Siga-nos nas redes sociais

3ª Temporada

Robert Kirkman fala sobre o episódio de maior destaque da terceira temporada, até agora.

Publicado há

em

Contém SPOILERS do episódio “Clear“. Você foi avisado.

Que episódio. Após um relativamente apagado I Ain’t a Judas, The Walking Dead voltou marcadamente com força após um grande trabalho com um personagem. Como sempre, o IGN conversou com o criador da série e produtor executivo, Robert Kikrman, sobre os eventos do episódio.

IGN TV: Então, eu preciso dizer, eu realmente amei esse episódio. O retorno de Morgan, eu acho que isso é algo que tem estado na mente das pessoas, e eu acho que vocês o entregaram de uma maneira grandiosa. Foi sempre o plano que ele fizesse um retorno em algum momento?

Robert Kirkman: Sim, desde que esse cara apareceu no episódio piloto, nós temos jogado diferentes histórias aqui e ali para trazê-lo de volta. Na série de quadrinhos, ele volta de uma maneira, de certa forma, similar, eu acho que provavelmente muito depois na série de quadrinhos, se comparada à série de TV. Sempre tivemos planos de trazê-lo de volta mas estávamos trabalhando a história e mapeando a segunda temporada, isso foi empurrado para a margem e caiu na terceira temporada da maneira que foi.

IGN: Parece que encontrar Morgan tornou-se um ponto crucial para Rick. De vários modos, eu acredito que Morgan é um futuro possível para Rick se ele continuar no caminho que está. Você acha que essa experiência com Morgan ajudará Rick com os problemas com os quais ele está lidando?

Kirkman: Nós realmente tentamos montar esse episódio como se Rick estivesse se olhando num espelho e vendo, sabe, “Ei, se você continuar seguindo nessa estrada que está indo, se você não se recompor, se você não se recompor por Carl e por Judith, você terminará igualzinho ao Morgan.” Esse deveria ser um momento para ele acordar. Veremos se será ou não, mas foi isso que esteve definitivamente durante o plano de compor esse episódio.

IGN: Como você acha que isso mudará Rick em termos de como ele vê as ameaças humanas? Obviamente, o Governador e seu povo são problemas, mas se Rick tivesse encontrado aquele homem que pedia carona, por exemplo, no caminho de volta da casa de Morgan em vez de no caminho de ida, você acha que ele teria parado?

Kirkman: Essa é uma pergunta intrigante. Eu acredito que é inteiramente possível, mas parte da história do cara que estava pedindo carona enfatiza o fato de que eles, agora, tiveram interações com o Governador e com as pessoas do bar, simplesmente não é seguro falar com outras pessoas num espaço aberto daquele jeito. Você não sabe se há um grupo de pessoas escondidas, esperando para fazer uma emboscada ou qual é a intenção verdadeira da pessoa, ou se ela é maluca.

Quero dizer, eles encontraram muitas pessoas perigosas pela estrada, então talvez a interação com Morgan tenha mudado Rick a ponto de que ele teria, pelo menos, falado com o caro, mas eu não sei. Eu acho que ainda há uma grande chance de ele não parar.

IGN: Eu fiquei muito feliz com Michonne tendo a chance de mostrar um pouco de sua personalidade nesse episódio, especialmente com Carl. Eu sei que você disse anteriormente que vocês estavam jogando uma partida longa com ela, então, desse ponto de vista, é gratificante, como escritor, poder aprofundar um pouco essa personagem?

Kirkman: Sim, é incrível ter personagens que você pode conhecer e você acha que sabe tudo a respeito deles, e pensa que compreende suas personalidades, e então as camadas são retiradas e você consegue ver esses personagens com uma luz diferente. Eu acredito que, nesse episódio, nós fizemos isso muito bem. Michonne está, na verdade, engraçada e muito atraente nesse episódio. Acho que isso é produto da sua abertura com Rick e Carl de uma maneira muito pessoal. Acho que, provavelmente, veremos um pouco mais disso adiante.

IGN: Acho que esse é o segundo episódio dessa temporada que é realmente específico em sua visão, tratando de apenas um grupo e realmente explorando-o profundamente. Isso é algo que a maior quantidade de episódios dessa temporada te liberou a fazer?

Kirkman: Sim, agora que nós temos 16 episódios, podemos explorar mais os personagens. E também, eu acho que esses tipos de episódios em que nós nos concentramos em menos personagens e podemos mergulhar mais neles. Eu acho que o décimo episódio da segunda temporada, em que Rick e Shane vão se livrar de Randall, é outro episódio assim. Iremos fazer coisas desse time de tempo em tempo durante a série, iremos nos concentrar nos personagens de uma maneira intensa e específica.

Acho que isso proporciona um bom descanso para tudo que está acontecendo na série, nesse ponto. Há uma tremenda quantidade de tensão entre todos os personagens da prisão e tudo o que está acontecendo com o Governador e Woodbury. Esse é um bom modo de por tudo em perspectiva e afastar um pouco, para que possamos mergulhar nisso no próximo episódio de um modo muito intenso, estará mais fresco e mais interessante.

IGN: Mais alguma coisa que você gostaria de acrescentar sobre esse episódio?

Kirkman: Só quero dizer que acho que Scott Gimple fez um trabalho incrível nessa temporada. É um dos meus episódios favoritos e uma grande atenção aos detalhes e coisas assim que Scott coloca na sua escrita que acontecem nesse episódio que são extremamente memoráveis. Esse cara merece um tapinha nas costas por todo o trabalho árduo que tem desempenhado.


Fonte: IGN
Tradução: Lalah / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA