Siga-nos nas redes sociais

Curiosidades

Episódio desta semana de The Walking Dead tem referência à primeira temporada

Cena protagonizada por Daryl e Carol no episódio desta semana de The Walking Dead mostra uma referência ao último episódio da 1ª temporada.

Diana Monteiro

Publicado há

em

O nono episódio – S10E09: Squeeze – da 10ª temporada de The Walking Dead inclui um retorno ao final da primeira temporada, “TS-19“. Acontecendo aproximadamente dois meses no apocalipse, “TS-19” vê Rick Grimes (Andrew Lincoln) e um pequeno grupo de sobreviventes indo para o CDC em Atlanta, onde encontram o virologista Edwin Jenner (Noah Emmerich).

Os sobreviventes ficam horrorizados ao saber que estão presos no prédio, prontos para se autodestruir por meio de explosivos que incendiarão o ar como parte de uma medida preventiva destinada a impedir a fuga de doenças, caso a segurança seja comprometida.

Antes da contagem regressiva ser ativada, Jenner acompanha o grupo por elevadores, levando-os até a barriga do CDC. “Estamos no subsolo?” pergunta Carol (Melissa McBride), na época uma mãe mansa e a única guardiã sobrevivente de Sophia (Madison Lintz). Quando Jenner pergunta a Carol se ela é claustrofóbica, ela diz: “Só um pouco”. Ele então diz a ela para “tentar não pensar nisso”.

LEIA TAMBÉM:
Connie e Magna morreram no episódio desta semana de The Walking Dead?

Episódio 6 – TS-19 da 1ª Temporada de The Walking Dead

Cerca de dez anos depois, em “Squeeze”, Carol, Daryl (Norman Reedus), Aaron (Ross Marquand), Jerry (Cooper Andrews), Magna (Nadia Hilker) e as irmãs Connie (Lauren Ridloff) e Kelly (Angel Theory) são presos no subsolo em uma caverna cheia de milhares de walkers. Connie, através da ASL (Língua Americana de Sinais), pergunta a Carol, angustiada, se ela está bem. Daryl responde por Carol, dizendo ao grupo que ela é claustrofóbica.

Mais tarde, Carol diz que nunca contou a Daryl sobre sua claustrofobia. “Se só soubesse o que me contou”, ele diz, “eu não saberia nada.”

Aliás, outra linha de “TS-19” encontra seu caminho para uma troca entre as irmãs. Kelly assina para Connie, perguntando se ela acha que é dia ou noite lá fora. Connie assina de volta: “Tente não pensar nisso”.

No episódio anterior, Alpha, assassina do filho de Carol, Henry (Matt Lintz), levou a mãe de luto a uma perseguição que terminou com o grupo encurralado.

É aí que Daryl mais uma vez pede que Carol cancele sua vingança, dizendo a ela: “Você não me engana. Não me engane. Você tem que prometer. Eu preciso saber que estamos no mesmo time. Lutamos pelo nosso futuro. Nós não lutamos por vingança.” Ainda atormentada pela dor, Carol não consegue superar sua mágoa até que Alpha sofra e morra.

“Para Carol, as apostas são tão altas para ela por causa do que aconteceu com seu filho, e acho que neste episódio o que realmente vemos – e Melissa McBride apenas retrata o papel lindamente – é apenas a profundidade de sua dor e quanto disso ela tem escondido de todos os outros membros do grupo”, conta a showrunner Angela Kang anteriormente à Entertainment Weekly após o episódio “Ghosts”, onde Carol se envolveu em comportamentos imprudentes semelhantes. “E isso vem borbulhando à superfície em alguns momentos realmente importantes, como quando ela está na fronteira com Alpha. Quando alguém está passando por tanta dor e quando tem um desejo ardente de se vingar, e quando ela realmente quer ver Alpha pagar por seus pecados, isso terá um grande impacto em todas as pessoas de várias maneiras.”

Kang, em seguida, mencionou ações que já foram concretizadas.

“Você também está vendo o início de alguns comportamentos autodestrutivos neste episódio. Portanto, a temporada começa com a história dela”, disse Kang. “Então, sim, é uma história contínua para nós. Tem muita profundidade emocional do lado da personagem”.

O que você achou dessa referência? Gostou do episódio de retorno? O que pensa sobre as decisões da Carol? Deixe todos os seus comentários abaixo!

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA