Siga-nos nas redes sociais

6ª Temporada

Robert Kirkman fala sobre a introdução de Negan na série: “de partir o coração”

Elayne Gonçalves

Publicado há

em

Os fãs de The Walking Dead estão animados com a chegada iminente de Negan, no último episódio da sexta temporada da série, que vai ao ar no dia 3 de abril. E eles não são os únicos.

Robert Kirkman, o homem que criou Negan, conversou com o Entertainment Weekly sobre observar o personagem ganhar vida diante de seus próprios olhos e admitiu que “Ver Jeffrey Dean Morgan com o traje característico, segurando Lucille e dizendo as falas – é, eu não costumo sentir arrepios com muita frequência, mas, dessa vez, isso definitivamente aconteceu.”

Aqui está o que o criador da série de quadrinhos de The Walking Dead e produtor executivo da versão televisiva da série disse sobre a chegada “chocante, intensa e de partir o coração” do vilão definitivo.

ENTERTAINMENT WEEKLY: Então, para aqueles que não estão familiarizados com os quadrinhos, o que torna Negan diferente de alguns dos outros vilões que vimos anteriormente?

ROBERT KIRKMAN: Negan é bom. Negan é respeitoso. Negan é psicótico. Negan é cruel. Esse é um personagem muito cheio de nuances, que tem muitas camadas distintas. Há muita honra nele. Há um sistema de regras em prática. Eu acho que ele é diferente de qualquer personagem que alguém já tenha vivenciado em The Walking Dead até agora.

Ele é definitivamente um tipo diferente de vilão. É sádico, perigoso e todas essas coisas que você esperaria do Governador, mas ele está muito mais no controle. Ele é muito menos esporádico e tem um temperamento consideravelmente mais fácil de lidar. Não é um cara que vai perder o controle e vai começar a atirar em seu próprio povo, como o Governador fez.

Esse é um cara que, assim como Rick, sobreviveu, passando por coisas horrendas e desenvolveu um sistema, um modo de vida, que funciona para ele. É um líder de um grupo razoavelmente de bom tamanho e, para que possa fazer essas coisas pelo tempo em que precisou fazê-las, ele teria que ser muito realizado enquanto ser humano.

Não vou dizer necessariamente que Rick vai, potencialmente, enfrentar um “anti-Rick”, mas Negan é um personagem em relação ao qual Rick não vai necessariamente ter uma vantagem, da maneira que ele teve, digamos, em relação a Gareth ou ao Governador.

E quanto ao grande momento de Negan? Centésima edição. Você sabe do que estou falando. É um dos maiores momentos, se não for o maior, da série inteira dos quadrinhos. Como foram as conversas de vocês sobre como abordar algo do gênero, em termos de decidir sobre manter as coisas iguais ou mudá-las? Pois esse é um momento chocante dos quadrinhos, mas talvez seja mais chocante ainda se for mudado.

Robert Kirkman: Eu acho que todos na série reconhecem este como um momento monumental e icônico da série de quadrinhos. Ninguém está discutindo sobre não fazer algo daquele tipo na série televisiva. É uma grande parte da introdução do personagem e queremos fazer justiça a isso.

Mas, com algo tão bem conhecido quanto aquele momento – talvez parecesse que não seria algo grande se nós fizéssemos exatamente a mesma coisa só porque as pessoas podem estar esperando que façamos. Tudo o que eu quero dizer é, leiam os quadrinhos, mas vocês não vão saber pelo que esperar. Parte do motivo que faz aquele momento ser tão importante nos quadrinhos é o fato de que vocês não esperavam que aquilo fosse acontecer. Então, estamos muito confiantes de que encontramos uma forma de manter tudo tão inesperado na série quanto foi nos quadrinhos. Por isso, [essa cena] deverá ser tão chocante, de partir o coração e intensa quanto foi nos quadrinhos.

Conte-me sua opinião sobre escolher Jeffrey Dean Morgan, que parece perfeito, para esse papel.

Robert Kirkman: Sabe, houve muitos grandes momentos para mim nessa série. Eu vi Andrew Lincoln e Steven Yeun se encontrarem pela primeira vez no set. Eu andei pela prisão depois de escrever essas histórias por muitos e muitos anos.

Eu já vi momentos dos quadrinhos ganharem vida diante dos meus próprios olhos e tudo foi muito comovente. Mas ver Jeffrey Dean Morgan no traje característico, segurando Lucille e dizendo as falas – é, eu não costumo sentir arrepios com muita frequência, mas, dessa vez, isso definitivamente aconteceu. E ver a felicidade e a exaltação que eu via naquele personagem existirem num espaço real, ganhando vida, como eles dizem, eu sei que os fãs vão se sentir da mesma maneira.

Então, por mais perfeita que todos pensem que foi essa escolha, eu posso confirmar que esse é 100% o caso. Estou muito animado que o mundo conheça Negan da forma que nós conhecemos. Vai ser ótimo.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: Entertainment Weekly

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA