Siga-nos nas redes sociais

8ª Temporada

The Walking Dead 8ª Temporada – Comentários do episódio 5: “The Big Scary U” (COM SPOILERS)

Publicado há

em

Post destinado a comentários do episódio “The Big Scary U” da oitava temporada de The Walking Dead. Muitos spoilers poderão (e serão) encontrados por aqui. Se você ainda não assistiu e não gostaria de ter as surpresas do episódio “estragadas”, não prossiga. Você foi alertado!

Este post está destinado à exposição de ideias sobre tudo o que pode estar acontecendo na série. Utilize os comentários abaixo para compartilhar conosco suas teorias.

SINOPSE: Com a guerra sendo travada ao seu redor, nós observamos de perto Negan e as vidas dos Salvadores durante o conflito através de olhos familiares.

Roteiro:
Direção:

DISCUSSÃO DE “THE BIG SCARY U”:

Após uma sequência de quatro episódios de tirar o fôlego, The Walking Dead finalmente encontrou em “The Big Scary U” o momento certo de se recuperar. E, meus amigos, que grata surpresa.

Receoso como ninguém, eu, um daqueles que absurdamente detestaram o fatídico “The Cell” e curiosamente amaram “Hostiles e Callamities”, aguardava o quinto capítulo da oitava temporada com uma boa dose de ressalva, justamente por não esperar nada tão grandioso envolvendo Negan e o Santuário.

Após um perfeitamente bem executado flashback da “reunião” comentada durante o diálogo de Rick e Negan em “Mercy”, a resolução do cliffhanger deixado no primeiro episódio, envolvendo Negan e Gabriel, tomou quase que todo o desenrolar da hora. Não nego, por dias imaginei que seria mais um caso de diálogos “reflexivos” e nada mais que isso, e talvez por esta razão tenha ficado mais do que grato ao ver o roteiro de Angela Kang e Scott M. Gimple entregando a tão esperada história de vida do personagem de Jeffrey Dean Morgan que, pasmem, veio acompanhada de interpretações monstruosas por parte deste e Seth Gilliam, provando que tudo nesta história está bem além de tiro, porrada e bomba.

Ainda, ver uma guerra civil quase estourando dentro do Santuário é uma das melhores tiradas já realizadas diretamente para o formato televisivo. Ver personagens como Dwight, Eugene, Simon e a novata Regina ultrapassando a barreira do “automático” e realmente se impondo diante os problemas deixados pelo primeiro grande ataque prova que, quando The Walking Dead quer, pode entregar um casamento perfeito de roteiro/direção e tramas bem construídas e amarradas.

E mesmo que o lado dos “bad guys”(?) tenha sido o foco da semana, não quer dizer que Rick e Daryl não tiveram seu papel fundamental para o desenrolar da trama do capítulo anterior. Quem diria que o maior bromance da televisão partiria para uma briga pesada? Mesmo que a resolução tenha sido um tanto apressada, a sugestão de mais conflitos internos entre o grupo principal pode catapultar em novas tramas originais e interessantes.

Rick, como muitos esperavam, está prestes a encontrar o grupo do lixão, talvez na busca para oferecer um novo trato. Falando assim, parece a idéia mais estúpida do mundo, mas vale lembrar que tudo ali é uma questão de negócios, e Jadis sabe que, se levar em consideração o último encontro, as coisas sempre ficam bem feias para o lado adversário de Grimes e cia.

Ah, e como se isso não fosse o suficiente, ainda tivemos a curiosa aparição de um helicóptero sobrevoando os céus da Virginia, e a possibilidade de Gabriel ter sido mordido e estar infectado. Grandes pontos de interrogação que, se formos sortudos, poderão ser resolvidos já na próxima semana.

E mesmo que este tenha trazido o presságio de outra grande morte para a temporada, “The Big Scary U” apenas prova que estamos diante um dos melhores anos de TWD. Faltando apenas três episódios da série ainda em 2017, é melhor nos prepararmos para as coisas ficando ainda mais feias do que já estão…

SUA OPINIÃO SOBRE O EPISÓDIO:

 

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA