 episódios e deve ser dividida em 3 partes.

Rafael Façanha

Publicado há

em

Logo da 11ª temporada de The Walking Dead com algumas cenas chaves dos novos episódios mostrado no teaser.

O início do fim. The Walking Dead se encaminha para sua última temporada e ontem (04/04), logo após a exibição do episódio final dos extras, a AMC revelou a aguardada data de estreia da 11ª temporada.

Diferente dos anos anteriores e para a alegria dos fãs, The Walking Dead retornará mais cedo este ano: 22 de Agosto de 2021. Além disso, a temporada contará com um total de 24 episódios, que muito provavelmente serão divididos em três partes.

Na última temporada, Daryl (Norman Reedus), Carol (Melissa McBride) e Maggie (Lauren Cohan) devem encontrar uma maneira de conviver com Negan (Jeffrey Dean Morgan) após a derrota dos Sussurradores. Enquanto os sobreviventes reconstroem Alexandria, Eugene (Josh McDermitt), Ezekiel (Khary Payton), Yumiko (Eleanor Matsuura) e a Princesa (Paola Lázaro) estão em uma missão para fazer contato com uma nova comunidade que expandirá ainda mais o universo de The Walking Dead.

“As apostas serão altas – veremos mais zumbis, toneladas de ação, novas histórias intrigantes, locais nunca antes vistos e nossos grupos juntos em uma comunidade pela primeira vez, tentando reconstruir o que os Sussurradores tiraram deles.”, disse Angela Kang (showrunner e produtora executiva) sobre a 11ª temporada de The Walking Dead.

Norman Reedus, Melissa McBride, Lauren Cohan, Christian Serratos, Josh McDermitt, Seth Gilliam, Ross Marquand, Khary Payton e Jeffrey Dean Morgan voltam ao lado de Callan McAuliffe, Eleanor Matsuura, Cooper Andrews, Nadia Hilker, Cailey Fleming, Cassady McClincy, Dan Fogler, Angel Theory e Lauren Ridloff.

Os novos membros do elenco incluem Margot Bingham como Stephanie, a voz no rádio de Eugene, e Michael James Shaw como Mercer, um membro do alto escalão dos soldados de Commonwealth (Império). Também teremos o retorno de Okea Eme-Akwari e James Devoti como Elijah e Cole, respectivamente, membros do grupo de Maggie que foram introduzidos nos episódios extras da 10ª temporada.

Quais as suas expectativas para a 11ª temporada? Quais as suas teorias? Deixe todos os seus pensamentos nos comentários abaixo!

Continue lendo

Destaque

CRÍTICA | The Walking Dead S10E22 – “Here’s Negan”: Ele voltou?

Here’s Negan foi o vigésimo segundo episódio da décima temporada de The Walking Dead. Veja a nossa crítica ao episódio e discuta conosco.

Avatar

Publicado há

em

Negan procurando Lucille e um zumbi de fundo em imagem da 10ª temporada de The Walking Dead

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do vigésimo segundo episódio, S10E22 – “Here’s Negan”, da décima temporada de The Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

Talvez o mais esperado entre os episódios extras desta décima temporada de The Walking Dead, “Here’s Negan” contou com riqueza de detalhes a origem de Negan, nos mostrou a Lucille original, homenageada no famoso taco de baseball e, de quebra, deixou uma pulga atrás da orelha dos espectadores na cena final: Negan voltou?

Talvez o fato mais simbólico deste episódio tenha sido o nascimento e a morte do vilão estarem relacionados à Lucille: quando ele ganha a arma de madeira e, anos mais tarde, quando ele se despede de vez do taco e, subjetivamente, da esposa. As chamas que queimaram a casa onde ele morava com Lucille – e onde ele deixou o corpo transformado – também representam o início do Negan do mal, que sente raiva e desejo de vingança que, segundo ele, são representados pela cor vermelha – cor que queima como o fogo. Este mesmo fogo bota fim ao taco e representa a despedida definitiva de Lucille (das duas) e o suposto renascimento do implacável líder dos Salvadores.

O que a história de Negan deixa para a 11ª temporada promete: o embate dele com Maggie. A viúva segue cheia de desejo de vingança e vai para cima do inimigo na primeira chance que tiver, agora que ele decidiu voltar para Alexandria. A decisão de Carol e do conselho da comunidade em banir Negan visava apenas protegê-lo e deixar o ambiente confortável para que Maggie pudesse voltar para o local. Agora que os dois serão vizinhos, a coisa tende a estourar.

Flashbacks: o taco e a jaqueta

A forma que The Walking Dead escolheu para contar a história de Negan e Lucille não poderia ser melhor. Um capítulo muito bem produzido e conduzido – talvez o melhor destes seis episódios bônus – e que preenche lacunas que antes deixavam o passado do vilão obscuro. Negan amou a esposa, principalmente nos momentos finais da vida dela, quando fez de tudo para mantê-la viva, buscando tratamento para o câncer da amada mesmo no colapso do mundo. No meio do caminho, ele encontra dois dos objetos que vão marcar sua trajetória como vilão.

Para conhecermos a história completa precisamos passar por três flashbacks. O primeiro quando Negan está rendido pelo que parece ser uma gangue de motociclistas que quer saber aonde ele consegue medicamentos que são tão difíceis de serem encontrados no apocalipse. As primeiras vítimas do Negan sombrio virão deste grupo.

O segundo flashback é o que nos mostra quem tanto queríamos ver. Lucille, interpretada pela esposa de Jeffrey Dean Morgan na vida real (Hilarie Burton), já doente, tem uma relação amorosa com o marido, que faz tudo por ela no momento de maior necessidade, mas ambos sabem que o passado não o favorece. Talvez para compensar o mal que causou à esposa, Negan corre atrás de medicamentos com um grupo liderado por um médico que tem acesso aos remédios que ele precisa e está disposto a ceder o tratamento que Lucille precisa.

A primeira surpresa do episódio aparece quando Negan tenta roubar os remédios e é nocauteado por Laura, que, mais tarde, seria uma da fieis escudeiras do líder dos Salvadores. A arma utilizada? O taco de baseball, dado por ela para que o novo aliado se protegesse da gangue que tomava conta das estradas à noite. A mesma gangue que o renderia para saber a origem dos remédios.

Já a jaqueta é um presente de Lucille, mas que havia sido comprada pelo próprio Negan, o que nos leva para o terceiro flashback do episódio, que ocorre antes do fim do mundo, em um raro gesto da série em mostrar o mundo como era antes do apocalipse. Mesmo desempregado, ele comprou o item por 600 dólares prometendo à esposa ter um plano para ganhar dinheiro. Talvez o gesto seja uma introdução à personalidade do Negan pré-apocalipse: um homem aparentemente irresponsável que, além de tudo, ainda traía a esposa.

A descoberta ocorre justamente no momento em que Lucille, sozinha, descobre que tem câncer. Ela liga para o marido e para a melhor amiga, mas os dois não a atendem e ela tem a primeira pista de que os dois tinham um caso. O fato, no entanto, só é revelado por ela quando os dois estão decidindo se Negan deve sair em busca dos medicamentos necessários para a quimioterapia, já no apocalipse.

É a morte de Lucille, afinal, que faz nascer o Negan do mal. Ao retornar ao acampamento dos motociclistas para salvar Laura e o pai e vingar a morte da esposa, ele já apresenta todos os trejeitos daquele que fundaria, mais tarde, os Salvadores. Lucille, agora representada pelo taco de baseball, começa a fazer suas primeiras vítimas poucas horas após a morte daquela de sua xará, e aqui é interessante notar que a primeira vítima da arma foi um segurança aleatório do acampamento, e não a Lucille original, como ficou perto de acontecer. Negan não teve coragem de matar a esposa com suas próprias mãos, e preferiu botar fogo na casa onde eles moravam. Ele põe fim à Lucille, de fato, já nos dias atuais, quando queima e Lucille de madeira se despedindo e pedindo perdão à esposa.

De volta a Alexandria

A despedida definitiva de Lucille pode representar, sim, um possível retorno do Negan que conhecemos, mas também pode ter outros significados. Sem o taco, o personagem pode ter simplesmente morrido, ficado nas chamas, e agora ele quer se redimir com Maggie e buscar seu espaço dentro da comunidade. Se não conseguir, ele provavelmente vai morrer pelas mãos da viúva. Neste caso, Negan provavelmente julga que não tem mais nada a perder.

Fato é que o embate entre os dois ficará entre os momentos mais esperados da décima primeira temporada. Como ela vai confrontá-lo? Como ele vai tentar mudar a cabeça dela? Vamos ter que esperar para descobrir.

E você, o que achou de “Here’s Negan”, o vigésimo segundo episódio da décima temporada de The Walking Dead? Deixe sua opinião nos comentários e vote na enquete abaixo!

Continue lendo

EM ALTA