Siga-nos nas redes sociais

TWD World Beyond

CRÍTICA | TWD World Beyond S02E07 – “Blood and Lies”: Ratos e Ultimatos

Blood and Lies foi o sétimo episódio da 2ª temporada de The Walking Dead: World Beyond. Veja a nossa crítica ao episódio.

Publicado há

 

em

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do sétimo episódio, S02E07 – “Blood and Lies”, da 2ª temporada de The Walking Dead: World Beyond. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

O sétimo episódio da segunda temporada de TWD: World Beyond, intitulado “Blood and Lies” (“Sangue e Mentiras”), responde às dúvidas – várias vezes – e mantém uma narrativa tensa que faz muito bem a série. Ninguém está seguro nessa reta final.

Iniciamos o episódio com Leo (Joe Holt) analisando o frasco roubado por Felix (Nico Tortorella) do laboratório de Lyla (Natalie Gold). E enquanto vemos o processo de análise, também acompanhamos Lyla iniciando seus experimentos com o soldado Barca (Al Calderon). Em “Blood and Lies” descobrimos o que exatamente acontece nesses testes e tudo consiste em analisar o processo de reanimação dos humanos em empties: saber como funciona e como impedir de acontecer. E a partir do tubo de ensaio roubado, também se tem a prova de que o que aconteceu em Omaha e na Campus Colony também foi criminoso, e não um incidente com uma horda.

Apesar de ser o episódio que mais gostei da temporada, essa repetição da explicação dos planos aconteceram TRÊS VEZES. Não existe motivo plausível pra um roteiro que se leve a sério achar que realmente tudo aquilo era necessário ser explicado no começo do episódio por Leo, depois explicado a Hope (Alexa Mansour) e Iris (Aliyah Royale) por Lyla e, no final, ser explicado por Lyla à Leo e Huck (Annet Mahendru). Quer dizer…

No mais todo o episódio foi envolvido pela investigação iniciada por Jadis (Pollyanna McIntosh) com intuito de saber o que aconteceu com o tal frasco roubado. Huck, inclusive, é colocada – mais uma vez – em prova por sua lealdade ao ser instituída como interrogadora principal de Leo, com o qual ela anda tramando. Enquanto Leo é mantido pelos militares, Hope e Iris discutem com Lyla o que podem fazer para ajudar o pai e também para se ajudar, já que todos correm perigo a partir de agora.

Após Hope dar a localização do tubo a Lyla, ela entrega tudo a Jadis e entrega todo o grupo, falando sobre Leo, Felix, Hope, Iris etc. O que parecia ser um plano para manter todos vivos, acabou se virando contra a própria doutora quando, no final, ela acaba sendo morta pela sua própria cobaia, o soldado Barca, já transformado, à mando de Jadis.

Jadis, decidida que Huck está indubitavelmente com a CR, acaba contando todo o plano do Projeto Votus (o projeto que analisa a morte e a reanimação das cobaias). Porém, Huck abre a história para literalmente todo mundo. Primeiro a Percy (Ted Sutherland), que desiste de matá-la quando a mesma conta toda a trama da CR, e o segundo foi Dennis (Maximilian Osinski), a qual ela também pede ajuda.

O tal plano da CR é, na verdade, destruir Portland, do mesmo jeito que destruiu Omaha, se tornando então a única colônia com o nível de tecnologia e “civilização” que existe até então. Não se sabe se isso se deve a uma paranóia alimentada pelos demais integrantes do CRM ou se é algo que vem diretamente do tal Major General Beale, que é sempre descrito como o manda chuva dos militares.

Inclusive, vem se levantando uma teoria dos fãs de que o Beale pode ser ninguém menos do que Rick Grimes (Andrew Lincoln), que teria mudado de nome e assumido uma alta patente dentro da CRM após ser resgatado pelos mesmos juntos com Jadis lá em The Walking Dead. Essa teoria não tem nenhum respaldo dentro da série até então, sendo inclusive meio impossível de acontecer diante de uma certa cena desse episódio de World Beyond.

Hope decide se encontrar com Mason (Will Meyers) e, durante a conversa, ele revela que na verdade ele é filho do tal Major General Beale. O garoto tem cerca de 17 anos na série, e Rick só foi resgatado pelo CRM à seis anos atrás. Ele pode ser adotado? Sim, mas ainda assim, seriam pouquíssimos anos para que qualquer um se tornasse o mais alto grau de hierarquia de uma força militar. E também é bem difícil de encarar Rick fuckin Grimes sendo o mandante de uma chacina de mais de 180 mil pessoas.

Toda a fissura entre a confiança de Iris e Hope por conta da CR aparenta ter chegado ao fim nesse episódio, com Hope percebendo que realmente os cidadãos dali não são dignos do benefício da dúvida e que eles precisam fazer algo para parar a CR não só por eles e para vingar Omaha, mas também para salvar as mais de 80 mil pessoas de Portland.

O episódio acaba com Silas (Hal Cumpston) finalmente encontrando com Huck na instalação de limpeza enquanto ela conversava com Dennis. Silas, aliás, que teve uma das cenas mais avulsas no episódio. Depois de ser capturado enquanto tentava ajudar no plano de fuga frustrado do grupo dentro da instalação, ele foi levado para interrogatório com Jadis que passou mais ou menos três minutos falando de como os pés dele são fortes… Mas, provavelmente episódio que vem teremos mais roupa suja sendo lavada entre Silas e Huck.

Apesar da repetição das explicações dos planos, o episódio foi um dos mais fluidos e tensos de toda a série, que precisa se tornar importante de fato em seus três episódios finais para finalizar sua trama em grande estilo. Ainda não é sabido se TWD: World Beyond realmente vai ser capaz de encontrar uma cura, se Rick vai aparecer aqui ou qual o destino dos personagens no apocalipse, mas essa reta final está de fato trazendo bons momentos para o universo.

O que você achou do episódio “Blood and Lies“? Deixe sua opinião nos comentários!

Publicidade
Comentários

EM ALTA