Siga-nos nas redes sociais

3ª Temporada

Emily Kinney fala sobre cuidar de bebês e o desenvolvimento de Beth na terceira temporada

Rafael Façanha

Publicado há

em

A atriz Emily Kinney, que interpreta Beth Greene em The Walking Dead, descreve como foi exibir seus talentos como cantora na série, trabalhar com bebês e finalmente ter sangue zumbi nas mãos de Beth.

P. Você mora em Nova York. Você já perdeu completamente o anonimato com o sucesso do show?

R: Após o primeiro episodio da terceira temporada, onde eu canto, percebi um pouco mais de mudanças. Agora quando eu saio as pessoas me abordam e conversam comigo como se me conhecessem! E eu: “Oh, como você se chama?” É legal ver como as pessoas acompanham o show.

P. Você cantou “Parting Glass” com Lauren Cohan na première da terceira temporada. Você estava muito nervosa gravando em estúdio para o show?

R. Foi definitivamente uma nova experiência. Eu realmente gravei poucas vezes antes, e minha última vez foi com um amigo em seu pequeno estúdio. Foi legal focar mais nos vocais e não na trilha inteira. A equipe apoiou bastante. Você termina uma música e então comemora. Alguém me perguntou se eu estava nervosa cantando, mas não estava mais do que em qualquer outra cena.

P: Como os produtores descobriram seus talentos para o canto?

A: [Co-Produtor executivo e escritor] Evan Reilly foi a um dos meus shows em Nova York. As pessoas sabiam que eu era compositora, e sabiam que eu poderia cantar, mas acho que foi ideia de Glen [Mazzara].

P. Você acha que cantar é uma boa maneira de lidar com o apocalipse?

R. Acho que quando você tem abrigo e comida, pode fazer você se sentir bem, então, sim!

P. Você esteve recentemente em Law & Order: SVU. Se você pudesse, você gostaria de estar presa no mundo The Walking Dead ou no mundo de SVU pelo resto da sua vida?

R. É uma pergunta difícil. Eu acho que em The Walking Dead. Em SVU, meu personagem era muito solitário. Ao menos no show eu tenho minha família.

P . Na última temporada você nos contou como não conseguiu matar ainda um walker. Você pode nos contar como foi sua primeira morte?

R. Foi no primeiro episódio e não tenho como falar como eu estava feliz. Eu o trouxe para a cerca com um pé de cabra! Foi muito bom!

P: Beth tem bastante tempo em cena com o bebê. Como vocês desenvolveram esse laço?

R. SIM, mas depois tivemos que trocar os bebês. Eu adorei os primeiros dois bebês, mas era para ser um recém nascido, e eles ficam enormes muito rápido. Então eles tem que contratar novos gêmeos. Mas um bebê chorando no set dá uma sensação de realidade a isso. Eu acho que sou a melhor [em segurá-los]. Andy é também muito bom com bebês. Talvez por ter filhos.

P. Beth teve que lidar com seu pai ferido nessa temporada. Você já teve que lidar com algum membro de sua família ferido?

R: Não da mesma maneira. Minha mãe foi operada no ano passado. Eu estava tão preocupada com ela e lembro de me sentir tão triste quando ela teve que passar por aquilo. Eu acho que qualquer um de nós pode imaginar que estamos muito próximos de nos ferirmos. Mesmo que você saiba que eles estão passando por essa dor para melhorar, é a pior coisa que há, pois você só quer ajudar.

P: Beth e sua família tiveram que deixar a fazenda no final da última temporada. Você já teve que lidar com o desafio de deixar um lugar que você amava para ir a outro lugar?

R: Quando eu era pequena me mudava muito, na verdade. Na segunda série eu acho que fui para três diferentes escolas. Estávamos em Nevada, e Oregon, bem como em alguns lugares diferentes no Nebraska. Eu fui para a high school na mesma cidade. Uma coisa que me lembro e que era interessante, foi ir para a casa dos meus pais pela primeira vez, uma vez que eles estavam sempre se mudando para outros lugares e eu tinha essa sensação de ser tão diferente. É bom, pois isso faz você ver que sua família é o porquê de vocês estarem juntos.


Fonte: AMC
Tradução: @BinaPic / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA