Siga-nos nas redes sociais

7ª Temporada

Lennie James fala sobre o grande momento de Morgan em “Bury Me Here”

Publicado há

em

ATENÇÃO! O post a seguir contém spoilers do episódio S07E13 – Bury Me Here, da sétima temporada de The Walking Dead. Não continue se você ainda não assistiu. VOCÊ FOI AVISADO!!

O pobre e simples Benjamin (Logan Miller)… Tudo o que ele queria era que Carol (Melissa McBride) o ensinasse a matar walkers apropriadamente. Ao invés disso, Benjamin morreu por causa de um esquema que Rube Goldberg teria considerado complicado demais, graças à absoluta falta de habilidade de Richard (Karl Makinen) em contar com a imprevisibilidade dos Salvadores. A morte de Benjamin despertou o que Lennie James descreveu como o “Morgan Selvagem” – aquela versão vazia e desinteressada do personagem, que nós vimos no final da terceira temporada, em “Clear” – e o colocou de volta num caminho de mortes.

James conversou com a Variety sobre se o “Morgan Selvagem” veio para ficar e sobre como deve ser seu futuro, já que o ator, agora, está trabalhando em uma série para a Britain’s Sky Atlantic, ainda em andamento.

A maneira como Morgan matou Richard foi incrivelmente sagaz. Foi um movimento calculado ou Morgan só teve uma sacada e, retroativamente, adaptou a ideia de Richard para “acalmar” os Salvadores, dando a eles uma falsa sensação de segurança?

Lennie James: Eu não acho que ele acordou de manhã pensando, “Vou matar o Richard”. Acho que acordou pensando que poderia ter que fazer aquilo. Ele fez tudo o que pôde para evitar que aquilo acontecesse. E, em certa medida, as coisas se tornaram insuportáveis quando Morgan perguntou a Richard se ele contou ao Rei e aos outros caras sobre o que tinha feito, e Richard respondeu que contaria a eles depois. Essa era a resposta errada, e acho que foi o ponto culminante das coisas: o que a morte de Benjamin fez com Morgan; quem Morgan estava tentando ser; e o fato de que ele se abriu para a possibilidade de uma vida positiva no Reino, aceitando-se como parte de um grupo que não conhece a história dele, que só o conhece como ele é agora. Tudo isso foi tirado de Morgan. Alguém anteriormente descreveu que era como se o “Morgan Selvagem” estivesse tentando voltar. Ele está tentando segurar o “Morgan Selvagem”, mas sabe que a guerra está próxima, é inevitável e que precisa participar dela. O objetivo dele é encontrar a paz, mas pode ser que seja preciso passar pela guerra para chegar a ela.

Qual o futuro de Morgan? No final do episódio, nós o vemos na cabana de Carol. Ele está só dando um tempinho lá?

Lennie James: Ele está se aprontando para o inevitável. Quando ele chega à cabana de Carol pela primeira vez, veio para se despedir. “A única forma de seguir em frente é seguir a estrada e ir em direção a essa guerra que está chegando e matar qualquer coisa que apareça no caminho que pareça ou ‘tenha o cheiro’ de um Salvador, até chegar a um lugar ou a uma pessoa que acabe com tudo isso”. Ele veio se despedir de Carol, que, nesse ponto, tornou-se sua amiga mais próxima, mesmo que seja uma amizade conturbada. Ele não pode voltar ao Reino – não confia em si mesmo, por conta dessa outra versão sua. Então ele aceita a alternativa de Carol, de ficar na cabana. Mas, enquanto está lá, ele afia o bastão.

Houve um tom adorável nessa temporada, que teve bem mais a ver com contemplar algumas coisas por um tempo mais longo. É como se fosse, para escolher um clichê, a calma que antecede a tempestade. Com Negan por perto, nunca há muita calma, mas as pessoas estão se posicionando ou estão “sendo posicionadas”, quer gostem ou não disso, e Morgan cai nessa segunda categoria. Coisas que estão além de seu poder e além de seu controle invadiram a vida que ele estava tentando levar ou atrapalharam o caminho que ele estava tentando seguir. A perda de Benjamin foi algo importante. Mas são coisas que estavam orbitando em torno dele há algum tempo.

Há algumas pessoas que dizem: “Você não pode ser desse jeito”. Daryl e Richard disseram isso. Ele está tentando silenciosamente dizer que: “Nós precisamos tentar. Nós precisamos conversar sobre como vivemos, e não simplesmente sobreviver”. Mas algumas coisas são inevitáveis, e é a essa conclusão que Morgan chegou. Ele acredita absolutamente em si mesmo, mais do que acreditava antes, mas também sabe que todos terão que lidar com a guerra.

Você tem uma série em andamento com a Sky Atlantic: “Gone”, com Suranne Jones e Stephen Graham. Isso significa que deveríamos nos preocupar com Morgan, ou você consegue fazer as duas?

Lennie James: É muito trabalho, mas eu gosto do trabalho. Estou mais ocupado agora do que jamais estive em toda a vida – meu “hard drive” em meu cérebro está quase cheio. Mas, no momento, esses dois mundos existem, e estou aproveitando totalmente os dois.

Tem alguém com quem você ainda não contracenou, mas com quem gostaria de contracenar?

Lennie James: Uma das alegrias dessa temporada foi finalmente poder participar de algumas cenas com Norman [Reedus], algo que eu não havia feito antes. Nós tivemos uma cena breve na quinta temporada, quando Morgan salvou Daryl e Aaron do carro e eles o levaram para Alexandria. Mas Norman e eu pudemos atuar juntos nessa temporada, e foi uma alegria. Eu fiquei de coração partido por nunca ter tido uma cena com Michael Cudlitz. Também nunca tive uma cena com Steven [Yeun], e Negan matou o personagem dele. Uma das coisas que me deixam ansioso é que ainda existe uma vasta possibilidade de Morgan interagir com outros personagens. Então, tem um monte de pessoas que me fariam bater na porta de Scott [Gimple] e dizer, “Cara, eu preciso ter uma cena com esse cara”.

The Walking Dead, a história de drama mais assistida da TV a cabo, vai ao ar nas noites de domingo no AMC Internacional, às 22h, e no FOX Action (canal do pacote premium FOX+) e FOX Brasil, às 22h30. Confira todas as notícias sobre a sétima temporada.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: Variety

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA