Siga-nos nas redes sociais

HQ

The Walking Dead Deluxe 2 – Letter Hacks: Respondendo aos fãs

Confira o especial “Letter Hacks” da The Walking Dead Deluxe 2 com respostas de Robert Kirkman e sua equipe sobre questionamentos dos fãs.

Publicado há

 

em

A The Walking Dead Deluxe 2 foi publicada em 4 de Novembro de 2020 nos EUA, dando continuidade às publicações das edições coloridas dos quadrinhos.

Para justificar o nome que referencia a ser uma edição de luxo, os fãs das HQs podem enviar cartas com perguntas à equipe e ao próprio Robert Kirkman no e-mail [email protected]. Essas cartas serão respondidas em uma das seções de conteúdo extra chamada de “Letter Hacks”.

Além da Letter Hacks, um dos outros conteúdos extras e super especiais que tem na The Walking Dead Deluxe é o “Cutting Room Floor“, onde o Kirkman comenta sobre os principais tópicos e o porquê das decisões do roteiro.

Abaixo, está a Letter Hacks de The Walking Dead Deluxe 2 que, seguindo a linha da primeira, continua a apresentar alguns membros da equipe. Nessa edição, conhecemos um pouco sobre Arielle Basich (Editora Assistente na Skybound Entertainment) e sobre como ela conheceu The Walking Dead.

Letter Hacks – The Walking Dead Deluxe 2

Da primeira vez que eu experimentei The Walking Dead, não foi porque eu acompanhava por um dos muitos meios que a saga era publicada (digitais, físicos, volumes, edições, coleções… do jeito que você quiser, nós publicamos). Foi porque meu amigo finalmente me convenceu a instalar o jogo de videogame The Walking Dead da Telltale.

“Tenho que saber alguma coisa dos quadrinhos?”, eu perguntei.

“Não”, ele disse, “mas você devia dar uma chance a eles, porque os quadrinhos são realmente bons.”

Eu pesquisei sobre eles; existiam mais de 100 edições naquela época, e eu era uma estudante de faculdade com pouco dinheiro. Então, coloquei em espera para um momento em que eu estivesse com um pouco mais de dinheiro no bolso.

Acontece que isso foi um grande erro. Em parte, porque, muitos anos depois, eu iria começar meu primeiro emprego como editora assistente na Skybound, e precisava aprender todo o possível sobre The Walking Dead em uma semana (foram tantos zumbis em tão pouco tempo). Mas principalmente porque meu amigo estava certo. Os quadrinhos são realmente bons. Falo sério, REALMENTE bons. Eu deveria tê-los lido antes para que eu pudesse ter aproveitado deles mais cedo.

No momento que comecei a trabalhar na Skybound, já existiam mais de 140 edições de The Walking Dead, e eu não tinha certeza como eu iria alcançar a tempo de fazer meu trabalho. Minha maratona de leitura me levou à fazenda do Hershel, e à uma prisão, e à uma pequena cidade maluca chamada Woodbury, e à uma pequena cidade bonita chamada Alexandria, e a todos os espaços bem amplos e ameaçadores entre tudo isso. Me introduziu à Andrea, e ao Ezekiel e ao Negan e, claro, ao Rick Grimes. Era um mundo bonito e aterrorizante ao qual eu tinha sido convidada. Um mundo que eu quase perdi porque pensei que tinha perdido o começo.

Quem diria que o começo iria chegar uma segunda vez? Para mim, colorido é uma jornada nova. Uma perspectiva de um mundo querido e familiar que nunca tive antes (por muito, muito tempo, pensei que o cabelo da Andrea era ruivo). Tenha você lido a saga milhares de vezes, ou seja você quem finalmente decidiu pegar aquilo que via sempre que passava na loja de quadrinhos pelos últimos dezesseis anos, eu espero que seja uma nova jornada para você também. Talvez, chame um amigo que esteja precisando de uma boa história e aproveitem juntos.

Só diga a ele, “Você realmente deveria dar uma chance a eles, porque os quadrinhos são realmente bons. Existem 193 edições simplesmente esperando para serem devoradas e aproveitadas.”

Arielle Basich
Em uma Califórnia muito quente.

Publicidade
Comentários