Siga-nos nas redes sociais

5ª Temporada

Melissa McBride fala sobre a evolução de Carol, sua amizade com Sam e apoio a “ditadura de Rick”

Marina Griffin

Publicado há

em

[ATENÇÃO!! ESTE CONTEÚDO CONTÉM SPOILERS DO EPISÓDIO S05E15 – “TRY“!]

Ela começou a quinta temporada sozinha, espetacularmente, resgatando seus amigos do Terminal e depois se juntou a Daryl para viajar para Atlanta e salvar Beth, e então tem usado seu tempo em Alexandria para passar sua melhor impressão a Martha Stewart (com uma variedade de cardigans e calças largas) para ser discreta enquanto se enturmava com a cidade. Resumindo, a personagem de Melissa McBride, Carol Peletier, é a rainha da quinta temporada de The Walking Dead, a temporada que tem sido a mais forte para as personagens femininas.

O final da temporada promete ser cheio de ação e trauma – Michael Cudlitz já prometeu que o final irritará alguns espectadores – McBride falou com a Yahoo TV sobre como está orgulhosa com a evolução de Carol e preparação para a dura (mas, admite, divertida) conversa com Sam, que, apesar de todo seu esforço, tornou-se seu amigo. Ela também fala sobre seu guarda-roupa cheio de cardigans e sobre o porquê da “Tia Carol dos biscoitos” não resolver por si o problema do agressivo Pete.

Carol é claramente a rainha da 5ª temporada. Uma das melhores partes da temporada, e de toda a série, tem sido a evolução de seu personagem.

Melissa McBride: Obrigada. Eu aprecio isso. Estou animada porque todas as mulheres do nosso programa estão realmente botando pra quebrar. Esta temporada tem sido tão divertida para mim, e eu estou absolutamente amando o desenvolvimento da minha personagem.

Antes de falar sobre o episódio “Try”, queria lhe perguntar sobre uma das cenas mais memoráveis da temporada, a conversa de Carol e Sam na cozinha. Como você se preparou para uma cena como essas, especialmente após a história com Lizzie e Mika na 4ª temporada?

Melissa McBride: Uma das coisas que torna ainda mais emocionante encenar são os jovens atores que estão atuando na série. Major Dodson é uma criança muito divertida de se conviver. Nós nos demos muito bem e nos tornamos amigos rapidamente. Foi muito legal fazer esta cena com ele. Para Carol, havia algumas coisas acontecendo naquela cena. Eu pensei muito sobre ela. O que ela está tentando fazer? Eu queria que isso tivesse claro na minha mente porque inicialmente era assustador ler a cena. Eu pensava “Onde estão indo? Ah, querido, o que está havendo aqui?”. Então eu fui lendo e percebendo que ela não está dizendo que vai fazer essas coisas. Ela quer manter Sam à distância, obviamente, porque sua capacidade emocional agora para lidar com crianças está baixíssima. É mais seguro para ela mantê-lo o mais distante possível.

A outra coisa é que claramente todos em Alexandria foram protegidos por um bom tempo, e provavelmente ninguém foi mais protegido como as crianças. Aqui temos um menininho. Ele está atrás de biscoitos e de outras coisas que crianças fazem, coisas que estão longe do mundo que ela [e o resto do grupo de Rick] estavam vivendo. É um pouco irritante, por um lado, porque antes nós tínhamos pessoas que não comiam direito há dias, semanas, meses, e ele está apenas querendo seus biscoitos [risos]. Eu acho que ela realmente quer colocar medo nele sobre as coisas reais que estão acontecendo lá fora. Isto é o que pode acontecer se Carol não for capaz de pegar as armas de volta, para que então eles possam ter alguma proteção dentro dos muros de Alexandria. As paredes podem ser violadas. Nós não conhecemos exatamente essas pessoas que estão vivendo lá. As pessoas são uma ameaça. Os zumbis são uma ameaça. Precisamos dessas armas.

Carol se esforçou muito para mostrar a Lizzie e Mika os perigos não só dos zumbis, mas das pessoas também – tentou ter uma conversa racional com as crianças sobre esses perigos. Não deu muito certo… Eu acho que a tática foi pensada rapidamente, eu serei muito gráfica e tentarei contar o terrível conto de fadas que soa como uma história infantil. Talvez ele ouça, fique com medo e me faça parecer assustadora, e isso o manteria longe de mim.

the-walking-dead-melissa-mcbride-carol-evolucao-001

É engraçado como isso funcionou. Carol conseguiu assustar Sam a não contar a ninguém sobre as armas, mas ele também passou a confiar em Carol e vê-la como uma protetora. Ela é a única pessoa que sabe sobre seus pais agora. Funcionou. Ela alcançou o resultado que queria, exceto afastá-lo.

Melissa McBride: Sim, talvez ele de alguma forma a achou divertida. Ele é uma criança. Ela está contando uma história. “Ok, isso não poderia estar acontecendo, e ela é a tia dos biscoitos!” Ele está pensando “Ela é muito legal para fazer algo comigo.” Sim, ela é severa com ele por um lado, mas depois também fez essas coisas que fortaleceram seu relacionamento, coisas divertidas, ao passo que o seu relacionamento em casa está abalado por causa dos abusos. Ele pode estar vendo sua própria mãe em uma luz diferente, em sua incapacidade – ou nós não sabemos ao certo o que está acontecendo – para se defender. É uma história tão maravilhosa, interessante, atraente e complicada que está acontecendo lá, o psicológico para o garotinho e para todos.

As pessoas costumam dizer que as crianças podem ver coisas sobre as pessoas que os adultos não podem. Você acha que pode haver um elemento disso no Sam que o faz ver Carol como uma protetora? Não apenas como uma confidente, uma pessoa confiável, mas como alguém que se escondeu atrás dela durante a briga de Rick e Pete na rua.

Melissa McBride: Sim. Eu sinto que é algo que inata Carol, e por mais que ela tente se mostrar durona e severa e todas essas coisas, eu acho que ela é naturalmente uma educadora. Isso é algo que não importa a cara que ela faz, ela não será capaz de disfarçar completamente. Eu acredito sim que as crianças são muito perceptivas, e talvez ele esteja se apegando a algumas coisas que eles têm em comum.

the-walking-dead-melissa-mcbride-carol-evolucao-002

Você teve a oportunidade de encenar esses lados completamente diferentes da Carol em Alexandria, e especialmente os momentos de tensão têm tido um pouco de humor com os cardigans e as calças largas, a Betty Crocker Carol. Isso tem sido divertido para você?

Melissa McBride: Tem sido muito divertido para mim como atriz interpretar esses dois aspectos de Carol. E ainda é mais de dois aspectos, porque há o meio-termo, a consciência do que ela está fazendo, a consciência de si mesma no meio das duas partes. Isso tem sido super divertido para mim como atriz.

Você sabe o quanto as pessoas estão amando esses cardigans.Você ajudou a escolher este guarda-roupa para Carol?

Melissa McBride: Eulyn Womble, nossa chefe de figurino da série, fez um trabalho fenomenal escolhendo as roupas de todos de Alexandria. Nós rimos bastante montando as roupas de Carol. Muitas delas foram para o chão e nunca mais foram vistas. Foi um pouco demais. Acho que encontramos o equilíbrio certo. É interessante usar essas roupas. Vou dar uma olhada no espelho por um segundo… Eu não gosto de dar uma olhada no espelho. O que gosto de fazer é olhar para baixo e me ver, não ver meu reflexo, mas ver como meu olhos enxergam. Isso é muito legal. Lembro-me de sentar no trailer, olhar para baixo, e ver aquele cardigan, as calças largas [risos] e pensar, apenas ficar quieta enquanto Carol e eu damos esse sorrisinho estranho. Era quase como se todo meu corpo estivesse sorrindo porque para ela se ver desta forma novamente, a partir desse ponto de vista, mas sabendo o que ela sabe sobre si mesma. Era quase como um momento de orgulho de quão longe ela levou Carol, comparando onde ela estava antes.

