Siga-nos nas redes sociais

7ª Temporada

Tom Payne fala sobre a grande revelação de Jesus no episódio “The Other Side”

Publicado há

em

“The Other Side”, o episódio do último domingo de The Walking Dead, foi bastante focado em Sasha e em Rosita e em sua missão de matar Negan. Porém, antes do início da jornada delas, outros dois personagens apresentaram um grande desenvolvimento, com Maggie desempenhando um papel de catalisadora para ambos.

Não apenas Daryl se abriu com Maggie sobre sentir culpa pela morte de Glenn na premiere da sétima temporada, mas também Jesus conversou com ela sobre o sentimento de pertencimento que conheceu desde que Enid, Sasha e Maggie chegaram a Hilltop. Ao ajudar o grupo de Rick a combater o de Negan, o personagem encontrou um novo senso de propósito que anteriormente não sentia, enquanto vivia sob a liderança de Gregory.

O ComicBook.com conversou com Payne sobre a grande revelação a respeito da sexualidade de Jesus, que aproxima o personagem de sua contraparte nos quadrinhos. Com a revelação de que o personagem é gay, Payne diz que isso “não afetará, de forma alguma” seu papel na série.

“Eu adorei como eles lidaram com isso na série e o que me impressionou foi que eu não sei quando foi a última vez que ele compartilhou aquela informação.”, afirmou Payne. “Então, isso mostra que ele tem uma relação muito boa com Maggie. Foi uma cena tão curta. Eu adorei como, naquela cena tão breve, ele falou sobre fazer parte de um grupo e sobre seus namorados, revelando tanto sobre si mesmo em tão pouco tempo. Achei realmente ótimo. Obviamente, isso é o apocalipse, então, se eles estiverem preocupados com a sexualidade das pessoas, isso é simplesmente ridículo.”

Sobre se Jesus encontrará ou não o amor, Payne diz que “existe uma chance”, embora as escolhas sejam limitadas, devido à quantidade cada vez menor de pessoas. “Quem achou que Richonne aconteceria?”, aponta o ator.

É difícil pensar em um relacionamento quando você está se preparando para a guerra, e é isso o que a comunidade de Jesus está fazendo. Treinado por Maggie, por Sasha e pelos outros, o grupo está se preparando para enfrentar Negan sob o eventual comando de Rick. Payne diz que a comunidade é um ótimo acréscimo ao exército, antes de classificá-los como “bastante resistentes”.

“Eles são muito resilientes. Não são como as pessoas que vivem no Reino, que marcham diariamente e que têm equipamentos de proteção corporal e coisas do gênero. Isso já tem acontecido há um longo tempo em Hilltop. É uma situação imperfeita que se tornará pior ainda. Gregory é um personagem perigoso que poderia, a qualquer momento, estragar tudo. Eu acho que eles serão um bom acréscimo.”, afirma Payne.

Certamente, o assunto mais comentado do episódio foi o destino de Sasha, que ficou ambíguo, enquanto ela se dirigia ao Santuário de Negan armada com uma pistola silenciada e com um rifle enorme no ombro. Isso poderia não ter acontecido se Jesus não tivesse permitido que Sasha seguisse com a missão, depois de saber sobre a existência dela mais cedo no episódio 7×14.

“Jesus não é uma pessoa que atrapalhará o caminho de ninguém.”, Payne explicou. “Todos têm suas próprias escolhas a serem feitas. Ele os apoia. Quer ajudar as pessoas. Se isso é o que Sasha quer fazer, para alcançar sua própria paz na mente e sua própria sanidade, mesmo que ele soubesse que ela iria seguir em direção à própria morte, se isso for o que ela escolheu fazer, então, esta é a escolha dela. Ele diz, ‘Eu preferiria que você não fizesse isso, mas sei que fará’. Não dá para impedi-la.”

The Walking Dead, a história de drama mais assistida da TV a cabo é exibida todo domingo no AMC Internacional, às 22h, e no FOX Action (canal do pacote premium FOX+) e FOX Brasil, às 22h30. Confira todas as notícias sobre a sétima temporada.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: Comic Book

Publicidade
Comentários

EM ALTA