Siga-nos nas redes sociais

2ª Temporada

The Walking Dead Sob Liderança de Glen Mazzara

The Walking Dead BR

Publicado há

em

Esse domingo, vai ao ar o primeiro episódio de The Walking Dead feito inteiramente sob a liderança de Glen Mazzara, que tomou a lugar de seu antigo chefe e criador do drama de zumbi, Frank Darabont, como showrunner depois de Darabont ser demitido no verão passado. Os motivos de sua partida nunca foram confirmados (apesar de Darabont ter reclamado abertamente sobre cortes de orçamento). Mas o que nós sabemos é que o seriado quebrou recordes enquanto deixava a critica e muitos fãs decisivamente desapontados. Ele pode trazer The Walking Dead de novo as boas criticas?

New York Magazine: Depois da saída do Frank Darabont, você parece ter saído do nada.Mas você veio de algum lugar,certo?

Glen Mazzara: Eu sou de Nova York.Cresci no Queens e meu pai era médico no Hospital St. Vincent’s, que eu recentemente soube que fechou, por 46 anos. Então Eu fui para a NYU me graduei,depois fiz mestrado em Inglês, e consegui um trabalho de verão no St. Vincent’s, Eu trabalhava no balcão da enfermaria de uma unidade intensiva.I gosto de descrever isso como sendo o Radar O’Relly (de M*A*S*H) em alta velocidade. Então eu troquei para a NYU Medical Center.Nós renovamos a sala de emergência dele, e eu coordenei projetos de construção.Nós construimos a sala de cirurgia de 10 dias.Foi um trabalho bem complicado..

Mas não exatamente onde alguém graduado em Inglês vai trabalhar.

Bom,eu queria escrever obviamente, então eu estava só tentando descobrir que tipo de escritor eu queria ser. Eu escrevi uma peça que era um workshop na Brow, e daí alguém me explicou que a administração do hospital não como um programa de TV. Escalas apertadas, pessoas com agendas diferentes, e é claro que não havia dinheiro algum, então os trabalhávamos com um baixíssimo orçamento , e você esta sempre esperando por uma parada cardíaca. Você está entre alfinetes e agulhas. Então eu comecei a escrever roteiro para a TV, e assediar pessoas em Hollywood. Primeiro eu comecei ligando para pessoas em NY: “Você tem um primo em Los Angeles?” e então eu ligava pro primo e ele dizia “Tem um cara.” Eu fiz isso por 4 anos. E finalmente em 1998, minha primeira reunião foi para um show chamado Nash Bridges com o Don Johnson. Eu entrei naquela sala usando um terno preto e gravata, que era o que eu usava para entrevistas de trabalho em NY. Eu não sabia que não usa esse tipo de roupa em LA. Então eu entrei em conheci Carlton Cuse, que foi em frente e se tornou um dos diretores de Lost,John Worth, que recentemente fez The Sarah Connor Chronicles; e Shawn Ryan, o criador de The Shield. Shawn na verdade tava usando um colete de hockey. E eu comecei a criar coragem, Sidney Lumet – estilo Nash Bridges. Eu e Carlton dissemos, “Espera um segundo, é o Don Johnson, ele não comete nenhum erro.O que mais você tem?” Eu comecei a entrar em pânico.Literalmente eu tive um ataque de pâncio. Eles me levaram para outra sala,colocar meus pés pra cima, e me deram um saco de gelo.

Sério?

É totalmente verdade. Mas eles me trouxeram de novo na semana que vem e eu os vendi uma idéia,eu fiquei naquele seriado por 2 anos. Então eu fiquei por volta de 1 anos e meio sem trabalhar, porque eu estava escrevendo coisa do tipo “Nash está ma casa de um traficante”. E eles disseram “Não, Nash não está na casa de um traficante, ele esta de babá para um chimpanzé famoso!” “Okay,bem,você sabe, talvez o chimpanzé esteja na casa”. E eles que eu era um completo idiota. Então eu me mudei com a minha esposa e filho,tivemos um segundo filho, e eu estava vivendo de cartões de crédito com quase dois anos. Uma noite eu estava chorando no ombro de Shawn Ryan, e ele disse: “Se The Shield for pra frente, você será a primeira pessoa que eu vou contratar.” E eu só pensava, Que sonho. E nós estávamos falando sobre a FX, no qual passava a reprise do M*A*S*H. E Shawn manteve sua palavra e me contratou para The Shield. Eu fui por muito tempo o seu roteirista número dois – eu usei muito da minha experiência no hospital para ajudá-lo a descobrir como fazer o seriado funcionar.Porque Sean não tinha experiência alguma com o administrativo e aquela energia que ele precisava para seu time.Então eu que meio ajudei para encontrar o seu caminho.

Você fez os trens saírem no horário,tipo um chefe mesmo?

O número dois é meio que um papel não oficial em Hollywood que eu me apeguei. É tipo uma pessoa que vem um modo não ameaçador  para ajudar o diretor a atingir a sua visão do programa. E eu era bom nisso quando eu estava no hospital, porque eu tinha que descobrir a agenda de todo o hospital e executar o plano.

Mas você já esteve no comando de alguns seriados.

Eu criei um seriado chamado Crash for Starz o que foi o primeiro drama deles, e não foi uma boa experiência. Tive maravilhosos momentos com o elenco, e com a equipe,mas eu era novo no ramo, e pra ser em honesto eu não gostei do filme Crash.Eu estava fazendo Short Cuts  e chamando de Crash, então não era justo da minha parte. Depois de um ano, isso não funcionou, e eu estava em casa lambendo minha feridas e então eu pedi pra ser o número dois do seriado chamado Hawthorne – um seriado passado em um hospital, estrelado pela Jada Pinkett Smith, eu pensei que seria melhor pra mim estar trabalhando ao invés de ficar em casa depressivo.Eu acabei assumindo o seriado a partir da 2º temporada – mas um grande desafio porque Will e Jada Smith são grande estrelas, e eles faziam o que queriam. Eu tinha uma versão bem realista e enérgica de como o seriado deveria ser.Mas acabei cometendo o mesmo erro que cometi em Nash Bridges.

E o seu próximo trabalho foi ser número dois é em The Walking Dead. Era enérgico o suficiente pra você?

Sim! Então eu vim pra cá e nós estávamos nos divertindo, e de repente as coisas implodiram. Semana passada numa entrevista eu descrevi minha carreira. Eu sou o cara em A Guerra do Terror.Eu fui enviado para tentara acalmar as coisas.

Mas agora, depois de seis meses que o Darabont ter saído, com o primeiro episódio dirigido totalmente pelo Mazzara prester a ir pro ar, você pode disser que você a sua própria visão do seriado?

Eu tenho. Eu vejo como seriado de horror,  e que significa que tem incrivelmente suspense.Esse suspense poderia vir de uma drama interpessoal,ou do susto de um zumbi na semana.Eu realmente venho tentando – e você verá isso nos próximo 6 episódios,mas até no final da metade da 2º temporada,no qual foi o primeiro roteiro que Frank não mexeu – Eu estou tentando amplificar a intensidade do seriado. Para parece ser menos seguro, e mais perigoso, jogando as coisas mais na sua cara, tirando qualquer boa opção para os personagens. As costas dele estão grudadas na parede e eles estão completamente assustados. Eu estou tentando manter o seriado o mais imediatista possível,pra que a audiência possa imaginar eles próprios nessas situação e pensar, O que eu faria? Isso é uma coisa que eu acho estou trazendo para o seriado.Como você pode ver estou tentando empurrar as pessoas para o território do emocional.

Algum Personagem em especial que você estará fazendo isso?

No segundo episódio, você verá a Lori tendo que fazer uma escolha que será bem diferente para ela, e muito única, e eu aposto que as pessoas vão ter reações muito fortes na internet: Ela deveria fazer isso,ou não deveria fazer? Eu odeio ela! Ou eu não consigo acreditar que ele está fazendo isso. E eu só estou tentando explorar novos personagens.

Você já ficou frustrado por causa da reação de algum fã xiita, que tenha sido por várias vezes extremamente critico?

É bem dificil. Os fãs não entendem as maquinações do que acontece por detrás da cena.Ele não entendem o que é meu,o que é do Frank, e o que é necessário fazer pra melhorar o seriado. Eu vejo os fãs como uma identidade para o seriado. Eles querem isso e agora eles querem isso, e eles querem que seja ótimo. Eu recentemente fiz uma conta no Twitter em uma tentativa de me comunicar diretamente com os fãs. Nossos fãs são muito,muito importante para nós e nós prestamos muito atenção no que eles dizem. No entanto, nós temos que nos manter verdadeiros como artistas, porque nunca duas pessoas tem a mesma opinião.Então estamos cientes das criticas sobre o seriado.Nós estamos totalmente conscientes do que as pessoas gostam ou não, mas no fim do dia somos um monte de roteiristas numa sala tentando fazer o melhor seriado possível.

E o que acha que uma critica especifica que diz – que a primeira temporada foi mal escrita e falsa, enquanto a segunda é só algo simplesmente chato?
Primeiramente , esse é o meu primeiro trabalho que realmente alguém assisti ou presta atenção, e eu tenho trabalhado com isso desde 1998. E segundo, tem um nível altíssimo de expectativas.Se nós fizéssemos um ataque zumbi em um episódio, as pessoas nos criticam: “Bom, e essa é a semana do zumbi”. Se não fazemos a “semana do zumbi” as pessoas dizem “Não tem zumbi, é uma droga de seriado”. Assim, então na estréia da 2º parte, há apenas duas espécies de zumbi. Nos próximos episódios estarão cheio de zumbis. Porque isso se encaixa com a história. Não parecia razoável,no primeiro episódio após o massacre zumbi, que houvesse outro massacre um hora depois.

Tem uma cena fantástica em um episódio que acontece dentro de um saloon de verdade. Isso foi uma homenagem intencional a algo?

Bem, isso é outras que estamos tentenado fazer. Evan Reilly escreveu essa cena – ele é um roteirista fenomenal e ele cresceu tanto em Rescue Me. Essa é uma cena que nós estávamos tentando fazer o mais próximo do suspense de verdade. A inspiração era, a cena de abertura de Bastardos Inglórios, onde você está sentado na borda da sua cadeira, completamente distraídos em uma conversa.É uma cena bem longa, mais longa que qualquer outra que já fizemos eu acho, talvez só perdendo pelo massacre do celeiro, e espero que tão cativante quanto.

Uma coisa que que adoro ver é mais personagens vivos, e mais e mais do mundo além da Georgia rural.

Expande mais. Eu sinto que no seriado foi com uma visão um pouco limitada, um pouco incestuoso, que tivesse sido um elenco muito pequeno em uma fazenda que aparentemente é segura.Quero ampliá-lo. De repente o mundo externo começa a invadir a fazenda. E agora tem o mistério de, quem está lá fora? Eles estão vindo? E todas as relações interpessoais estão em total desarmonia com essa nova ameaça.

Tem aparecido novas histórias aobre coisas que Darabont queria fazer na segunda temporada que foram rejeitadas pela AMC.Ela existiram – e você –infeliz para onde ele estava levando o seriado?

Bem, eu queria dizer que a primeira parte da temporada foi algo que Frank Darabont estava bem solto, e eu o ajudei o na concepção sob a direção dele. Que era um ideia que nós dois acreditávamos. E não uma idéia que ele teve e eu não acreditei ou vice versa. E não é verdade que Frank teve uma idéia em específico para o seriado que a AMC tenha rejeitado, e eu fui trazido para criar uma visão diferente do seriado. Isso não condiz com a verdade.

Quaisquer outros erros que gostaria de esclarecer?

Não houve nenhuma crise orçamental no seriado –  isso não nem um pouco verdade. Eles tem coloca dinheiro massivamente em relação a fazer esse seriado o melhor possível. I não quero falar sobre porque o Frank saiu, esse assunto não me diz respeito, ou porque ele pediu pra sair,ou o que quiser falar, mas a idéia da crise orçamental é de longe a mais maluca e não verdadeira.

Você pode entender porque as pessoas estão curiosas. Até alguns atores parecem não saber porque Darabont foi demitido.

Isso é assunto do Frank e da AMC. O que aconteceu foi que eu era o número dois ali. Eu era,vamos ser honestos,  o único executivo de alto nível com uma extensa experiência em TV, e a única pessoa com experiência em dirigir um seriado. Então eles me perguntaram se eu queria dirigi-lo. E eu senti como se estivesse correndo um grande risco, porque se o seriado não funcionasse, se eu não melhorasse algumas coisas que nós já tínhamos –

Então é verdade que , como relatado, que no fundo não goi um episódio fracassado – a abertura da temporada?

Não estava funcionando do jeito que nós queríamos.Algumas das histórias, as peças,os arcos – infelizmente algumas vezes você escreve coisas e tem que fazer ajustes, para fazer sentido.Isso acontece em qualquer seriado. Não vou dizer se isso era problemas com Frank, mas vou apenas dizer que foi um caminho que eu precisava para resolver quando eu entrei, e algumas das soluções não eram aparentes.

Você hesitou em aceitar o emprego?

Sim. O hesitação  foi que Crash não foi o sucesso que eu esperava. Hawthorne também era uma situação onde tinham uma agenda lotada e eu pisei fundo para tentar ajudar, e acabei levando ovada na cara.Então agora He um terceira situação onde alguém precisa de ajuda. E eu ajudo para ser o herói dessa vez? E se não der certo? Seriam 3 tentativas para fora. Poderia ter isso um fracasso total e bem diante dos olhos do público, se eu não fosse flexível. E em todos os 3 casos, não era um material originalmente meu.Um dos motivo era que seria ótimo pra mim estar no seriado só co-comandando enquanto eu descobria meu seriado policial,ou meu seriado passado em um hospital,minha visão. E agora aqui foi a terceira vez, onde eu estava assinando para executar a ideia de outra pessoa e que se não desse certo? Eu realmente senti que poderia ter acabado com  a minha carreira.

E você ficou preocupado que você talvez fosse o modo do estúdio controlar mais o seu produto?

Não,absolutamente não. Não esqueça que eu fui contratado pelo estúdio; Eu não sou um cara do estúdio. Eu sou o tipo de cara que pode trabalhar com o estúdio.

E como o elenco e a equipe se sentiu sobre tudo isso?

Eu tive que convencê-los de que este não era o jogada minha. Eu havia recusado ofertas para ser o número dois de Frank, então eu não tinha interesse em dirigir o seriado – vamos deixar isso claro. Eu me senti horrível por Frank. Eu tinha sido substituído em Crash, então eu sei que é uma coisa muito dolorosa perder um projeto, um elenco e uma equipe que te ama. Eu sabia por experiência própria. O que fiz, eu entrei e me encontrei com elenco e equipe e disse: “Não há um novo xerife na cidade. Eu sou apenas alguém que está aqui para tentar nos ajudar a permanecer no caminho certo  e superar esta tempestade”. O elenco e a equipe me deram um grande suporte. Eles ficaram do lado e disseram: “Vamos dar esse cara uma chance.” E alguns deles que eu nunca tinha sequer conhecido até o dia que eu estava falando com eles, em Atlanta. Então eu me encontrei com os roteiristas e eu disse: “Vamos ser honestos -. Todo mundo esta esperando a nossa falha, porque não somos Frank Darabont, e Frank Darabont é um enorme par de sapatos para encher” Assim, os roteiristas realmente se empenharam, e AMC não interferiu. Na verdade, eles recuaram e só iam  fazer o seriado que sentimos que precisava ser feito.Tenho muita sorte que todo mundo foi tão solidário e que as coisas deram certo. Então o seriado estreou, teve recorde de audiência, e eu acho que até o final, no momento foi exibido o ultimo episodio da 1º metade, as pessoas achavam que eu tinha dado um passo pra frente e que fiz um seriado que foi muito, muito em linha com o Frank tinha a intenção. Quaisquer ajustes que fiz senti como se tivesse sendo honesto e atencioso para o elenco e a equipe, por isso não sinto que eu estava tentando balançar meu pau por aí.

Mas você não coemçou a fazer mudanças no roteiro da 2º temporada, certo? Havia coisas que você discordava do Darabont?

Nunca houve uma briga entre Frank e eu. Eu quero ser vem claro, eu trabalhei extremamente bem com Frank, e eu escolhi trabalhar com ele, e ele gostou de trabalhar comigo, Nós tínhamos uma grande relação e é por isso que ele queria eu fosse seu número dois, porque nós nos desafiávamos um ao outro. Mas uma das mudanças que eu adicionei depois que Frank saiu foi que, a Lori admitisse o seu caso para Rick.Essa era uma coisa que Frank não queria. Ele queria que fosse feita de outro modo. Eu senti que as costas dela estão contra a parede durante a confissão.E ela só disse, “Shane e eu” – e ele simplesmente a parou e disse, “ O mundo foi a merda e você pensou que eu estava morto,certo?” e nesse “Certo?” ele esta perguntando Eu falhei? Esse caso foi sobre nosso casamento? Ou foi simplesmente sobre o apocalipse zumbi? E ela simplesmente o olha e diz “Sim” ela o deixo atordoado sobre a sua honestidade emocional, e vulnerabilidade , Isso é algo que n´ós não tínhamos visto até agora sobre os personagens” Eu sinto como se o seriado fosse um grande discurso e eu queria escrever sobre os sinais corporais e não em palavras.

E Darabont não queria cena começasse com?

Frank não queria que essa cena fosse feita. Muito do estilo dele de contar a história é contar com a imagnem inteira na cabeça, o que funciona de um certo modo.Mas tedo trabalhado com TV em forma de episódio por um longo período, eu notei que a audiência tem fome de mais coisas e que também eles não podem estar muito distantes dos personagens.Caso contrário eles ficam frustrados,acham que os personagens são estúpidos, ou que estão perdendo tempo.Uma das coisas que se da pra ver em The Shield – e eu acho que se consegue ver em The Shield e The Walking Dead – é muito intensidade. Quando meu objetivo é acelerar as coisas e descobrir mais sobre a história depois do fato. E eu acho que Frank tinha esse jeito de se aproximar: só espere por isso,só espere,e você ficará satisfeito. Considerando que eu acho que as pessoas assistem ao seriado por causa de um tipo de identidade fashion: “Nós temos uma expectativa, nós precisamos isso, precisamos agora,” e se você não conseguir pode haver alguma frustração. Eu não estou dizendo que você tem que dar tudo o que eles querem no momento que eles querem, mas tem que colocar um pouco de conteúdo junto,não só chegar no ponro onde eles querem.

 Então você concorda com os criticos que reclamaram que o seriado estava indo muito devagar.

Sem dúvidas. Sabendo do trabalho por trás das câmeras, eu fico feliz com esa critica.O que é bem surpreendente, embora, tenhamos vários seriados como Mad Men, Breaking Bad, The killin – que são bem lentos, então fiquei surpreso de ser taxado de um seriado lento, especialmente porque temos zumbis em todos os episódios.

Alguma outra diferença estilística?

Acredite ou não, Eu tenho tentado fazer o seriado mais cinematográfico. Eu senti que nós não tínhamos cenas o suficiente da fazenda, e eu estava tentando trazer um pouco do estilo dos 70’s de cinema nesse 6 episódios. Isso é algo que eu pensei, surpreendentemente, não foi executado tão bem quanto eu pensava. Frank  obviamente é um diretor mundialmente conhecido, e ele não dirigiu nada além do piloto algumas cenas aqui e acolá. Eu queria voltar e usar um pouco do estilo do Frank, tentar trabalhar em episódios semanais em uma base mais regular.

Não poderia ser uma transição mais suave, a partir da visão do elenco.
Eu disse desde o começo que não iria imitar o Frank  – que não seria honesto. E o roteiro do primeiro episódio, quando foi publicado, isso criou um pânico, como eu esperava. E eu podia ter tido para todos “Vão se fuder”. Ao invés disso, porque sou uma pessoa colaborativa, eu ouvi a todos, anotei, e então reescrevemos. E nós não anotamos tudo, nós só fizemos o necessário para parecer mais honesto.Quando fizemos isso, quando mostramos isso realmente nos importamos, eu acho que as pessoas reagiram bem a isso, e agora é muito bom velejar nesse navio.

Darabont era muito menos colaborativo, Eu ouvi – muito mais autor

Mas eu não sou um autor, eu sou não,ok?Eu tenho um pouco de interesse em direção, mas eu amo ser roteirista, e eu amo poder fazer um seriado. Então isso é algo importante pra mim.Eu não sou um autor que precisa criar algo e que todo mundo diga que eu sou brilhante. Isso ainda não aconteceu, e isso é algo que não vai acontecer.

Por que não?
Eu não sei – acho que você sabe. Mas o que eu amo é o processo em si. Deixe me dizer algo sobre mim mesmo. Se você quer saber quem eu , esse sou eu: Eu odeio quando o seriado que eu esteja trabalhando esteja sendo transmitido. Eu adoro fazer seriados,escrevê-los, eu adoro ficar acordado a noite toda escrevendo algum roteiro, com outro roteirista. Eu amo ir para o set e sair com os atore, eu amo estar na sala de edição, eu amo ouvir cada nota com os músicos, eu amo as sound mixes, eu amo fazer TV. Eu não gosto quando se está transmitindo.Eu não gosto de pessoas facebooking sobre, eu não gosto de pessoas twittando sobre – “EU odeio essa cena, eu amo essa cena”. Eu não gosto de entrevista,não gosto de estar em público – acredite ou não. E quando eu tava nesse evento e Frank me puxou para todo mundo me ver, não foi minha escolha.E eu vou estar tremendo quando o seriado voltar. Eu tenho certeza que as pessoas vão gostar, mas eu não gosto dos holofotes e eu mal posso esperar pra sair dali e voltar ao trabalho.Quando minha mãe liga e quer falar sobre o seriado eu não atendo.

Bem, muito obrigado, e eu desejo muita sorte com o seriado.

Espero que eu tenha sido útil e espero que não me bata. Eu sou apenas um cara que entrou numa situação difícil. Eu estou sempre preocupado com essas partes ou coisas assim, você sabe.

Depois da saída do Frank Darabont, você parece ter saído do nada.Mas você veio de algum lugar,certo?

Eu sou de Nova York.Cresci no Queens e meu pai era médico no Hospital St. Vincent’s  – que eu recentemente soube que fechou – por 46 anos. Então Eu fui para a NYU me graduei,depois fiz mestrado em Inglês, e consegui um trabalho de verão no St. Vincent’s, Eu trabalhava no balcão da enfermaria de uma unidade intensiva.I gosto de descrever isso como sendo o Radar O’Relly (de M*A*S*H) em alta velocidade. Então eu troquei para a NYU Medical Center.Nós renovamos a sala de emergência dele, e eu coordenei projetos de construção.Nós construimos a sala de cirurgia de 10 dias.Foi um trabalho bem complicado..

Mas não exatamente onde alguém graduado em Inglês vai trabalhar.

Bom,eu queria escrever obviamente, então eu estava só tentando descobrir que tipo de escritor eu queria ser. Eu escrevi uma peça que era um workshop na Brow, e daí alguém me explicou que a administração do hospital não como um programa de TV. Escalas apertadas, pessoas com agendas diferentes, e é claro que não havia dinheiro algum, então os trabalhávamos com um baixíssimo orçamento , e você esta sempre esperando por uma parada cardíaca. Você está entre alfinetes e agulhas. Então eu comecei a escrever roteiro para a TV, e assediar pessoas em Hollywood. Primeiro eu comecei ligando para pessoas em NY: “Você tem um primo em Los Angeles?” e então eu ligava pro primo e ele dizia “Tem um cara.” Eu fiz isso por 4 anos. E finalmente em 1998, minha primeira reunião foi para um show chamado Nash Bridges com o Don Johnson. Eu entrei naquela sala usando um terno preto e gravata, que era o que eu usava para entrevistas de trabalho em NY. Eu não sabia que não usa esse tipo de roupa em LA. Então eu entrei em conheci Carlton Cuse, que foi em frente e se tornou um dos diretores de Lost,John Worth, que recentemente fez The Sarah Connor Chronicles; e Shawn Ryan, o criador de The Shield. Shawn na verdade tava usando um colete de hockey. E eu comecei a criar coragem, Sidney Lumet – estilo Nash Bridges. Eu e Carlton dissemos, “Espera um segundo, é o Don Johnson, ele não comete nenhum erro.O que mais você tem?” Eu comecei a entrar em pânico.Literalmente eu tive um ataque de pâncio. Eles me levaram para outra sala,colocar meus pés pra cima, e me deram um saco de gelo.

Sério?

É totalmente verdade. Mas eles me trouxeram de novo na semana que vem e eu os vendi uma idéia,eu fiquei naquele seriado por 2 anos. Então eu fiquei por volta de 1 anos e meio sem trabalhar, porque eu estava escrevendo coisa do tipo “Nash está ma casa de um traficante”. E eles disseram “Não, Nash não está na casa de um traficante, ele esta de babá para um chimpanzé famoso!” “Okay,bem,você sabe, talvez o chimpanzé esteja na casa”. E eles que eu era um completo idiota. Então eu me mudei com a minha esposa e filho,tivemos um segundo filho, e eu estava vivendo de cartões de crédito com quase dois anos. Uma noite eu estava chorando no ombro de Shawn Ryan, e ele disse: “Se The Shield for pra frente, você será a primeira pessoa que eu vou contratar.” E eu só pensava, Que sonho. E nós estávamos falando sobre a FX, no qual passava a reprise do M*A*S*H. E Shawn manteve sua palavra e me contratou para The Shield. Eu fui por muito tempo o seu roteirista número dois – eu usei muito da minha experiência no hospital para ajudá-lo a descobrir como fazer o seriado funcionar.Porque Sean não tinha experiência alguma com o administrativo e aquela energia que ele precisava para seu time.Então eu que meio ajudei para encontrar o seu caminho.

Você fez os trens saírem no horário,tipo um chefe mesmo?

O número dois é meio que um papel não oficial em Hollywood que eu me apeguei. É tipo uma pessoa que vem um modo não ameaçador  para ajudar o diretor a atingir a sua visão do programa. E eu era bom nisso quando eu estava no hospital, porque eu tinha que descobrir a agenda de todo o hospital e executar o plano.

Mas você já esteve no comando de alguns seriados.

Eu criei um seriado chamado Crash for Starz o que foi o primeiro drama deles, e não foi uma boa experiência. Tive maravilhosos momentos com o elenco, e com a equipe,mas eu era novo no ramo, e pra ser em honesto eu não gostei do filme Crash.Eu estava fazendo Short Cuts  e chamando de Crash, então não era justo da minha parte. Depois de um ano, isso não funcionou, e eu estava em casa lambendo minha feridas e então eu pedi pra ser o número dois do seriado chamado Hawthorne – um seriado passado em um hospital, estrelado pela Jada Pinkett Smith, eu pensei que seria melhor pra mim estar trabalhando ao invés de ficar em casa depressivo.Eu acabei assumindo o seriado a partir da 2º temporada – mas um grande desafio porque Will e Jada Smith são grande estrelas, e eles faziam o que queriam. Eu tinha uma versão bem realista e enérgica de como o seriado deveria ser.Mas acabei cometendo o mesmo erro que cometi em Nash Bridges.

E o seu próximo trabalho foi ser número dois é em The Walking Dead. Era enérgico o suficiente pra você?

Sim! Então eu vim pra cá e nós estávamos nos divertindo, e de repente as coisas implodiram. Semana passada numa entrevista eu descrevi minha carreira. Eu sou o cara em A Guerra do Terror.Eu fui enviado para tentara acalmar as coisas.

Mas agora, depois de seis meses que o Darabont ter saído, com o primeiro episódio dirigido totalmente pelo Mazzara prester a ir pro ar, você pode disser que você a sua própria visão do seriado?

Eu tenho. Eu vejo como seriado de horror,  e que significa que tem incrivelmente suspense.Esse suspense poderia vir de uma drama interpessoal,ou do susto de um zumbi na semana.Eu realmente venho tentando – e você verá isso nos próximo 6 episódios,mas até no final da metade da 2º temporada,no qual foi o primeiro roteiro que Frank não mexeu – Eu estou tentando amplificar a intensidade do seriado. Para parece ser menos seguro, e mais perigoso, jogando as coisas mais na sua cara, tirando qualquer boa opção para os personagens. As costas dele estão grudadas na parede e eles estão completamente assustados. Eu estou tentando manter o seriado o mais imediatista possível,pra que a audiência possa imaginar eles próprios nessas situação e pensar, O que eu faria? Isso é uma coisa que eu acho estou trazendo para o seriado.Como você pode ver estou tentando empurrar as pessoas para o território do emocional.

Algum Personagem em especial que você estará fazendo isso?

No segundo episódio, você verá a Lori tendo que fazer uma escolha que será bem diferente para ela, e muito única, e eu aposto que as pessoas vão ter reações muito fortes na internet: Ela deveria fazer isso,ou não deveria fazer? Eu odeio ela! Ou eu não consigo acreditar que ele está fazendo isso. E eu só estou tentando explorar novos personagens.

Você já ficou frustrado por causa da reação de algum fã xiita, que tenha sido por várias vezes extremamente critico?

É bem dificil. Os fãs não entendem as maquinações do que acontece por detrás da cena.Ele não entendem o que é meu,o que é do Frank, e o que é necessário fazer pra melhorar o seriado. Eu vejo os fãs como uma identidade para o seriado. Eles querem isso e agora eles querem isso, e eles querem que seja ótimo. Eu recentemente fiz uma conta no Twitter em uma tentativa de me comunicar diretamente com os fãs. Nossos fãs são muito,muito importante para nós e nós prestamos muito atenção no que eles dizem. No entanto, nós temos que nos manter verdadeiros como artistas, porque nunca duas pessoas tem a mesma opinião.Então estamos cientes das criticas sobre o seriado.Nós estamos totalmente conscientes do que as pessoas gostam ou não, mas no fim do dia somos um monte de roteiristas numa sala tentando fazer o melhor seriado possível.

E o que acha que uma critica especifica que diz – que a primeira temporada foi mal escrita e falsa, enquanto a segunda é só algo simplesmente chato?
Primeiramente , esse é o meu primeiro trabalho que realmente alguém assisti ou presta atenção, e eu tenho trabalhado com isso desde 1998. E segundo, tem um nível altíssimo de expectativas.Se nós fizéssemos um ataque zumbi em um episódio, as pessoas nos criticam: “Bom, e essa é a semana do zumbi”. Se não fazemos a “semana do zumbi” as pessoas dizem “Não tem zumbi, é uma droga de seriado”. Assim, então na estréia da 2º parte, há apenas duas espécies de zumbi. Nos próximos episódios estarão cheio de zumbis. Porque isso se encaixa com a história. Não parecia razoável,no primeiro episódio após o massacre zumbi, que houvesse outro massacre um hora depois.

Tem uma cena fantástica em um episódio que acontece dentro de um saloon de verdade. Isso foi uma homenagem intencional a algo?

Bem, isso é outras que estamos tentenado fazer. Evan Reilly escreveu essa cena – ele é um roteirista fenomenal e ele cresceu tanto em Rescue Me. Essa é uma cena que nós estávamos tentando fazer o mais próximo do suspense de verdade. A inspiração era, a cena de abertura de Bastardos Inglórios, onde você está sentado na borda da sua cadeira, completamente distraídos em uma conversa.É uma cena bem longa, mais longa que qualquer outra que já fizemos eu acho, talvez só perdendo pelo massacre do celeiro, e espero que tão cativante quanto.

Uma coisa que que adoro ver é mais personagens vivos, e mais e mais do mundo além da Georgia rural.

Expande mais. Eu sinto que no seriado foi com uma visão um pouco limitada, um pouco incestuoso, que tivesse sido um elenco muito pequeno em uma fazenda que aparentemente é segura.Quero ampliá-lo. De repente o mundo externo começa a invadir a fazenda. E agora tem o mistério de, quem está lá fora? Eles estão vindo? E todas as relações interpessoais estão em total desarmonia com essa nova ameaça.

Tem aparecido novas histórias aobre coisas que Darabont queria fazer na segunda temporada que foram rejeitadas pela AMC.Ela existiram – e você –infeliz para onde ele estava levando o seriado?

Bem, eu queria dizer que a primeira parte da temporada foi algo que Frank Darabont estava bem solto, e eu o ajudei o na concepção sob a direção dele. Que era um ideia que nós dois acreditávamos. E não uma idéia que ele teve e eu não acreditei ou vice versa. E não é verdade que Frank teve uma idéia em específico para o seriado que a AMC tenha rejeitado, e eu fui trazido para criar uma visão diferente do seriado. Isso não condiz com a verdade.

Quaisquer outros erros que gostaria de esclarecer?

Não houve nenhuma crise orçamental no seriado –  isso não nem um pouco verdade. Eles tem coloca dinheiro massivamente em relação a fazer esse seriado o melhor possível. I não quero falar sobre porque o Frank saiu, esse assunto não me diz respeito, ou porque ele pediu pra sair,ou o que quiser falar, mas a idéia da crise orçamental é de longe a mais maluca e não verdadeira.

Você pode entender porque as pessoas estão curiosas. Até alguns atores parecem não saber porque Darabont foi demitido.

Isso é assunto do Frank e da AMC. O que aconteceu foi que eu era o número dois ali. Eu era,vamos ser honestos,  o único executivo de alto nível com uma extensa experiência em TV, e a única pessoa com experiência em dirigir um seriado. Então eles me perguntaram se eu queria dirigi-lo. E eu senti como se estivesse correndo um grande risco, porque se o seriado não funcionasse, se eu não melhorasse algumas coisas que nós já tínhamos –

Então é verdade que , como relatado, que no fundo não goi um episódio fracassado – a abertura da temporada?

Não estava funcionando do jeito que nós queríamos.Algumas das histórias, as peças,os arcos – infelizmente algumas vezes você escreve coisas e tem que fazer ajustes, para fazer sentido.Isso acontece em qualquer seriado. Não vou dizer se isso era problemas com Frank, mas vou apenas dizer que foi um caminho que eu precisava para resolver quando eu entrei, e algumas das soluções não eram aparentes.

Você hesitou em aceitar o emprego?

Sim. O hesitação  foi que Crash não foi o sucesso que eu esperava. Hawthorne também era uma situação onde tinham uma agenda lotada e eu pisei fundo para tentar ajudar, e acabei levando ovada na cara.Então agora He um terceira situação onde alguém precisa de ajuda. E eu ajudo para ser o herói dessa vez? E se não der certo? Seriam 3 tentativas para fora. Poderia ter isso um fracasso total e bem diante dos olhos do público, se eu não fosse flexível. E em todos os 3 casos, não era um material originalmente meu.Um dos motivo era que seria ótimo pra mim estar no seriado só co-comandando enquanto eu descobria meu seriado policial,ou meu seriado passado em um hospital,minha visão. E agora aqui foi a terceira vez, onde eu estava assinando para executar a ideia de outra pessoa e que se não desse certo? Eu realmente senti que poderia ter acabado com  a minha carreira.

E você ficou preocupado que você talvez fosse o modo do estúdio controlar mais o seu produto?

Não,absolutamente não. Não esqueça que eu fui contratado pelo estúdio; Eu não sou um cara do estúdio. Eu sou o tipo de cara que pode trabalhar com o estúdio.

E como o elenco e a equipe se sentiu sobre tudo isso?

Eu tive que convencê-los de que este não era o jogada minha. Eu havia recusado ofertas para ser o número dois de Frank, então eu não tinha interesse em dirigir o seriado – vamos deixar isso claro. Eu me senti horrível por Frank. Eu tinha sido substituído em Crash, então eu sei que é uma coisa muito dolorosa perder um projeto, um elenco e uma equipe que te ama. Eu sabia por experiência própria. O que fiz, eu entrei e me encontrei com elenco e equipe e disse: “Não há um novo xerife na cidade. Eu sou apenas alguém que está aqui para tentar nos ajudar a permanecer no caminho certo  e superar esta tempestade”. O elenco e a equipe me deram um grande suporte. Eles ficaram do lado e disseram: “Vamos dar esse cara uma chance.” E alguns deles que eu nunca tinha sequer conhecido até o dia que eu estava falando com eles, em Atlanta. Então eu me encontrei com os roteiristas e eu disse: “Vamos ser honestos -. Todo mundo esta esperando a nossa falha, porque não somos Frank Darabont, e Frank Darabont é um enorme par de sapatos para encher” Assim, os roteiristas realmente se empenharam, e AMC não interferiu. Na verdade, eles recuaram e só iam  fazer o seriado que sentimos que precisava ser feito.Tenho muita sorte que todo mundo foi tão solidário e que as coisas deram certo. Então o seriado estreou, teve recorde de audiência, e eu acho que até o final, no momento foi exibido o ultimo episodio da 1º metade, as pessoas achavam que eu tinha dado um passo pra frente e que fiz um seriado que foi muito, muito em linha com o Frank tinha a intenção. Quaisquer ajustes que fiz senti como se tivesse sendo honesto e atencioso para o elenco e a equipe, por isso não sinto que eu estava tentando balançar meu pau por aí.

Mas você não coemçou a fazer mudanças no roteiro da 2º temporada, certo? Havia coisas que você discordava do Darabont?

Nunca houve uma briga entre Frank e eu. Eu quero ser vem claro, eu trabalhei extremamente bem com Frank, e eu escolhi trabalhar com ele, e ele gostou de trabalhar comigo, Nós tínhamos uma grande relação e é por isso que ele queria eu fosse seu número dois, porque nós nos desafiávamos um ao outro. Mas uma das mudanças que eu adicionei depois que Frank saiu foi que, a Lori admitisse o seu caso para Rick.Essa era uma coisa que Frank não queria. Ele queria que fosse feita de outro modo. Eu senti que as costas dela estão contra a parede durante a confissão.E ela só disse, “Shane e eu” – e ele simplesmente a parou e disse, “ O mundo foi a merda e você pensou que eu estava morto,certo?” e nesse “Certo?” ele esta perguntando Eu falhei? Esse caso foi sobre nosso casamento? Ou foi simplesmente sobre o apocalipse zumbi? E ela simplesmente o olha e diz “Sim” ela o deixo atordoado sobre a sua honestidade emocional, e vulnerabilidade , Isso é algo que n´ós não tínhamos visto até agora sobre os personagens” Eu sinto como se o seriado fosse um grande discurso e eu queria escrever sobre os sinais corporais e não em palavras.

E Darabont não queria cena começasse com?

Frank não queria que essa cena fosse feita. Muito do estilo dele de contar a história é contar com a imagnem inteira na cabeça, o que funciona de um certo modo.Mas tedo trabalhado com TV em forma de episódio por um longo período, eu notei que a audiência tem fome de mais coisas e que também eles não podem estar muito distantes dos personagens.Caso contrário eles ficam frustrados,acham que os personagens são estúpidos, ou que estão perdendo tempo.Uma das coisas que se da pra ver em The Shield – e eu acho que se consegue ver em The Shield e The Walking Dead – é muito intensidade. Quando meu objetivo é acelerar as coisas e descobrir mais sobre a história depois do fato. E eu acho que Frank tinha esse jeito de se aproximar: só espere por isso,só espere,e você ficará satisfeito. Considerando que eu acho que as pessoas assistem ao seriado por causa de um tipo de identidade fashion: “Nós temos uma expectativa, nós precisamos isso, precisamos agora,” e se você não conseguir pode haver alguma frustração. Eu não estou dizendo que você tem que dar tudo o que eles querem no momento que eles querem, mas tem que colocar um pouco de conteúdo junto,não só chegar no ponro onde eles querem.

 Então você concorda com os criticos que reclamaram que o seriado estava indo muito devagar.

Sem dúvidas. Sabendo do trabalho por trás das câmeras, eu fico feliz com esa critica.O que é bem surpreendente, embora, tenhamos vários seriados como Mad Men, Breaking Bad, The killin – que são bem lentos, então fiquei surpreso de ser taxado de um seriado lento, especialmente porque temos zumbis em todos os episódios.

Alguma outra diferença estilística?

Acredite ou não, Eu tenho tentado fazer o seriado mais cinematográfico. Eu senti que nós não tínhamos cenas o suficiente da fazenda, e eu estava tentando trazer um pouco do estilo dos 70’s de cinema nesse 6 episódios. Isso é algo que eu pensei, surpreendentemente, não foi executado tão bem quanto eu pensava. Frank  obviamente é um diretor mundialmente conhecido, e ele não dirigiu nada além do piloto algumas cenas aqui e acolá. Eu queria voltar e usar um pouco do estilo do Frank, tentar trabalhar em episódios semanais em uma base mais regular.

Não poderia ser uma transição mais suave, a partir da visão do elenco.
Eu disse desde o começo que não iria imitar o Frank  – que não seria honesto. E o roteiro do primeiro episódio, quando foi publicado, isso criou um pânico, como eu esperava. E eu podia ter tido para todos “Vão se fuder”. Ao invés disso, porque sou uma pessoa colaborativa, eu ouvi a todos, anotei, e então reescrevemos. E nós não anotamos tudo, nós só fizemos o necessário para parecer mais honesto.Quando fizemos isso, quando mostramos isso realmente nos importamos, eu acho que as pessoas reagiram bem a isso, e agora é muito bom velejar nesse navio.

Darabont era muito menos colaborativo, muito mais autor.

Mas eu não sou um autor, eu sou não,ok?Eu tenho um pouco de interesse em direção, mas eu amo ser roteirista, e eu amo poder fazer um seriado. Então isso é algo importante pra mim.Eu não sou um autor que precisa criar algo e que todo mundo diga que eu sou brilhante. Isso ainda não aconteceu, e isso é algo que não vai acontecer.

Por que não?
Eu não sei – acho que você sabe. Mas o que eu amo é o processo em si. Deixe me dizer algo sobre mim mesmo. Se você quer saber quem eu , esse sou eu: Eu odeio quando o seriado que eu esteja trabalhando esteja sendo transmitido. Eu adoro fazer seriados,escrevê-los, eu adoro ficar acordado a noite toda escrevendo algum roteiro, com outro roteirista. Eu amo ir para o set e sair com os atore, eu amo estar na sala de edição, eu amo ouvir cada nota com os músicos, eu amo as sound mixes, eu amo fazer TV. Eu não gosto quando se está transmitindo.Eu não gosto de pessoas facebooking sobre, eu não gosto de pessoas twittando sobre – “EU odeio essa cena, eu amo essa cena”. Eu não gosto de entrevista,não gosto de estar em público – acredite ou não. E quando eu tava nesse evento e Frank me puxou para todo mundo me ver, não foi minha escolha.E eu vou estar tremendo quando o seriado voltar. Eu tenho certeza que as pessoas vão gostar, mas eu não gosto dos holofotes e eu mal posso esperar pra sair dali e voltar ao trabalho.Quando minha mãe liga e quer falar sobre o seriado eu não atendo.

Bem, muito obrigado, e eu desejo muita sorte com o seriado.

Espero que eu tenha sido útil e espero que, uh – não me bata. Eu sou apenas um cara que entrou numa situação difícil. Eu estou sempre preocupado com essas partes ou coisas assim, você sabe.

Depois da saída do Frank Darabont, você parece ter saído do nada.Mas você veio de algum lugar,certo?

Eu sou de Nova York.Cresci no Queens e meu pai era médico no Hospital St. Vincent’s  – que eu recentemente soube que fechou – por 46 anos. Então Eu fui para a NYU me graduei,depois fiz mestrado em Inglês, e consegui um trabalho de verão no St. Vincent’s, Eu trabalhava no balcão da enfermaria de uma unidade intensiva.I gosto de descrever isso como sendo o Radar O’Relly (de M*A*S*H) em alta velocidade. Então eu troquei para a NYU Medical Center.Nós renovamos a sala de emergência dele, e eu coordenei projetos de construção.Nós construimos a sala de cirurgia de 10 dias.Foi um trabalho bem complicado..

Mas não exatamente onde alguém graduado em Inglês vai trabalhar.

Bom,eu queria escrever obviamente, então eu estava só tentando descobrir que tipo de escritor eu queria ser. Eu escrevi uma peça que era um workshop na Brow, e daí alguém me explicou que a administração do hospital não como um programa de TV. Escalas apertadas, pessoas com agendas diferentes, e é claro que não havia dinheiro algum, então os trabalhávamos com um baixíssimo orçamento , e você esta sempre esperando por uma parada cardíaca. Você está entre alfinetes e agulhas. Então eu comecei a escrever roteiro para a TV, e assediar pessoas em Hollywood. Primeiro eu comecei ligando para pessoas em NY: “Você tem um primo em Los Angeles?” e então eu ligava pro primo e ele dizia “Tem um cara.” Eu fiz isso por 4 anos. E finalmente em 1998, minha primeira reunião foi para um show chamado Nash Bridges com o Don Johnson. Eu entrei naquela sala usando um terno preto e gravata, que era o que eu usava para entrevistas de trabalho em NY. Eu não sabia que não usa esse tipo de roupa em LA. Então eu entrei em conheci Carlton Cuse, que foi em frente e se tornou um dos diretores de Lost,John Worth, que recentemente fez The Sarah Connor Chronicles; e Shawn Ryan, o criador de The Shield. Shawn na verdade tava usando um colete de hockey. E eu comecei a criar coragem, Sidney Lumet – estilo Nash Bridges. Eu e Carlton dissemos, “Espera um segundo, é o Don Johnson, ele não comete nenhum erro.O que mais você tem?” Eu comecei a entrar em pânico.Literalmente eu tive um ataque de pâncio. Eles me levaram para outra sala,colocar meus pés pra cima, e me deram um saco de gelo.

Sério?

É totalmente verdade. Mas eles me trouxeram de novo na semana que vem e eu os vendi uma idéia,eu fiquei naquele seriado por 2 anos. Então eu fiquei por volta de 1 anos e meio sem trabalhar, porque eu estava escrevendo coisa do tipo “Nash está ma casa de um traficante”. E eles disseram “Não, Nash não está na casa de um traficante, ele esta de babá para um chimpanzé famoso!” “Okay,bem,você sabe, talvez o chimpanzé esteja na casa”. E eles que eu era um completo idiota. Então eu me mudei com a minha esposa e filho,tivemos um segundo filho, e eu estava vivendo de cartões de crédito com quase dois anos. Uma noite eu estava chorando no ombro de Shawn Ryan, e ele disse: “Se The Shield for pra frente, você será a primeira pessoa que eu vou contratar.” E eu só pensava, Que sonho. E nós estávamos falando sobre a FX, no qual passava a reprise do M*A*S*H. E Shawn manteve sua palavra e me contratou para The Shield. Eu fui por muito tempo o seu roteirista número dois – eu usei muito da minha experiência no hospital para ajudá-lo a descobrir como fazer o seriado funcionar.Porque Sean não tinha experiência alguma com o administrativo e aquela energia que ele precisava para seu time.Então eu que meio ajudei para encontrar o seu caminho.

Você fez os trens saírem no horário,tipo um chefe mesmo?

O número dois é meio que um papel não oficial em Hollywood que eu me apeguei. É tipo uma pessoa que vem um modo não ameaçador  para ajudar o diretor a atingir a sua visão do programa. E eu era bom nisso quando eu estava no hospital, porque eu tinha que descobrir a agenda de todo o hospital e executar o plano.

Mas você já esteve no comando de alguns seriados.

Eu criei um seriado chamado Crash for Starz o que foi o primeiro drama deles, e não foi uma boa experiência. Tive maravilhosos momentos com o elenco, e com a equipe,mas eu era novo no ramo, e pra ser em honesto eu não gostei do filme Crash.Eu estava fazendo Short Cuts  e chamando de Crash, então não era justo da minha parte. Depois de um ano, isso não funcionou, e eu estava em casa lambendo minha feridas e então eu pedi pra ser o número dois do seriado chamado Hawthorne – um seriado passado em um hospital, estrelado pela Jada Pinkett Smith, eu pensei que seria melhor pra mim estar trabalhando ao invés de ficar em casa depressivo.Eu acabei assumindo o seriado a partir da 2º temporada – mas um grande desafio porque Will e Jada Smith são grande estrelas, e eles faziam o que queriam. Eu tinha uma versão bem realista e enérgica de como o seriado deveria ser.Mas acabei cometendo o mesmo erro que cometi em Nash Bridges.

E o seu próximo trabalho foi ser número dois é em The Walking Dead. Era enérgico o suficiente pra você?

Sim! Então eu vim pra cá e nós estávamos nos divertindo, e de repente as coisas implodiram. Semana passada numa entrevista eu descrevi minha carreira. Eu sou o cara em A Guerra do Terror.Eu fui enviado para tentara acalmar as coisas.

Mas agora, depois de seis meses que o Darabont ter saído, com o primeiro episódio dirigido totalmente pelo Mazzara prester a ir pro ar, você pode disser que você a sua própria visão do seriado?

Eu tenho. Eu vejo como seriado de horror,  e que significa que tem incrivelmente suspense.Esse suspense poderia vir de uma drama interpessoal,ou do susto de um zumbi na semana.Eu realmente venho tentando – e você verá isso nos próximo 6 episódios,mas até no final da metade da 2º temporada,no qual foi o primeiro roteiro que Frank não mexeu – Eu estou tentando amplificar a intensidade do seriado. Para parece ser menos seguro, e mais perigoso, jogando as coisas mais na sua cara, tirando qualquer boa opção para os personagens. As costas dele estão grudadas na parede e eles estão completamente assustados. Eu estou tentando manter o seriado o mais imediatista possível,pra que a audiência possa imaginar eles próprios nessas situação e pensar, O que eu faria? Isso é uma coisa que eu acho estou trazendo para o seriado.Como você pode ver estou tentando empurrar as pessoas para o território do emocional.

Algum Personagem em especial que você estará fazendo isso?

No segundo episódio, você verá a Lori tendo que fazer uma escolha que será bem diferente para ela, e muito única, e eu aposto que as pessoas vão ter reações muito fortes na internet: Ela deveria fazer isso,ou não deveria fazer? Eu odeio ela! Ou eu não consigo acreditar que ele está fazendo isso. E eu só estou tentando explorar novos personagens.

Você já ficou frustrado por causa da reação de algum fã xiita, que tenha sido por várias vezes extremamente critico?

É bem dificil. Os fãs não entendem as maquinações do que acontece por detrás da cena.Ele não entendem o que é meu,o que é do Frank, e o que é necessário fazer pra melhorar o seriado. Eu vejo os fãs como uma identidade para o seriado. Eles querem isso e agora eles querem isso, e eles querem que seja ótimo. Eu recentemente fiz uma conta no Twitter em uma tentativa de me comunicar diretamente com os fãs. Nossos fãs são muito,muito importante para nós e nós prestamos muito atenção no que eles dizem. No entanto, nós temos que nos manter verdadeiros como artistas, porque nunca duas pessoas tem a mesma opinião.Então estamos cientes das criticas sobre o seriado.Nós estamos totalmente conscientes do que as pessoas gostam ou não, mas no fim do dia somos um monte de roteiristas numa sala tentando fazer o melhor seriado possível.

E o que acha que uma critica especifica que diz – que a primeira temporada foi mal escrita e falsa, enquanto a segunda é só algo simplesmente chato?
Primeiramente , esse é o meu primeiro trabalho que realmente alguém assisti ou presta atenção, e eu tenho trabalhado com isso desde 1998. E segundo, tem um nível altíssimo de expectativas.Se nós fizéssemos um ataque zumbi em um episódio, as pessoas nos criticam: “Bom, e essa é a semana do zumbi”. Se não fazemos a “semana do zumbi” as pessoas dizem “Não tem zumbi, é uma droga de seriado”. Assim, então na estréia da 2º parte, há apenas duas espécies de zumbi. Nos próximos episódios estarão cheio de zumbis. Porque isso se encaixa com a história. Não parecia razoável,no primeiro episódio após o massacre zumbi, que houvesse outro massacre um hora depois.

Tem uma cena fantástica em um episódio que acontece dentro de um saloon de verdade. Isso foi uma homenagem intencional a algo?

Bem, isso é outras que estamos tentenado fazer. Evan Reilly escreveu essa cena – ele é um roteirista fenomenal e ele cresceu tanto em Rescue Me. Essa é uma cena que nós estávamos tentando fazer o mais próximo do suspense de verdade. A inspiração era, a cena de abertura de Bastardos Inglórios, onde você está sentado na borda da sua cadeira, completamente distraídos em uma conversa.É uma cena bem longa, mais longa que qualquer outra que já fizemos eu acho, talvez só perdendo pelo massacre do celeiro, e espero que tão cativante quanto.

Uma coisa que que adoro ver é mais personagens vivos, e mais e mais do mundo além da Georgia rural.

Expande mais. Eu sinto que no seriado foi com uma visão um pouco limitada, um pouco incestuoso, que tivesse sido um elenco muito pequeno em uma fazenda que aparentemente é segura.Quero ampliá-lo. De repente o mundo externo começa a invadir a fazenda. E agora tem o mistério de, quem está lá fora? Eles estão vindo? E todas as relações interpessoais estão em total desarmonia com essa nova ameaça.

Tem aparecido novas histórias aobre coisas que Darabont queria fazer na segunda temporada que foram rejeitadas pela AMC.Ela existiram – e você –infeliz para onde ele estava levando o seriado?

Bem, eu queria dizer que a primeira parte da temporada foi algo que Frank Darabont estava bem solto, e eu o ajudei o na concepção sob a direção dele. Que era um ideia que nós dois acreditávamos. E não uma idéia que ele teve e eu não acreditei ou vice versa. E não é verdade que Frank teve uma idéia em específico para o seriado que a AMC tenha rejeitado, e eu fui trazido para criar uma visão diferente do seriado. Isso não condiz com a verdade.

Quaisquer outros erros que gostaria de esclarecer?

Não houve nenhuma crise orçamental no seriado –  isso não nem um pouco verdade. Eles tem coloca dinheiro massivamente em relação a fazer esse seriado o melhor possível. I não quero falar sobre porque o Frank saiu, esse assunto não me diz respeito, ou porque ele pediu pra sair,ou o que quiser falar, mas a idéia da crise orçamental é de longe a mais maluca e não verdadeira.

Você pode entender porque as pessoas estão curiosas. Até alguns atores parecem não saber porque Darabont foi demitido.

Isso é assunto do Frank e da AMC. O que aconteceu foi que eu era o número dois ali. Eu era,vamos ser honestos,  o único executivo de alto nível com uma extensa experiência em TV, e a única pessoa com experiência em dirigir um seriado. Então eles me perguntaram se eu queria dirigi-lo. E eu senti como se estivesse correndo um grande risco, porque se o seriado não funcionasse, se eu não melhorasse algumas coisas que nós já tínhamos –

Então é verdade que , como relatado, que no fundo não goi um episódio fracassado – a abertura da temporada?

Não estava funcionando do jeito que nós queríamos.Algumas das histórias, as peças,os arcos – infelizmente algumas vezes você escreve coisas e tem que fazer ajustes, para fazer sentido.Isso acontece em qualquer seriado. Não vou dizer se isso era problemas com Frank, mas vou apenas dizer que foi um caminho que eu precisava para resolver quando eu entrei, e algumas das soluções não eram aparentes.

Você hesitou em aceitar o emprego?

Sim. O hesitação  foi que Crash não foi o sucesso que eu esperava. Hawthorne também era uma situação onde tinham uma agenda lotada e eu pisei fundo para tentar ajudar, e acabei levando ovada na cara.Então agora He um terceira situação onde alguém precisa de ajuda. E eu ajudo para ser o herói dessa vez? E se não der certo? Seriam 3 tentativas para fora. Poderia ter isso um fracasso total e bem diante dos olhos do público, se eu não fosse flexível. E em todos os 3 casos, não era um material originalmente meu.Um dos motivo era que seria ótimo pra mim estar no seriado só co-comandando enquanto eu descobria meu seriado policial,ou meu seriado passado em um hospital,minha visão. E agora aqui foi a terceira vez, onde eu estava assinando para executar a ideia de outra pessoa e que se não desse certo? Eu realmente senti que poderia ter acabado com  a minha carreira.

E você ficou preocupado que você talvez fosse o modo do estúdio controlar mais o seu produto?

Não,absolutamente não. Não esqueça que eu fui contratado pelo estúdio; Eu não sou um cara do estúdio. Eu sou o tipo de cara que pode trabalhar com o estúdio.

E como o elenco e a equipe se sentiu sobre tudo isso?

Eu tive que convencê-los de que este não era o jogada minha. Eu havia recusado ofertas para ser o número dois de Frank, então eu não tinha interesse em dirigir o seriado – vamos deixar isso claro. Eu me senti horrível por Frank. Eu tinha sido substituído em Crash, então eu sei que é uma coisa muito dolorosa perder um projeto, um elenco e uma equipe que te ama. Eu sabia por experiência própria. O que fiz, eu entrei e me encontrei com elenco e equipe e disse: “Não há um novo xerife na cidade. Eu sou apenas alguém que está aqui para tentar nos ajudar a permanecer no caminho certo  e superar esta tempestade”. O elenco e a equipe me deram um grande suporte. Eles ficaram do lado e disseram: “Vamos dar esse cara uma chance.” E alguns deles que eu nunca tinha sequer conhecido até o dia que eu estava falando com eles, em Atlanta. Então eu me encontrei com os roteiristas e eu disse: “Vamos ser honestos -. Todo mundo esta esperando a nossa falha, porque não somos Frank Darabont, e Frank Darabont é um enorme par de sapatos para encher” Assim, os roteiristas realmente se empenharam, e AMC não interferiu. Na verdade, eles recuaram e só iam  fazer o seriado que sentimos que precisava ser feito.Tenho muita sorte que todo mundo foi tão solidário e que as coisas deram certo. Então o seriado estreou, teve recorde de audiência, e eu acho que até o final, no momento foi exibido o ultimo episodio da 1º metade, as pessoas achavam que eu tinha dado um passo pra frente e que fiz um seriado que foi muito, muito em linha com o Frank tinha a intenção. Quaisquer ajustes que fiz senti como se tivesse sendo honesto e atencioso para o elenco e a equipe, por isso não sinto que eu estava tentando balançar meu pau por aí.

Mas você não coemçou a fazer mudanças no roteiro da 2º temporada, certo? Havia coisas que você discordava do Darabont?

Nunca houve uma briga entre Frank e eu. Eu quero ser vem claro, eu trabalhei extremamente bem com Frank, e eu escolhi trabalhar com ele, e ele gostou de trabalhar comigo, Nós tínhamos uma grande relação e é por isso que ele queria eu fosse seu número dois, porque nós nos desafiávamos um ao outro. Mas uma das mudanças que eu adicionei depois que Frank saiu foi que, a Lori admitisse o seu caso para Rick.Essa era uma coisa que Frank não queria. Ele queria que fosse feita de outro modo. Eu senti que as costas dela estão contra a parede durante a confissão.E ela só disse, “Shane e eu” – e ele simplesmente a parou e disse, “ O mundo foi a merda e você pensou que eu estava morto,certo?” e nesse “Certo?” ele esta perguntando Eu falhei? Esse caso foi sobre nosso casamento? Ou foi simplesmente sobre o apocalipse zumbi? E ela simplesmente o olha e diz “Sim” ela o deixo atordoado sobre a sua honestidade emocional, e vulnerabilidade , Isso é algo que n´ós não tínhamos visto até agora sobre os personagens” Eu sinto como se o seriado fosse um grande discurso e eu queria escrever sobre os sinais corporais e não em palavras.

E Darabont não queria cena começasse com?

Frank não queria que essa cena fosse feita. Muito do estilo dele de contar a história é contar com a imagnem inteira na cabeça, o que funciona de um certo modo.Mas tedo trabalhado com TV em forma de episódio por um longo período, eu notei que a audiência tem fome de mais coisas e que também eles não podem estar muito distantes dos personagens.Caso contrário eles ficam frustrados,acham que os personagens são estúpidos, ou que estão perdendo tempo.Uma das coisas que se da pra ver em The Shield – e eu acho que se consegue ver em The Shield e The Walking Dead – é muito intensidade. Quando meu objetivo é acelerar as coisas e descobrir mais sobre a história depois do fato. E eu acho que Frank tinha esse jeito de se aproximar: só espere por isso,só espere,e você ficará satisfeito. Considerando que eu acho que as pessoas assistem ao seriado por causa de um tipo de identidade fashion: “Nós temos uma expectativa, nós precisamos isso, precisamos agora,” e se você não conseguir pode haver alguma frustração. Eu não estou dizendo que você tem que dar tudo o que eles querem no momento que eles querem, mas tem que colocar um pouco de conteúdo junto,não só chegar no ponro onde eles querem.

 Então você concorda com os criticos que reclamaram que o seriado estava indo muito devagar.

Sem dúvidas. Sabendo do trabalho por trás das câmeras, eu fico feliz com esa critica.O que é bem surpreendente, embora, tenhamos vários seriados como Mad Men, Breaking Bad, The killin – que são bem lentos, então fiquei surpreso de ser taxado de um seriado lento, especialmente porque temos zumbis em todos os episódios.

Alguma outra diferença estilística?

Acredite ou não, Eu tenho tentado fazer o seriado mais cinematográfico. Eu senti que nós não tínhamos cenas o suficiente da fazenda, e eu estava tentando trazer um pouco do estilo dos 70’s de cinema nesse 6 episódios. Isso é algo que eu pensei, surpreendentemente, não foi executado tão bem quanto eu pensava. Frank  obviamente é um diretor mundialmente conhecido, e ele não dirigiu nada além do piloto algumas cenas aqui e acolá. Eu queria voltar e usar um pouco do estilo do Frank, tentar trabalhar em episódios semanais em uma base mais regular.

Não poderia ser uma transição mais suave, a partir da visão do elenco.
Eu disse desde o começo que não iria imitar o Frank  – que não seria honesto. E o roteiro do primeiro episódio, quando foi publicado, isso criou um pânico, como eu esperava. E eu podia ter tido para todos “Vão se fuder”. Ao invés disso, porque sou uma pessoa colaborativa, eu ouvi a todos, anotei, e então reescrevemos. E nós não anotamos tudo, nós só fizemos o necessário para parecer mais honesto.Quando fizemos isso, quando mostramos isso realmente nos importamos, eu acho que as pessoas reagiram bem a isso, e agora é muito bom velejar nesse navio.

 

Darabont era muito menos colaborativo,  muito mais autor.

Mas eu não sou um autor, eu sou não,ok?Eu tenho um pouco de interesse em direção, mas eu amo ser roteirista, e eu amo poder fazer um seriado. Então isso é algo importante pra mim.Eu não sou um autor que precisa criar algo e que todo mundo diga que eu sou brilhante. Isso ainda não aconteceu, e isso é algo que não vai acontecer.

Por que não?
Eu não sei – acho que você sabe. Mas o que eu amo é o processo em si. Deixe me dizer algo sobre mim mesmo. Se você quer saber quem eu , esse sou eu: Eu odeio quando o seriado que eu esteja trabalhando esteja sendo transmitido. Eu adoro fazer seriados,escrevê-los, eu adoro ficar acordado a noite toda escrevendo algum roteiro, com outro roteirista. Eu amo ir para o set e sair com os atore, eu amo estar na sala de edição, eu amo ouvir cada nota com os músicos, eu amo as sound mixes, eu amo fazer TV. Eu não gosto quando se está transmitindo.Eu não gosto de pessoas facebooking sobre, eu não gosto de pessoas twittando sobre – “EU odeio essa cena, eu amo essa cena”. Eu não gosto de entrevista,não gosto de estar em público – acredite ou não. E quando eu tava nesse evento e Frank me puxou para todo mundo me ver, não foi minha escolha.E eu vou estar tremendo quando o seriado voltar. Eu tenho certeza que as pessoas vão gostar, mas eu não gosto dos holofotes e eu mal posso esperar pra sair dali e voltar ao trabalho.Quando minha mãe liga e quer falar sobre o seriado eu não atendo.

Bem, muito obrigado, e eu desejo muita sorte com o seriado.

Espero que eu tenha sido útil e espero que, uh – não me bata. Eu sou apenas um cara que entrou numa situação difícil. Eu estou sempre preocupado com essas partes ou coisas assim, você sabe.


Fonte: New York Magazine
Tradução: Rebeca Marques / Staff WalkingDeadBr

Continue lendo
Publicidade
Comentários

2ª Temporada

[SÉRIE vs HQ] The Walking Dead – Episódio 2×11 – “Judge, Jury, Executioner”

Rafael Façanha

Publicado há

em

segunda temporada de The Walking Dead segue com o episódio “Judge, Jury, Executioner”, mas como ele se liga à continuidade dos quadrinhos? As tensões aumentam, enquanto Dale tenta convencer as pessoas a não executar Randall, e Carl se mete em encrencas fora da casa. Então, o que acontecerá a seguir em The Walking Dead?

Enquanto a série da AMC se aproxima e se afasta do enredo da HQ e adiciona personagens e situações originais, o site TVOvermind juntou algumas comparações para os fãs tanto dos quadrinhos como da série. Verifique as comparações que encontramos e nos conte o que você achou do episódio 11 da segunda temporada de The Walking Dead, “Judge, Jury, Executioner”, nos comentários abaixo.

1. TORTURANDO OS OUTROS

001-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x11-Judge-Jury-Executioner

SERIADO: Tentando arrancar informações de Randall e seu suposto bando de sobreviventes, Daryl (e mais tarde Shane) exageram no tratamento ao garoto, na tentativa de conseguir as informações necessárias a respeito de possíveis ameaças à fazenda de Hershel.

QUADRINHOS: A HQ nunca endereçou a tortura com o objetivo de arrancar informações de representantes de outros grupos de sobreviventes, mas o arco do personagem lembra uma história dos quadrinhos sobre um homem chamado Paul, que acaba cativo, antes de Rick e os demais poderem avaliar as suas reais intenções.

2. FALANDO NELES, OS “OUTROS”

002-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x11-Judge-Jury-Executioner

SERIADO: Randall ligeiramente descreve seu grupo de sobreviventes, aludindo ao fato de que, apesar da presença de mulheres e crianças entre 30 outros sobreviventes estranhos, haviam aqueles que mantinham maneiras selvagens, como estuprar mulheres enquanto seus maridos assistiam.

QUADRINHOS: Os personagens da AMC ainda precisam encontrar este outro bando de sobreviventes, mas parece que seu comportamento parece lembrar mais o do povo de Woodbury, que eram civilizados, porém poderiam facilmente ser atraídos para a violência de maneira impensável.

Dicionalmente, como o user “Trekker1701” mencionou, o personagem dos quadrinhos Abraham Ford teve sua esposa e filha estuprados por membros selvagens do seu grupo, enquanto seu filho pequeno foi forçado a assistir. O incidente destruiu com Abraham, de certa forma, e ele brutalmente assassinou os agressores, a ponto de sua família ficar mais assustada com ele do que com qualquer outra pessoa, e depois fugiram antes de acabarem devorados por walkers. O Randall da AMC mencionou que ninguém matou o pai em sua história. Poderia esta ser uma alusão a uma eventual aparição de Abraham na série?

3. O QUE FAZER COM RANDALL

003-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x11-Judge-Jury-Executioner

SERIADO: Após abandonar o plano de deixar Randall em algum lugar “18 Miles Out”, Rick decide chamar os demais membros do grupo para decidir o que fazer com o prisioneiro.

QUADRINHOS: Apesar de Randall não ter equivalentes nos quadrinhos, a discussão sobre o que fazer com Randall lembra o debate sobre o que fazer com Thomas, o prisioneiro com um incurável desejo de matar. Igualmente sem querer apostar em uma reabilitação incerta, o grupo acabou escolhendo enforcar o assassino, abaixo de um lema de “você mata, você morre”.

4. OS SENTIMENTOS DE DALE A RESPEITO DO FATO

004-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x11-Judge-Jury-Executioner

SERIADO: Apesar da maioria do grupo ficar passiva a respeito de matar Randall, Dale veementemente opõe-se a tirar uma vida humana, a ponto de ele pedir a Rick um dia para tentar mudar o pensamento dos demais membros do grupo.

QUADRINHOS: Se mantivermos a ideia de comparar Randall com o assassino Thomas, o Dale dos quadrinhos não se objetou a matar alguém que pudesse significar uma ameaça, particularmente baseado na orientação de Rick de “você mata, você morre.”

5. O QUE ANDREA FEZ DESSA VEZ?

005-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x11-Judge-Jury-Executioner

SERIADO: Em seu esforço de convencer Andrea sobre o erro de matar Randall, Dale apela para a profissão de Andrea antes do apocalipse, uma vez que ela era advogada de direitos humanos, e que ela deveria perceber a falta de ética em se cometer assassinato.

QUADRINHOS: Mais jovem do que seu equivalente na série, Andrea mencionou ter trabalhado como funcionária em um escritório de Direito. Parece razoável dizer que, dado tempo suficiente para chegar à idade de sua equivalente na TV, Andrea deve ter se formado em Direito.

6. O JOGO DE PODER DE SHANE

006-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x11-Judge-Jury-Executioner

SERIADO: Enquanto Andrea faz a guarda de Randall, Shane conversa com ela a respeito da ideia de que Rick e Hershel tem que ser incapacitados, e Shane se candidata como o líder oficial do grupo, para que todos sobrevivam.

QUADRINHOS: Shane nunca fez nenhum joguinho de poder na HQ, especialmente não com qualquer ajuda, apesar de ele se sentir ameaçado pela liderança de Rick, a ponto de tentar matar o homem. De acordo com o andar da AMC, talvez teremos que esperar mais uma semana para esta cena…

7. A CURIOSIDADE DE CARL COM O PRISIONEIRO

007-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x11-Judge-Jury-Executioner

SERIADO: Desobedecendo os pedidos de Shane e seu pai, Carl entra no celeiro para uma rápida conversa com Randall, que tenta convencer o garoto a libertá-lo, em troca de proteção à sua família.

QUADRINHOS: Esta visita às escondidas à Randall lembra mais uma vez um arco dos quadrinhos, no qual a curiosidade de Carl o levou ao prisioneiro Paul, que tentou conquistar a confiança do garoto. Alguma coisa nos diz que esta ideia está passando pela mente de Robert Kirkman…

8. RICK NO CELEIRO

008-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x11-Judge-Jury-Executioner

SERIADO: Enquanto Rick prepara uma forca para a possibilidade de enforcar Randall, Lori chega e o relembra das noites cada vez mais frias e a validade da execução. Enquanto estava no celeiro, Rick pensa na ideia de se mudar com o grupo para um lugar mais quente, ou para dentro da casa de Hershel antes de retornar à discussão sobre o possível assassinato de Randall.

QUADRINHOS: Esta cena lembra uma conversa entre Rick e Allen no celeiro, após limpa-lo dos walkers cativos de Hershel, onde mais uma vez Rick pensou na ideia de se mudar para lá ou para algum dos quartos vazios de Hershel.

9. CARL SE TORNA FRIO

009-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x11-Judge-Jury-Executioner

SERIADO: Ajoelhado diante da sepultura de Sophia, Carl ouve algumas palavras de conforto de Carol, antes de retrucar que Sophia não estaria no céu e Carol era tola em ser tão otimista sobre sua filha.

QUADRINHOS: Muito da história de The Walking Dead pertence a Carl, e como Rick e o mundo afetam o garoto durante o apocalipse zumbi. Enquanto ele nunca foi tão rude com Carol, Carl eventualmente se torna um um jovem homem bastante objetivo e calejado pela vida.

10. AQUELA LOUCA CAROL

010-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x11-Judge-Jury-Executioner

SERIADO: Compreensivelmente brava com os insultos de Carl, depois de Rick repreender seu garoto, Carol menciona a Lori o fato de que ela sabe como o grupo a evita, e mesmo a considera louca em virtude da morte de Sophia.

QUADRINHOS: Carol e Lori tinham um relacionamento mais próximo nos quadrinhos, apesar de Carol eventualmente saber como os demais sobreviventes a viam e julgavam. Ela deverá repetir algumas das palavras usadas pelo seu equivalente da AMC antes de… bem, talvez você tenha que ler por si mesmo!

11. A DECISÃO DE HERSHEL

011-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x11-Judge-Jury-Executioner

SERIADO: Apesar de Dale fazer o seu melhor para tentar sensibilizá-lo, sendo um homem de convicções, Hershel acaba não se objetando a Rick ou o grupo em relação a matar Randall, preferindo isso a alguma figura problemática próximo de suas filhas, não importando o que fosse necessário.

QUADRINHOS: Similarmente, o Hershel da HQ frequentemente se submetera à liderança de Rick, particularmente quando se trata de enforcar Thomas por seus crimes. Apesar de, neste caso, vamos dizer que Hershel tinha um pouco mais de motivação para ter aquele homem perigoso longe de seus filhos…

12. CARL SE METEU EM CONFUSÃO, DEVE SER O DOMINGO

012-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x11-Judge-Jury-Executioner

SERIADO: Desobedecendo Shane e seu pai, Carl sai sozinho para explorar a floresta além da fazenda e encontra um walker preso na lama. Usando a arma de Daryl. Carl tenta atirar no walker, mas foge com medo quando a criatura consegue se livrar do lamaçal.

QUADRINHOS: Carl encarou os mortos vivos várias vezes, mas o incidente com o Carl da AMC sendo forçado a se defender lembra um arco logo após a queda da prisão, quando as lesões de Rick o incapacitaram e Carl teve que cuidar dele e do seu pai, bem como matar alguns walkers sozinho, mesmo com dificuldade.

13. A BÊNÇÃO DE HERSHEL

013-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x11-Judge-Jury-Executioner

SERIADO: À parte de todo o drama na fazenda, Hershel tem seu momento com Glenn para perguntar sobre sua família, bem como para dar ao jovem rapaz um relógio de bolso que era de sua família, como um símbolo de sua benção ao relacionamento com sua filha Maggie.

QUADRINHOS: Apesar de contrariado no início, o Hershel dos quadrinhos acaba eventualmente apoiando o relacionamento de sua filha com Glenn, e mesmo abertamente apoiando o garoto em sua iniciativa de pedir Maggie em casamento. Ele nunca deu a Glenn nenhum tipo de presente, mas o reconhecimento da aliança foi mais do que o suficiente para endossar a sua concordância.

14. A VISÃO DE LORI SOBRE A PENA CAPITAL

014-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x11-Judge-Jury-Executioner

SERIADO: Apesar de não concordar com a ideia de matar Randall, Lori concorda com Rick que isso deve acontecer para manter o grupo a salvo, e diz que não se sentiria confortável com Randall andando livre pela fazenda.

QUADRINHOS: Mais uma vez mantendo a ideia de Randall como Thomas, Lori concorda totalmente com a ideia de Rick decidir executar alguém pelo bem do grupo, mas eventualmente reconhece que eles não tem outras opções. No entanto, o problema nunca chegou ao ponto de uma discussão imediata.

15. A DISCUSSÃO DO GRUPO

015-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x11-Judge-Jury-Executioner

SERIADO: A pedido de Dale, o grupo se encontra no final do dia na casa de Hershel para discutir o destino de Randall de uma maneira organizada, em um debate incerto. Claro, poucos além de Dale falaram contra matar o garoto, e muitos ainda tentaram se retirar da discussão, agindo com indiferença.

QUADRINHOS: Na HQ, Rick é frequentemente apontado como o líder, mas fazer decisões em grupo (especialmente em caso de execuções) não era algo tão simples. Mais especificamente depois de Rick ir longe demais ao agredir Tyreese e acabando com Allen, Dale aproveitou um momento para comunicar Rick que ele não era mais visto como um líder, e que se formaria um comitê com quatro homens para tomar as decisões que fossem cruciais a todos.

16. ANDREA SE APROXIMA

016-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x11-Judge-Jury-Executioner

SERIADO: Aww, não é uma doçura? Apesar de concordar com Shane mais cedo, o discurso impressionante de Dale a respeito do mundo em que eles vivem convence Andrea que Randall merece viver, e em uma promessa de uma solução mais humana para o grupo. Claro, ninguém mais além dos dois estava se importando, e o plano prosseguiu, de qualquer modo.

QUADRINHOS: Como os fãs da HQ perceberão, Andrea e Dale mantiveram um relacionamento desde as edições iniciais, e usualmente apoiavam um ao outro. Dito isso, a discussão toda guarda lembrança tanto com a morte do prisioneiro Thomas como em relação a Ben, um dos gêmeos adotados e que estavam aos cuidados de Dale e Andrea. Ben matou seu irmão gêmeo sem entender como a morte funcionava, e o grupo resolveu matar o garoto de Allen e Donna por segurança. Tanto Dale como Andrea protestaram contra a ideia, mas logo tiveram o problema tirado de seu alcance.

17. A MORTE DE DALE

017-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x11-Judge-Jury-Executioner

SERIADO: Chateado por que o grupo preferiu matar Randall, Dale sai para caminhar sozinho, e encontra uma vaca mutilada, antes de ser surpreendido pelo walker que a matou. Ele é derrubado e Dale tenta evitar ser mordido, apesar de a criatura abrir um buraco em seu abdome e infligir um ferimento que Dale sabe ser fatal. Sem outra opção e para acabar com seu sofrimento, Rick se aproxima, mas Daryl é quem acaba atirando na cabeça de Dale para acabar com sua vida.

QUADRINHOS: Dizer O QUÊ? A morte do Dale da AMC marca um enorme ponto de divergência dos quadrinhos, onde Dale sobrevive à prisão e algum tempo após. Ele perde uma perna na prisão, por causa de um walker, e a outra para um bando de caçadores canibais, mas morreu em paz, após uma mordida de zumbi, tendo Andrea ao seu lado.

O que você achou do décimo primeiro episódio da segunda temporada de The Walking Dead, “Judge, Jury, Executioner”? Ficou surpreso com as grandes diferenças quando comparamos com a HQ? Deixamos escapar alguma coisa dos quadrinhos que deveríamos ter lembrado? Comentem abaixo! Não deixe de conferir também as comparações dos episódios anteriores.


Fonte: TVOvermind
Tradução: @BinaPic / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo

2ª Temporada

[SÉRIE vs HQ] The Walking Dead – Episódio 2×10 – “18 Miles Out”

Rafael Façanha

Publicado há

em

segunda temporada de The Walking Dead segue com o episódio “18 Miles Out”, mas como ele se liga à continuidade dos quadrinhos? As tensões aumentam à medida em que Rick e Shane entram em conflito sobre o que fazer com o seu refém, Randall (Michael Zegen), enquanto Lori e Andrea lidam com uma escolha difícil para a filha caçula de Hershel, Beth. Então, o que acontecerá a seguir em The Walking Dead?

Enquanto a série da AMC se aproxima e se afasta do enredo da HQ e adiciona personagens e situações originais, o site TVOvermind juntou algumas comparações para os fãs tanto dos quadrinhos como da série. Verifique as comparações que encontramos e nos conte o que você achou do episódio 10 da segunda temporada de The Walking Dead, “18 Miles Out”, nos comentários abaixo.

1. RICK DESCOBRE TUDO

001-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x10-18-Miles-Out

SERIADO: Parando o carro em um cruzamento na vizinhança, Rick confronta Shane em relação à morte de Otis, o caso de Shane com Lori e o fato de ele saber que Shane acredita que ele não seja capaz de proteger a sua família. Ele também indica que sabia do caso com Lori “desde sempre”, baseado no comportamento de ambos no acampamento.

QUADRINHOS: O Rick da HQ nunca discutiu sobre o caso de Shane e Lori diretamente com ele, e nunca falou a respeito também com Lori. Rick faz uma alusão de saber o que aconteceu, mas não teria condições de ouvir a respeito, mesmo quando confrontado por sua própria esposa.

2. ELE TAMBÉM PODERIA GANHAR UM CORTE DE CABELO

002-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x10-18-Miles-Out

Brincadeira! As madeixas de Andrew Lincoln e seu Rick Grimes parecem estar ficando um tanto desgrenhadas, uma vez que é difícil encontrar um barbeiro no apocalipse zumbi. Será que ele irá fazer como o seu equivalente nos quadrinhos, que deixou seu cabelo crescer indefinidamente até chegar à Zona de Segurança de Alexandria?

Detalhe: o cabelo cacheado de Lincoln pode não ficar tão bem naquele comprimento.

3. LORI, A FELIZ DONA DE CASA DO APOCALIPSE

003-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x10-18-Miles-Out

SERIADO: Conversando com Maggie e Andrea, Lori mantém a opinião de que as mulheres entre os sobreviventes deveriam se contentar com as tarefas domesticas, como cozinhar e limpar, deixando trabalhos perigosos e difíceis para os homens.

QUADRINHOS: A Lori da HQ tinha opinião parecida, preferindo lidar com a roupa suja do que com o treinamento com armas ou caça. Ela defendia a ideia a ponto de Donna a questionar a respeito do aparente sexismo em relação às responsabilidades.

4. O INVERNO ESTÁ CHEGANDO

004-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x10-18-Miles-Out

SERIADO: Com Shane perdido em seus pensamentos, Rick menciona o fato de que o inverno estará chegando em seguida, e que o ano anterior deixou Atlanta sob um espesso manto de neve. Ele também pondera a respeito do efeito que o frio possa ter nos mortos-vivos, uma vez que nada mais são do que cadáveres reanimados.

QUADRINHOS: O cenário de Walking Dead da AMC é marcadamente diferente da HQ, uma vez que o apocalipse zumbi ocorreu em algum momento do outono e esfriou cada vez mais durante a estadia de Rick no acampamento. No momento em que os sobreviventes pegam a estrada, a neve já cobria a região, efetivamente lentificando os zumbis. A primavera veria os walkers degelando, aumentando o número de ataques contra eles, especialmente na fazenda.

5. MERT COUNTY, VOCÊ DISSE?

005-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x10-18-Miles-Out

SERIADO: Rick toma a decisão de abandonar Randall no “Departamento de Serviço Público de Mert County” que, a despeito de uma infestação por walkers não vista, parecia bem fortificada, com cercas, veículos e alguns (agora mortos-vivos) guardas.

QUADRINHOS: O local nunca apareceu nos livros, mas não podemos evitar de perceber algumas características em comum com a famosa prisão que os sobreviventes encontrarão eventualmente! A presença destas cercas e múltiplos guardas nos dão certamente um vislumbre disso.

6. NOVAS ESTRATÉGIAS DEFENSIVAS

SERIADO: Tentando superar Shane e abordar de outra maneira o extermínio dos walkers, Rick demonstra uma nova ideia, onde ele usa um pouco de seu próprio sangue para atrair um zumbi próximo à cerca, e silenciosamente acerta seu cérebro com uma faca, em vez de desperdiçar tiros. Mais tarde, Shane tenta a mesma estratégia no ônibus escolar, mas perde a sua faca quando o crânio do segundo walker acidentalmente a prende.

QUADRINHOS: Dale foi o primeiro a postular a morte das hordas de walkers ao redor da prisão através das cercas, mas a ideia foi descartada. Ele usaria uma faca e um martelo para “pregá-la” no crânio, mas os walkers acabariam com as facas encravadas através da cerca, de qualquer maneira. Glenn resolveu o problema, criando um mecanismo para que a faca não fosse perdida através da cerca.

7. O QUE MATOU AQUELES GUARDAS??

007-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x10-18-Miles-Out

SERIADO: Rick e Shane param para examinar dois guardas zumbificados que não parecem ter mordidas, e teorizam que os arranhões podem ser suficientes para infectar e matar os homens. De qualquer maneira, algo parece estranho na situação, e Rick parece saber mais do que diz. Talvez um certo cochicho na primeira temporada tenha algo a ver com isso?

QUADRINHOS: Talvez a serie da AMC esteja chegando a este ponto, mas na HQ descobriu-se eventualmente que qualquer morte acabaria em ressurreição como zumbis, independente de mordidas ou infecções. “The Walking Dead” na verdade se refere aos sobreviventes, que já estão infectados, não importa a maneira como eles venham a morrer.

8. OS OUTROS

008-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x10-18-Miles-Out

SERIADO: Enquanto implora a Rick e Shane para que não o deixem, Randall (Michael Zegen) acidentalmente conta que foi à escola com Maggie, revelando que ele sabe que foi levado à fazenda de Hershel, e presumidamente quem o levou para lá. Isso significaria que o grupo de Randall estaria espionando a fazenda de Hershel, querendo toma-la para um certo personagem recém anunciado para a terceira temporada?

QUADRINHOS: Apesar de não haver Randall nos quadrinhos, o grupo de Rick é espionado à distancia por amigos e inimigos. Aaron espiava o trupo para avaliar se suas habilidades os credenciariam para ir para a Zona de Segurança de Alexandria, os soldados de Woodbury eventualmente espionavam a prisão e os Caçadores perseguiam suas presas.

9. RICK E SHANE VÃO ÀS VIAS DE FATO

009-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x10-18-Miles-Out

SERIADO: Depois de Rick se recusar a matar Randall por ele saber tudo sobre a fazenda, Shane reafirma sua crença de que Rick não é capaz de proteger Lori ou Carl e os dois acabam em uma luta coporal que termina com Shane atirando uma chave inglesa, com a intenção de matar!

QUADRINHOS: Shane e Rick nunca chegaram às vias de fato durante seu breve tempo juntos, já que seu confronto acabou com Shane apontando uma arma ao seu amigo, durante um momento de desespero.

10. LORI VS. ANDREA

010-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x10-18-Miles-Out

SERIADO: Depois de Lori descobrir seu plano e tirar a faca de cozinha das mãos de Beth, Andrea a critica por tirar de Beth o seu direito de escolha, e ambas acabam discutindo amargamente a respeito de suas atitudes durante a vida pós apocalipse zumbi, baseando-se no fato de que Lori não havia perdido pessoas da mesma maneira que os demais.

QUADRINHOS: A AMC claramente posicionou Shane e Andrea de forma a serem parecidos, uma maneira de ser o oposto de Lori e Rick. Dito isso, Andrea e Lori nunca tiveram briga alguma nos quadrinhos, e, como você pode ver, estavam completamente à vontade na companhia uma da outra. Lori ocasionalmente provocou Andrea por causa da lavanderia, no entanto.

11. O PACTO

011-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x10-18-Miles-Out

SERIADO: Enquanto Maggie está mortificada por sua irmã querer morrer e não encarar o mundo pós apocalíptico, Beth propõe que sua irmã se junte a ela e ambas morram juntas.

QUADRINHOS: Cara, estas crianças Greene duram pouco, não? Beth não tem um equivalente na HQ de Robert Kirkman, mas seu desejo de acabar com sua vida junto de sua irmã lembram o pacto entre a filha de Tyreese, Julie, e seu namorado Chris que tentou acabar com suas vidas na prisão. Interessantemente, a Maggie dos quadrinhos eventualmente teve pensamentos suicidas também.

12. MAGGIE VS. ANDREA

012-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x10-18-Miles-Out

SERIADO: As garotas simplesmente entenderam tudo errado! Depois de Andrea deixar Beth sozinha para tentar suicídio e descobrir que ela desejava viver, Maggie furiosamente enfrenta Andrea e exige que a loira fique longe de sua família e fora da casa.

QUADRINHOS: A exemplo de Lori, Maggie e Andrea nunca tiveram nenhum motivo para briga na HQ, mas vale notar que Andrea discutiu com Allen na fazenda ao lidar com uma perda. A Andrea dos quadrinhos falou a Allen como ele precisava continuar forte pelos seus filhos, após a morte da mãe deles, exemplificando com o seu próprio luto em virtude da morte de Amy e sua vontade de morrer após.

O que você achou do décimo episódio da segunda temporada de The Walking Dead, “18 Miles Out”? Ficou surpreso com as grandes diferenças quando comparamos com a HQ? Deixamos escapar alguma coisa dos quadrinhos que deveríamos ter lembrado? Comentem abaixo! Não deixe de conferir também as comparações dos episódios anteriores.


Fonte: TVOvermind
Tradução: @BinaPic / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo

2ª Temporada

[SÉRIE vs HQ] The Walking Dead – Episódio 2×09 – “Triggerfinger”

Rafael Façanha

Publicado há

em

segunda temporada de The Walking Dead segue com o episódio “Triggerfinger”, mas como ele se liga à continuidade dos quadrinhos? A tensão aumenta, enquanto Rick, Hershel e Glenn encontram outros sobreviventes querendo vingança pelo que aconteceu aos seus amigos. Shane sai para resgatar Lori e Carl tenta trazer Daryl para o grupo novamente. Então, o que acontecerá a seguir em The Walking Dead?

Enquanto a série da AMC se aproxima e se afasta do enredo da HQ e adiciona personagens e situações originais, o site TVOvermind juntou algumas comparações para os fãs tanto dos quadrinhos como da série. Verifique as comparações que encontramos e nos conte o que você achou do episódio 09 da segunda temporada de The Walking Dead, “Triggerfinger”, nos comentários abaixo.

1. NENHUM JULGAMENTO PARA HERSHEL

001-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x09-Triggerfinger

SERIADO: Apesar de certamente endurecer seu semblante em um momento tenso, a expressão de Hershel mostra que ele aceitou impassivelmente que Rick assassinasse brutalmente Dave e Tony, sabendo que eles não deram outra escolha, e, apesar da brutalidade, Rick simplesmente salvou a vida de todos ali.

QUADRINHOS: Apesar de ser um homem não violento e haver poucas tensões com Rick, o Hershel da HQ não fazia vistas grossas à violência também, particularmente quando as partes culpadas tentavam prejudicar a ele ou sua família. Em um caso, Hershel assistiu a tudo sadicamente!

2. ENCURRALADOS POR AMIGOS DOS MORTOS

002-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x09-Triggerfinger

SERIADO: Minutos apos matar Dave e Tony, Rick, Hershel e Glenn encontram-se aprisionados no bar, uma vez que outros sobreviventes do grupo abrem fogo do lado de fora, pela perda de seus amigos. Glenn tenta sair, enquanto Hershel limpa o caminho, e apenas um dos camaradas nada amistosos consegue sair da cidade vivo.

QUADRINHOS: Basta dizer que nossos heróis + outros grupos de sobreviventes era quase sempre = cenhos franzidos. Dito isso, os eventos de “Triggerfinger” tem uma semelhança distinta com um incidente nos quadrinhos, onde Glenn, Tyreese, Andrea, Michonne, Maggie e Axel encontram-se encurralados dentro de um WalMart, enquanto os sobreviventes de Woodbury perambulavam lá dentro. Glenn tentou acalmar a situação, mas foi ferido e causou um tiroteio que resultou em todos os sobreviventes de Woodbury mortos. Apesar de não serem de Woodbury, este outro grupo de sobreviventes parecia a maneira que a AMC criou para mostrar uma rivalidade semelhante, com outros grupos precisando defender o seu território.

3. LORI FRACASSA EM TUDO

003-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x09-Triggerfinger

SERIADO: Com suas habilidades ao volante destruídas, Lori tenta empalar um walker de dentro de seu veículo capotado, usando o parabrisas. Quando ela consegue sair, surpresa! Um segundo walker aparece por trás, e ela consegue mantê-lo afastado o suficiente para pegar sua arma de dentro do carro, atrapalhando-se com a sua arma antes de conseguir mandar uma bala no cérebro do walker.

QUADRINHOS: Nunca vimos a Lori dos quadrinhos dirigindo, então não iremos detoná-la neste ponto, mas é importante notar que, na HQ, Lori também era conhecida por não ter habilidade com armas, a ponto de ela não ter sobrevivido ao primeiro ataque no acampamento se Carl não tivesse interferido.

4. ROAMERS, YAY!!!

004-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x09-Triggerfinger

SERIADO: Finalmente! Enquanto ainda na companhia dos demais sobreviventes fora do bar, ouvimos o Randall de Michael Zegen e os demais se referirem aos mortos vivos como “roamers”, sendo a primeira vez que a AMC usa este termo. Previamente ouvimos referencias como “geeks,” “walkers” ou a contribuição de Dave e Tony, “lame-brains”.

QUADRINHOS: Nós ouviríamos a palavra zumbi uma ou duas vezes nos quadrinhos, mas tipicamente Rick e os demais se referiam aos mortos-vivos como “roamers”, diferenciando entre eles e os “lurkers”, que tipicamente ficavam escondidos e inanimados, até que carne fresca chegasse perto deles o suficiente.

5. HERSHEL BADASS

005-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x09-Triggerfinger

SERIADO: Não somente Hershel pode carregar sua arma, mas ele também consegue matar alguns sobreviventes que miravam em Glenn com um único tiro! Infelizmente ele não conseguiu dar o tiro de misericórdia antes dos roamers chegarem.

QUADRINHOS: O Hershel da HQ também nunca se importou muito com violência, mas ele era mais do que habilidoso com uma arma, como provou durante várias batalhas na prisão. É assim que são os fazendeiros!!!

6. A OBSESSÃO DE RICK POR AMPUTAR MEMBROS

006-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x09-Triggerfinger

SERIADO: Enquanto seus companheiros o abandonaram quando os roamers chegaram, o Randall de Michael Zegen tenta sair para a rua pelo telhado, acabando com a perna empalada em uma cerca de ferro. Em vez de deixa-lo para trás, Rick, Hershel e Glenn freneticamente tentaram encontrar uma maneira de liberar a perna dele, concordando em amputá-lo acima da ferida. Porém, eles não conseguiram fazer isso, e Rick pediu para Glenn trazer um machado do caminhão, seguraram Randall e deram um canivete a Hershel para terminar o serviço.

QUADRINHOS: Oh, aquele Rick e seus membros. Primeiramente Rick e sua machadinha que virou marca registrada fizeram uma tentativa desesperada de salvar a vida de Alan, cortando sua perna acima de uma mordida, mas Alan acabou morrendo de hemorragia. A própria mão de Rick foi amputada, e Dale perdeu sua perna sob as mesmas circunstâncias de Alan, apesar de conseguir sobreviver à amputação.

7. EMBAIXATRIZ CAROL

007-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x09-Triggerfinger

SERIADO: Percebendo o quanto ele está se afastando do grupo depois da morte de Sophia, Carol toma a si a missão de visitar Daryl e mesmo encarar sua raiva, como uma maneira de trazer o solitário de volta ao grupo, o que, no final, acaba acontecendo.

QUADRINHOS:Nos quadrinhos, a própria Carol era quem estava ficando cada vez mais isolada, especialmente depois da reviravolta causada pelo término do relacionamento com Tyreese. Mesmo após sobreviver e superar, Carol bizarramente assedia Rick e Lori e acaba se tornando uma excluída, antes de, finalmente, decidir “fazer amizade” com um walker.

8. SHANE REVELA TUDO SOBRE LORI

008-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x09-Triggerfinger

SERIADO: Tendo Lori retornado à fazenda, com o pretexto de que Rick, Hershel e Glenn estavam sãos e salvos, Shane explica (diante de todos) que ele apenas mentiu para manter Lori segura e proteger a ela e ao (potencialmente seu) bebê, efetivamente anunciando sua gravidez a todos os que ainda não sabiam.

QUADRINHOS: Como o Shane dos quadrinhos não viveu para saber que Lori estava grávida, nos quadrinhos foi Lori mesmo quem falou ao grupo de sua gravidez, antes de chegar à fazenda, assegurando-se de contar primeiro a Rick.

9. QUALQUER COISA QUE ACONTEÇA AO BEBÊ JUDITH?

009-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x09-Triggerfinger

SERIADO: Claro, nada está confirmado, mas depois de ficarmos sabendo da gravidez de Lori (e mesmo ele não sabendo de onde vem os bebês), Carl pede à sua mãe para dar o nome do bebê de “Sophia” em homenagem à sua amiga morta, caso seja uma menina.

QUADRINHOS: Bem, faz algum sentido a versão da AMC. Nos quadrinhos, no entanto (com Sophia viva e bem), Lori escolhe o nome “Judith” para o bebe, depois que ela nasceu. O porquê deste nome, em particular, ninguém sabe ao certo.

10. O SURTO DE SHANE

010-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x09-Triggerfinger

SERIADO: Deixando-a de lado após tentar se desculpar durante uma discussão, Shane insiste que ele e Lori compartilharam algo real e muito especial na ausência de Rick, apesar de ela negar fortemente qualquer sentimento por ele.

QUADRINHOS: Apesar de não acontecer exatamente da mesma maneira, os sentimentos que o Shane da AMC expressa intensamente lembram os sentimentos e as palavras do seu equivalente nos quadrinhos, que, admitidamente, passou apenas uma noite com Lori. Em ambos os casos, Shane acreditava que seu affair era mais do que realmente foi, e começou a pensar com carinho no objetivo de “fazer as coisas darem certo”, tirando Rick da equação.

11. OH, A PROPÓSITO, PESSOAL, ESTE É RANDALL

011-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x09-Triggerfinger

SERIADO: Todos adoram novos personagens! Esta semana conhecemos o Randall de Michael Zegen (Rescue Me, Boardwalk Empire), que, após de ter sua perna liberada do portão de ferro na cidade por Rick e os demais, foi vendado e levado à fazenda de Hershel para ser cuidado, sendo a intenção deles depois o vendar de novo e larga-lo na cidade, assim que sua perna estivesse curada.

QUADRINHOS: Randall é um personagem original da AMC, e não tem equivalente na HQ, nem alguém que tenha o mesmo nome! No entanto, vale considerar que os sobreviventes dos quadrinhos trouxeram membros de acampamentos rivais em outras ocasiões, apenas para terem a preocupação de que eles fugissem e alertassem seus acampamentos originais de que existe um lugar melhor para ficar. Mais notavelmente, o guarda de Woodbury, Caesar Martinez, fingiu escapar com Rick e os demais para a prisão, apenas para tentar retornar a Woodbury com a localização da mesma. Rick conseguiu pará-lo, mas será que os sobreviventes da AMC terão a mesma sorte se Randall escapar sabendo a localização da fazenda?

12. OS OUTROS

012-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x09-Triggerfinger

SERIADO: Rick e Hershel explicam para os sobreviventes qual seus planos em relação a Randall, e o grupo se preocupa com o fato de manter um homem de outro grupo de sobreviventes na fazenda poder atrair outros à procura dele ou ainda pior, tentarem tomar a fazenda, em uma guerra total.

QUADRINHOS: Os sobreviventes da HQ também se preocupavam com outros grupos tentando tomar seu lar à força e a guerra que isso criaria, mas eles se referiam mais à segurança da PRISÃO e a ameaça do Governador em Woodbury. A fazenda de Hershel era insegura demais para alguém querer tomar, de qualquer maneira.

13. GLEGGIE ACABOU?

013-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x09-Triggerfinger

SERIADO: Após a conversa do grupo com os demais sobreviventes, Glenn e Maggie tem um momento em particular, onde ele explica que ele quase matou Rick e Hershel no bar, por pensar somente em Maggie durante o tiroteio, que ele ficou muito próximo a ela, e acabou por rejeitar qualquer avanço por parte da garota

QUADRINHOS: Aqueles malucos dos quadrinhos não tiveram problemas em levar seu relacionamento adiante, ao menos não neste ponto, já que Glenn e Maggie estavam confortáveis em relação à palavra “amor” e mesmo decidiram ficar na fazenda de Hershel quando os demais foram embora. Eles poderiam se preocupar em não fazer com que seu relacionamento colocasse os demais em risco, mas isso somente aconteceu mais tarde.

14. SHANDREA CONSPIRANDO

014-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x09-Triggerfinger

SERIADO: Após Hershel repreender publicamente Shane por sua atitude e suas atitudes rudes com os demais, Shane sai porta afora e Andrea vai atrás dele, concordando com as suas ideias, mas sugerindo uma abordagem mais sutil na apresentação das mesmas. Ambos se preocupam com a atitude leniente de Rick e dos demais, e que esta atitude trará o grupo de Randall direto para a fazenda, em guerra, e ambos concordam que isso não poderá acontecer. Obviamente, detido pelo que pode ser seu filho, Shane ainda expressa como gostaria que ele e Andrea abandonassem o grupo juntos na primeira oportunidade.

QUADRINHOS: A Andrea da HQ também queria estar preparada em caso de alguma facção estranha tentasse atacar o lar dos sobreviventes, mas foi seu amante Dale quem propõe que ambos deveriam abandonar os demais sobreviventes e pegar a estrada com o trailer, especialmente dada a instabilidade de Rick enquanto líder.

15. PRECISAMOS FALAR SOBRE SHANE

015-SERIE-vs-HQ-The-Walking-Dead-–-Episodio-2x09-Triggerfinger

SERIADO: Após um dia longo e difícil, matando zumbis e massacrando sobreviventes, Rick e Lori foram para a sua barraca, onde Lori contou tudo o que Shane havia falado mais cedo, e acrescentou suas desconfianças de que ele possa ter matado Otis por “amor” a ela. Enquanto Rick tenta defender as atitudes de seu amigo, Lori insiste que ele é perigoso e sutilmente pressiona seu marido, insinuando que algo deve ser feito em relação a Shane.

QUADRINHOS: Yeesh! Rick e Lori conversaram em particular sobre Shane, mas foram conversas post mortem. Enquanto ela certamente sabia que Shane estava contrariado em relação ao fim do seu período no acampamento de Atlanta, o surto de Shane com Rick foi o que o levou ao seu destino final, e não algo que Lori pudesse ter dito a ele para fazer.

O que você achou do nono episódio da segunda temporada de The Walking Dead, “Triggerfinger”? Ficou surpreso com as grandes diferenças quando comparamos com a HQ? Deixamos escapar alguma coisa dos quadrinhos que deveríamos ter lembrado? Comentem abaixo! Não deixe de conferir também as comparações dos episódios anteriores.


Fonte: TVOvermind
Tradução: @BinaPic / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo

EM ALTA