Siga-nos nas redes sociais

5ª Temporada

Talking Dead Brasil #31 – Danai Gurira e Paul Feig

Publicado há

 

em

Neste episódio de Talking Dead, Chris Hardwick recebe Danai Gurira (“Michonne”) e Paul Feig (“Bridesmaids”) para conversar sobre o mais recente episódio de The Walking Dead, “The Distance”.

CHRIS HARDWICK: Michonne tem passado por uma interessantíssima trajetória emocional. Como você se sente diante disso?

DANAI GURIRA: Isso é tremendo, e preciso agradecer aos roteiristas por tudo. Tem sido muito interessante “desembrulha-la” e fazê-la renascer neste mundo pós apocalíptico. Antes ela estava envolvida com seu stress pós-traumático e respondia ao mundo de uma maneira ferida e reativa. Na verdade, ela começou a trabalhar com tudo isso, encontrou Rick e seu grupo e percebeu que ela poderia fazer aquilo funcionar. Não há muita escolha, como vimos na última temporada, ou é conviver com os mortos, carregando dois pet walkers para todos os lados, ou ter esperanças e escolher a vida. Acho que agora ela está neste processo de descobrir com o que realmente a vida se parece.

CH: Na verdade, mesmo sendo ela esta centelha de esperança e escolhendo confiar nas pessoas… aliás, é uma coisa muito perigosa neste show ser a centelha de esperança (risos), é melhor não ser!! O que você acha deste movimento de Michonne confrontando Rick na frente de todo mundo?

DG: Ora, vamos! Michonne é capaz disso, mas ela nunca precisou fazer antes! Ela esteve sempre ao lado dele, confiando nele e concordando que esta era a maneira como ela gostaria de estar. Ela nunca deixou de ter suas habilidades, mesmo naquele momento em que o grupo estava completamente à deriva. E naquela noite foi o momento, e todos concordaram. Michonne neste momento é a guardiã da esperança daquele grupo. Ela é quem vai cavar aquele pequeno espaço nas almas para que haja um pouco de esperança. As pessoas não podem se definir pelos seus traumas passados, e ela sabe disso, já passou por isso. E isso pode agora ser algo novo.

Talking-Dead-Episodio-S05E11-The-Distance-001

CH: Você tem sido fã do show há muito tempo?

PAUL FEIG: Sim, desde o primeiro dia. Eu adoro o show, é algo muito bem feito, e este episódio prova o quão bem escrito, dirigido e interpretado ele é! Ele te leva a tantos níveis diferentes, você não sabe em quem confiar! E isso é o que mais amo no show, ele fala muito sobre confiança. E esse episódio mostra bem isso. Rick quer confiar, mas sempre que o grupo confia em alguém, algo terrível acontece. Eu amo estas mudanças de ponto de vista que ocorrem nele. Foi um episódio maravilhoso para as mulheres do show – você, Maggie, Rosita. Foi como se as mulheres fossem a voz da razão do grupo.

CH: Você gostou que alguém finalmente chegou para Rick e disse “você está errado, cale a boca um instante!”?

PF: Eu entendo muito Rick. Ele tem as duas crianças para cuidar, e isso é mais importante do que ser o líder do grupo. E novamente, toda vez que há uma centelha de esperança para o grupo, algo terrível acontece!!!

Talking-Dead-Episodio-S05E11-The-Distance-002

DG: Eu acho que a reação de Michonne foi meio que pragmática, não exatamente esperançosa. Ela pensou: “será que todo mundo que restou é igual ao pessoal de Terminus, ou ao Governador?” É impossível, é impossível que no mundo todo, agora, somente haja pessoas más. E essa é a ideia que ela tenta colocar na mente das pessoas. Além disso, a abordagem desse cara foi completamente diferente da abordagem de todos os demais. Ele avaliou todos. Ele não chegou, simplesmente, e chamou todo mundo para ir com ele. Ele esteve observando-os o tempo todo. E isso é o que eu faria antes de trazer qualquer pessoa para o meu espaço.

CH: Eu li os quadrinhos e sei quem é Aaron, mas ainda assim achei muito legal eles fazerem desta forma no show. E, na verdade, a gente nunca sabe que reviravolta eles irão fazer com a história. Você culpa Rick por não confiar imediatamente em Aaron?

PF: Não, claro que não!

• ENQUETE: Rick deveria ter dado um soco em Aaron?
SIM – 63%
NÃO – 37%

PF: Achei precipitado mas não fiquei surpreso. Ele realmente precisava de um tempo para saber se todos estariam ok, e, no final, todos o fizeram calar a boca.

CH: É, mas ao mesmo tempo houve muita agressão gratuita também. “Hey, eu trouxe água!” “Cala a boca!” – e dá-lhe um soco. E 63% concordam que Rick deveria realmente bater em Aaron!

PF: Wow! Não ande com fãs de The Walking Dead! (risos)

Talking-Dead-Episodio-S05E11-The-Distance-003

• Tradicionalmente, no final do segundo bloco do programa, o quadro In Memorian homenageia os mortos durante o episódio.
– Zumbi com trauma crânio-encefálico
– Zumbis flamejantes
– Zumbis vindo para a luz
– O pequeno zumbi centelha de luz de Rick
– Zumbis que deixaram o carro precisando de uma lavagem

“E você pensou que trocar o óleo fosse um trabalho sujo. Experimente puxar braços de zumbis do seu radiador.”

“A dinâmica entre Rick e Michonne é realmente uma jornada interessante. Eu realmente não sei se algum dos outros personagens faria frente à ele, ou seria aceito como uma outra voz viável. Este foi um momento tão crucial, ter uma voz de descontentamento é algo importante. O que mais gosto é que há um profundo respeito entre estes dois guerreiros. Há ternura entre ambos. Eles veem os demais traumatizados, totalmente aterrorizados, e uma das coisas que lhes dão esperanças é que ele tenta controlar o incontrolável! Há um bebê no banco de trás do automóvel!!! É um momento muito terno quando ela pergunta se está tudo bem, e ele ouve o barulho de crianças do outro lado do portão. É a única maneira de ele ultrapassar aqueles portões.”Andrew Lincoln

• No quadro seguinte, Chris Hardwick lê alguns comentários publicados no Twitter durante o episódio, referentes a Michonne:

– “Michonne vai de doce a divertida a pura a badass em 6,4 segundos.”
– “Eu adoro as novas conversas motivacionais de Michonne!”
– “Se Michonne me manda parar de fazer algo, eu paro!!!”

DG: Awwwww, que fofo!!!

CH: “Rick e Michonne sentados lado a lado novamente… ah, deixa pra lá, eu sou uma shipper de ‘Richonne’!!” “Michonne para Presidente e Daryl para secretario de Estado!” Então, Danai, o que você acha que poderia ter acontecido se eles não tivessem ouvido vozes de crianças por detrás dos muros?

DG: É uma ideia assustadora, eu não tenho certeza. Rick precisava de algo, e falou isso no carro, e ela entendeu. Ele está com tanto medo de tudo o que ele passou, ele quase perdeu seus filhos no passado e está assustado com a possibilidade de perdê-los, e ela entende isso. Ela não tem como controlar o que aconteceu no portão. Ela só pode… ter esperança!

CH: Todas as vezes que eles chegaram a um portão… uh, Woodbury, ou Terminus… eu acho que estaria mais ao lado de Rick naquele momento, no sentido de não conseguir pensar em confiar em alguém naquele momento.

DG: Pense o seguinte: você teve varias namoradas no passado que te sacanearam e feriram, e aí você conhece esta garota que é completamente diferente das demais. Você vai deixa-la ir embora, achando que ela é como as outras ou vai dar uma chance, ainda que morrendo de medo? Eu te digo, você deveria dar uma chance!

CH: Eu daria uma chance e iria chorar no cantinho na hora de dormir!!! (Risos)

DG: Mas você daria uma chance. Era isso que eu queria ouvir!

CH: “Por favor, não me machuque!!!” ( Risos ) O que Michonne quer dizer quando fala a Rick que a luta acabou e que ele deve deixar isso ir embora?

DG: Ela está vendo que ele está passando pelo mesmo que ela passou. A intimidade destes personagens vem do fato de eles serem muito parecidos, muitas vezes eles conseguem se comunicar sem dizer uma palavra, e se entender, como ela era no começo – dava um olhar e todos entendiam que estava brava! (Risos) Mas o que ela vê é uma parte de si mesma se manifestando nele, assim como no episódio 9, quando ela fala para ele e Glenn que eles precisam ir para algum lugar e parar com isso. Ela vê suas experiências passadas neles, quando eles usam suas feridas para definir as suas experiências futuras, e ela sabe que eles precisam deixar isso um pouco de lado. Ela sabe que eles jamais deixarão de ser guerreiros, que jamais deixarão de ser instintivos, que em algum momento eles perderão pessoas ou matarão pessoas. Mas agora é um momento de ver como eles se abrirão para receber coisas novas, que talvez até sejam coisas boas.

Talking-Dead-Episodio-S05E11-The-Distance-004

CH: Eu acho que não apenas no show, mas também na vida, as coisas não são apenas sobre agir reativamente quando se sofre algum tipo de emoção…

DG: Se trata de ouvir também!

CH: …e também sobre ouvir, e Michonne já passou por este caminho sombrio antes, e ela conseguiu sair disso.

PF: Trata-se de tentar manter a humanidade neste mundo…

DG: Exato, e ela ama cada um deles, e ela realmente não quer aquilo tudo para eles. Quando ela escolhe a vida e não o desespero, e quando ela escolhe ir adiante é também por estas pessoas, ela os ama muito.

CH: Glenn expressa isso muito bem, “eu não quero isso para mim, eu quero confiar nas pessoas novamente…” E o que você achou daquele momento de Rick em frente ao mapa? “Pegue a estrada 16”, “Não, eu vou pegar a 23!” Puxa vida, qual é a sua, Rick???? (Risos)

PF: É, naquele momento foi algo… eu entendo que ele seja cuidadoso, mas ali foi demais!

CH: Rictatorship jamais para pra pedir informações!!! (Risos)

PF: Nós vamos por aqui e ponto!!! E eu achei incrível a sequencia em que eles encontram aquele bando de zumbis, e é horrível. Aquele vidro ficou cada vez mais sujo de sangue e tripas! Eu não sei como ele ainda queria dirigir não vendo nada pela frente… e você foi incrível, tirando todos aqueles pedaços de corpos de baixo do capô e pela grade do radiador….

CH: Perguntaram no Facebook se Michonne abandonaria Rick em troca de um santuário prometido…

DG: Não. É a família dela, o lar dela.

CH: Ela está vinculada ao grupo, não importa o que aconteça…

DG: Sim. Ela é uma mulher muito objetiva. Ela fez uma escolha, e escolheu ficar com estas pessoas.

PF: Ela os convenceria a ir junto.

DG: Sim, ela está tentando salvar a vida deles! Ela fala isso no começo do episódio, nós podemos estar deixando passar este lugar onde essa garotinha poderá estar segura e crescer bem! Você não tem sequer comida para ela! Não sabe sequer se vai conseguir trocar uma fralda!! Você vai ficar aqui sentado neste celeiro enquanto ela poderia estar segura? Este é o objetivo, ajudar as pessoas ao seu redor.

CH: Que outra maneira poderia ser usada para abordar o grupo de Grimes?

PF: (Risos) Eu não sei, contando piadas? Isso não funcionou… É interessante porque não há uma boa maneira. Você pode ser amigável o suficiente e levará uma porrada.

CH: Eu acho que não há uma maneira de abordar o grupo naquela situação, acho que Aaron fez o melhor. Ele ainda tomou um soco e manteve a calma. Eu realmente gostei da abordagem dele e como ele tentou fazer alguma graça…

PF: Eu gosto de ver um personagem mais leve chegando ao show. Todos estão sob uma carga tão grande. Mas também pode ser perigoso, afinal sempre que algo de bom surge… alguém quer comer vocês! (Risos)

Talking-Dead-Episodio-S05E11-The-Distance-005

“Eu era um grande fã do show desde o começo, desde o primeiro episódio. Para mim, estar no meio destes atores que aprendi a respeitar demais, destes personagens que eu amo tanto, é completamente insano. Lidar com toda a ansiedade, o nervosismo… bem, isso faz parte do trabalho de criar este personagem complexo, coeso, diferente dos demais que estão no show.”Ross Marquand (Aaron)

CH: Ross é bastante conhecido na internet por fazer imitações. Ele por acaso já fez alguma imitação de alguém do elenco?

DG: Ross tem uma política impressionante, ele não imita as pessoas com as quais ele trabalha.

CH: Ao menos não na frente de vocês! (Risos)

DG: Não na nossa frente!!!

CH: Eu realmente adorei a lembrança de Dale, na parte do trailer esta noite!

PF: Eu também gostei muito e lembrei de Dale.

CH: Dá para acreditar nisso? Depois de cinco temporadas, tantas pessoas, e tanta coisa acontecendo com o grupo, e eles acabam se lembrando. Acho que eles sequer tem tempo para realmente pensar nessas pessoas…

DG: Foi muito bonito, e é nestes momentos que vemos o impacto que realmente estes personagens tiveram. A trajetória de cada personagem no show, a combinação de tudo é tão rica e verdadeira. É bonito.

CH: Por que você acha que Michonne esperou todos estarem dentro do carro para fazer as três perguntas?

DG: Oh, por que ela iria saber se ele estivesse mentindo. Ela está olhando aquelas fotos, cheia de esperança, ouvindo aquele cara, e daqui a pouco ela pensa: espere aí! Por que não há pessoas nestas fotos? Ela pode ter esperanças, mas ainda é cuidadosa. E a resposta dele pareceu uma mentira. Algo não soou bem para ela, e então ela achou melhor lançar mão de todas as diligências, e aquelas perguntas fazem parte disso.

PF: O legal deste episódio são estas idas e vindas. Eles ficam esperançosos, mas daqui a pouco dão um passo atrás.

• Durante o quadro Inside the Dead ficamos conhecendo algumas curiosidades sobre o episódio:
– O personagem Aaron aparece pela primeira vez na HQ na edição 67. O ator Ross Marquand diz que Aaron rastreou o grupo de Rick por duas ou três semanas antes de abordá-los.
– Muitas das cenas no interior do carro foram filmadas em estúdio, com um carro parado em frente a um fundo projetado. Isto permite maior controle na maneira como o sangue de walker e tripas atingem o para-brisa.
– Andrew Lincoln diz que Rick sente um imenso alívio quando ouve as crianças brincando do outro lado da muralha. “É um homem sendo capaz de respirar novamente depois de prender a respiração por dois anos.”

Talking-Dead-Episodio-S05E11-The-Distance-006

“Uma coisa boa no mundo como está agora é que ninguém liga se são dois homens, estão se f**** se eles estão apaixonados. Na verdade é bom vê-los apaixonados. Aquela cena (de Aaron e Eric) foi incrivelmente poderosa e tocante. Quando você ama alguém, você une forças, como esses dois homens, e isso é tão bonito!”Andrew Lincoln

Na Internet, os fãs também falam a respeito de Aaron e Eric: “Ok, eu achei Aaron e Eric lindos. Por favor, não sejam maus!!!”Agora está explicado por que Aaron está tão limpo e impecável!”Claro que o único cara que consegue se manter limpo, cheiroso e arrumado no apocalipse zumbi tinha de ser gay!”

CH: Eu achei tão bonito e fiquei realmente emocionado naquela cena em que Eric dá a placa de automóvel a Aaron! Naquele momento eu definitivamente confiei neles e fiquei do lado deles, eu gosto destes personagens. Foi um momento muito humano. E ver Rick se dando por conta de que são seres humanos e que tudo está bem…

PF: Isso é que é assustador neste show. Você desconfia, e aí eles fazem tudo perfeito. Eu não confio nesses roteiristas! (Risos)

• Um fã é chamado ao palco para fazer uma pergunta aos convidados: “Danai, o que você acha do momento em que Carol e Michonne tem pontos de vista diversos a respeito de Alexandria?”

DG: Eu gosto. Nenhum de nós tem a menor ideia do que há por detrás daquelas paredes. Há mais pontos de vista conflitantes com Rick, e ela entende completamente a precaução que ele tem. Ela está de acordo com a metodologia dele e compreende o momento que ele está passando. Então, a diferença é que Carol não vai ser a pessoa que realmente vai tentar fazer as coisas acontecerem, mas não por discordância. Elas estão em momentos diferentes, e isso é bem interessante. Vamos ver o que vai acontecer quando eles atravessarem aquelas muralhas. Será que Michonne está certa? Não sabemos!

Boas perguntas ganham recompensas. No caso em questão, o fã da plateia ganhou papinha de maçã, semelhante à que Aaron havia trazido na mochila para Judith.

CH: Você ficou surpreso quando Glenn disse “atire antes e faça as perguntas depois”?

PF: Eu achei engraçado. Glenn é ótimo como parte do grupo, mas naquele momento a mim pareceu que ele estava tentando ser Rick. Imediatamente os demais o chamaram à ordem e, não que ele tenha retrocedido, mas ele acalmou um pouco o ânimo.

• ENQUETE: SEU MOMENTO MICHONNE FAVORITO:
Momento Samurai – 54%
Crazy Cheese – 19%
Lutando com o Governador – 27%

PF: Brigando com o Governador!!

DG: Você gostou???

PF: Sim, todos os seus momentos são os meus favoritos! Os demais são legais, mas você é a minha favorita! (Risos)

CH: Eu tenho que confessar que, depois de ler a HQ, a sua primeira aparição me fez sentir tipo “OMG!!!! Está acontecendo!!!!!” A propósito, o que Michonne queria dizer quando falou a Glenn que ela era a mulher louca com uma espada?

DG: Eu acho que ela apenas queria relembrar-lhe que nós somos um grupo humano, nós temos qualidades que muitos gostariam e fizemos coisas muito boas, e eu sou apenas uma manifestação de tudo isso. Vocês me deixaram ficar e eu lembro exatamente de quem eu era. Ela passou por uma revolução, e sabia que a pessoa que ela era não era alguém que a maioria das pessoas deixaria ficar. Assim mesmo, eles deixaram. Eu queria apenas relembrá-los disso.

Talking-Dead-Episodio-S05E11-The-Distance-007

CH: Danai, você tem um nome para a sua katana?

DG: Sim, mas isso é entre eu e ela!!! (Risos)

CH: Então é uma dama!!!

DG: Claro que é uma dama!!! (Risos)

CH: De quem você acha que Michonne está mais próxima agora?

DG: Hm… Claramente ela está muito mais próxima a Carl e Rick.

CH: E você se sente mais como uma irmã mais velha para Carl, uma mãe, uma tia?

DG: Eu acho que naquele mundo todas estas coisas vem combinadas. Em cada momento você vai precisar ser uma coisa. Mas o importante é que há amor, é isso que existe no cerne.

CH: Qual o momento mais chocante para você nesta temporada?

PF: Comer cães. Eu estava tão feliz por terem deixado os animais de lado no show, e fiquei tão traumatizado com os porcos!

CH: Mas aqueles cães eram FDP!!!

PF: Sim, eles estavam vindo com os dentes arreganhados! Mas eu estava assistindo o show com a minha esposa naquele final de semana e quando eles apareceram comendo os cães ela simplesmente saiu da sala e disse “estou fora!!”

CH: Eu estou brincando, eu amo cães! Eles não sabem de nada daquele mundo!!!

PF: Vai ver eram Rick e Michonne do mundo canino!!

• No último quadro foi mostrado um sneak peek do próximo episódio.

CH: Quem é Deanna???

PF: Eu espero que seja alguma das líderes. Eu tenho medo que o grupo acabe cobrindo-a de pancada! (Risos)

CH: O que você aprendeu a respeito de si mesma interpretando Michonne?

DG: Uh, difícil!!! Bem, é interessante. Eu passei por algo parecido, em menor intensidade, a respeito de encontrar minhas vulnerabilidades, a garota valente dentro de mim, partes de mim para revelar ao mundo. Foi muito legal fazer isso através de uma personagem tão intensa quanto ela, e vice-versa. Foi uma boa experiência reflexiva para se passar.

E NO PRÓXIMO TALKING DEAD:

Denise Huth (co-produtora executiva), Alanna Masterson (Tara) e Timothy Simons (Veep).

talking-dead-s05e12-remember

VEJA TAMBÉM:

Talking Dead Brasil #30 – Lauren Cohan, Seth Gilliam e Robin Lord Taylor

Talking Dead Brasil #29 – Greg Nicotero e Chad L. Coleman

Talking Dead Brasil #28 – Robert Kirkman, Keegan-Michael Key e Emily Kinney

Galeria de imagens do Talking Dead

Publicidade
Comentários

EM ALTA