Siga-nos nas redes sociais

Série

Variety elege The Walking Dead como a pior série de 2016

Ludmilla Peixoto

Publicado há

em

Durante essa semana, a Variety – uma das mais respeitadas revistas do mundo do entretenimento dos Estados Unidos – elegeu as piores coisas da televisão em 2016, colocando The Walking Dead como um dos piores shows da televisão. Segue a tradução do texto que eles publicaram sobre a série:

Para ser justo, a vida em um mundo pós apocalíptico com zumbis deve de fato ter suas apostas, e sangue será derramado. Mas esmagar cabeças apenas por esporte é um substituto preguiçoso para verdadeira narrativa ou desenvolvimento de personagens. Pare-me se você já ouviu isso antes: nossa alegre banca de sobreviventes cruza com uma comunidade, que e liderada por um líder cruel com uma raia viciosa que os mata um por um. Escolha uma temporada, qualquer temporada. Estamos presos em um loop de narrativa direto de “Westworld”. E depois de um cliffhanger na sexta temporada que deixou os espectadores resmungando sobre qual personagem favorito dos fãs encontrou o fim do taco de beisebol enrolado em arame farpado de Negan, a sétima temporada estreou com um episódio que foi tão sangrento que ficou claro que os padrões e práticas adormeceram no ligar da luz. Se a visão do sangue salpicado no chão não chocou você, o som da cabeça esmagando certamente o fez. Enquanto o caricato Negan continua a brincar ainda mais cruelmente com suas vítimas, o show brinca com seus espectadores – que merecem melhor.

Não sei se avisaram à Variety, mas The Walking Dead é um show baseado em uma série de quadrinhos que possui uma história e, pasmem, essa história está sendo retratada fielmente na série. Lendo o texto acima, não sei qual é a maior incoerência: falar sobre a ausência de desenvolvimento dos personagens justamente na temporada que mais desenvolveu personagens principais, dividindo núcleos e até gerando reclamações de muitos fãs, ou afirmar que a violência do show é mera “substituta” da narrativa, criticando-a como chocante e fora dos padrões. O que será que a equipe da Variety acha que seria a vida em um mundo pós-apocalíptico? Se nos dias de hoje com autoridades e instituições vemos tantas atrocidades, o que se espera de um mundo sem lei, ou melhor, um mundo em que a lei é a do mais forte? É matar ou ser morto.

Comparar os perigos que o grupo de sobreviventes retratado na série, não é apenas suspicaz, mas esdrúxulo. Shane foi um cara que se apaixonou pela muher de seu melhor amigo, lutou com isso por muito tempo, mas sucumbiu a sua própria insanidade. Governador era um homem louco, que não queria nada de ninguém, apenas eliminar todos sem qualquer motivo, matando inclusive pessoas da sua própria comunidade; era um homem ensandecido pela própria vaidade. Os Claimers eram homens que levaram ao extremo a ideia de sobrevivência do mais forte; pegam o que querem de quem querem, sem medo de cometer as piores barbaridades para obter êxito. Gareth e os moradores de Terminus passaram por um trauma impensável, e como consequência, se tornaram assassinos frios dissidentes com a desculpa de que foram forçados a isso. Negan não é apenas mais um desses, é um sádico, que não faz o que faz para proteger seu grupo, ou é guiado apenas por sua vaidade, mas um sociopata que tortura e oprime seus próprios súditos, com a ideia de que tudo que faz é para restaurar a ordem do mundo, com uma magnânima síndrome do Messias, o Salvador como se auto intitula.

Como havia dito, a violência é intrínseca ao tipo de história que é contada nessa série, a medida que esse mundo criado tão genialmente por Robert Kirkman evolui, todas as suas vertentes evoluem também e, com isso, a violência se torna exponencial. E convenhamos, se a estreia foi tão chocante e tão fora dos padrões, como atingiu 17 milhões de espectadores, quase superando o recorde da série? Não acha estranho que a segunda pior coisa a ser exibida na televisão tenha encerrado seu sexto ano a série mais assistida nos EUA? Ressaltando ainda é claro, a diversidade existente atualmente na televisão, são diversos shows em diversos canais, e ainda assim, The Walking Dead continua como um dos programas mais vistos no mundo todo.

Sendo assim, só tenho a concluir que tal consideração deve ter sido feito por alguém que definitivamente não entendeu que se trata de uma série dramática tendo lugar em um ambiente tão hostil, e explora as relações humanas ao seu limite, resultando ocasionalmente em hostilidade excessiva. Então Variety, concordamos em discordar. Mas é claro que da mesma forma que discordo da Variety, você pode discordar de mim, afinal, opinião é subjetiva. E você, o que acha? The Walking Dead foi um dos piores shows da televisão em 2016?

The Walking Dead, a história de drama mais assistida da TV a cabo, retorna no dia 12 de fevereiro de 2017 no AMC Internacional, às 00h, e no FOX Action (canal do pacote premium FOX+) e FOX Brasil, às 00h30. Confira todas as notíciassobre a sétima temporada.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

10ª Temporada

Sobrenome de Negan é revelado no final da 10ª temporada de The Walking Dead

Episódio “Here’s Negan” da 10ª temporada de The Walking Dead revelou com exclusividade o sobrenome de Negan (Jeffrey Dean Morgan).

Gina Machado

Publicado há

em

Negan jogando videogame em flashback mostrado no episódio Here's Negan da 10ª temporada de The Walking Dead

The Walking Dead revelou o sobrenome de Negan (Jeffrey Dean Morgan) no episódio “Here’s Negan” – e é um sobrenome que o criador Robert Kirkman revelou brincando anos antes.

Quando o ex-líder dos Salvadores é exilado para uma cabana longe de Alexandria, onde Maggie Rhee (Lauren Cohan) agora vive com seu filho Hershel (Kien Michael Spiller), ele se lembra de sua falecida esposa Lucille (Hilarie Burton Morgan) enquanto reflete sobre os eventos que o levaram até este ponto. Quando ele tem um flashback de 12 anos antes, ele relembra de sua vida pré-apocalipse como um professor de ginástica escolar desbocado: o treinador Negan Smith.

Em “Here’s Negan“, o sobrenome Smith aparece na caixa de correio do lado de fora da casa de Negan e Lucille. Uma olhada mais de perto na coleção de troféus esportivos mostra um prêmio concedido a Negan Smith. (Exibido atrás do troféu está uma flâmula do Saviors Athletics, um easteregg que dá o nome aos Salvadores de Negan.)

Quando Morgan e Kirkman foram questionados sobre a revelação do nome completo de Negan durante uma aparição conjunta em uma convenção em 2018, Kirkman disse que não havia dado um sobrenome ao personagem. “Ele não tem sobrenome. É como Madonna, Cher e Negan”, acrescentou Morgan, que brincou que o nome completo do personagem é “Negan Babaca”.

Troféus de Negan que revelam o sobrenome do personagem no episódio "Here's Negan" da 10ª temporada de The Walking Dead

LEIA TAMBÉM:
Revelada data de estreia da 11ª temporada de The Walking Dead

“Eu faço coisas para me entreter que, então, quando o quadrinho vira um programa de TV, é super estranho. Mas eu só acho engraçado não dar sobrenomes aos personagens porque, eu não sei, é interessante para mim”, Kirkman disse na época. “Mas quando estou em casa e escrevendo, fico tipo, ‘Não estou fazendo isso’, porque você tem que fazer uma lista de nomes e escolher um e nunca é interessante.”

Kirkman confirmou que Negan é “definitivamente um primeiro nome” antes de sugerir casualmente um sobrenome improvisado: “Seu sobrenome é Smith, vamos lá. Esse é um bom nome?”

O criador de The Walking Dead revelou anteriormente a origem do nome de Negan em um episódio de Talking Dead de 2016, explicando que ele queria que o nome do vilão “soasse negativo”.

“Eu gosto de inventar nomes que não são realmente nomes, e então eu procuro no Google e fico tipo, ‘Ah, sim, alguém tem esse nome’, o que acontece de vez em quando”, disse Kirkman. “Eu só queria que o nome soasse negativo de alguma forma, então eu o chamei de ‘Nagus’ por um longo tempo, o que pensei ser apenas uma palavra que tirei do nada, mas aparentemente é como o líder Ferengi… no Star Trek: Deep Space Nine. Então eu pensei, ‘Bem, eu não posso chamá-lo de Nagus.’ Então eu disse ‘Negan, parece ótimo.'”

Continue lendo

11ª Temporada

Revelada data de estreia da 11ª temporada de The Walking Dead

The Walking Dead retorna em Agosto para a última temporada, que contará com 24 episódios e deve ser dividida em 3 partes.

Rafael Façanha

Publicado há

em

Logo da 11ª temporada de The Walking Dead com algumas cenas chaves dos novos episódios mostrado no teaser.

O início do fim. The Walking Dead se encaminha para sua última temporada e ontem (04/04), logo após a exibição do episódio final dos extras, a AMC revelou a aguardada data de estreia da 11ª temporada.

Diferente dos anos anteriores e para a alegria dos fãs, The Walking Dead retornará mais cedo este ano: 22 de Agosto de 2021. Além disso, a temporada contará com um total de 24 episódios, que muito provavelmente serão divididos em três partes.

Na última temporada, Daryl (Norman Reedus), Carol (Melissa McBride) e Maggie (Lauren Cohan) devem encontrar uma maneira de conviver com Negan (Jeffrey Dean Morgan) após a derrota dos Sussurradores. Enquanto os sobreviventes reconstroem Alexandria, Eugene (Josh McDermitt), Ezekiel (Khary Payton), Yumiko (Eleanor Matsuura) e a Princesa (Paola Lázaro) estão em uma missão para fazer contato com uma nova comunidade que expandirá ainda mais o universo de The Walking Dead.

“As apostas serão altas – veremos mais zumbis, toneladas de ação, novas histórias intrigantes, locais nunca antes vistos e nossos grupos juntos em uma comunidade pela primeira vez, tentando reconstruir o que os Sussurradores tiraram deles.”, disse Angela Kang (showrunner e produtora executiva) sobre a 11ª temporada de The Walking Dead.

Norman Reedus, Melissa McBride, Lauren Cohan, Christian Serratos, Josh McDermitt, Seth Gilliam, Ross Marquand, Khary Payton e Jeffrey Dean Morgan voltam ao lado de Callan McAuliffe, Eleanor Matsuura, Cooper Andrews, Nadia Hilker, Cailey Fleming, Cassady McClincy, Dan Fogler, Angel Theory e Lauren Ridloff.

Os novos membros do elenco incluem Margot Bingham como Stephanie, a voz no rádio de Eugene, e Michael James Shaw como Mercer, um membro do alto escalão dos soldados de Commonwealth (Império). Também teremos o retorno de Okea Eme-Akwari e James Devoti como Elijah e Cole, respectivamente, membros do grupo de Maggie que foram introduzidos nos episódios extras da 10ª temporada.

Quais as suas expectativas para a 11ª temporada? Quais as suas teorias? Deixe todos os seus pensamentos nos comentários abaixo!

Continue lendo

Destaque

CRÍTICA | The Walking Dead S10E22 – “Here’s Negan”: Ele voltou?

Here’s Negan foi o vigésimo segundo episódio da décima temporada de The Walking Dead. Veja a nossa crítica ao episódio e discuta conosco.

Avatar

Publicado há

em

Negan procurando Lucille e um zumbi de fundo em imagem da 10ª temporada de The Walking Dead

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do vigésimo segundo episódio, S10E22 – “Here’s Negan”, da décima temporada de The Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

Talvez o mais esperado entre os episódios extras desta décima temporada de The Walking Dead, “Here’s Negan” contou com riqueza de detalhes a origem de Negan, nos mostrou a Lucille original, homenageada no famoso taco de baseball e, de quebra, deixou uma pulga atrás da orelha dos espectadores na cena final: Negan voltou?

Talvez o fato mais simbólico deste episódio tenha sido o nascimento e a morte do vilão estarem relacionados à Lucille: quando ele ganha a arma de madeira e, anos mais tarde, quando ele se despede de vez do taco e, subjetivamente, da esposa. As chamas que queimaram a casa onde ele morava com Lucille – e onde ele deixou o corpo transformado – também representam o início do Negan do mal, que sente raiva e desejo de vingança que, segundo ele, são representados pela cor vermelha – cor que queima como o fogo. Este mesmo fogo bota fim ao taco e representa a despedida definitiva de Lucille (das duas) e o suposto renascimento do implacável líder dos Salvadores.

O que a história de Negan deixa para a 11ª temporada promete: o embate dele com Maggie. A viúva segue cheia de desejo de vingança e vai para cima do inimigo na primeira chance que tiver, agora que ele decidiu voltar para Alexandria. A decisão de Carol e do conselho da comunidade em banir Negan visava apenas protegê-lo e deixar o ambiente confortável para que Maggie pudesse voltar para o local. Agora que os dois serão vizinhos, a coisa tende a estourar.

Flashbacks: o taco e a jaqueta

A forma que The Walking Dead escolheu para contar a história de Negan e Lucille não poderia ser melhor. Um capítulo muito bem produzido e conduzido – talvez o melhor destes seis episódios bônus – e que preenche lacunas que antes deixavam o passado do vilão obscuro. Negan amou a esposa, principalmente nos momentos finais da vida dela, quando fez de tudo para mantê-la viva, buscando tratamento para o câncer da amada mesmo no colapso do mundo. No meio do caminho, ele encontra dois dos objetos que vão marcar sua trajetória como vilão.

Para conhecermos a história completa precisamos passar por três flashbacks. O primeiro quando Negan está rendido pelo que parece ser uma gangue de motociclistas que quer saber aonde ele consegue medicamentos que são tão difíceis de serem encontrados no apocalipse. As primeiras vítimas do Negan sombrio virão deste grupo.

O segundo flashback é o que nos mostra quem tanto queríamos ver. Lucille, interpretada pela esposa de Jeffrey Dean Morgan na vida real (Hilarie Burton), já doente, tem uma relação amorosa com o marido, que faz tudo por ela no momento de maior necessidade, mas ambos sabem que o passado não o favorece. Talvez para compensar o mal que causou à esposa, Negan corre atrás de medicamentos com um grupo liderado por um médico que tem acesso aos remédios que ele precisa e está disposto a ceder o tratamento que Lucille precisa.

A primeira surpresa do episódio aparece quando Negan tenta roubar os remédios e é nocauteado por Laura, que, mais tarde, seria uma da fieis escudeiras do líder dos Salvadores. A arma utilizada? O taco de baseball, dado por ela para que o novo aliado se protegesse da gangue que tomava conta das estradas à noite. A mesma gangue que o renderia para saber a origem dos remédios.

Já a jaqueta é um presente de Lucille, mas que havia sido comprada pelo próprio Negan, o que nos leva para o terceiro flashback do episódio, que ocorre antes do fim do mundo, em um raro gesto da série em mostrar o mundo como era antes do apocalipse. Mesmo desempregado, ele comprou o item por 600 dólares prometendo à esposa ter um plano para ganhar dinheiro. Talvez o gesto seja uma introdução à personalidade do Negan pré-apocalipse: um homem aparentemente irresponsável que, além de tudo, ainda traía a esposa.

A descoberta ocorre justamente no momento em que Lucille, sozinha, descobre que tem câncer. Ela liga para o marido e para a melhor amiga, mas os dois não a atendem e ela tem a primeira pista de que os dois tinham um caso. O fato, no entanto, só é revelado por ela quando os dois estão decidindo se Negan deve sair em busca dos medicamentos necessários para a quimioterapia, já no apocalipse.

É a morte de Lucille, afinal, que faz nascer o Negan do mal. Ao retornar ao acampamento dos motociclistas para salvar Laura e o pai e vingar a morte da esposa, ele já apresenta todos os trejeitos daquele que fundaria, mais tarde, os Salvadores. Lucille, agora representada pelo taco de baseball, começa a fazer suas primeiras vítimas poucas horas após a morte daquela de sua xará, e aqui é interessante notar que a primeira vítima da arma foi um segurança aleatório do acampamento, e não a Lucille original, como ficou perto de acontecer. Negan não teve coragem de matar a esposa com suas próprias mãos, e preferiu botar fogo na casa onde eles moravam. Ele põe fim à Lucille, de fato, já nos dias atuais, quando queima e Lucille de madeira se despedindo e pedindo perdão à esposa.

De volta a Alexandria

A despedida definitiva de Lucille pode representar, sim, um possível retorno do Negan que conhecemos, mas também pode ter outros significados. Sem o taco, o personagem pode ter simplesmente morrido, ficado nas chamas, e agora ele quer se redimir com Maggie e buscar seu espaço dentro da comunidade. Se não conseguir, ele provavelmente vai morrer pelas mãos da viúva. Neste caso, Negan provavelmente julga que não tem mais nada a perder.

Fato é que o embate entre os dois ficará entre os momentos mais esperados da décima primeira temporada. Como ela vai confrontá-lo? Como ele vai tentar mudar a cabeça dela? Vamos ter que esperar para descobrir.

E você, o que achou de “Here’s Negan”, o vigésimo segundo episódio da décima temporada de The Walking Dead? Deixe sua opinião nos comentários e vote na enquete abaixo!

Continue lendo

EM ALTA