Siga-nos nas redes sociais

3ª Temporada

Robert Kirkman fala sobre os perigos da guerra entre Woodbury e a prisão

Publicado há

 

em

“Era um Cavalo de Troia repleto de zumbis – você entra, checa algumas coisas e então retalia,” conta o produtor executivo do programa à The Hollywood Reporter.

[Aviso: contém spoilers do episodio de domingo, “Home”, de The Walking Dead]

Considere o escore empatado em The Walking Dead.

Durante o episódio “Home”, Rick continuou a ter visões de Lori (olá novamente, Sarah Wayne Callies, toda vestida de branco), enquanto um Glenn estressado tenta lutar com o Governador com suas próprias mãos.

O Governador (David Morrissey), líder de Woodbury colocou em prática o que será a primeira parte do plano de vingança contra o grupo de Rick na prisão e terminou em um tiroteio sangrento que vitimou o pobre Axel (Lew Temple). Durante o tiroteio, Rick (Andrew Lincoln) recebe uma bem-vinda ajuda Daryl (Norman Reedus) – que enfrentou seu irmão Merle (Michael Rooker) e retornou à prisão.

O The Hollywood Reporter conversou com o produtor executivo Robert Kirkman, escritor dos quadrinhos no qual o drama da AMC é baseado, para falar do retorno dos irmãos Dixon, o round de batalha entre Rick e o Governador e como o ataque irá gerar um impacto em todos os favoritos ao redor do xerife.

THR: Maggie (Lauren Cohan) afasta Glenn (Steven Yeun) para longe de si. Estaria ela tentando protegê-lo desta maneira?

Kirkman: Há um pouco disso acontecendo. Estes são dois personagens muito apaixonados, mas sofreram um trauma extremo, sendo colocados em uma situação em que estavam desamparados e não havia muito a fazer a respeito. Isso pesa na psique enormemente, e ambos estão agindo de maneira a se arrepender mais tarde – e de uma maneira que eles normalmente não fariam – simplesmente por ter que lidar com esse trauma.

THR: Daryl e Merle foram abusados por seu pai, e o primeiro bateu pé diante de seu irmão, e ambos retornaram à prisão. Poderemos ter mais de Merle seguindo-o como líder?

Kirkman: Eu gosto do fato que Merle é um desconhecido; você nunca sabe o que ele irá fazer. Ele certamente voltará com Daryl, e o que acontecerá depois é uma grande dúvida. Esta é a beleza de Merle: você nao sabe o que irá acontecer a qualquer momento. Ele pode se juntar ao grupo de Rick. Ele pode retornar ao Governador. Ele é uma incógnita.

THR: Saberemos mais sobre o passado dos irmãos Dixon? Talvez flashbacks de seu relacionamento pré-apocalipse?

Kirkman: Não falarei em flashbacks, mas a cena onde mostramos as costas de Daryl, e tendo esse momento tocante entre ele e Merle, estes são dois personagens durões que não mostrarão frequentemente esse tipo de emoção em relação ao outro. Merle estava muito preocupado com seu irmão e não sabia que ele havia passado por essas coisas. Há um pouco de história ali, e você poderá ver um outro nível do relacionamento deles. Haverá mais coisas assim acontecendo.

THR: Daryl e Merle retornam a tempo de auxiliar Rick quando ele mais precisa. Como será a presença de Merle na prisão, em relação a Glenn, Maggie e o resto do grupo?

Kirkman: Eu diria que não será nada bom (risos). Merle é definitivamente cúmplice – nas coisas que aconteceram a Glenn e, em menor grau, a Maggie. Ele não é um bom rapaz, e eles conhecem-no assim. Haverá muito conflito dentro da prisão quando ele retornar no próximo episódio.

THR: Axel tem uma morte heroica. Como isso e o retorno de Daryl afetarão Carol (Melissa McBride)?

Kirkman: É importante notar que a morte em The Walking Dead tem que ser súbita, não sempre esse enorme momento no set, sempre grandioso. As pessoas podem ir tão rapidamente como Axel foi. Isso mantem as pessoas alertas, e ilustra exatamente como esse mundo é perigoso. Carol está realmente sendo testada. Ela terá Daryl, que é algo bom para ela, mas ela não terá um bom momento em relação a isso. Certamente parecia que poderia haver algo entre ela e Axel, mas então isso foi tirado dela. Vamos ver como ela lida com a necessidade de seguir adiante.

THR: O Governador agora atacou Woodbury. Como isso irá incentivar Rick e Glenn a agir?

Kirkman: Não há dúvidas agora que, com ou sem Woodbury haverá um ataque e que eles tem uma força formidável. Aquelas questões foram respondidas. Havia muita demonstração de força e teste de várias maneiras, mais do que um ataque verdadeiro. Foi um cavalo de Tróia cheio de zumbis – você vai lá, verifica o terreno e então você se vinga. O Governador tem muita informação a respeito disso, mas Rick e Glenn também sabem exatamente contra quem eles estão. As coisas estarão mais quentes daqui por diante.

THR: Como Andrea (Laurie Holden) irá reagir quando souber que o Governador atacou a prisão?

Kirkman: Não é algo com o qual ela ficará contente. Ela tem esse relacionamento com o grupo da prisão, e é o que será explorado no próximo episódio. Ela sabe que há boas pessoas em Woodbury. Não é tão simples como as pessoas pensam. Uma reunião com o grupo de Rick causará uma enorme tensão. Foram pessoas – sob a sua perspectiva – que a deixaram para trás  e ela teve um inverno difícil com Michonne, e ela tem sentimentos conflitantes em relação à Michonne também. As coisas serão interessantes no próximo episódio.

THR: Veremos ela tentar algo diplomático, ou ela simplesmente deixará Woodbury?

Kirkman: Pode ser de qualquer maneira. Você acertou em cheio as possibilidades. Eu não gostaria de contar qual delas será (risos). Mas ela poderá ir em missão de paz. Ela poderia desistir. Ela poderia seguir para qualquer um dos lados. Mas estas questões serão respondidas no próximo episodio.

THR: Como o Governador reagirá aos seus esforços?

Kirkman: Ele está suspeitando muito dela. Ele sabe que ela tem laços com este grupo. O Governador não é burro; ele sabe como manipular e manejar pessoas. Ele estará bem ciente da situação e manejando da melhor maneira que puder – e mesmo que ele não veja o que Andrea poderá fazer, ou como isso afetará o conflito com a prisão, veremos mais tarde. Ele estará usando todas as armas à sua disposição. Milton também, para manter um vínculo com essa comunidade.

THR: Michonne (Danai Gurira) e Merle ambos ganharam um lugar no grupo. Como seus papéis ajudarão Rick a mudar de ideia a respeito de Tyreese (Chad Coleman) e seu grupo?

Kirkman: É totalmente possível. Há um tema central nesta temporada: O que você precisa nesse mundo – estar sozinho e seguro ou aberto e com pessoas ao redor, procurando mais pessoas para se tornar ainda mais seguro? Isso é algo que exploraremos mais adiante.

THR: Rick confidenciou a Hershel (Scott Wilson) a respeito de suas visões de Lori e Shane (Jon Bernthal). O compartilhamento desse segredo e o ataque farão com que as alucinações cessem?

Kirkman: Certamente é possível que elas inclusive piorem. Hershel é realmente alguém em quem Rick pode confiar, e agora ele está mais ciente da situação do que estava antes. Sabemos que Rick está mal, e a pergunta agora é como ele consegue ativar Hershel e o que acontecerá, na medida em que este último possui essa informação.

THR: Veremos Hershel pedir a Carl para que ajude com Rick?

Kirkman: Como Carl agirá nisso tudo – com o pai no estado em que ele está – será revelado em breve. Estaremos fazendo algumas coisas interessantes com esse garoto.

O que você achou da batalha entre o Governador e Rick? Comente abaixo o que você acha. The Walking Dead vai ao ar aos domingos às 23 horas (horário de Brasília), na AMC.


Fonte: The Hollywood Reporter
Tradução: @BinaPic / Staff Walking Dead Brasil

Publicidade
Comentários

EM ALTA