Siga-nos nas redes sociais

6ª Temporada

Lauren Cohan fala sobre a revelação bombástica de Maggie e sobre ter esperança em relação a Glenn

Publicado há

em

Atenção! Este conteúdo contém SPOILERS do quinto episódio, S06E05 – Now, da sexta temporada de The Walking Dead. Caso ainda não tenha assistido, não continue. Você foi avisado!

The Walking Dead colocou seu foco de volta a Alexandria durante o episódio do último domingo, quando Michonne, que retornou à comunidade, ficou encarregada de dizer a Maggie que Glenn foi dado como morto.

Enquanto Michonne (Danai Gurira) explicava a Maggie (Lauren Cohan) que o sinal planejado por Glenn (Steven Yeun, que, pela segunda semana consecutiva, não teve seu nome exibido nos créditos de abertura da série) nunca foi dado, Maggie se recusou a aceitar que seu marido possa estar morto e saiu de Alexandria junto de Aaron (Ross Marquand) em uma tentativa de encontrar vivo o último membro que sobrou de sua família.

Enquanto Rick (Andrew Lincoln) voltou milagrosamente para Alexandria – e acabou liderando metade da horda de walkers para a comunidade fechada – Aaron levou Maggie por um caminho em potencial afastado dos walkers, quando os dois passaram pelo sistema de esgoto enquanto tentavam encontrar uma maneira de contornar a ameaça e encontrar Glenn – e Nicholas (Michael Traynor).

Em vez disso, Maggie e Aaron se depararam com um beco sem saída quando não conseguiram passar pelo portão no final – o que os levou precisamente em direção a um grupo de walkers. Foi então que Maggie soltou uma bomba: Ela está grávida. A revelação também explica a urgência do retorno de Glenn para Alexandria e a provável razão de ele ter insistido que Maggie ficasse para trás em vez de se unir ao esforço de Rick em levar a horda para longe da comunidade.

Em outro lugar, Jessie (Alexandra Breckenridge) foi forçada a matar uma residente de Alexandria que havia cortado os próprios pulsos e posteriormente se transformou em walker enquanto os sobreviventes despreparados da comunidade sentiram que foram condenados à morte agora que os walkers estão do lado de fora de seus muros. Jessie fez um discurso excelente que inspirou todos a se recompor e que acabou conduzindo a um beijo aguardado há bastante tempo entre ela e Rick no fim do dia.

Além disso, Deanna (Tovah Feldshuh) se recompôs depois de encontrar um walker e de ter uma conversa estimulante com Rick. Ela fez planos, mapeando o futuro da comunidade, que inclui um centro educativo e colheitas.

Não poderíamos deixar de mencionar que Denise (Merritt Wever) e Tara (Alanna Masterson) compartilharam um beijo romântico depois que Tara inspirou a médica residente da cidade a ter esperança e a tratar os feridos.

Foi um grande episódio que mostrou Maggie vivenciando o mesmo dilema pelo qual a audiência está passando em relação ao destino de Glenn. O episódio também preparou o terreno para Alexandria ficar pronta para lutar – seja com os walkers, com os Lobos ou com outras ameaças humanas (aham, há o rumor de que Negan, o vilão da série de quadrinhos, apareça na season finale da sexta temporada da versão televisiva.)

O Hollywood Reporter conversou com Cohan para discutir a grande revelação de Maggie, sua esperança em relação a Glenn e porque o personagem é o Elvis dela.

the-walking-dead-s06e05-now-027

Esse episódio é tão interessante porque Maggie está no mesmo lugar que a audiência: imaginando se Glenn está vivo ou morto. O que faz ela acreditar que ele ainda está vivo?

Lauren Cohan: Eu não sei se ela acredita nisso, mas ela não está disposta a não acreditar nisso. Eles passaram por tanta coisa juntos e sempre acabou bem. Eu acho que há essa crença de que, desde que eles tenham um ao outro, as coisas ficarão bem. Então é uma recusa a admitir o contrário, nesse ponto.

Glenn sabia da gravidez de Maggie antes de ter saído de Alexandria? Eles trocaram aquele sussurro na season premiere, antes de ele sair da Zona Segura. Foi por esse motivo que ele quis que Maggie ficasse em Alexandria?

Lauren Cohan: Sim! Esse é definitivamente um assunto importante: quais são os parâmetros nos quais eles se colocam enquanto casal – que foi algo que vimos mais cedo nessa temporada. Naquele episódio, quando sussurraram um para o outro. É isso. Foi quando Steven e eu descobrimos [sobre a gravidez de Maggie], também. Não foi um choque porque já vimos esses personagens falando sobre querer uma gravidez e sobre o que isso significaria – durante a terceira temporada, quando pensaram que ela poderia estar grávida. Tem sido um assunto latente sobre o qual eles já pensaram. Eu acho que Maggie e Glenn funcionam em conjunto com a audiência durante essas histórias.

Estruturalmente, essa temporada só se desenvolveu em um ou dois dias enquanto a série continua brincando com o tempo. Nós veremos flashbacks com Maggie e com Glenn e com ele descobrindo que ela está grávida?

Lauren Cohan: Nós vamos explorar a decisão, mas não com flashbacks propriamente ditos. Esse casal nunca foi contrário à ideia de ter um filho. Há um elemento de permitir que o mundo, que Deus decida se eles devem ter um filho. Mas, para mim, ao observar sem tentar influenciar na perspectiva de ninguém – eu quero que as pessoas interpretem isso como quiserem – sempre existe a responsabilidade de criar a vida devido à morte, no lugar da responsabilidade de ser cuidadoso devido à morte.

O discurso que Maggie fez para Aaron foi muito comovente. Ela se culpa pelo que está acontecendo com Glenn? Ela acha que poderia tê-lo impedido de ir?

Lauren Cohan: Eu amo esses dois personagens [Maggie e Aaron] juntos; sinto como se eles fossem irmãos; há uma espécie de sentimento de que eles têm o caráter igual. Maggie reconheceu algo nele assim que ele se aproximou dela e de Sasha. Nesse episódio, Aaron está em confronto com seu próprio sentimento de culpa quando ele revela ao grupo que deixou sua mochila cair e que a culpa não é de Rick; e que os Alexandrinos estão apontando o dedo para a pessoa errada. Os dois estão nessa missão pelo mesmo motivo e é por isso que ela admite para ele que está grávida e existe essa compreensão.

Maggie e Aaron continuarão sua busca do lado externo dos muros por Glenn e por Nicholas? Como a amizade de Maggie e de Aaron se desenvolverá?

Lauren Cohan: Parte do que está acontecendo é que Maggie percebe – quando diz, “Eu não sei” – que ela queria ir sozinha por que queria chegar lá antes de ter que pensar sobre o assunto, de perceber que foi impetuosa e de ter que admitir que não foi uma escolha sábia. Nós veremos como seguiremos a partir daqui. Quando eles chegaram ao portão e se depararam com os walkers foi um impasse emocional.

the-walking-dead-s06e05-now-006

Maggie e Aaron removeram os nomes de Glenn e de Nicholas do muro. Existe a possibilidade de que Nicholas possa estar vivo, também?

Lauren Cohan: Existe possibilidade para tudo nesse mundo. (Rindo)

Maggie está trabalhando com Deanna para se tornar efetivamente uma líder em Alexandria. Como o ataque dos Lobos mudará a visão de Deanna em relação a Maggie? No final desse episódio, Deanna finalmente parece estar pronta para lutar e Maggie tem tentando fazê-la chegar nesse ponto. Juntas, elas seriam uma grande força.

Lauren Cohan: Maggie e Deanna têm muito a ganhar uma da outra. Maggie está animadíssima para ver Deanna “voltar à vida”. É uma confirmação de que a esperança prevalece.

A gravidez de Maggie mudará o tratamento que Deanna dá a ela?

Lauren Cohan: Não, eu acho que isso as deixa mais próximas. Deanna, enquanto mãe e enquanto líder, tem o maior respeito por Maggie por ela estar nessa fase da vida. Essa é uma jornada definitiva.

Esse episódio é cheio de esperança: a gravidez de Maggie, o beijo de Rick e de Jessie, o beijo de Denise e de Tara e Deanna finalmente “revivendo”. Será que a audiência deveria se sentir otimista em relação ao futuro ou isso é mais uma falsa segurança?

Lauren Cohan: Eles sempre deveriam se sentir otimistas porque esse é um lugar cheio de lutadores e de pessoas completamente indispostas a desistir. Eu adoro a mudança de Deanna e o potencial de amor e de eletricidade entre Rick e Jessie. As pessoas não estão mortas, no sentido de que o espírito delas nunca morre naqueles que temos nessa comunidade. Ver essa mudança em Deanna, esse entusiasmo retornar, essa criatividade; desde que eles estejam vivos e haja esse potencial para construir e para crescer, eu acho que há esperança.

Essa temporada é, em grande parte, sobre transformação. Eu sei que você não pode contar muita coisa, mas como Glenn estará diferente quando e se ele retornar? Essa experiência poderia forçá-lo a começar a matar pessoas pela primeira vez nessa série?

Lauren Cohan: Eu assisti a esse episódio e parte do que o torna tão de partir o coração para mim é que eu me coloquei na mente da audiência: Glenn – e o próprio Steven – é o epítome da perseverança, da esperança e da bondade. Ele é um farol de luz, de todas as coisas boas e honrosas. Nós vimos essas características nele quando era um rapaz e, quando existe a possibilidade de as coisas terminarem muito mal e você vê alguém que fica ainda mais forte, essa é uma das coisas mais tranquilizadoras na vida. Eu não posso dizer mais nada! (Risos)

Se Glenn estiver, de fato, morto, como o luto de Maggie será diferente de quando ela perdeu Hershel, seu pai, e Beth, sua irmã? Esse é o parceiro dela, eles podem ver um futuro em uma comunidade como essa, com eletricidade, um lugar para viver e ela está grávida. Parece que ela tem duas escolhas possíveis: ficar ainda mais sombria, se ele estiver morto, ou, se ele não estiver morto, se tornar ainda mais lutadora do que é nos quadrinhos.

Lauren Cohan: Na mente da Maggie, ela se recusa a acreditar que Glenn está morto. A Lauren não tem nada a dizer! (Risos)

the-walking-dead-s06e05-now-018

O showrunner Scott M. Gimple contou ao THR que o destino de Glenn será revelado na primeira metade dessa temporada. Faltam mais três episódios dessa primeira metade. O que você pode contar sobre o que virá adiante?

Lauren Cohan: Da câmara secreta de The Walking Dead, nos vemos na semana que vem! Ou algo igualmente evasivo! (Risos)

A reação dos fãs ao cliffhanger de Glenn se tornou viral. Como foi essa reação para você?

Lauren Cohan: Eu mal consigo acessar as redes sociais agora. Nós fizemos uma convenção em Atlanta [onde a série é gravada] e nós sempre conhecemos muitas pessoas mas, em meio ao luto de todos que conhecemos, foi como se tivesse caído a ficha. Não é fácil ver e sentir o quanto as pessoas estão magoadas. Havia uma menina que tinha “Glenn vive” pintado no rosto. Me fez pensar no Elvis. Eu tenho um documentário chamado Elvis vive e Glenn é o meu Elvis.

As pessoas também viram Steven no set de gravações na segunda metade, o que é parte do que faz elas acharem que Glenn ainda está vivo…

Lauren Cohan: Bem, vocês sabem que nós temos flashbacks…

Vocês estão gravando a season finale. Como você a descreveria? Houve alguns rumores de que Negan talvez pudesse fazer sua primeira aparição nesse episódio.

Lauren Cohan: Vocês podem colocar que “Lauren disse algo evasivo” aqui de novo! É uma ordem de silêncio, tem pessoas que ficam me vigiando do lado de fora da porta! (Rindo e brincando)

O que vocês acharam da jornada da Maggie nesse episódio? Comentem abaixo.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: The Hollywood Reporter

Publicidade
Comentários

EM ALTA