Siga-nos nas redes sociais

TWD World Beyond

CRÍTICA | TWD World Beyond S02E09 – “Death and the Dead”: A Dor da Despedida

Death and the Dead foi o nono episódio da 2ª temporada de The Walking Dead: World Beyond. Veja a nossa crítica ao episódio.

Publicado há

 

em

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do nono episódio, S02E09 – “Death and the Dead”, da 2ª temporada de The Walking Dead: World Beyond. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

O nono episódio da segunda temporada de TWD: World Beyond, intitulado “Death and the Dead” (“Morte e os Mortos” em tradução livre), se mostra um ótimo episódio ao desenrolar o plano de fuga dos Bennett e dos cientistas da CRM enquanto levanta a bola para o final da série na semana que vem.

Começando com um movimento ousado onde eles soltam bombas nos túneis, ocasionando a morte de vários soldados do exército – além de uma direção bem divertida com a câmera entrando no subsolo –, Death and the Dead começa mostrando que o episódio não vai ser menos elétrico do que sua cena inicial. Enquanto ainda notamos uma Hope (Alexa Mansour) meio insegura com o uso de Mason (Will Meyers) no plano, a garota também é sempre colocada em situações que a relembram que ela está de fato fazendo o correto ao tentar acabar com as operações do local.

Ao tentarem achar os galões de gás na antiga câmara fria, o laboratório de Lyla (Natalie Gold), Hope e Felix (Nico Tortorella) descobrem que os galões foram mudados de lugar. Hope precisa enfrentar a Lyla reanimada e enquanto ela tenta destruir a sua ex-madrasta, flashs dela acabam aparecendo em sua memória. A garota mais uma vez precisa matar mais um “pedaço” da sua apreciação por aquele lugar que parecia ser realmente um refúgio para a humanidade.

Silas (Hal Cumpston) e Elton (Nicolas Cantu) tentam ajudar Dennis (Maximilian Osinski) que foi baleado no último episódio. E embora seja completamente arbitrário pensar que ele deveria ter ficado com o pessoal no Perímetro, o levam de volta ao posto de trabalho. A conversa entre Silas e Dennis é bonita e aponta como Silas acaba perdoando Huck (Annet Mahendru) por conta da influência do seu chefe, que o garoto passa a valorizar como uma figura de autoridade, algo que nunca teve com o pai e perdeu com a morte do tio. Dennis, por sua vez, também enxerga em Silas não apenas um protegido, mas também uma chance de redenção pelos atos que a organização em que ele trabalha realizou com o garoto.

E, em busca de conseguir medicamentos para o ferimento de Dennis, Silas e Elton vão ao posto médico do CRM. A cena, em si, levava a conclusão de que um dos dois acabaria morrendo. Inclusive toda a sequência depois de Elton salvar Elton de Webb (Jesse Gallegos) aparentava muito que algo ia acontecer ali. Porém, para minha surpresa, eles introduziram um momento divertido e orgânico no episódio que remete bastante ao clima de inocência do primeiro episódio.

Utilizando a introdução do episódio passado, onde Indira (Anna Khaja) e Elizabeth (Julia Ormond) conversam enquanto a artista firma sua obra, um globo gigante de ferro, simbolizando a aliança entre as comunidades, os garotos acabam fugindo de uma horda de zumbi – que eles próprios atraíram – dentro do globo, descendo ladeira abaixo e atropelando todos os empties no caminho. Apesar de não entender como eles conseguiram soltar o globo, que provavelmente estava fundido no chão, para sair com ele, a cena é realmente muito divertida. Matt Negrette, o showrunner da série, disse que o plano dos roteiristas desde o começo da temporada era ter uma cena como essa e que a introdução do episódio passado, que mostrava a construção do globo foi justamente com o intuito de preparar o terreno para a sequência.

No ponto alto do episódio temos Felix, Hope, Mason, Iris (Aliyah Royale) e Percy (Ted Sutherland) tentando fugir enquanto são encurralados por Jadis (Pollyanna McIntosh) e Huck. A tentativa de fuga tem como barganha do grupo o fato de Mason ser filho do General Beale mas o impasse ainda continua sobre como eles poderiam sair de lá, de fato, vivos.

Enquanto tenta ganhar tempo para que um atirador de elite tente acabar com o plano da resistência, Jadis é confrontada sobre o motivo do CRM ter matado as quase cem mil pessoas de Omaha e da Campus Colony. A Subtenente explica que, de acordo com as previsões dos cientistas, as comunidades de Omaha e Portland seriam impossíveis de se manter independentes, o que ocasionaria numa futura escassez de mantimentos por parte da Civil Republic, posteriormente, em conflitos. Então, a melhor ideia que a CRM teve foi a de justificar o genocídio que eles realizaram.

A paixão com que Jadis fala sobre isso no momento, realmente defendendo o acontecido e o que eles tentarão fazer com Portland é doentio e tudo isso graças ao ótimo trabalho de Pollyanna McIntosh que mistura cinismo e entrega com muita naturalidade.

Todo esse segmento é de fato muito tenso, existe a ameaça humana, a ameaça zumbi, o fato de Huck ser posta em uma encruzilhada e precisar escolher entre manter o disfarce ou acabar com tudo de uma vez. No final, tudo dá errado quando Mason se aproveita de um descuido para fugir de Percy. O tiroteio começa, Huck põe Jadis de refém e Percy acaba sendo baleado. A cena da morte do Percy, por mais triste que seja, poderia ter sido um pouco mais respeitosa com o personagem que simplesmente aparece correndo e depois caído no chão. Basicamente descartaram o personagem quase que da mesma forma que fizeram com o tio do mesmo na primeira temporada.

Hope, finalmente, coloca na cabeça de que não existe amizade a ser feita com o povo da CR e em um momento de fúria pós morte de Percy, ameaça matar Mason, sendo impedida por Iris. Por mais que eu entenda que Iris tenha feito isso mais para proteger a irmã da culpa que ela carregaria – junto a culpa que já carrega pela morte da mãe de Elton –, não faz o menor sentido a própria Iris não matar o Mason. Não existiam mais soldados ao redor, Jadis estava neutralizada, ela poderia matar o garoto sem problemas ali, e faria muito mais sentido com o desenvolvimento mais agressivo que a personagem apresenta desde o início da temporada.

Depois de fugir, Elton e Silas encontram com Iris e Hope no meio da floresta e recebem uma ligação de Huck. Depois de também fugir de Jadis, a sargento vai atrás de Dennis e o encontra ferido. Apesar de não explicitar, é provável que Dennis tenha de fato falecido nos braços da esposa. E, no final, Huck acaba encontrando os containers com o gás que a CRM vai tentar utilizar para dar o mesmo fim que Omaha teve aos habitantes de Portland.

Continuo com as minhas apostas de que Huck pode morrer na series finale de TWD: World Beyond semana que vem. O episódio promete ser, de fato, uma guerra épica entre os insurgentes e os militares. Será que vamos ver o General Beale? Será que Portland será salva? Será que algum outro personagem de The Walking Dead pode aparecer no final? Só conseguiremos desvendar tudo na próxima semana.

O que você achou do episódio “Death and the Dead“? Deixe sua opinião nos comentários!

Publicidade
Comentários

EM ALTA