Siga-nos nas redes sociais

Entrevista

Entrevista com Michael Rooker (Merle Dixon)

Publicado há

em

A estrela de Henry: Retratos de um Serial Killer e Cliffhanger discute sua tendência para ser o “Cara Mau” e descreve como é o papel que faz vestindo roupas de couro no calor de 49º C.

P: Você já estava familiarizado com The Walking Dead antes da série começar?

R: Eu era totalmente novato no assunto quando entrei nela.Eu recebi um telefonema, e fiz tudo o que podia para me interar no assunto, me envolver realmente na série. Quando eu começei a ler os quadrinhos, Não poderia só ler e colocalos de canto. Começei a pensar coisas do tipo: Oh meu Deus, o que aconteceria se os Zumbis começarem a vir para minha casa? Como eu iria me proteger? O que eu faria para proteger minha família? Sou louco mesmo.

P: Você frequentemente é retratado como sendo o “Cara mau”. Existe algo sobre os papéis que lhe agrada?

R: Na verdade tudo começou quando eu fiz o meu primeiro filme. E vem acontecendo desde então. eu não sou um fanfarrão totalmente! O que me dão pra fazer eu tenho que olhar e decidir se quero ser aquele peresonagem ou não. Muitas vezes é esse tipo de papel que recebo. Você sabe como é, alguém vai ver o seu trabalho e como ele foi feito, e decide lhe chamar para fazer um papel parecido em outro filme. Eles pensam: “Oh Que cara bom! Quero ele no meu filme”. Eu não me importo, eu me divirto fazendo isso. Um monte de papéis nem sempre são bandidos maus. Alguns são de caras… digamos… que tem motivação própria!

P: Você tem feito muitos filmes de terror. Qual é a sua categoria de terror favorito: Monstros, Zumbis, ou Serial Killers?

R: Todas as opções acima. E sabe o que mais? Quando você pensa que eu realmente tenho feito o monte de filmes de terror. è incrível, Tenho feito alguns realmente bons. Mas não chega a ser um monte deles!

P: Seu personagem em The Walking Dead não está na história em quadrinhos de Robert Kirkman. Como você se sente sobre isso?

R: É totalmente mais libertador. Quer dizer, eu não tinha esse exemplo para trabalhar, então isso me deu liberdade para usar minha própria imaginação, e que é uma coisa boa, tanto que estou preucupado. Todos os envolvidos sabiam ( e é definitivamente conhecimento de todos agora) que não vão ser novos os personagens na série. Então, Minha cara [ Merle ] e meu Irmão [ Daryl ] são caras novas e eu pensando em colocar minha marca nele. pelo menos tenho um bom tempo para fazer isso.

P: Falando do irmão do Merle, você e Norman Reedus chegam a quaisquer peculiaridades que só irmãos saberiam para os personagens?

R: Eles tinham Norman Olhando para as cenas que eu tinha feito para que ele pudesse ouvir minha voz. Não era para imitar, mas para conhecer. Tipo, nós somos irmãos e saíamos muito juntos. Ele é um ator incrível. E eu acho que quando vejo o seu trabalho e vejo o meu trabalho realmente fazemos uma boa combinação. Nós poderiamos ser mesmo irmãos na vida real.

P: Merle usa muito couro. Como foi no calor de Atlanta?

R: Cara, eu queimei minha bunda lá em cima! Alguém disse que estava fazendo uns 49 graus no telhado. Quando eu estava algemado e eu estava lá em cima! Sentado no terraço, que era como estar em um forno, e nós estávamos lá todos os dias por vários dias.

P: Você teve que bater no irone Singleton – um ex-atleta de futebol da faculdade. Foi difícil para o estágio?

R: [risos] Eu tenho a minha técnica. Ele é um grande cara e nós nos divertimos muito nesses papéis. Foi uma cena muito física, ambos estávamos exaustos. Mesmo que fosse falso, nós ensaiamos e fizemos o que podíamos para torná-lo o mais real possível, sem realmente bater uns nos outros. Isso é uma coisa que você trabalha fora entre os atores e os coordenadores de dublês e tudo funcionou muito bem.

Fonte: AMC
Tradução: Equipe Walking Dead BR

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA