Siga-nos nas redes sociais

3ª Temporada

Sarah Wayne Callies Admite que “Lori precisa Morrer”

Publicado há

em

Andrew Lincoln (Rick), o produtor executivo Glen Mazzara e o criador dos quadrinhos e produtor executivo Robert Kirkman também pesam o casamento de Rick e Lori e o que está por vir na 3ª temporada de The Walking Dead.

[Atenção: contém spoilers da HQ de The Walking Dead]

Rick e Lori não estarão mesmo em uma boa situação quando a terceira temporada de The Walking Dead voltar, em 14 de outubro.

Rick (Andrew Lincoln) colocou um fim repentino no estranho triângulo amoroso entre ele, sua esposa Lori (Sarah Wayne Callies) e Shane (Jon Bernthal) no penúltimo episódio da segunda temporada, o que teve um grande impacto sobre seu casamento e sobre o grupo. O ex-xerife pagou o preço quando revelou para sua esposa gestante que ele (bem, tecnicamente, foi o Carl) acabou com a vida do ex-amante dela – e que todos estavam infectados.

“A bomba que caiu sobre Rick e Lori no episódio final da segunda temporada não foi ‘Oh meu Deus, você me disse para matar Shane; oh meu Deus, você matou Shane’ – a bomba foi o fato de que eu queria ter matado Shane,” Callies disse aos jornalistas na festa da edição #100 da HQ de The Walking Dead, em San Diego.

Com Shane em sua contínua busca pelo amor de Lori – e convencido de que o bebê que ela carregava era seu – Lori plantou uma perigosa semente na mente de Rick quando ela sugeriu que seu ex-melhor amigo poderia ser uma ameaça muito maior do que ele poderia imaginar.

Nesse mês na Comic-Con, Callies disse aos fãs inquietos de Walking Dead que ela acha que Lori “fez tudo que podia para lidar com Shane; ela não disse ao Rick para matá-lo, ela disse para ele o vigiá-lo, e ela estava certa – e o homem certo acabou ganhando aquela briga”.

Com o grupo fora da segurança e da calmaria da fazenda e indo em direção da prisão e de Woodbury, onde encontrarão grandes personagens, incluindo o temido Governador (David Morrisey), Lori está agora preocupada que Rick esteja se transformando em alguém irreconhecível.

“O medo de Lori é que, ao matar Shane, Rick tenha se tranformado nele, que ele tenha se tornado um homem que não é uma pessoa compassiva, humana, mas alguém que agora, de alguma forma, é frio e sedento por sangue,” diz Callies.

A mudança de Rick se tornou evidente nos momentos finais da segunda temporada quando ele disse as palavras que deram inicio à “Ditadura Rick”: “Isto não é mais uma democracia,” saindo de um dos momentos mais difíceis pelo qual já passou.

“Ele está cansado das pessoas enrolando e cochichando,” Lincoln disse aos jornalistas. “É nesse momento que ele passa pelas piores 48 horas desde que matou Shane; ele teve que matar seu melhor amigo por esse grupo, ele está furioso e confuso.”

Enquanto o grupo avança para a aparente segurança que pode ser fornecida atrás das grades da prisão, Rick e Lori precisam lidar com o desmoronamento de seu casamento, incluindo o desgosto de Lori pelo ato brutal de violência de seu marido, e também pelo seu próprio envolvimento com a morte de Shane.

“Parte do horror visto naquele ultimo episódio foi a repulsa de Lori pelo seu papel na morte de Shane,” diz o produtor executivo Glen Mazzara. “Eu acho que ela se culpa. Não sei se ela teve a intenção de incitar Rick, mas foi o que ela fez. Eles têm de lidar com isso. Ela está grávida, eles não sabem quem é o pai da criança… eles não podem se divorciar. Como arrumar esse casamento assim, na frente de todos?”

Na HQ de Robert Kirkman, na qual a série da AMC é baseada, Lori dá à luz uma menina pouco antes da prisão ser brutalmente invadida pelo Governador. Ambas tentam fugir do ataque violento, mas tudo acaba em tragédia.

Essa é uma parte da história que tem grande impacto naquilo que Rick vai se tornar, e Callies acha que é necessário incorporar isso na serie de TV.

“[O ex-produtor executivo] Frank Darabont e eu – antes dele ser tragicamente e injustamente afastado da série – costumávamos conversar sobre isso,” diz Callies. “Eu argumentava que achava necessário matar Lori e acho que, apesar de todas as outras mudanças que fizemos na adaptação para TV, matá-la faz algo com Rick que é vital para a história e que não pode ser feito de outra maneira.”

“Eu tenho dito isso desde o começo: não só estou de acordo com a morte de Lori, eu acredito que isso deve acontecer,” diz Callies, que sabe que isso é natural ao se fazer parte de uma serie como The Walking Dead. “Eu tenho interpretado Lori visando seu fim”.

Lincoln notou que neste momento da história seu companheiro da HQ está na sua melhor forma. “[Rick] é um cara que começa em algum lugar como xerife, mas agora ele não pode mais ser o exemplo de lei e ordem e ele é jogado nesse papel de liderança,” ele diz, tomando decisões que são grandes e ao mesmo tempo erradas. “Você continua torcendo por ele, mesmo sabendo que ele não tenha tomado as melhores decisões porque está sendo guiado por um senso moral.”

“Estamos entrando em uma parte da série que é sobre o casamento de dois personagens brilhantes da HQ, e como eles se encaixam nesse mundo cru, sujo  e emocional, fazendo com que dois mundos se encontrem, cada qual com seu conceito,” ele adiciona.

Enquanto a morte de Hershel (Scott Wilson) teve um adiamento de última hora na série– Mazzara e companhia decidiram que a morte dele seria sem fundamento – Kirkman diz que já havia pensado em matar Rick na HQ.

“Teve um momento muito cedo na HQ – na edição #6 – no qual eu quase matei Rick ao invés de Shane, porque eu pensei que seria interessante fazer dele o personagem principal, tendo assim uma historia sobre Shane sendo o líder e como Carl lidaria com o fato de que seu pai está morto e que sua mãe está com esse cara,” diz Kirkman, tendo em nota que a ideia de matar Rick nunca sequer foi considerada para a serie de TV.


Fonte: Hollywood Reporter
Tradução: Jessica Storrer / Staff WalkingDeadBr

Publicidade
Comentários

EM ALTA