Siga-nos nas redes sociais

Entrevista

Greg Nicotero Fala Sobre Evil Dead 2 e The Walking Dead

Publicado há

em

Quando se fala em criar efeitos de cair o queixo em filmes, ninguém melhor do que Greg Nicotero para o trabalho, um dos mestres do KNB EFX, aquele que é responsável pelos maiores e melhores efeitos na indústria nos últimos 25 anos.

Com o recente lançamento de Evil Dead 2 em Blu-ray, o Dread Central teve a breve oportunidade de sentar e conversar com o mestre da maquiagem sobre o trabalho dele na época do clássico e na regravação 25 anos depois. Nicotero também fala brevemente sobre os últimos dias de filmagem em The Walking Dead e mais.

Dread Central: Greg, obrigado por dar um tempo para falar comigo hoje. Eu nem posso imaginar o quanto cheia está sua agenda com o The Walking Dead no auge de tudo.

Greg Nicotero: “Quinta-feira de manhã acordei tão envolvido que nem mesmo hoje eu saberia dizer que dia era. Tudo que sei é que estava exausto por causa dos últimos dias de filmagem de “The Walking Dead” que foram bem difíceis. Nós gravamos todas cenas de noite na semana passada, estava por volta de 23 graus todas as noites, totalmente o oposto de quando começamos. É difícil imaginar, nós tínhamos corpos falsos congelando enquanto estavam no set, foi a primeira vez que aconteceu isso comigo.”

DC: Não consigo nem começar a imaginar algo assim. Agora falemos um pouco sobre suas produções pessoais começando com Evil Dead 2 Blu-ray porque eu acho que incluindo estes são notáveis. Não é como as características de por-tras-das-câmeras, mas toda a raiva de volta então ter aquele tipo de cobertura para um clássico Cult foi incrível. Então, obrigado por ter aquela ideia para filmar tudo.

Nicoreto: “Bem, eu tenho que dar grande parte do crédito para Tom Savini porque ele sempre gravou tudo, e eu acho que muito disso veio originalmente do Dick Smith porque Smith era um grande fã dos testes de maquiagem e em fazer testes de filmagem. Mas quando eu fui para o trabalho em Day of The Dead, eu parei de ser o cara que gravou tudo que fizemos naquele filme, e eu vi então como foi importante ter tudo gravado.”

“Então quando eu comecei Evil Dead 2 com Mark (Shostrom), eu tinha a câmera no ombro e filmei um monte do trabalho que tínhamos no Studio. Então quando deixamos o set, eram um monte de caras novos vivendo em diferentes casas em Waynesboro, Carolina do Norte, então tinha esse acampamento de verão, mas menos com toda a parte do massacre. Mas voltando vocês não precisam se preocupar do que foi encontrado na internet como arquivos ou fotos, todos estavam abertos a minha filmagem do Evil Dead 2, o que foi ótimo porque eu tinha muitas cenas perdidas. Sam e Bruce estavam realmente abertos para eu filmá-los – eles começavam a atuar para a câmera toda vez que eu virava a câmera na direção deles. Por causa daquilo agora eu tenho milhares de horas de material da gente em diferentes sets de filmagem porque eu percebi o quanto importante isso realmente era”.

“Foi tão incrível, embora boa parte dos cineastas que gostavam daquele filme buscaram inspiração em Evil Dead2. Eu estava trabalhando num projeto com Bill Paxton, e ele me contou como em uma manhã James Cameron apareceu na sua casa e disse para ele que ele tinha dois minutos para ficar pronto porque ele estava o levando para ver Evil Dead 2. E mesmo quando eu estava trabalhando com Robert Rodriguez no The Faculty, eu tive ele na minha casa e ele viu as fitas na minha estante. Ele não tinha nem ideia de que eu tinha trabalhado nisso, e quando ele descobriu, eu tinha algo como seis horas de “por-tras-das-cameras”, ele teve que assistir tudo naquela noite. Foi muito engraçado porque todos parecem amar o “baixo e sujo” abordagem cinematográfica, eu acho que os efeitos que fizemos em Evil Dead 2 tiveram um pouco de inspiração no tipo de sangue que vocês viram no filme Grindhouse de Robert. É um clássico por um motivo.

DC: Como um fã de efeitos práticos, o que eu mais gostei de ver na sua gravação foi o fato de Sam e todos terem criado um efeito mágico em Evil Dead 2 porque tudo tinha de ser feito na câmera. Quando você volta e olha para seu trabalho inicial, você sente uma certa nostalgia nos princípios dos efeitos especiais?

Nicotero: “Absolutamente. É verdade que não fazem mais filmes assim. É interessante. Eu pensei muito nisso e o que eu tirei para fazer um filme como Evil Dead 2, naquela época toda criatividade já virava trabalho. Claramente Sam era tão criativo, e ainda é, usou cada truque do livro que ele pode encontrar, ele adorava stop-motion, também usamos tela de projeção, algumas miniaturas, efeitos práticos, algumas animações depois alguns efeitos de menor escala para finalizar tudo.”

Dito isso, acho que Evil Dead 2 é um dos filmes mais engraçados para se ver que eu já trabalhei. Definitivamente é um filme especial para todos nós que fizemos ele, acho que é por causa do nosso talento no filme, ele realmente pegou efeitos especiais de todos nós para um nível bem diferente de trabalho. O que acho é que mesmo depois deste tempo maravilhoso, nós ainda trabalhamos com Sam (e mesmo Bruce) no novo filme “Oz” e Sam continua sendo o mesmo Sam de sempre. Ele ainda tem o mesmo amor e paixão por cinegrafia, e acho que ninguém pode calcular o tamanho do seu talento se não fosse por Evil Dead 2”.


Fonte: Dread Central
Tradução: @VampiraRock / Staff WalkingDeadBr

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA