Siga-nos nas redes sociais

Destaque

THE WALKING DEAD 10 ANOS: Entrevista exclusiva com Benedict Samuel (Owen)

The Walking Dead completa 10 anos em outubro e, para comemorar, entrevistamos alguns atores da série. Confira nosso papo com Benedict Samuel.

Publicado há

em

arte com Benedict Samuel e Owen (Líder dos Lobos) para comemorar os 10 anos de The Walking Dead

To access the interview with Benedict Samuel in english, click here.

The Walking Dead completa 10 anos de história na TV no dia 31 de outubro de 2020. Em comemoração a essa marca histórica, entrevistamos vários atores que participaram da série ao longo dos anos. Essas entrevistas, que começaram a ser divulgadas no início de setembro e vão até o final de outubro, estão sendo lançadas diariamente. Elas se encerrarão com uma grande surpresa preparada exclusivamente para os fãs, com grande carinho.

Nosso convidado de hoje é Benedict Samuel, que interpretou Owen (Líder dos Lobos) durante as temporadas 5 e 6. O ator nos contou sobre os desafios de interpretar um vilão, sobre como ele ficou feliz em trabalhar com Lennie James (Morgan), sobre ter dado vida ao Chapeleiro Maluco em Gotham e muito mais!

Sem mais delongas, confira nossa entrevista exclusiva com Benedict Samuel:

É uma honra conversar com você em um momento tão importante para The Walking Dead. Não é qualquer série que consegue chegar à marca de 10 anos. Comece contando para nós como foi fazer parte deste projeto. Como ele surgiu e como foi seu processo de audição? Você conhecia a série antes de conseguir o papel?

Benedict Samuel: É uma grande honra fazer parte de um programa tão incrível. A audição para o papel foi muito interessante. Eram papéis falsos, o que significa que não estavam divulgando nada do roteiro ou episódio real, mas era um monólogo incrível falando sobre como os lobos quase foram caçados até a extinção, mas como eles têm a capacidade de sobreviver e prosperar vivendo lado a lado das pessoas que os caçam.

Não sabemos nada sobre o passado de Owen, tanto antes do apocalipse quanto o que levou ele a fundar o grupo dos Wolves. Quando você o interpretou, criou alguma estória sobre o que já havia acontecido com ele ou isso não a afetava na hora de atuar? Os roteiristas te contaram algo sobre ele para ajudar de alguma maneira?

Benedict Samuel: O pano de fundo que eu descobri foi que o “W Man” ou Owen ou O Lobo, como eu gostava de chamá-lo, provavelmente estava levando uma vida muito normal, mundana mesmo e que quando o apocalipse atingiu, ele viu uma oportunidade de ser outra coisa. Assim como um assassino em série pode manter um emprego normal, até mesmo ter uma família para a qual volta à noite, O Lobo viu uma grande oportunidade e tirou proveito dela.

Os Wolves são um grupo bastante hostil e violento com estranhos, e se valem de meios brutais para conseguir o que querem. Como ator, qual foi o maior desafio físico e emocional que seu personagem lhe proporcionou?

Benedict Samuel: Os desafios físicos foram coreografar e ensaiar as cenas de luta. TWD foi filmado em filmes analógicos e, como ator, acho que o filme é incrivelmente precioso (é por isso que eu pessoalmente uso o filme para fotografar minha rua) e isso por si só traz algum estresse, porque você não quer errar. O filme eleva tudo e isso pode ser emocionalmente desgastante por que você quer atender a ocasião.

Durante a tentativa de fugir de Alexandria, Owen teve uma grande chance de conseguir, mas decidiu voltar para salvar Denise de um zumbi. Neste momento, o que você acha que o motivou a fazer isso? Você diria que Denise despertou a humanidade em Owen novamente?

Benedict Samuel: Acho que o W Man sempre manteve sua humanidade, ele apenas tem uma relação diferente com isso. Se há algo a ser ganho, se alguém pode ser usado para seus fins. Ele é maquiavélico. Então você vê neste momento que talvez Denise faça parte do plano dele, talvez. É interessante pensar nisso.

Imaginando que Owen não fosse morto por Carol durante o trajeto para a enfermaria e, com o respaldo de Denise, fosse aceito em Alexandria posteriormente, você acha que ele conseguiria criar raízes naquele lugar com ideais tão diferente dos seus? Ele seria capaz de se adaptar?

Benedict Samuel: O W Man é um camaleão. Acho que ele se adaptaria, conheceria o lugar, veria como funciona para descobrir como poderia ser útil para ele. Para ele, seria como um homem na prisão, aprendendo a rotina dos guardas, cumprindo suas regras até que a fuga ou o controle se tornassem viáveis.

Morgan tentou resgatar Owen da mentalidade animalesca dos Wolves durante o período em que o manteve como prisioneiro. Você acha que, em algum nível, Morgan conseguiu o que queria? E como foi trabalhar com Lennie James no desenvolvimento dos personagens?

Benedict Samuel: Trabalhar com Lennie foi um prazer absoluto. Ele é um ótimo ator e eu estava muito animado para trabalhar com ele, sempre adorei vê-lo em outros projetos e não conseguia acreditar que estaria trabalhando com ele.

Olhando para o seu tempo na série, qual foi o episódio mais divertido de gravar? E qual o mais desafiador? Por quê?

Benedict Samuel: Acho que o episódio com a situação de Denise em que O Lobo é mordido foi mais divertido de filmar. Havia tantas peças móveis. Havia muita coisa acontecendo emocionalmente. Eu amo toda a atmosfera do set. Todos trabalhando em um único momento. Acho que todos os episódios em que estive foram desafiadores porque havia muitas coisas que eu tive que desvendar no pensamento de o W Man. Para mim foi um grande quebra-cabeça tentar entender como ele pensa, o que ele realmente quer dizer, quais são suas intenções. Isso é sempre um desafio, mas é emocionante.

Você lembra como foi o seu primeiro dia no set? E o seu último? Adoraríamos saber detalhes sobre a recepção do elenco e também sobre sua despedida!

Benedict Samuel: Eu me lembro do meu primeiro dia no set. Estava se preparando para o primeiro encontro e cena de luta com Morgan ao redor da fogueira. Eu estava sendo levado até o set e tinha um figurante vestido de zumbi encostado em uma árvore (foi o primeiro zumbi que eu vi na vida real) e eu fiquei tipo “Meu Deus! Olhe para isso!” e me virei para o assistente de produção com quem eu estava, que não parecia muito impressionado, ele obviamente estava no set há algum tempo e não era novidade para ele. Eu ficava pensando, “Relaxa, cara!” Fiquei muito animado.

Meu último dia no set foi um pouco confuso, na verdade. Estávamos correndo contra a luz, tínhamos filmado a noite toda e o sol estava nascendo muito rápido. Foi a cena em que o personagem de Morgan humanamente desfere o golpe mortal em um agora W. Man zumbi. Eu tinha essas lentes de contato para me dar os olhos de zumbi, mas também tornava muito difícil de ver, e Lennie ia acertar aquele bastão bem perto da minha cabeça e a luz estava surgindo, então tudo parecia acontecer muito rápido. Nós fizemos a cena, fizemos as acrobacias e então foi “CORTA! Esse é o fim do Benedict!” Pessoas do TWD que nem estavam naquele episódio vieram assistir minha cena final. Tornou-se uma tradição da família TWD apoiar os atores que desempenharam papéis importantes, mas cujo tempo havia chegado para vê-los sair. Eu me senti muito parte da família.

Se Owen tivesse sobrevivido por mais tempo na série, com quais personagens você gostaria que ele tivesse interagido? Existe algum ator/atriz específico com quem você gostaria de ter trabalhado mais durante seu período em The Walking Dead?

Benedict Samuel: Imagina se o W Man e Negan se unissem?! Isso teria sido selvagem.

Nos episódios “Start to Finish” e “No Way Out” da sexta temporada, Owen repete algumas vezes a frase “Você não precisa ter medo” para Denise. Do que ele falava, especificamente, nesses momentos?

Benedict Samuel: Acho que isso é fundamental para a perspectiva que Os Lobos representam e que ele deseja transmitir. Você NÃO PRECISA ter medo. O que significa que pode ser uma escolha. Há caos e ainda há escolha. Não é necessário fazer nada, então se isso for verdade, o que você vai fazer, o que você vai ser, como você vai andar por este mundo. Para o líder dos Lobos, certamente não é com medo.

Você teve a oportunidade de viver a versão zumbificada de Owen. Como foi o processo de maquiagem/efeitos para a cena? Você se divertiu fazendo?

Benedict Samuel: A equipe de maquiagem e a equipe de efeitos especiais no TWD são incríveis. É simplesmente incrível vê-los trabalhar, inventar e serem criativos e realistas. As transformações de que são capazes são simplesmente impressionantes. Eu me diverti muito.

Falando em apocalipse zumbi… O que Benedict Samuel teria em seu kit de sobrevivência? Escolha 5 itens indispensáveis! Você seria mais o tipo que estaria em uma comunidade ou sobrevivente solitário?

Benedict Samuel: Acho que Benedict seria um sobrevivente de comunidade. Existe poder nos números e a comunidade é importante. Cinco coisas que eu teria no meu kit: Acendedor de fogo. Filtro de água. Kit de primeiros socorros. Meu livro favorito, The Outsider, de Albert Camus e uma garrafa de vinho! hahaha

Nós precisamos falar de Gotham e o quão fantástico você estava como Jervis Tetch. Por favor, nos conte como foi fazer parte desse projeto e interpretar um personagem tão icônico como o Chapeleiro Maluco. Você é ou era fã do universo do Batman de alguma maneira? E como esse projeto surgiu para você? Por favor, nos conte tudo!

Benedict Samuel: Muito obrigado! Interpretar Jervis foi muito divertido. Eu amo como um ator entrar no universo de uma série causa muita tensão e problemas para os outros personagens. Foi muito divertido. E novamente, da mesma forma que TWD, eu estava entrando em um grande programa com uma grande família. Todos estavam muito animados por me ter e eu fui muito bem-vindo ao universo do Batman. Curiosamente, esses dois personagens o W Man ou O Lobo e Jervis Tetch tiveram um impacto muito grande no público que acho que em um Halloween em LA eu estava fora de casa e vi alguém vestido como eu no programa! Ele tinha um W ‘esculpido’ em sua testa e então eu vi outro cara vestido como Chapeleiro Maluco! Eu pensei no quanto aquilo era legal!

Sabemos que a pandemia adiou muitos projetos, e nós, fãs de The Walking Dead, estamos sofrendo porque a season finale da série foi afetada. Como a pandemia te afetou? Algum projeto que estava em andamento teve que ser adiado? E como você tem se cuidado?

Benedict Samuel: Sim, a pandemia afetou muitas pessoas. É realmente difícil ficar pensando nisso. Pela primeira vez na história, talvez estejamos todos no mesmo barco. Isso nos faz parar. Coloca coisas diferentes em perspectiva e, na melhor das hipóteses, dá a você um impulso para se concentrar no que realmente importa. Acho que todos estão tentando fazer o melhor da forma mais segura possível. Claro que quero trabalhar como ator e ser criativo, mas quero fazer isso com segurança. Uma coisa que realmente me manteve criativo é minha fotografia. Tenho andado por aí (com uma máscara!) tirando fotos. Eu entrei no Instagram pela primeira vez, estava esperando por uma boa desculpa para entrar nessa plataforma e comecei a usá-la apenas para minhas fotografias. E comecei uma galeria online para minhas fotos também. Espero que você possa dar uma olhada em @benedictsamuel_official e www.benedictsamuelgallery.com. Tem sido uma grande saída criativa para mim.

Para encerrar: aqui no Brasil sempre mandamos muito amor a todos que estão envolvidos em The Walking Dead. Os fãs brasileiros são muito apaixonados! Esse carinho chega de alguma maneira até você através de convenções ou redes sociais? Deixe um recado para os fãs do nosso país!

Benedict Samuel: Eu amo os fãs brasileiros! Eles são realmente apaixonados e você sente isso. Qualquer pessoa que adora um programa e ama o que você faz e expressa isso para você, naturalmente, te faz sentir bem. E esse amor dos fãs faz com que você queira trabalhar ainda melhor no próximo projeto. Você quer fazer algo empolgante para seus fãs e espero ter feito isso com o “W Man” em TWD. Foi um grande prazer responder a essas perguntas e reviver alguns dos momentos para mim, muito obrigado pelo contato. Fiquem seguros aí, todos. Fiquem sãos, sejam gentis, sejam pacientes. Com muito amor, Benedict, O Lobo!

REDES SOCIAIS DO BENEDICT:

– Instagram: @benedictsamuel_official
– Site oficial: www.benedictsamuelgallery.com

AGRADECIMENTOS:

– Entrevista: Rafael Façanha & Dhebora Fonseca
– Tradução: Victoria Rodrigues & Ávila Souza
– Arte da capa: FORMES

ENTREVISTA ANTERIOR:

THE WALKING DEAD 10 ANOS: Entrevista exclusiva com Lindsley Register (Laura)

Publicidade
Comentários

EM ALTA