Siga-nos nas redes sociais

7ª Temporada

Sonequa Martin-Green fala sobre sua jornada de The Walking Dead para Star Trek

Publicado há

em

É o fim de uma era. Após cinco temporadas, Sonequa Martin-Green, a atriz que interpretou Sasha em The Walking Dead, está deixando o mundo dos zumbis. A guerreira Sasha – que não existe nos quadrinhos – teve seu fim na season finale da sétima temporada da série quando, ao invés de permitir que Negan [Jeffrey Dean Morgan] a usasse contra Rick [Andrew Lincoln] e o grupo, optou por tirar sua própria vida. Após ingerir a pílula envenenada que recebeu de Eugene [Josh McDermitt], Sasha esperava que sua versão zumbi pudesse acabar com Negan de uma vez por todas.

Martin-Green, que foi escalada para The Walking Deda pelo showrunner da época, Glen Mazzara, depois de ter feito testes para interpretar Michonne, contou aos telespectadores da série no programa Talking Dead da AMC, que a história de Sasha foi perfeitamente escrita. Abaixo, a atriz conta ao The Hollywood Reporter sobre como foi dizer adeus à Sasha e embarcar em Star Trek: Discovery.

THE HOLLYWOOD REPORTER: Como você está se sentindo nesta manhã?

SONEQUA MARTIN-GREEN: Me sinto extremamente grata e feliz, e um pouco agridoce.

Vamos voltar ao início. Como o showrunner Scott Gimple lhe deu a notícia de que Sasha morreria?

Sonequa Martin-Green: Eu fiquei muito impressionada com a maneira como as coisas são feitas quando chega a hora de alguém deixar a série. Nós temos tempo para digerir a informação e nos preparamos para o que está por vir. Fiquei muito grata por ter tido esse tempo. Quando ele [Scott Gimple] me disse que esse era o plano, fez sentido pra mim. Me pareceu correto aquele ser o fim da minha história como Sasha. E descobrir como aconteceria foi muito emocionante – eu achei perfeito. Na verdade, eu fiquei surpresa quando li o roteiro. Estava tão grata por aquilo e me senti muito honrada por terminar minha história daquele jeito.

Quanto você sabia sobre o que aconteceria, naquele momento?

Sonequa Martin-Green: Eu não me lembro exatamente quando eu recebi a ligação, mas eu sabia que [a morte de Sasha] seria na season finale. Eu não sabia que seria pela pílula envenenada, e nem de nada sobre o que aconteceria com Negan até algumas semanas antes. O que Scott me contou foi que seria um sacrifício heróico e que seria o final perfeito da história. Ele pensou sobre isso por um bom tempo e demorou para visualizar a cena como ela aconteceu. Eu confiei nele. Tive essa maravilhosa sensação de comprometimento e de apoio à isso – apoio à história. Quando eu descobri exatamente como iria acontecer, eu fiquei muito feliz.

É tão raro ver os telespectadores torcerem por um zumbi.

Sonequa Martin-Green: Sim! Que coisa única! Isso faz parte do que eu quero dizer quando digo o quão honrada eu fiquei por poder contar essa história daquela maneira, porque Sasha é como uma guerreira que segue em frente e continua lutando, mesmo depois de morta. Pudemos torcer por um zumbi, e isso estava nos planos de Sasha. A maneira como [o diretor da season finale e produtor executivo] Greg Nicotero trouxe isso à vida foi incrível. Eu sempre amei poder trabalhar com ele e me senti muito grata por ter essa oportunidade no meu último episódio.

Qual foi a sua reação quando você soube que Sasha morreria? Fez sentido para você? Acredito que tenha sido antes de “Star Trek” aparecer para você.

Sonequa Martin-Green: Star Trek não havia aparecido ainda. Eu fiquei extremamente em paz com isso [saber que Sasha morreria]. Fez sentido para mim e eu achei muito bonito. Ele [Scott Gimple] me contou sobre o propósito heróico disso. Eu amei poder chegar a esse ponto como Sasha, no meu desenvolvimento como ser humano, aonde ela pôde fazer algo tão grande quanto aquilo. Fiquei orgulhosa quando soube. Star Trek veio bem mais tarde, depois de tudo já estar decidido [sobre o futuro de Sasha]. Filmamos a season finale bem antes da oportunidade em Star Trek aparecer.

Você teve o jantar da morte?

Sonequa Martin-Green: Sim! Foi um momento muito especial e nós o celebramos muito, celebramos o que nós significamos uns para os outros e o quanto nós tocamos uns aos outros. Foi muito maravilhoso. Eu penso muito naquele momento. Foram tantas palavras de amor, lágrimas e essa comunhão que temos entre nós, eu também ganhei coisas e ouvi coisas muito lindas. Não consegui pensar em outra coisa durante semanas. E ainda penso. Penso no jantar e na celebração, nos meus últimos dias no set, e no último dia, e foi tão especial. Não consigo nem descrever. Meu coração triplicou de tamanho.

Há algo que você não pôde fazer como Sasha?

Sonequa Martin-Green: Houveram pessoas com quem eu não pude trabalhar, e isso me entristece um pouco, mas espero poder trabalhar com eles no futuro. Foi uma jornada tão compreensiva na série e eu pude me aprofundar muito emocional e fisicamente. Eu estive grávida enquanto ainda estava na série, e construi relacionamentos tão grandes, eu fiz parte de algo tão lindo que terminou de uma forma tão profunda – isso tudo é o sonho de um ator.

Seu marido, Kenric Green, ainda está na série como Scott, um membro de Alexandria.

Sonequa Martin-Green: Eu disse a ele que ele deveria me vingar! “Eu continuo em você!”, eu disse. Mesmo que ele não conhecesse Sasha muito bem, ele precisa me vingar mesmo assim!

Sasha teve um ótimo arco de quando apareceu pela primeira vez como alguém que estava mansa e calma, até chegar numa guerreira extremamente desenvolvida. Qual o seu momento favorito [de Sasha]?

Sonequa Martin-Green: Com certeza o último momento. Os meus momentos dentro do caixão, porque lá eu tive muito tempo para refletir minha jornada inteira como Sasha e ter sido dada a mim a escolha de tirar minha vida por um bem maior. O que poderia ser melhor do que isso?!

Michael Cudlitz retornou como Abraham na season finale. Quando foi filmada a cena de vocês?

Sonequa Martin-Green: Foi em algum momento durante as filmagens da finale, durante os 9 dias. Foi incrível. Nós estávamos esperando para saber se iríamos trabalhar juntos novamente na série, e em qual momento seria, e qual cena seria. Eu vivo chamando aquele momento de “momento culminante”, porque realmente foi. Você pôde ver o porque daquelas duas pessoas terem sido atraídas uma para a outra, o porque de terem trabalhado juntos e de se fortalecerem tanto juntos em tempos como aqueles. Você vê o amor entre eles e mergulha fundo na relação dos dois naquele momento. Foi uma coisa linda. De certa forma, nós carregamos o tema do episódio todo: isso se relaciona com todos, todos chegaram a um momento aonde estavam prontos para fazer qualquer coisa por essa luta. Eles não tem medo como tinham antes, de perder qualquer coisa. Rick diz isso quando está falando com Negan naquele momento heróico dele: “Faça o que você quiser fazer, leve quem quiser levar, mate quem quiser matar. Seu destino ainda está decidido.” Isso foi algo brilhante para aquele momento entre Sasha e Abraham, quando ele diz “É isso que nós fazemos.” Isso [a cena de Abraham e Sasha] conversa com todos os personagens. Foi incrível poder fazer aquilo e voltar ao motivo pelo qual Sasha estava tão determinada em tomar conta de Maggie. Era uma parte integrante do quebra-cabeças. E Michael é brilhante.

Você está oficialmente confirmada no papel do primeiro oficial Michael Burnham em Star Trek: Discovery. Como essa personagem se compara com Sasha?

Sonequa Martin-Green: Ser o primeiro oficial no navio será uma grande aventura porque nós não vimos isso acontecer antes em Star Trek, não vimos a história ser contada da perspectiva do primeiro oficial ao invés do capitão. Isso abrirá grande potencial para novas storylines porque não ser o capitão automaticamente lhe dá uma perspectiva diferente. Será uma grande aventura e todos estarão a bordo – telespectadores e a equipe por trás das câmeras – eu tenho sido sustentada pelas performances em The Walking Dead desde o começo, e serei surpreendida novamente pelas pessoas que temos no time Star Trek. Estou muito animada.

Foi muito rápida a sua transição de The Walking Dead para Star Trek? Você teve tempo de ficar de luto por Sasha?

Sonequa Martin-Green: Tive um pouco de tempo, mas não muito! Foi tudo muito rápido. Tivemos alguns feriados, o que foi bom. Foram esses feriados o tempo que tive para sentar e pensar um pouco sobre isso [a morte de Sasha]. Tenho estado de luto pela perda de Sasha antes de começarmos a filmar a finale. Foi um longo adeus para mim, e não poderia ter sido diferente.

Você guardou alguma recordação do seu tempo em The Walking Dead?

Sonequa Martin-Green: O que eu gostaria de guardar seria a M5, mas eu não poderia guardar aquilo! (Dá risada) Eu estava chamando-a de “meu bebê” depois de um tempo. Eu amo aquele rifle, mas não poderia guardar aquilo!

The Walking Dead, a história de drama mais assistida da TV a cabo, irá retornar com a oitava temporada em Outubro de 2017 na AMC e na FOX Brasil. O trailer da temporada, bem como a data oficial de lançamento, será divulgada durante a Comic Con de San Diego em Julho.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: Hollywood Reporter

Publicidade
Comentários

EM ALTA