Siga-nos nas redes sociais

The Walking Dead: Dead City

Lauren Cohan fala sobre Maggie em The Walking Dead: Dead City

“A maior fraqueza de Maggie é definitivamente explorada.”, diz Lauren Cohan sobre a nova trajetória de Maggie em The Walking Dead: Dead City.

Publicado há

 

em

Considerando tudo, Maggie Rhee terminou em um lugar muito bom na conclusão de The Walking Dead. Ela salvou seu filho. Ela salvou a Commonwealth. E ela estava de volta a Hilltop.

Claro, nada permanece bom por muito tempo no Universo The Walking Dead, e parece que os bons tempos vão acabar quando as coisas começarem em abril no spin-off de Maggie e Negan da AMC, The Walking Dead: Dead City. Isso é de acordo com a própria Maggie, Lauren Cohan.

“Acabamos pegando New York no sopé de uma montanha realmente inesperada, onde talvez as coisas tenham corrido bem por um período de tempo, mas estamos de volta a esse desafio, assim como esses desafios que sempre parecem continuar surgindo.” disse Cohan à Entertainment Weekly.

Dead City começará alguns anos após a conclusão da série principal, e a questão permanece sobre o que aconteceu naqueles anos invisíveis que levam a dupla disfuncional ao norte da cidade de New York. Seja o que for, não é bom.

“Nada passa por lentes cor-de-rosa”, diz Cohan sobre a jornada. “Porque a coisa que surge, é como, ok, superamos esse obstáculo de Commonwealth e essas coisas, isso não significa que a vida é fácil só porque você anulou um inimigo. E o inimigo é esse alvo em movimento. Também é inimigo interno.”

LEIA TAMBÉM:
Jeffrey Dean Morgan fala sobre o futuro de Negan após o final de The Walking Dead

Embora Cohan não revele o evento ou incidente específico que fez com que ela e Negan voltassem a ficar juntos na Big Apple, ela menciona a palavra “paternidade” algumas vezes no bate-papo e também revela que, “Quando entrarmos na nova série, a maior fraqueza de Maggie é definitivamente explorada.” Isso poderia significar que a segurança de seu filho Hershel está em risco? Então, novamente, a paternidade é um grande negócio, e Cohan também observa que “às vezes não são as grandes coisas que são difíceis, são as pequenas coisas. E essas pequenas coisas se tornam coisas muito, muito grandes porque são nossos próprios pontos cegos, e eles são nossa maior fraqueza.”

Resumindo: quem sabe do que diabos ela está falando? Mas está claro que o cessar-fogo entre Maggie e Negan que vimos no final de The Walking Dead pode ter… bem, cessado. Jeffrey Dean Morgan disse em entrevista recente que Negan voltará a alguns de seus velhos hábitos depois de ser separado do grupo, e Cohan brinca que: “vai ser muito, muito difícil para ela continuar, mesmo com as melhores intenções que ela tinha de deixar Negan em seu território e ela continuar com sua vida, encontrando esperança e tentando construir esse futuro”.

Também parece que o território novo e desconhecido de uma cidade como New York infestada de zumbis também não ajudará: “Ela tem que passar por esse novo terreno de ir para a cidade de New York. Isso vai ser muito difícil e fisicamente desafiador”.

Tradução: Nada será fácil para Maggie. Nunca foi. Mas se há uma coisa que aprendemos sobre a personagem depois que ela perdeu sua mãe… e sua madrasta… e seu meio-irmão… e seu pai… e sua irmã… e seu marido… e muitos amigos para mencionar, é que ela possui uma resiliência incrível diante de adversidades impensáveis. “É muito importante para mim agora como avançamos com a história”, diz Cohan, “porque a realidade de uma vida de extremo atrito e desafio é que você precisa seguir em frente.”

Esse avanço começa em abril de 2023.

Ansiosos para a spin-off de Negan e Maggie? Quais as suas teorias para The Walking Dead: Dead City? Deixa aqui nos comentários que vamos adorar saber!

Publicidade
Comentários