Siga-nos nas redes sociais

Entrevista

O produtor executivo e escritor Robert Kirkman responde as perguntas dos fãs (Partes 1 e 2)

Rafael Façanha

Publicado há

em

Na parte 1 do bate-papo com os fãs, Robert Kirkman, o produtor executivo e escritor de The Walking Dead fala sobre matar personagens e as misteriosas semelhanças entre a série e um filme infantil.

P: Qual foi o raciocínio por trás da morte do personagem de Laurie Holden no final da terceira temporada? – Cancerdog

R: Nós estávamos realmente trabalhando na história de Woodbury, e isso fazia sentido. A única coisa que faria Rick aceitar o restante do povo de Woodbury seria algo tão trágico quanto ver Andrea perder a vida. A coisa infeliz sobre todas essas mortes é que agora o público está dizendo, “Oh, meu Deus, por que você matou Andrea?” Nós entendemos que é uma coisa emocional – que deveria ser – mas há várias coisas na quarta temporada que surgem a partir desse momento. Uma vez que os espectadores assistirem a próxima temporada, eles vão saber por que fizemos isso.

P: Como você comunica aos atores que seu fim está próximo? E eles têm qualquer opinião sobre a quantidade de sangue derramado? – Ani Munoz

R: Eles sabem da sua cena de morte como qualquer ator sabe de qualquer cena. É uma via de mão dupla, e há uma série de discussões entre roteiristas e diretores e atores. No momento em que eles descobrem que estão para morrer, geralmente é uma decisão anterior ao roteiro ser escrito. Acontece no fim do processo. Nós tentamos ser muito conscientes sobre o processo do ator – não queremos que o ator interprete uma cena de forma diferente porque ele sabe que vai morrer.

P: Com Rick trazendo mais pessoas na volta para a prisão, isso pode de alguma forma complicar sua relação com Carl? – Diana Sawyer M

R: Nós vamos ter que descobrir na quarta temporada, mas vou dizer que a dinâmica entre Rick e Carl vai ser o foco central da temporada, e isso vai mudar em alguns aspectos surpreendentes e interessantes.

P: O grupo é capaz de sobreviver se algo acontecer com Rick? – Jamal Montgomery

R: Sim, absolutamente. Nós estamos dizendo que ninguém está seguro neste show, e eu não descartaria a possibilidade de ver a morte de Rick Grimes. Nós realmente gostamos de manter as pessoas tentando adivinhar, e eu definitivamente poderia ver algumas histórias interessantes vindas dessa morte. Rick foi um líder bastante sólido, mas ele definitivamente teve sua cota de erros. Eu acho que ver Daryl ou Maggie ou Glenn pegar um papel maior de liderança no grupo poderia representar algumas possibilidades interessantes.

P: Você pode falar mais sobre o processo de escolha do elenco para a série? – Always Walking Dead

R: Nós trabalhamos com a nossa agente de elenco e consideramos uma ampla gama de pessoas e toneladas de material. Muitas pessoas comentam como o nosso elenco se parece com os personagens dos quadrinhos, e é uma coincidência meio estranha que, como nós estamos procurando os melhores atores para o papel, por vezes, encontramos alguém que parece com a forma como eles foram desenhados nos quadrinhos.

P: Robert, nós vamos ver Morgan novamente? – TonyinKC

R: Bem, tudo que eu posso dizer é que o cara não está morto, e Rick definitivamente sabe onde ele está. A porta está sempre aberta para um eventual regresso do Morgan. Quando ou como isso vai acontecer terá que permanecer um mistério por agora, mas eu acho que é definitivamente uma possibilidade.

P: Recentemente houve um meme comparando The Walking Dead com Toy Story. Seja honesto: o quanto Toy Story inspirou o seu trabalho? – Moot_Lagoon

R: É hilário. Existem definitivamente algumas semelhanças misteriosas. Toy Story é um trabalho fantástico, e é lisonjeiro ser comparado a ele de qualquer maneira. Eu definitivamente assisti todos os três [filmes de Toy Story] e há uma boa parte de emoção de ver brinquedos antropomórficos e sua relação com as crianças às quais pertencem, mas eu não acho que há qualquer tipo de inspiração extraída dele em The Walking Dead.

Na parte 2 do seu bate-papo com fãs, o produtor executivo e escritor Robert Kirkman fala sobre a possibilidade de Daryl viver um romance na quarta temporada e compartilha seus pensamentos sobre viver como um zumbi.

P: Você pode esclarecer a forma como a história do Governador vai continuar… ou acabar na quarta temporada? – Jeffrey Hawboldt

R: Eu posso dizer que o Governador certamente estará por lá. Mas vamos vê-lo de uma outra forma, e fazer algumas coisas diferentes com ele, por isso não vai ser o mesmo Governador na quarta temporada.

P: Eu acho difícil acreditar que o cara mais durão no apocalipse zumbi é o único que não pega ninguém! Daryl nunca vai ter uma romance? – Johnny Zimmerman

R: Nunca diga nunca! Eu acho que isso poderia acontecer eventualmente. Eu não quero entregar nada, mas Daryl é um personagem complexo e ele realmente tem muitos obstáculos emocionais para superar em sua vida. É meio estranho que não tenha aparecido nenhum lado romântico dele até agora, mas eu acho que isso adiciona uma camada ao personagem que o torna um pouco mais misterioso e um pouco mais legal. Mas eu não descartaria a possibilidade de algum tipo de romance para ele no futuro.

P: Neste momento, o programa de TV que se afastou da história em quadrinhos. Se você tivesse que escolher um dos dois universos, qual você diria que é o seu favorito? – Therunningdead

R: Bem, eu sou um pouco tendencioso, porque eu escrevo histórias em quadrinhos por uma década, mas eu considero que seja o original. A história em quadrinhos é de onde tudo veio, por isso considero que o programa de TV seja uma alternativa para o que acontece nos quadrinhos.

P: Como você decide qual informação dos quadrinhos será a mesma, e qual vai mudar? – Erica Britt

R: Bem, isso é um longo processo que envolve todos os escritores, o showrunner, todo mundo. É realmente uma questão de sentar-se no início da temporada e analisar o que aconteceu nos quadrinhos e quando e como e por que, e ver se isso se conecta ao mundo da série. É uma coisa muito orgânica. Também [é uma chance] para definir as coisas e preparar momentos dos quadrinhos de uma forma que eu realmente não fiz quando eu os estava escrevendo – com o benefício da retrospectiva.

P: Existem enredos explorados na série de TV que você considerou para os quadrinhos? – Dani

R: Um exemplo é essa troca realmente grandiosa entre Hershel e Glenn, onde Hershel fala sobre como você nunca sabe quem é o cara certo para sua filha até encontrar o cara certo. É realmente uma coisa comovente que [a produtora] Angela Kang escreveu. Eu nunca tive um momento como esse entre Glenn e Hershel, e esse tipo de coisa seria bom. Mas a forma como estas coisas funcionam, eu estou escrevendo edições onde – alerta de spoiler – Glenn e Hershel estão mortos. Então, isso na verdade não se aplica muito bem, infelizmente. Seria bom para a minha obra o grande trabalho desses escritores fantásticos no show e faria o meu trabalho mais fácil.

P: Quando Merle está atraindo os walkers para o seu carro para matar o Governador, o primeiro a se aproximar se parece exatamente com o zumbi icônico de Dawn of the Dead, 1978. Isso foi uma referência ao filme? – Radio118

R: Foi uma referência àquele walker de Dawn of the Dead – e nós tivemos que fazer isso duas vezes. Greg Nicotero é um discípulo de George Romero, e ele queria fazer uma referência a Romero, então ele fez aquele walker e colocou em uma cena. Mas essa cena acabou sendo cortada, por isso ele fez de novo para ter certeza que ficou na série.

P: Você já desejou ser um walker? – Amanda Calvert Simpson

R: Não, nunca! Ser um walker seria terrível. Você cheira mal, você está caindo aos pedaços, e eu tenho certeza que é muito desconfortável. Mas mesmo que apenas de um ponto de vista prático do mundo real, esses caras estão cobertos de látex e tinta pegajosa e sangue falso, e está calor na Geórgia. Eu tenho uma quantidade enorme de respeito por qualquer um que interpreta um walker no nosso show, porque é um trabalho extremamente difícil, que eu nunca vou fazer porque eu sou preguiçoso e eu não gosto de estar desconfortável.

Nota da tradutora: Engraçado o Kirkman dizer que nunca se vestiria de walker. Na nossa entrevista exclusiva com o Greg Nicotero (que vai ao ar na semana que vem), perguntei algo parecido e ele disse justamente o contrário, que ele adora se vestir de walker e que é super divertido. Eu sou como o Greg, já me vesti de zumbi várias vezes e adoro. E você, está mais para Greg Nicotero ou para Robert Kirkman? O que acharia de se vestir de walker em The Walking Dead?


Fonte: AMC
Tradução: Nat Price / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA