Siga-nos nas redes sociais

3ª Temporada

Danai Gurira fala sobre a evolução emocional de Michonne

Publicado há

em

Se o episódio “I Ain’t a Judas” pode ser considerado um presente para os fãs de Andrea, o de domingo passado, “Clear”, foi o mesmo para os admiradores de Michonne, a guerreira misteriosa interpretada por Danai Gurira. Além de ser boa manuseando uma katana e de desconfiar de quase todas as pessoas vivas, nós não sabíamos muito sobre Michonne… até episódio passado. Agora nós sabemos que Michonne pode e se abre para as pessoas, mesmo nesse difícil mundo pós-apocalíptico, mas nas condições e no código dela.

O E! Online conversou com a fabulosa e dramaturga Gurira para saber sobre a evolução de sua personagem e o que o último episódio, Clear, significou para ela.

Eu imagino que deve ser um tanto libertador, de certa maneira, fazer um personagem que se expressa através de uma katana.

Eu sempre fui uma pessoa ativa. Até mesmo no teatro, nas peças que eu crio, eu gosto de dar aos atores um treino físico. Eu amo esse tipo de libertação, ser capaz de se conectar com uma arma e falar através dela, sendo a katana a lingua que Michonne fala e também sendo seu cobertor que dá segurança. É uma conexão muito forte. Eu nunca havia interpretado um personagem que fosse tão definido, de certa maneira, por sua arma. É tão original criar esse personagem que usa a katana para ser sua voz, de certo modo.

No episódio Clear, seu personagem revelou um pouco de si e de seu passado: como Rick, ela já falou com um ente querido falecido, no caso dela seu namorado. O quanto você mergulhou no passado de seu personagem? E nós veremos mais a respeito disso?

Isso é algo que Michonne não iria querer ver revelado de forma rápida e fácil. Não seria verdadeiro falar a história dela. Vai ser contado como for contado. Você não verá ela falando aberta e completamente sobre isso. Você precisa saber todos os segundos de sua vida? Michonne entra nessa história quando já está transformando nesse alter-ego pós-apocalíptico. Nós não vemos ser traumas do passado, essa é a beleza de ser sua história sendo contada aos poucos agora. É isso que faz dessa história verdadeira e real. Nós não estamos em um mundo no qual todos têm de falar suas histórias seguindo um enredo de historinhas.

O que o episódio disse mesmo sobre Michonne?

Esses dois últimos episódios para Michonne – falar com Andrea e então se conectar com Carl e com Rick – acredito que tenham sido como um tipo de cura. Ela teve uma experiência bem específica com Merle e com o Governador, e agora, para mim, ela está se conectando de verdade com uma parte dela mesma que ela tinha dispensado até então. A habilidade de se conectar com pessoas e ser parte de um time, a habilidade de trabalhar em conjunto… Sua jornada tem haver com se reconectar com seu próprio coração.

E ela escolhe aceitar Rick e Carl.

O que é ótimo sobre Michonne é que ela é muito instintiva. Quando ela vê o Governador, ela percebe que ele é um cara mau. Ela consegue ver isso pela maneira como ele conduz as coisas. Ela vê através disso. Mas ela também consegue ver através da aspereza de Rick para com ela, ela percebe que ele é alguém com quem ela poderia se ajuntar. Ele é o cara que não a deu boas vindas, mas mesmo assim ela vê “É aqui que eu preciso estar. Eu posso respeitar esse homem.” Ela consegue ver através de tudo isso. E é por isso que ela é capaz de conversar com Rick. Ela é a primeira pessoa a falar com ele sobre o luto que ele está passando de uma maneira direta que nem aquela.

A discrição de Michonne, aquele mistério: você sabe que isso está matando os fãs de curiosidade, certo? Eles querem mais, mais e mais! Especialmente quando outros personagens na série não param de falar asneira, em comparação.

É um belo drama! É uma ótima dinâmica! Nós temos os faladores, e também temos os que não revelam muito. Eu devo elogiar meus chefes por fazerem um enredo tão bom. É real. É dessa maneira que seria: algumas pessoas iriam tentar resolver as coisas por meio de palavras, e outras diriam “Por que eu deveria compartilhar o meu passado? Não funciona, não serviria para nada.” Foi uma escolha poderosa e esperta na maneira como Michonne foi trabalhada.

Michonne e Andrea vão se reconciliar? Ela algum dia terá sua vingança contra o Governador e contra Merle?

Ela não entende porque Andrea não conseguia ver o que estava embaixo de seu nariz… sobre o que acontece a seguir, eu não posso falar. Você terá que perguntar aos meus chefes!

Eu entendo o porque de Michonne, Rick e Carl não terem parado para ajudar um estranho na estrada. E ao mesmo tempo, eu não entendo. Eu pensei bastante sobre isso.

Eu achei que aquilo foi brilhante. Isso é guerra. Você deve escolher e selecionar suas batalhas. Eu estava falando com uma mulher na Libéria, e ela precisa lidar com coisas similares a essa, situações nas quais você não pode ajudar todo mundo que você vê na estrada. Onde as coisas são terríveis, são escassas, onde você não pode confiar em ninguém, você deve criar seu protocolo pessoal. Isso trará desconforto para alguns espectadores. Eles querem seus heróis. Mas o que você viu na série, aquilo é real. Por isso foi brilhante: soou bastante verdadeiro.

Fonte: E! Online

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA