Siga-nos nas redes sociais

Entrevista

The Walking Dead 4ª Temporada: Gale Anne Hurd fala sobre a grande audiência, Caryl e Patrick Zumbi

Publicado há

em

Quando o elenco e a equipe de The Walking Dead souberam dos excelentes índices de audiência da première de sua quarta temporada (16.1 milhões), houve um dos membros da equipe que não estava disponível para celebrar – Violet, a porca.

“Sabe, a Violet não está muito bem.”, Gale Anne Hurd, a produtora executiva da série, contou para o Access Hollywood, sobre a porca rosada que não conseguiu chegar viva ao final do episódio “30 Days Without an Accident” (30 Dias sem Acidentes). “Nós talvez precisemos ter um ‘jantar da morte’ para ela.”

O resto da equipe, contudo, estava muito, muito satisfeito.

“Todos ficaram absolutamente loucos.”, Gale contou ao Access, “Nós somos tão próximos, inclusive as pessoas que não participam mais da série… Todos disseram, independente de quais sejam os índices, ‘Essa é a melhor experiência da minha vida, e todos somos a família ‘The Walking Dead’. E então, quando soubemos sobre os índices, foi a cereja do bolo.”

Numa entrevista com o Access, Gale falou mais sobre os grandes índices – inclusive o que ela achou sobre a expressiva audiência na faixa de 18 a 49 anos – e acrescentou alguns dos grandes desenvolvimentos da première, como Patrick transformando-se em zumbi e Carol (Melissa McBride) chamando Daryl Dixon (Norman Reedus) de “Pookie.”

AccessHollywood.com: Quando você soube que havia 10.4 milhões de espectadores que assistiram à première da quarta temporada no grupo de 18-49 anos, foi um momento meio surreal?

Gale Anne Hurd: Tudo em relação a The Walking Dead, eu acredito, tem sido surreal desde o início, mas isso certamente nos pegou de surpresa. Nós estamos muito agradecidos. Continuamos dizendo que nós temos os melhores fãs do mundo e eles continuam provando, cada vez mais, que são os melhores fãs.

Access: Algumas pessoas em nosso escritório estavam imaginando se os índices aumentaram um pouco mais por causa das pessoas que divulgavam, de boca em boca, e, com uma nova temporada, temos novos membros.

Gale: Acho que sim e também, imagino que talvez haja mais gente assistindo porque continuo ouvindo que eles fazem festas para assistir aos episódios de The Walking Dead, e convidam 6, 7, 8, 9, 10 pessoas para assistir. Mas… é um fenômeno. Eu atribuo tudo isso aos fãs, porque eles falam para seus amigos, sua família, seus colegas de trabalho sobre assistir à série, dizendo, ‘Confie em mim. Assista ao primeiro episódio. Se você não gostar, tudo bem. Você não precisa assistir mais, quem não arrisca, não petisca.’ E isso, eu acho, como as pessoas ficam viciadas e, felizmente, têm tempo o suficiente para acompanhar os episódios mais antigos, e acredito que a AMC faz um trabalho fantástico antes de cada temporada e antes da midseason première, eles tendem a fazer maratonas, para que você possa se atualizar, assistindo pela AMC.

Access: Obviamente, nós temos a doença da vaca louca em nosso mundo. Pensando na Violet, a porca, durante o episódio 4×01, nós deveríamos ficar preocupados com uma doença da porca louca no mundo de The Walking Dead, que tenha alguma coisa a ver com o que está havendo?

Gale: A única questão a respeito disso é que não há as instalações médicas que nós conhecemos. O CDC não existe mais. Então, como os personagens do nosso seriado, nós provavelmente teremos que descobrir o que está havendo e o que há lá fora, porque não há como rastrear os patógenos e descobrir a etiologia deles.

Access: Na Comic-Con, muitos atores disseram aos fãs que nós conheceríamos os personagens de novas maneiras nessa temporada. E uma das coisas que nós vimos no primeiro episódio foi a Carol chamando o Daryl de “Pookie”.

Gale: Sim! Os fãs de Caryl estavam lá… eles ‘se iluminaram’ no Twitter nesse momento.

Access: Os outros do acampamento vêem uma relação entre esses dois?

Gale: Eles têm um laço inacreditável. Eles entendem um ao outro. Entendem mesmo, porque ambos têm histórias de abuso e sobreviveram a elas e sabem que podem confiar um no outro, então eles têm esse laço, independente de ser uma ligação entre irmãos ou mais do que isso, é uma relação, definitivamente, muito forte.

Access: Na season premiere, Carol estava dando uma aula sobre facas e Daryl tinha se tornado um rock star. O que veremos dos dois futuramente?

Gale: Nessa temporada, nós iremos apresentar não só Carol e Daryl muito mais e analisar profundamente ambos, mas também personagens como Tyreese e personagens como Sasha, de um modo que não tivemos a oportunidade de fazer nas temporadas anteriores… Ao mesmo tempo, ainda que tenhamos essas interações íntimas, nós também temos peças épicas para mostrar. O número de #RainingWalkers’ ou ‘#RainingMen’ que apareceu no twitter também foi algo assim, mas Greg Nicotero e a sua equipe de efeitos especiais da KNB realmente se superou na composição da ameaça zumbi nessa temporada.

Access: Rick e Michonne – as pessoas ficaram se perguntando sobre a primeira interação deles nessa temporada. Nós teremos ‘Richonne’?

Gale: Não posso te contar isso (risos). É também porque, muitas das pessoas leram os quadrinhos, então, às vezes, eles assumem coisas que nós, de fato, fazemos e, outras vezes, coisas que não estão necessariamente nos planos, pelo menos, não imediatamente, então veremos em qual dos casos isso se encaixa.

Access: Quais dicas você pode dar sobre como a situação ficará ruim agora que temos Patrick transformado em zumbi?

Gale: Bem, sim, e ele está em um pavilhão trancado e muitas das pessoas não estão trancadas. Então, literalmente, acho que muitas pessoas estarão em perigo.

Access: Ele parecia tão fofo.

Gale: Ele é, e eu sei que muitos atores no set que tinham filhos pequenos estavam quase deslumbrados com ele devido à participação em ‘Phineas and Ferb’.

Access: Eles pediram ao Vincent Martella, que interpretava o Patrick, para ligar para as crianças?

Gale: Deve haver mensagens animadas no celulares deles gravadas pelo Vincent.

Access: O que nós podemos esperar do retorno do Governador? Ele estava totalmente louco da última vez que o vimos.

Gale: Isso é o que teremos que ver. Ele ainda está nesse estado de espírito? Ele está literalmente no modo de vingança ou tentando resgatar sua humanidade, e, caso esteja, isso é sequer possível?

Access: Além de ‘The Walking Dead’, você está trabalhando numa série chamada ‘Horizon’ (para os EUA). Fiquei sabendo que ela envolve um mistério e a Segunda Guerra Mundial. O que te levou a participar dela?

Gale: Um roteiro fantástico com personagens marcantes e complexos, em um mundo que eu amo, absolutamente. Obviamente, nesse mundo pós-apocalíptico, você tem muitos riscos, mas você também os têm num período de guerras. E é ambientado em 1942, na Segunda Guerra… É um suspense dramático, com um elemento de ficção científica que o perpassa.

Access: O figurino deve ser incrível.

Gale: Oh, meu Deus! O figurino! Eu queria levar as roupas para casa. A maioria das fotos que você vê da Segunda Guerra Mundial, dos anos 40, é preto e branco, e você não percebe simplesmente o quanto era colorido e como as pessoas ficavam lindas usando essas roupas. Estou muito, muito, muito feliz… Foi escrita por Bridget Tyler, que é nossa showrunner, e ela participou de ‘Burn Notice’, e o diretor é Yves Simoneau, que dirigiu o episódio piloto de ‘The 4400’ e de ‘V’.

Access: E você tem Cary no elenco.

Gale: Cary Elwes! Uma das minhas pessoas favoritas.

Access: Quantas vezes você viu ‘A Princesa Prometida’?

Gale: Muitas, porque era o filme preferido da minha família, e ela o cita na sua página do facebook.

The Walking Dead vai ao ar nos domingos às 23h (Horário brasileiro de verão) na AMC e às terças-feiras às 22:30 na FOX.


Fonte: Access Hollywood
Tradução: Lalah / Staff Walking Dead Brasil

Publicidade
Comentários

EM ALTA