Siga-nos nas redes sociais

6ª Temporada

The Walking Dead S06E04 – Lennie James explica porque Morgan trancou aquela porta

Publicado há

em

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do quarto episódio, S06E04 – Here’s Not Here, da sexta temporada de The Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido ou lido, não continue. Você foi avisado!

Respostas! Elas vieram velozes e furiosas no episódio “Here’s Not Here” (Aqui não é aqui”). Foi um episódio de flashback de Morgan, ele compartilhou sua história com um Wolve (Lobo) que capturou no episódio de duas semanas atrás. Vimos como Morgan passou de um lunático visto na terceira temporada (episódio “Clear”) para uma pessoa pacifista e mestre do bastão que conhecemos agora.

Acontece que foi um encontro casual com um homem chamado Eastman (John Carroll Lynch) e uma introdução ao aikido que transformou Morgan de um lunático assassino para um homem educado para proteger a santidade da vida.

Entertainment Weekly conversou com Lennie James, o ator que interpreta Morgan, sobre o surpreendente episódio de 90 minutos e o significado por trás de vários momentos chave, incluindo a decisão de Morgan de trancar a porta no final – uma contradição direta ao Eastman que deixou a porta da cela aberta para Morgan. O que tudo isso significa? James deu algumas respostas.

ENTERTAINMENT WEEKLY: Vimos muito do Morgan do episódio “Clear” da terceira temporada. Como foi voltar para aquele estado de mente?

LENNIE JAMES: Tenho que dizer que foi um pouco estranho, porque estava voltando para aquele estado mental e depois indo muito além do buraco do coelho. Então por um lado, isso foi a parte mais complicada de todo episódio, voltar para o que ele era naquele ponto, e eu realmente tive que rever o episódio, o que é algo que nunca faço, e fiquei bem surpreso com que fiz. Mas isso se mostrou ser muito útil.

E só de ouvir sua voz naquele momento, e olhar em seus olhos, estou separado o suficiente dele para esquecer que sou eu. O resto disso foi só confiar no enredo, e colocar as roupas de volta realmente ajudou. Eu fiquei surpreso de quanto que a blusa laranja e marrom, os botões de terno e as joelheiras ajudaram, pensei “Ah, certo, eu me lembro agora”. E aí eles começaram a jogar sangue rapidamente, e disse “Ok, estou de volta agora”. Então isso foi bem útil.

the-walking-dead-s06e04-001

De um jeito, esse episódio é basicamente um jogo com dois homens. Como foi trabalhar com John Carroll Lynch que interpretou o salvador e mentor de Morgan, Eastman?

Lennie James: Eu amei, foi fantástico. Há algumas vezes na TV onde você só tem duas pessoas em um quarto e seus personagens são permitidos a jogar, bater de frente, se aproximar um do outro, explorar coisas, e isso é adorável. E quando você pode fazer isso com um ator com o calibre de John e seu tipo de habilidade, é maravilhoso. É o melhor dia para trabalhar, porque qualquer coisa que você joga em sua direção, ele é mais que capaz de assumir e depois jogar de volta para você ainda melhor, então foi uma experiência agradável.

Mas o que foi bem esquisito sobre o episódio é que embora ele passe como se fosse apenas dois caras em uma sala, foi sem dúvida um dos episódios mais fisicamente desafiadores que eu já fiz na série até agora.

Em qual sentido?

Lennie James: Há muita atividade com o bastão, e um dos brilhos de John Carroll Lynch é que no momento em que filmamos o episódio 4 – porque nós filmamos fora da sequência – eu tive uma equipe de treinamento com bastão por dois meses. Então por alguns meses eu vim treinando e praticando e ensaiando antes de chegar a Atlanta. Acho que se passaram 3 meses de treinamento com o bastão, e John teve que entrar, como ele interpretou Eastman, que era meu mentor e o cara que me ensinou a usar o bastão, ele teve que treinar em um nível bem maior que o meu, e isso significa que ele praticou durante todo momento que teve acordado quando não estava aprendendo todas as falas que ele teve. Porque outra coisa é que Morgan é silencioso no episódio 4 por muito tempo e John está fazendo toda a tomada, então ele teve que levar isso em conta também.

Tivemos duas ou três lutas que precisaram ser coreografadas e trabalhadas entre nós dois, uma onde foi uma luta elaborada com bastão, e aí teve a segunda metade do dia, depois do almoço, onde eu passei quase 7 horas só matando zumbis – só encontrando walkers e batendo neles de maneiras diferentes, em lugares diferentes, e arrastando eles para a fogueira. Houve muita correria, fisicamente foi bem mais desafiador do que parecia quando li o roteiro.

the-walking-dead-s06e04-002

Você falou sobre as cenas de luta e há uma cena onde Eastman dá a Morgan duas escolhas: sair ou ficar no sofá. Morgan o ataca e é dominado, Eastman dá a ele duas escolhas novamente, e em vez de decidir entre elas, Morgan volta para a cela. Por que isso? Ele acha que não merece o sofá?

