Siga-nos nas redes sociais

Entrevista

O produtor executivo Robert Kirkman fala sobre o surpreendente episódio 4

Publicado há

em

[AVISO!!! Esse post contém spoiler da série, se você AINDA não viu o quarto episódio da terceira temporada siga por sua conta e risco]

A apenas algumas semanas atrás o produtor executivo da série Robert Kirkman falou ao EW que “pessoas devem morrer”. Kirkman é também quem escreve os quadrinhos. Mas dois de uma vez? Talvez três? No último episódio dissemos adeus a Lori, interpretada por Sarah Wayne Callies e a T-Dog, interpretado por IronE Singleton; e também vimos o desaparecimento de Carol, interpretada por Melissa McBride, e ficamos na dúvida, ela virou zumbi ou não?

Abaixo, Kirkman fala sobre as surpresas do episódio, os prós e contras de usar os zumbis como fertilizante, e, é claro, o golfe de David Morrissey.

Saudações de Nova Iorque pós-furação, onde The Walking Dead não é mais um drama de ficção, mas um guia de sobrevivência!

Bem, isso não era esperado. O vídeo que vi na costa de Jersey foi terrível. Sinto por ter que ver tudo isso.

Ao trabalho. Lori. Morta. Por quê?

[Risos] Acho que ninguém perguntou essa pergunta tão bem. Bem, como qualquer outra morte de The Walking Dead, a gente se importa com o que vai dar um tom mais real, o que vai retratar de maneira melhor o mundo real. Eu sempre disse que pessoas vão morrer – é assim que contamos a história – e não ter morte entre os principais tornaria tudo muito falso.

E achamos que não poderíamos sair da revolta dos zumbis na prisão sem perder alguns personagens. Então quando nos sentamos para escolher quem seria, nós pensamos no que a morte de Lori faz com Carl e Rick e também com Maggie e outros personagens. É muito importante que tenhamos foco nessas coisas, e acho que as mortes nos dão mais histórias pela frente. Então, é isso que fizemos!

Lori morre de maneira diferente nos quadrinhos, mas na série sua morte chega em circunstâncias parecidas com as dos quadrinhos. Você sempre planejou isso para série?

É, sempre soube desde o começo dos quadrinhos que Rick iria perder sua esposa. É algo que considero importante para o relacionamento entre Rick e Carl. Gostei da ideia de adicionar mais perigo a vida de Rick, tipo “Ah, por sinal, você é agora responsável pelo bebê.” Achei que isso traria mais dificuldades a vida dele e tornaria um desenvolvimento mais interessante do personagem.

Certo, porque a vida dele tem sido um mar de rosas até então.

The Walking Dead gira em torno da gente sentado na sala dos roteiristas tentando deixar a vida de Rick Grimes mais insuportável o possível.

Eu entendo o porquê de você não ter mostrado uma criança atirando na cabeça da própria mãe. Mas já que você não mostrou, levanta-se a suspeita de que Lori esteja realmente, morta, morta, morta – em todo o sentido da palavra.

[Risos] Acho que vimos o suficiente para saber que Carl não erraria.

É um questionamento razoável, no entanto.

É. Acho que a versão trash da série teria uma Lori metade-viva, metade-zumbi vivendo na prisão e fazendo todo tipo de coisas abomináveis. Mas, não, a pobre criança atirou em sua mãe e, é, teremos que lidar com isso.

Você já chegou a pensar em Lori e Shane no pôr-do-sol fazendo sexo zumbi?

Não, não. Mas mostra que infidelidade, no mundo de The Walking Dead, faz você morrer.

Mais uma vez, Sr. T-Dog. Morto. Por quê?

Bem, de novo, estamos tentando retratar tudo da maneira mais real possível. Acho que o T-Dog se destacou nessa temporada e foi extremamente heroico e teve a morte de um herói. Ele mesmo sabendo que ia morrer ainda tentou tudo o possível para salvar a vida de Carol – embora não saibamos o que houve com ela. Mas, é, queríamos mostrar alguém se sacrificando e fazendo o possível para proteger outra.

Não estou querendo te chamar de Richard Dawkins, mas o plano de T-Dog de pôr seu destino nas mãos de Deus não funcionou muito bem.

Não, não vou entrar em nenhum debate religioso. Mas Deus não é muito gentil no mundo de The Walking Dead.

Quanto a Carol, aposto que ela ainda está viva.

Bem, não se viu o corpo. Nunca se sabe…

Eu poderia ver zumbis sendo mortos o dia todo, mas, como alguém que sentia nojo vendo E.R. – Plantão Médico, achei a cena da cesariana quase impossível de se ver.

É. Mesmo eu trabalhando na série e estando acostumado a coisas desse tipo, aquilo foi difícil para eu ver. Foi um dos momentos em que eu fiquei na sala de edição pensando, “Sério? Sério, que eles vão deixar a gente fazer isso? Ok!”

Não pude deixar de notar que “eles” também deixaram você usar a palavra “sapatão.”

[Risos] Bem, a gente faz o possível tentando não exagerar.

Como todas essas mortes vão afetar Rick? Vale lembrar que ele já não era o mais divertido do grupo.

Certo. Depois disso tudo a vida de Rick vai ter momentos interessantes. Você o viu em crise na última cena do episódio. Isso é algo que o afetará por um bom tempo. Gosto de dizer que isso é a pior coisa que poderia acontecer com ele em conflitos futuros com o Governador e Woodbury. Então acho que ele está no pior estado de espírito possível para as coisas que virão.

Sei que vocês fazem esses jantares de despedida para os atores cujos personagens que morrem na série. Vocês fizeram apenas um para Sarah Wayne e para o IronE?

Sim. Eles foram roubados e tiveram que fazer apenas um jantar, infelizmente. Mas pode ser que não seja a última vez que isso acontece.

Minha fala preferida na série é quando Daryl fala sobre os prisioneiros “Eles estão degenerados, mas não são loucos!” O que me faz acreditar que Daryl sabe reconhecer diferentes graus de loucura.

[Risos] Creio que temos que criar isso no site oficial da AMC: Os Diferentes Níveis de Loucura por Daryl Dixon.

Tenho que discordar de algo que Rick falou no início do episódio. Eu pensaria que um chão cheio de zumbis seria bom para a vegetação.

Teoricamente. Não sei, no entanto. Vamos ter alguns experimentos em plantações em breve e veremos no que dá.

Vamos ao assunto sério. David Morrissey só pode ser um jogador de golfe, não é? Ele sabe dar uma tacada.

Sim. Sim. Creio que ele jogou bastante golfe no Reino Unido e disse, “Ei, posso fazer uma cena de golfe na série, para poder mostrar minha forma?” Nós gostamos de fazer os atores felizes, por isso fizemos aquela cena para ele.

Foi falado da filha do Governador. Estou ansioso para ver essa belezinha!

[Risadas altas] Não quero revelar muita coisa. Mas a cena de abertura do episódio 5, é… vai ser bem memorável. Então fiquem atentos.

Como você comemorou o Halloween?

Fui pedir doces com meus filhos. Foi bem divertido. Fui na casa dos vizinhos com um bando de criança, para garantir que elas não fossem sequestradas ou nada dessas coisas.

Você se fantasiou?

Não, porque sou velho e nem um pouco divertido.

Por fim, não estou querendo pôr palavras na sua boca, mas Rick é Obama e o Governador é Romney, né?

Minha Nossa! Não me encurrale com essa! É claro…


Fonte: EW
Tradução: @OAvilaSouza / Staff Walking Dead Brasil

Publicidade
Comentários

EM ALTA