the-walking-dead-melissa-mcbride-carol-evolucao-003

Também parece que Carol está tendo uma chance de relaxar. Ela ainda está à espreita, agindo como líder do grupo, mas ela também está começando a fazer coisas, alimentando coisas, coisas que ela não fazia desde antes do apocalipse.

Melissa McBride: Sim, e ela está fazendo coisas nas quais se dá bem fazendo, mas em dois modos diferentes. No modo pré-apocalipse e no agora. Acho que ela está orgulhosa de si mesma por levar aquela Carol antiga tão longe. Eu não acho que é algo que ela jamais teria imaginado. Foi todos os passos ao longo do caminho para ela perceber que tinha isso em si todo o tempo. Isso é um dos aspectos que eu amo sobre este arco, a sua própria realização. Ela se tornou sua própria pessoa agora por causa desse mundo. Essa pessoa sempre esteve lá, ela apenas não conseguia se apossar dela. É muito satisfatório ver isso acontecendo. Além disso, jogando com os dois lados de Carol, com sua consciência no meio. Essa consciência no meio é a parte mais divertida do papel. Isso acontece porque Carol sabe do que ela é capaz. Ela sabe o que tem que fazer. Agora, até onde ela sabe, ela é a única pessoa que tem conhecimento sobre o que aconteceu com Lizzie e Mika. Essa foi a coisa mais difícil que ela já teve que fazer, mas era necessário. Saber que você é capaz de fazer algo como aquilo porque nesse mundo é necessário… Não sei se isso é uma descoberta que muita gente gostaria de ter. Por outro lado, é reconfortante saber isso, e é assim que Carol pensa “Eu não acho que nada poderia ser pior.” Não importa o que ela tenha que fazer, nada nunca será pior que isso.

Isso é libertador de uma certa forma.

Melissa McBride: Sim, sim. Pensando como Carol, de novo, eu sou capaz de fazer o que preciso fazer, até onde eu saiba.

the-walking-dead-melissa-mcbride-carol-evolucao-004

No Talking Dead do domingo, a prévia do final da temporada mostrou Carol chegando em Pete, tirando uma faca de seu cardigan e o ameaçando. Quando ela descobriu que Pete agredia Jessie, disse ao Rick que ele teria que matá-lo. Por que Carol não fez isso sozinha?

Melissa McBride: Ela e Rick estão mais em sintonia agora, e há um respeito mútuo entre eles. Ele tomou uma decisão para exilá-la, ela tomou essa decisão para matar Karen e David… Eu não acho que nenhum dos dois está tomando decisões por si só, não mais. Além disso, Rick é a lei em Alexandria agora, e se chegarem ao ponto de ter que matar Pete, ele seria o único que poderia fazer isso. Até porque ela é a tia Carol dos biscoitos.

Chegando neste enorme episódio final de 90 minutos, as coisas ficaram meio loucas para Rick. Michonne sentiu a necessidade de literalmente derrubá-lo durante seu discurso para Deanna e os moradores de Alexandria sobre sua falta de capacidade para se defender. Carol ainda está 100% ao lado de Rick? Ela foi uma das únicas pessoas que não tentou impedi-lo.

Melissa McBride: Ela estava, e ainda está de total acordo com o que ele estava dizendo para o grupo enquanto apontava sua arma para todos. Esta foi a razão dele ter voltado para a casa de Jessie. Essas pessoas têm que entender que têm que ser capaz de lutar e estar disposto a lutar para viver, que eles estão muito acomodados e realmente desconhecem quais são os perigos que estão por aí.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: Yahoo
Tradução: Marina Barcellos / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA