Siga-nos nas redes sociais

7ª Temporada

Analisando The Walking Dead: O significado por trás do último adeus de Glenn Rhee

Publicado há

em

Na noite do último Domingo, tivemos o desprazer de testemunhar a cena mais triste de todos os tempos – pelo menos para nós, fãs de The Walking Dead. O nosso tão querido e amado Glenn Rhee teve sua vida brutalmente tirada pelo novo vilão recentemente introduzido, Negan. A cena épica dos quadrinhos foi fielmente reproduzida na telinha, e nós, que esperávamos tanto pela estreia do aterrorizante personagem, acabamos por desejar que sua introdução nunca tivesse existido. Sofremos, gritamos, choramos e nos revoltamos em frente à televisão, incapazes de trazer de volta o nosso ex-entregador de pizzas preferido.

Durante sua longa trajetória na série, uma das grandes qualidades de Glenn era escapar da morte. São incontáveis as vezes em que o coreano foi visto em situações inimaginavelmente perigosas (comentamos todas elas em nosso podcast), – aonde eu, você, e qualquer outra pessoa teríamos facilmente batido as botas – e ainda assim, saiu de todas elas esbanjando vida. Mas, os últimos acontecimentos estavam fora do alcance de seu dom e ele, infelizmente, não saiu dessa.

Entretanto, mesmo não estando mais entre nós, Glenn deixou um legado extremamente simbólico, humano e repleto de esperança – características que ele esbanjava. Dentre todas as tantas qualidades incríveis do personagem, pode-se dizer que seu modo humano de lidar com as pessoas e o quanto ele se importava com aqueles que amava, eram as maiores delas.

the-walking-dead-glenn-rhee-ultimo-adeus-analise-001

No terceiro episódio da Sexta Temporada, intitulado “Thank You”, Glenn nos tirou as noites de sono quando foi pego de surpresa pelo suicídio de Nicholas, que o levou consigo para o chão em meio a uma multidão de zumbis. Era o fim – nós achamos. E a partir daí, foram três longos episódios a espera de uma resposta para o que havia acontecido com nosso coreano favorito quando, finalmente, no sétimo episódio, intitulado “Heads Up”, ele ressurge! A comemoração era audível ao redor do mundo todo quando assistimos Glenn se arrastar por debaixo da lixeira e dar uma grande rasteira na morte – mais uma vez. Durante o episódio, Enid aparece para lhe ajudar lhe entregando uma garrafa d’água e Glenn, aquele que não desiste das pessoas, bate o pé até conseguir convencer a garota a voltar com ele para Alexandria. E é aí que eu queria chegar.

the-walking-dead-glenn-rhee-ultimo-adeus-analise-002

Durante o trajeto, os dois fazem uma pequena parada no caminho e Glenn, percebendo a vontade de Enid de desistir, começa ali uma pequena conversa na intenção de mudar a visão de mundo da menina. Ele diz a ela a seguinte frase: “Você honra os que se foram, seguindo em frente. Mesmo que com medo. Você vive em nome deles”. É visível uma grande mudança na expressão de Enid nesse momento, porém, ainda assim ela não entrega os pontos.

Pouco mais a frente, no episódio nove, intitulado “No Way Out”, Glenn embarca num de seus melhores discursos de toda a série quando entra em um diálogo com Enid, aonde a garota demonstra não ter entendido o conselho dado por ele no sétimo episódio, e o questiona o que diabos ele quis dizer com aquilo. “As pessoas que você ama, tornaram você quem você é. Elas ainda são parte de você. Se você parar de ser você, a última parte deles que está aí dentro, quem você é… Morre”. O diálogo segue, e Glenn diz que essas pessoas, para ele, são seus pais, Dale, Hershel, Tyreese, Andrea, e pergunta à Enid quem são essas pessoas, para ela. “Meus pais”, ela responde. “Então eles ainda estão aqui. Porque você ainda está aqui.”

Se pararmos para pensar, o momento de Enid e Glenn, vivido parte no episódio sete e parte no episódio nove, cai como uma luva para a ocasião atual. A última fala do nosso coreano antes de partir, foi direcionada à sua esposa, Maggie: “Eu vou te encontrar”. O que isso significou? Tudo o que foi dito aqui. Glenn Rhee fez cada um dos membros daquele grupo, quem eles são hoje, e se ainda há um resquício de humanidade dentro deles, devemos atribuí-la à ele. Sua pureza irradiante e seu altruísmo tão entregue faziam com que ele sempre encontrasse, mesmo em meio a um perturbador mundo pós-apocalíptico, novas chances. Era esse o simbolismo de Glenn: a fé. E como o próprio disse: Se você ainda está aqui, então aqueles que você ama e que já se foram, também estão. Glenn não deixou Maggie, e nem o seu grupo. Ele vai encontrá-los, porque há uma parte dele dentro de cada uma daquelas pessoas, e enquanto eles existirem, então Glenn Rhee ainda estará entre nós. Porque ele é a representação humana da esperança, e bem, pelo que eu sei, a esperança NUNCA MORRE.

The Walking Dead, a história de drama mais assistida da TV a cabo, vai ao ar aos domingos no AMC Internacional, às 23h, e no FOX Action (canal do pacote premium FOX+) e FOX Brasil, às 23h30. Confira todas as notícias sobre a sétima temporada.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.

Publicidade
Comentários

EM ALTA