Siga-nos nas redes sociais

11ª Temporada

CRÍTICA | The Walking Dead S11E02 – “Acheron: Part II”: Novas Direções

Acheron: Part II foi o segundo episódio da 11ª temporada de The Walking Dead. Veja a nossa crítica ao episódio e discuta conosco.

Publicado há

 

em

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do segundo episódio, S11E02 – “Acheron: Part II”, da 11ª temporada de The Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

A segunda parte da premiere da 11ª temporada de The Walking Dead vai desenhando suas duas prováveis histórias principais até então: a rixa Maggie x Negan e a situação do grupo na comunidade de Commonwealth. Além disso, a temporada está, nesses dois episódios, tocando em um tema recorrente que é a ganância e a perda de poder.

Começando diretamente onde o episódio passado parou, acompanhamos o grupo liderado por Daryl e Gabriel percebendo a ausência de Maggie (que, como vimos, caiu do vagão e não foi ajudada por Negan). Os personagens, porém, não podem lamentar por muito tempo já que o vagão em que eles entraram está prestes a ser invadido por walkers.

Entretanto, o mistério sobre a possível morte de Maggie é derrubado rapidamente. A ex-líder de Hilltop consegue sair ilesa após rastejar por baixo do vagão e conseguir pedir ajuda ao grupo – dando muito orgulho ao Glenn da sexta temporada, que passou por uma situação muito parecida. E aqui vemos mais um momento desperdiçado onde Maggie poderia matar o Negan.

Toda a DR entre eles é interrompida quando Gage (Jackson Pace) surge no outro vagão depois de se separar dos demais personagens. Tendo que decidir entre tentar salvar Gage ou deixar o garoto morrer para proteger o restante do grupo, é de Maggie a decisão de que eles não poderiam correr o risco. O garoto fica desesperado e se mata da maneira mais dolorosa possível para evitar de morrer pelos dentes dos walkers.

LEIA TAMBÉM:
The Walking Dead S11E02: 5 coisas que você pode ter perdido em “Acheron: Part II”

O discurso de Maggie para justificar o motivo de realizar escolhas difíceis é forte, mas, ainda assim, é complicado a forma que a série está fazendo de tudo para deixar a personagem num tom muito similar ao de Negan, ao priorizar os seus, deixando a humanidade em segundo plano.

Ainda nos túneis do metrô, Daryl passa o resto do tempo seguindo Cão, que vai convenientemente passeando de canto em canto para que o humano veja coisas intrigantes: um homem com o braço arrancado, algemado a uma maleta repleta de dinheiro; uma carta escrita em uma cédula por dois irmãos, tentando avisar aos pais onde eles estavam; uma mensagem escrita “VEM PARA TODOS NÓS” na parede e uma outra parede que, mais ou menos, narra a história de uma família real que acaba sendo atacada pelo seu próprio povo depois que o império entra em decadência.

Tudo isso para que ele encontre Roy, que também estava perdido, ganhar uma pistola e uma granada para ter uma entrada triunfal na hora de salvar o restante do grupo. No final do episódio, Negan entrega a arma que lhe havia sido entregue. Embora seja mais pelo fato de que ele seria cobrado de qualquer forma, a cena tem um energia que parece que ali pode ser realizada uma trégua momentânea. Algo que possa durar pelo menos até que essa missão acabe. Será? Depois disso eles seguem para Meridian, tudo isso para serem atacados e encurralados pelos Ceifadores numa cena final bem legal.

LEIA TAMBÉM:
GALERIA | Todas as fotos do Episódio 2 da 11ª temporada de The Walking Dead

Em Commonwealth temos o grupo decidindo o que fazer depois de desistirem da fuga após Yumiko saber que é possível que seu irmão esteja na comunidade. Enquanto a advogada tenta argumentar acerca de o quão valiosos ela e seus amigos são, Eugene vai desmoronando cada vez mais.

Tomado pela certeza de que Ezekiel havia sido sequestrado, ele vai vendo cada um de seus amigos sumindo misteriosamente. Princesa vai ao banheiro e some, Yumiko entra numa sala e não sai mais. Além do medo, Eugene se sente culpado pois sabe que tudo aquilo foi por conta de suas atitudes.

A cena em que ele mescla verdade e mentira para os entrevistadores da comunidade é muito boa, e ressalta a capacidade do personagem que, apesar de irritante, pode ser muito útil e inteligente – quando lhe convém. Utilizando o próprio nervosismo com o uso de informações constrangedoras para aumentar não só a empatia que sentem por ele mas como também dando a sensação de estar sendo completamente sincero, ele – junto com Yumiko – conseguem autorização para finalmente entrar na comunidade. No final de toda essa jornada ele finalmente conhece a famigerada Stephanie.

Mesclando uma trama que flui bem com boas cenas de ação e tensão, a décima primeira – e última – temporada de The Walking Dead vai se desenrolando, prometendo ainda mais tensão e tretas nos seus próximos episódios.

E por aí, o que você achou de “Acheron: Part II”, o segundo episódio da 11ª temporada de The Walking Dead? Deixe sua opinião nos comentários!

Publicidade
Comentários