Siga-nos nas redes sociais

HQ

The Walking Dead Deluxe 1 – Letter Hacks: Respondendo aos fãs

Confira o especial “Letter Hacks” da The Walking Dead Deluxe 1 com respostas de Robert Kirkman e sua equipe sobre questionamentos dos fãs.

Publicado há

 

em

A The Walking Dead Deluxe 1 foi publicada em 7 de Outubro de 2020 nos EUA, dando início às publicações das edições coloridas dos quadrinhos.

Para justificar o nome que referencia a ser uma edição de luxo, os fãs das HQs podem enviar cartas com perguntas à equipe e ao próprio Robert Kirkman no e-mail [email protected]. Essas cartas serão respondidas em uma das seções de conteúdo extra chamada de “Letter Hacks”.

Além da Letter Hacks, um dos outros conteúdos extras e super especiais que tem na The Walking Dead Deluxe é o “Cutting Room Floor“, onde o Kirkman comenta sobre os principais tópicos e o porquê das decisões do roteiro.

Abaixo, está a Letter Hacks de The Walking Dead Deluxe 1 que, por ser a primeira, é uma carta do próprio Kirkman aos fãs.

Letter Hacks – The Walking Dead Deluxe 1

“Leia de novo.”

Alerta de spoiler se você ainda não leu essa saga. Vá em frente e pule para o próximo parágrafo se não quiser saber de onde vem essa frase acima. Certo… tudo pronto? Essas foram as últimas palavras faladas na edição final dessa saga. Não vou dizer quem as disse ou a que se referem, mas isso é o que foi dito. Quando escrevi essa frase, eu queria que fosse metalinguística. Ela pertence à história de um jeito emocional, mas também tem um sentido literal no mundo real. Agora que você leu toda a saga The Walking Dead e sabe como se encerra e onde te deixa emocionalmente, você vai ter uma perspectiva diferente do que está lendo. Essa jornada vai parecer diferente agora. Sempre senti que The Walking Dead era uma história de esperança, mas quase ninguém conseguiu ler assim sem saber como as coisas terminariam. Então agora, os leitores podem, pela primeira vez, enxergar a história como eu enxerguei, conforme eles vão lendo.

Certo, chega de falar disso.

Então, por que estamos aqui? Por que The Walking Dead foi impressa em preto e branco? Bom… o verdadeiro motivo foi que quando The Walking Dead estreou há 17 anos atrás, era o sexto livro que eu tinha publicado na Image, e nenhum desses passaram da edição Nº6. Invincible tinha lançado dez meses antes e estava parecendo bem duvidoso que tinha passado a edição Nº12. Imprimir quadrinhos em preto e branco é mais barato do que colorido obviamente, então pensei que se o livro fosse em preto e branco iria, com certeza, chegar até a edição Nº6 e, se tivéssemos sorte, até passar da edição Nº12. Os tempos eram diferentes.

Além disso, Noite dos Mortos Vivos, o primeiro filme de zumbi dirigido pelo Romero, o filme que deu início à toda essa maluquice, era em preto e branco. No desenvolvimento inicial, essa saga também iria servir como uma falsa continuação para Noite dos Mortos Vivos, e iria até usar o mesmo nome já que tinha se tornado domínio público. Então, parecia certo fazer a saga em preto e branco.

O último motivo… sangue. Essa saga é extremamente sangrenta, e pode ficar bem nojento às vezes. E mesmo que eu não entenda o porquê, algumas pessoas dizem que isso é desagradável. No entanto, quando apresentadas em preto e branco, essas cenas podem ser menos chocantes e nojentas. E por mais que eu ame essas cenas sanguinárias, eu não queria ofuscar e emoção da cena e, em preto e branco, sinto que evita perder o foco de toda emoção e perdas para todo aquele vermelho espirrando.

Então, por que publicar a saga colorida agora? Bom, tem vários motivos.

Ao longo dos anos, tiveram inúmeras cenas que eu queria que fossem coloridas porque eu sentia que teriam mais impacto se tivesse a cor para chamar atenção para uma coisa ou outra. Algumas vezes, eu considerei fazer algumas cenas ou edições coloridas, mas isso sempre me pareceu como um erro.

Desde que a série surgiu, eu ouvi de inúmeros fãs de TV que tentaram ler os quadrinhos, mas não conseguiram por ser em preto e branco. Aparentemente, algumas pessoas simplesmente não se importam com quadrinhos preto e branco.

O principal motivo é que com essa saga completa colorida, eu acho que será um ótimo jeito de introduzir tudo para um novo público. Apesar das notícias recentes de The Walking Dead estar chegando ao fim com sua 11ª temporada, The Walking Dead ainda vai estar explodindo as telas de televisão com novos conteúdos por anos e, quem sabe, décadas, com várias séries derivadas que se passam no mundo de The Walking Dead. Essa é a oportunidade perfeita para apresentar as maravilhas dos quadrinhos e puxar mais pessoas para esse meio de entretenimento que amamos tanto. Outra coisa é que, mesmo que The Walking Dead tenha sido criada para ser lida de uma vez, eu acho que o formato de uma edição por vez, que permite criar expectativas entre os lançamentos das edições (e torturar vocês um pouco) é o formato ideal. É por isso que não temos planos de juntar essa saga colorida em volumes nunca. Se você quiser vivenciar essa saga completa colorida… vai ter que comprar as edições separadas.

Essa saga também nos dá a oportunidade de trabalhar com algumas pessoas incríveis.

Faz tempo que Dave McCaig é meu pintor de quadrinhos preferido. O trabalho dele sempre se destaca para mim, não importa o que ele esteja colorindo. Ver esse mundo pelos tons dele é uma visão a ser apreciada. Enquanto eu digito isso, ele está se aproximando da conclusão das primeiras 100 edições (ele tem trabalhado nisso por quatro anos!) e, cara… está SENSACIONAL. O trabalho de Charlie Adlard e Tony Moore nunca ficou tão bom.

Também estamos trabalhando com David Finch, Julian Totino Tedesco e Arthur Adams em novas capas. Tem sido incrível ver esses três dar uma nova visão aos personagens que todos amamos.

Finch vai cuidar das capas principais da saga, mostrando novas interpretações das cenas de cada edição. Às vezes brincando com a capa original como nessa primeira edição, e às vezes fazendo algo completamente novo. Estão todas incríveis. Mal posso esperar para vocês verem o que vem pela frente.

Tedesco não vai fazer uma capa para todas as edições, ele só vai aparecer de tempos em tempos para emprestar o seu talento para algum momento memorável da saga, como Rick encontrando a Garota da Bicicleta, ou chegando em Atlanta pela primeira vez, etc. Então, fiquem de olho nesses momentos.

Adams vai desenhar o nosso elenco icônico conforme forem aparecendo no livro. Ele não vai cuidar de TODOS os personagens que aparecerem, mas os maiores e mais importantes serão ilustrados por esse artista lendário.

Nós até temos o artista original Charlie Adlard voltando para desenhar uma série de capas que se conectam nas primeiras seis edições, mostrando a visão dele de eventos nas únicas seis edições que ele não desenhou originalmente.

As capas originais de Tony Moore para a saga serão incluídas com uma camada fresca de tinta do talentoso Sr. McCraig até a edição Nº25, que foi quando Charlie finalmente assumiu sozinho as capas, e veremos McCraig re-colorindo o trabalho fantástico dele.

Uma das coisas mais legais disso é que estamos recebendo um upgrade no departamento de digitação e impressão. O letrista da saga Rus Wooton vai voltar para reescrever as primeiras 19 edições que eu escrevi sozinho. Então, enquanto eu estou sendo muito cuidadoso para não modificar nenhum diálogo (porque depois que eu começar a mudar alguma coisa… tudo vai ter que ser mudado), nós vamos atualizar a escrita e corrigir qualquer erro que possa ter passado ao longo do caminho.

Então, eu não poderia estar mais animado com essa apresentação especial da saga que muda tudo para mim. Espero que você se junte a nós para o que parece que será uma aventura divertida de 8 anos em que embarcamos mais uma vez nessa jornada.

Será uma experiência divertida. De novo.

– Robert Kirkman
Backwoods, CA
Setembro de 2020

Publicidade
Comentários