Siga-nos nas redes sociais

Destaque

Review The Walking Dead S09E12 – “Guardians”: Um episódio para os chatos

Guardians foi o décimo segundo episódio da nona temporada de The Walking Dead. Confira nossa crítica aqui.

Carlos Knewitz

Publicado há

em

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do décimo segundo episódio, S09E12 – “Guardians”, da nona temporada de The Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

O episódio dessa semana seguiu o modelo padrão estabelecido por The Walking Dead: bipartir a trama em dois núcleos que se constroem para um desdobramento nas próximas semanas. Longe de ser um episódio ruim, Guardians, no entanto, pareceu dar voz aos chatos. Isso é, para alguns dos personagens que mais têm irritado o público com seus posicionamentos frente as adversidades. Dentro desse pacote está o arco de Rosita e os três interesses amorosos, Michonne e Henry. Enquanto isso, o destaque vai para os Sussurradores e Daryl e Connie – sem esquecer do Cão, o astro maior.

Mas, como citado na semana passada, nós como audiência precisamos lembrar que todos os núcleos são necessários para a construção do todo. E com certeza toda a encenação entre os residentes de Alexandria no que concerne o amor e suas particularidades, bem como o ir ou não para a feira, se atrelarão ao aterrorizante enredo de Alpha.

Michonne está cedendo

Michonne muda de ideia durante o episódio.

Desculpem-me, mas Michonne desde o desaparecimento de Rick se tornou maçante. A insistência em declarar que o que importa é que Alexandria sobreviva, ao passo que vê velhos amigos do Reino sofrerem com a deterioração do local chega a ser mesquinho.

De fato não é plausível arriscar a vida das pessoas que contam com sua liderança para salvar a vida de outros. Mas em nenhum momento a mulher parece se inclinar a um aspecto de empatia. Às vezes parece que os seis anos que se passaram foram suficientes para apagar totalmente da mente de Michonne que Carol arriscou a própria vida para salvar todos quando estavam nas mãos de canibais.  Ainda, se o Reino está em ruínas, muito se dá ao tanto que eles foram cooperantes com os planos de Rick.

Ademais, toda a história construída com o antigo líder dos Salvadores também foi pífia. Negan parece estar vivo simplesmente por causa de quem o interpreta e não pela sua necessidade na trama. O personagem está perdido, sendo reduzido a um leve alívio cômico vez ou outra, tendo poucos segundos de tela e limitado a poucas falas. Sua relação com Judith desencadeou em Michonne a oportunidade de que uma nova votação fosse feita para decidir sobre a feira, mas com enredo tão frágil que soou irrelevante.

E agora, um parágrafo polêmico – baseado numa simples ojeriza à atriz após sua passagem no país e os seus atos subsequentes ou tendo total sentido. Danai Gurira parece estar completamente indisposta ao interpretar Michonne. Suas cenas dramáticas pareceram questionáveis e o momento em que ela se depara com Judith a espiando repercutiu como em um besteirol americano. A cena e a interpretação foram dignas de teatro escolar em aula de artes ou literatura.

Rosita e o dramalhão mexicano

Rosita e três homens.

Preciso ter cautela em tocar nesse assunto. Embora totalmente desanimador, o arco que parece ter sido inspirado em alguma novela mexicana com Thalía, é totalmente útil e inspirado nos impressos de Robert Kirkman. Ainda que tenha sido transformado em uma adaptação que inclui e dá motivações a Gabriel, parece totalmente desnecessário pensar que quatro personagens estão vinculados na trama.

Foi extremamente gentil e demonstrou muito o caráter oposto de Eugene no passar dos anos (com certeza faz parte de desvinculá-lo com sua imagem junto aos Salvadores no oitavo ano) a forma como ele instrui o Padre a dar continuidade no relacionamento, mesmo confessando seu amor por ela. Destarte, dói no cientista, mas no fim ele quer que tudo dê certo para todos eles.

Embora saturada, a trama dos personagens está sendo construída para provavelmente trazer fidelidade e verossimilhança aos eventos que constituem o futuro. Para o próximo passo de algum desses, uma ligação emocional precisava ser traçada. Ficou óbvio que dali, já podemos estar preparados para dar adeus a pelo menos um. A trama segue os quadrinhos nesse aspecto ou irá inovar?

Trama que apagou todo o restante

Alpha é uma líder sem escrúpulos.

Os Sussurradores chegaram da forma mais sublime possível. Nesse episódio tudo o que lhes envolvia foi surpreendente. Desde os momentos em que Alpha parava para conversar com a filha, e automaticamente seus inferiores as cercavam e andavam em círculo para protegê-la, até o próprio acampamento. Ficou óbvio o quão animalescos e selvagens eles são. As pessoas comendo carne crua diretamente do chão. A desossa de animais. Além do mais, o quão numeroso é o grupo de Alpha. Muito distante dos dez que Lydia chegou a mencionar.

Cenas aterrorizantes como a da decapitação e o esfaqueamento de seu namorado mostraram mais um pouco da sua frieza. E novamente fomos levados a entender que ela sempre teve uma mente adoecida. Quando narrando para Beta sobre o dia em que ela viu a filha sufocar até quase morrer com um saco plástico, Alpha demonstra o quanto lhe dá prazer a agonia e o sofrimento alheio.

Toda a sua trama traz à voga novamente o questionamento se ela seria uma ameaça para as comunidades se não fosse provocada. Será que ela não estaria satisfeita se Henry, Daryl e Connie não os tivessem seguido?  Inclusive, falando nos dois últimos, a interação entre ambos os personagens é agradável. Além disso, o plano de Daryl ao final do episódio para salvar Henry e subsidiariamente Lydia, foi bastante inteligente. Basta saber como eles farão para apagar seus rastros e para não levar Alpha de volta aos portões de Hilltop.

Nossa opinião

Embora com subtrama frágil, o episódio conseguiu se manter sobre o enredo desenvolvido para os Sussurradores. Nas últimas semanas, inclusive, tem parecido que eles são os protagonistas da história, já que os heróis anteriormente conhecidos estão envolvidos em temáticas lentas e distantes das que tinham outrora.

A atuação de Samantha e Cassady é brutal. Ambas chegam com voracidade e fome de mostrar o seu melhor no que tange a interpretação do roteiro. The Walking Dead ainda é uma das maiores séries e, isso a torna uma janela para os atores.

Daryl se firma cada vez mais como personagem central. Se por anos sua falta de enredo próprio eram um problema, parece que o espaço aberto pelas ausências de personagens importantes lhe deram oportunidade. Ainda, não tem parecido forçoso o seu protagonismo. Mesmo que não seja um líder, Daryl tem conseguido se posicionar e agir como figura necessária.

Ainda precisamos entender Negan na história. Isto é, até o momento, parece estar desligado totalmente de seu segmento nos quadrinhos e estar perdido na trama. Afinal, tem se tornado semanalmente irrelevante e sua ida até o Santuário pareceu totalmente inócua. A fuga não lhe adicionou muito e nem gerou enredos de questionamentos. Prova disso é que ninguém se importou muito com seu desaparecimento.

Dessa forma, Guardians demonstra que The Walking Dead continua a crescer e se afastar do vexatório oitavo ano. Mas, ao mesmo tempo parece estar se apoiando em um arco de antagonistas que não será muito extenso. Será que conseguirão que os personagens se desenvolvam ao ponto de se tornarem independentes de vilões para serem concisos?

E você, sentiu o mesmo por Guardians? Conte para nós seus sentimentos e pensamentos quanto a trama do décimo segundo episódio da nona temporada. Aproveite e classifique o episódio em nossa enquete:

Continue lendo
Publicidade
Comentários

Destaque

CRÍTICA | The Walking Dead S10E17 – “Home Sweet Home”: O inimigo agora é outro

Home Sweet Home foi o 17º episódio da décima temporada de The Walking Dead. Veja a nossa crítica ao episódio e discuta conosco.

Avatar

Publicado há

em

Maggie, Cole e Elijah andando na floresta em imagem do 17º episódio da 10ª temporada de The Walking Dead

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do décimo sétimo episódio, S10E17 – “Home Sweet Home”, da décima temporada de The Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

Em um episódio com claras limitações de produção por conta das restrições impostas pela Covid-19, The Walking Dead retornou para os seis episódios extras que completarão o enredo da 10ª temporada. E o primeiro deles, “Home Sweet Home”, foca em Maggie, que busca companheiros de comunidade para retornar para Alexandria, seu antigo doce lar.

Quando a produção de The Walking Dead anunciou os capítulos 17 a 22, a primeira coisa que me veio à cabeça foi que a ideia de esticar a história serviria para amarrar algumas pontas soltas no enredo, fazer flashbacks e pouco introduzir à história. No entanto, a impressão que “Home Sweet Home” deixou foi outra, a de que um inimigo pode colocar em risco os sobreviventes de Alexandria. Além disso, o embate – direto ou não – entre Maggie e Negan promete ser um dos grandes temperos deste retorno.

Com um elenco reduzido, tomadas um pouco maiores que o habitual para completar o tempo do episódio e alguns objetivos, novos e velhos, pelo caminho – como a introdução dos novos sobreviventes à comunidade e a busca por Connie – The Walking Dead nos traz estes seis episódios para matarmos as saudades do nosso elenco e da nossa história tão queridos.

Presente e futuro

Interessante a estratégia da produção de The Walking Dead em dar sequência à história com “Home Sweet Home”, mesmo correndo o risco de mexer com algo que está por vir na 11ª e última temporada. Mesmo com novas aventuras à vista, algumas lembranças também apareceram na nossa tela, até para nos relembrar de onde paramos na história. Um exemplo ocorre logo no começo do capítulo, quando Judith e Maggie interagem e falam sobre Michonne. A Samurai está em busca de Rick após receber algumas pistas de que o xerife pode estar vivo e a dupla conversa sobre a reação de R.J. e o papel da irmã mais velha, que diz à criança que eles estão olhando para as mesmas estrelas à noite.

Este momento doce é interrompido pelo tão esperado reencontro entre Maggie e Negan. O ex-Salvador e assassino de Glenn esteve muito perto de morrer pelas mãos da Viúva, mas quando ela chegou à cela em Alexandria para vingar a morte do marido, o homem havia fugido. Depois descobrimos que ele estava em uma missão dada por Carol para matar Alpha e tentar pôr fim ao confronto contra os Sussurradores. A própria Carol admite para Maggie, em “Home Sweet Home”, que o encontro com Negan não ocorreu por causa dela. As consequências desta história são bastante esperadas. Não nos decepcione, produção!

LEIA TAMBÉM:
Quem morreu no 17º Episódio da 10ª Temporada de The Walking Dead?

Também somos lembrados sobre o triste destino de Hilltop, devastada pelo ataque dos Sussurradores. Maggie propôs levar os dois companheiros de viagem, Cole e Elijah, para o casarão, mas descobre que o lugar não existe mais e eles terão que ir para Alexandria junto com os outros sobreviventes. Cole é um personagem que chegou mostrando as caras, um sujeito que fala o que pensa e que, no capítulo, flertou com a inconveniência. A ver o comportamento do sujeito no porvir.

Elijah, por sua vez, tivemos a chance de conhecer no que seria o season finale da 10ª temporada, quando ele salva Gabriel da morte certa pelas mãos dos Sussurradores. Desta vez, conseguimos ver o rosto do rapaz, que em determinado momento parece sofrer ao chegar em certa localidade por, provavelmente, lembra-lo da irmã, que morreu. A conexão dele com Kelly parece ter sido imediata e é bom ficar de olho nessa nova amizade.

Por fim, a busca por Connie também deve mover nossos personagens. Kelly segue confiante de que a irmã está viva e Daryl parece ainda disposto a procurar pela amiga. Vale lembrar que ela se encontrou com Virgil após passar um tempo desaparecida. A irmã de Kelly foi soterrada junto com Magna depois da explosão de uma dinamite em uma jogada atrapalhada de Carol, que ainda estava perturbada pela morte de Henry, e voltou a aparecer no 16º episódio da 10ª temporada. O reencontro das irmãs (e de Connie com Daryl) também promete.

Novas histórias após Home Sweet Home

O que há muito todos nos perguntávamos, enfim foi respondido. Maggie esteve fora por todo este tempo ajudando outras comunidades com Georgie, mas, além disso, também passou um tempo com Hershel Rhee em uma casa isolada no litoral. A ideia da Viúva era tirar o sentimento de vingança de Negan da cabeça e, por isso, ela resolveu se afastar dos amigos.

No entanto, ela parece ter encontrado muitos obstáculos pelo caminho. Aqui é interessante notar que, mesmo que a personagem tenha ficado afastada da série por tanto tempo e, consequentemente, perdido tantos acontecimentos que nós acompanhamos, ela também passou pelos seus percalços, perdeu pessoas e encontrou uma nova família pelo caminho. Mesmo que não a tenhamos visto em tela, a personagem deixa claro que viveu suas experiências longe de Hilltop que a afetaram e ajudaram a se tornar a pessoa que é hoje.

No tempo em que esteve fora, Maggie perdeu muito. De longe ela soube da morte de pessoas próximas, como Jesus, Tara, Enid, do desaparecimento de Rick e, logo que voltou, soube da destruição de Hilltop. Isso tudo fez com que ela optasse por se afastar do ponto de encontro onde trocava correspondências com os amigos. Obviamente a estratégia de fugir dos problemas não deu certo e ela precisou voltar para ajudar a família a se reerguer.

Junto com a nova comunidade, Maggie traz na bagagem, também, um novo inimigo: os ceifadores. Pouco se sabe sobre as intenções ou o objetivo do grupo, que parece ser bastante violento, mas já tivemos a pista de que Maggie é o alvo. Quando o homem que atira nas sobreviventes da comunidade é encontrado, ele revela, antes de bancar o kamikaze, explodindo a si mesmo, que um tal de Papa marcou Maggie. Com certeza teremos momentos de tensão e perigo não só para ela, mas também para o pequeno Hershel e os sobreviventes de Alexandria.

Foi um capítulo que deixou uma série de boas impressões para o que vem por aí. Impossível não mencionar o calor no coração ao ver o filho de Maggie e Glenn são e salvo após estar em iminente perigo. E a semelhança do rapaz com o pai também impressiona! Curioso para saber como será a adaptação do jovem à Alexandria, onde ele deve encontrar novos amigos, como Judith, Gracie e R.J., e também deve dar de cara com o assassino de seu pai.

O que você achou de “Home Sweet Home”, e quais suas expectativas para os cinco episódios restantes? Deixe sua opinião nos comentários e vote na enquete abaixo!

Continue lendo

10ª Temporada

Trailer LEGENDADO dos episódios extras da 10ª temporada de The Walking Dead

Assista ao trailer dos episódios extras da 10ª temporada de The Walking Dead. Série retorna em 28 de Fevereiro!

Rafael Façanha

Publicado há

em

daryl armado em imagem dos episódios extras da 10ª temporada de The Walking Dead

The Walking Dead está se preparando para retornar com 6 episódios extras da 10ª temporada e a AMC acaba de divulgar o trailer oficial para aquecer a ansiedade dos fãs.

Os novos episódios vão focar em determinados grupos de personagens e prometem responder algumas perguntas em aberto, como onde Maggie estava, o passado de Negan e sobre os soldados que cercaram o grupo de Eugene no final do episódio “A Certain Doom”.

Assista ao trailer de The Walking Dead:

LEIA TAMBÉM:
Títulos e sinopses dos episódios extras da 10ª temporada de The Walking Dead

Nesses episódios extras, encontraremos nossos sobreviventes tentando se reerguer após a destruição que os Sussurradores deixaram para trás. Os anos de luta pesam sobre eles e os traumas do passado ressurgem, expondo seus lados mais vulneráveis. Ao questionarem o estado da humanidade, o estado de sua comunidade coletiva e o estado de suas mentes, eles encontrarão a força interior para perseverar com suas vidas, amizades e grupo intactos?

A 11ª temporada de The Walking Dead – que tem previsão de estreia para Outubro deste ano – será a última da série inspirada nos quadrinhos de Robert Kirkman. Para dar uma despedida digna e épica ao universo zumbi, serão exibidos 24 episódios nesta parte final da história, oito a mais em relação aos tradicionais 16 capítulos divididos em duas partes que nos acompanharam na maioria das temporadas.

The Walking Dead retorna em 28 de Fevereiro com o episódio “Home Sweet Home”.


Legenda por: Guilherme Catai / Equipe The Walking Dead BR

Continue lendo

Destaque

Anunciada data de retorno da 10ª temporada de The Walking Dead

Confira a data de estreia dos episódios extras da 10ª temporada de The Walking Dead. Série se encaminha para a reta final.

Rafael Façanha

Publicado há

em

A AMC divulgou através de uma nova leitura de roteiro a data de retorno da 10ª temporada de The Walking Dead. Por conta da pandemia de COVID-19, a temporada ganhou 6 episódios extras.

A 10ª temporada de The Walking Dead retorna em 28 de Fevereiro de 2021. Os seis episódios extras, até certo ponto, vão seguir um formato de antologia, focados em personagens individuais ou pequenos grupos de personagens.

Já sabemos que pelo menos um desses episódios vai explorar o passado de Negan, provavelmente mostrando partes da HQ “Here’s Negan”. A atriz Hilarie Burton, esposa de Jeffrey Dean Morgan (Negan), foi anunciada recentemente no papel de Lucille (a esposa do personagem).

The Walking Dead é uma história que começou há 10 anos com um homem tentando encontrar sua família. Essa família cresceu e gradualmente as comunidades tomaram forma. Eles lutaram e sobreviveram, prosperaram e deram origem a uma nova geração. É um conto sobre a humanidade e há mais histórias para contar.

Continue lendo

EM ALTA