Lennie James: Para mim, esse foi o momento mais triste de toda jornada de Morgan – no sentido que ele teve duas escolhas, mas escolheu nenhuma delas. Acho que ele está absolutamente certo: ele não merecia isso naquele ponto. É por isso que ele vive pedindo para Eastman o matar, ele vem desejando a morte desde que perdeu seu filho. Então aquele momento onde Eastman fala “você pode fazer isso ou aquilo”, ele simplesmente não é capaz de nada mais nesse ponto específico. Ele está fisicamente derrotado porque Eastman acabou de chutar sua bunda, mas ele também está emocionalmente derrotado. E, na verdade, o único santuário é em uma cela que tem uma porta que não está nem trancada, mas ele quer aquela porta trancada. Isso, para mim, foi o fundo do poço para Morgan.

Vamos falar sobre a reação de Morgan depois que Eastman foi mordido salvando ele. Morgan ficou com muita raiva e tentou lutar com ele. Por que isso?

Lennie James: Isso é o que quero dizer sobre o tipo de fragilidade da posição de Morgan. Quando encontramos ele no final da quinta temporada, todo mundo está falando sobre o novo tipo zen de Morgan. Ele aparenta estar mais são. Isso é um exemplo muito bom do quão frágil àquela nova perspectiva que Morgan está tentando colocar no mundo é. Porque acredito que Morgan, no momento, acredita que aquela mordida e aquela morte era dele, não de Eastman, e Eastman levou isso para longe dele. E, no topo de tudo, aquele Eastman é agora outra pessoa que Morgan tem que ver morrer. Acho que aquele momento em particular é onde Morgan não sabe quanto Eastman significa para ele até novamente ele se encontrar perdendo alguém próximo a ele, e por isso fica furioso com Eastman. É um jeito de desviar sua própria dor, porque ele está basicamente dizendo que toda aquela situação seria bem mais fácil se aquela mordida fosse nele. E é isso que ele está dizendo, por isso que ele fica com raiva quando está gritando para ele “Me diga como é! Me diga como é”!

É como se ele tivesse pensando “Por que eu tenho que passar por tudo isso de novo? Tenho essa coisa que tenho desejado o tempo todo”, que é aquela morte. E Morgan é atraído novamente para aquele buraco. Porque às vezes há uma segurança na insanidade, às vezes você pode estar seguro em sua dor, porque isso bloqueia outras coisas, você chega num ponto onde pode lidar com isso. E acho que é onde Morgan passa com Eastman por um minuto.

the-walking-dead-s06e04-003

Vemos Eastman dando a ele um pé de coelho que apareceu depois, falando sobre um grupo Goo-Goo que aparece depois, mas por que Morgan traz aquela bala que o casal deixou para ele que vemos enquanto ele está em sua jornada? Qual o significado disso?

Lennie James: Acho que o significado da bala é que aquelas pessoas são as primeiras que Morgan encontra em um bom tempo que não tenta matar. Eles são as primeiras pessoas que ele permite ir embora. Aquele é o momento onde ele dá o primeiro passo para seu novo mantra, que é que toda vida é preciosa. E aquele é o momento onde ele percebe a possibilidade e que seus olhos estão abertos o suficiente para enxergar isso.

Antes de conhecer Eastman, ele teria encontrado esse casal em suas viagens e reconheceria que eles não eram um perigo para ele e os teria matado de qualquer jeito, porque eles não limpavam. E eles acabaram sendo as primeiras pessoas que ele deixa ir e seu primeiro passo de bebê para a ideia de que toda vida é preciosa, e por isso que a bala é relevante.

A porta da cela estava sempre aberta para Morgan quando ele estava na casa do Eastman, então porque Morgan trancou a porta para o Lobo no final?

Lennie James: Outras pessoas tem que ter sua própria interpretação disso, mas o que acredito é que parte da razão do por que Morgan tranca a porta é porque Morgan não é Eastman ainda. Morgan não está no mesmo lugar que Eastman. Morgan não podia, naquele momento em particular, dizer em voz alta “Estou em paz porque decidi que toda vida é preciosa e eu não matarei novamente.” Morgan não está no estado que Eastman estava onde ele não mataria novamente, ele não chegou a esse ponto.

E outra coisa que eu acho que é relevante aqui é quando Eastman falou a Morgan que a porta não estava trancada – uma vez que Morgan saiu da cela, a primeira coisa que fez foi atacar Eastman. E Morgan está indo embora e não é igual a Eastman, e não acho que o Lobo é Morgan. Acho que ele pesa isso e está tentando fazer para o Lobo o que Eastman fez para ele, mas ele está fazendo isso de seu jeito, e vai aprender com as lições de sucesso de Eastman assim como seus fracassos. Então ele não está fazendo tudo exatamente igual, ele só está tentando sair com o mesmo resultado.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: Entertainment Weekly

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA