Siga-nos nas redes sociais

3ª Temporada

Melissa McBride fala sobre a Carol guerreira e sobre o possível romance com Daryl Dixon

Jessica Storrer

Publicado há

em

Levou tempo, mas a personagem de Melissa McBride em The Walking Dead, Carol Peletier, ficou um pouco mais – conforme apontado por Laurie Holden em uma recente entrevista com a Access Hollywood – “afiada”.

Depois de ter passado a primeira temporada como a esposa que sofria abusos, e a segunda temporada com uma mãe em luto, agora Carol tem uma jornada bem diferente na série da AMC. Ela sobreviveu à um ataque zumbi em um dos setores da prisão, teve coragem para flertar com Daryl Dixon (Norman Reedus), e recentemente sugeriu à Andrea que desse ao Governador a melhor noite da vida dele, antes de matá-lo durante o sono (infelizmente, Andrea não conseguiria completar a missão).

Durante todo o tempo, Carol não se esquivou de ter não apenas um imenso amor por seu grupo (como quando ela tentou apoiar Carl Grimes enquanto ele processava a morte da mãe), mas também uma compreensão de suas ações (como quando ela racionalizou a respeito da saída de Daryl para ir com seu irmão Merle, dizendo à Beth que ele tinha seu próprio “código”).

Se Hershel Greene (Scott Wilson) é a voz da razão da série, Carol é o coração, e provavelmente esse é um dos motivos pelos quais muitos fãs esperam vê-la em um romance com Daryl Dixon.

“Eu amo os Caryl’s”, Melissa disse ao AccessHollywood.com, se referindo aos fãs que sonham com um romance entre Carol e Daryl.Acho que são incríveis.”

Então sim, nós rumamos ao Carol-Daryl enquanto conversávamos com a atriz sobre a série da AMC, mas primeiro Melissa compartilhou com a Access Hollywood o que ela pensa sobre a possível guerra que se aproxima entre a gangue da prisão e o pessoal da Woodbury do Governador.

Rick havia dito ao grupo que eles iam para guerra. Carol já é uma guerreira? Como você acha que ela se sentiu quando Rick largou essa bomba?

Ela é uma guerreira, ela está finalmente pronta para lutar por seu grupo. Ela ama seu Time da Prisão (risos). Ela os ama e ela vai lutar. Eles são a única coisa que ela tem, sabe? E ela vai lutar para ajudar a salvar todo mundo. Ela vai fazer o que for necessário e é lamentável que ele tenha chamado isso de guerra, mas o mundo é assim, estranho. É surreal ouvir essas coisas – ‘Nós vamos para a guerra’. Quando você é pequeno, você nunca acha que ouvirá isso, você não acha que vai ficar correndo por aí com uma arma. Bom, pelo menos ela não (risos). É surreal passar por essas mudanças e aceitar que é nisso que o mundo se transformou e que é nisso que você está e transformando.

Com uma guerra agendada, essa é a primeira vez que Carol [talvez] tenha se posicionado fisicamente – além das batalhas contra os zumbis, é claro – para lutar contra outros humanos. Você pensou sobre isso enquanto encenava – porque obviamente ela não conseguia se posicionar contra seu marido [na sua antiga vida]?

Sua mente está se adaptando. Isso é sobrevivência, não é como ‘Eu posso fugir quando ele estiver bêbado, dormindo, e posso dar o fora daqui, posso ir para um abrigo’. Isso é… não há para onde ir. É algo totalmente diferente e ela está descobrindo de verdade do que é feita, porque esse mundo a força a colocar tudo para fora e a acordar todas as partes dela que estavam dormindo, ou as partes dela mesma que foram reduzidas. Eles tem de ir à superfície agora e acho que, tanto quanto ir para a guerra, acho que ela vai fazer o que é capaz de fazer, e Rick pode ou não ditar coisas para ela. Então, eles têm que resolver isso. O que ela sabe fazer (riso)? Ele disse que ela era uma atiradora muito boa, e a mandou para a torre. Você viu o que aconteceu lá (risos).

É claro que eu tenho que te perguntar sobre Carol-Daryl. O que você acha do entusiasmo dos fãs do Carol-Daryl, que estão torcendo para que de certo?

Eu amo os Caryl’s. Acho que são incríveis e eles são tão apaixonados e durões, e então você tem o outro grupo que fica tipo ‘Argh! Ela é muito velha para ele. Ele precisa de uma gostosa. Ele precisa de alguém durona’. E eu amo aqueles que ficam tipo ‘Gostar dessa ideia ou não’. Acho isso ótimo. E toda a arte que os fãs fazem, é tudo muito gentil e divertido, eu adoro isso. Eu olho no Tumblr. De verdade.

Lauren Holden me disse que o Carol-Daryl já existe. Você não precisa que Carol e Daryl fiquem juntos para que haja um Carol-Daryl.

E eu concordo 100% com ela, e estou feliz por ela ter dito isso porque acho a mesma coisa e tenho pensado a mesma coisa… Veja dessa maneira, o Carol-Daryl já existe simplesmente pelo mérito de querer que algo como um beijo acabe surgindo… Mas acho que as pessoas não vão ver dessa maneira, até que haja uma confirmação física. Mas, eles são amigos, se importam um com o outro, nutrem um ao outro, há uma servidão entre eles, há esse espaço que eles dão um ao outro e então eles se chamam quando precisam. E também, quem sabe? Quem sabe o que aconteceu ou não nesses oito meses que não os vimos. Eles podem já ter ficado juntos e decidiram serem apenas amigos (risos), quem sabe?

Norman sempre diz ‘Eu quero interpretar Daryl de maneira que ele não seja debochado e que faça ela dar o primeiro passo.’ Então, se haverá algum contato físico, você acha que Carol está recuperada o suficiente de seu abuso prévio para fazer isso?

Sim, acho que sim e acho que boa parte dessas brincadeiras e provocações com Daryl são uma maneira dela entrar mais nesse caminho – não apenas com Daryl, mas consigo mesmo como mulher, para sentir isso de si mesma, para sentir aquele ‘Eu sou desejável’, porque por muito tempo ela não fazia isso, e também isso é algo consciente dela, acho que seja algo, novamente, que esteja saindo à superfície. Ela vai soltar isso aos pouquinhos. É parecido como quando você já tem a resposta para algo, mas você continua falando sobre isso com alguém porque você quer se encaminhar mais para isso. Você me entende?

Bom, ela foi prejudicada por tanto tempo. Sua confiança foi esmagada por tantos anos. Ela provavelmente nunca precisou dizer as coisas que ela precisaria dizer para ter um contato fisíco com Daryl, porque ele é muito danificado.

Sim, provavelmente – é muito desconhecido em certo ponto, saindo dela. Até mesmo esse sentimento, de ter passado pelas coisas que eu acho que ela passou, o que eu acredito que ela tenha passado – você é quase assexuado. Não há desejo. É a última coisa na sua cabeça. E ainda, ela é uma mulher e não há nada como – especialmente nesse mundo – não há nada como um contato físico. Não há nada melhor que ser abraçado ou algo simples assim.

Então você já sabe da fantasia alternativa de Norman, ‘Carol e Daryl no Central Park’?

Ai Deus, sim, nós fizemos essa música. Uma cançãozinha… Sim, foi divertido.

Vocês tem mais de um episódio dessa série fantasia que você imaginaram? Norman nos disse que o primeiro envolveria o desaparecimento dos esquilos, você como uma artista/pintora no Central Park, e ele gritando com turistas.

Se nós sobrevivermos à terceira temporada – e nós ficarmos juntos novamente, nós teremos que rever isso porque é divertido entrar nessa. Nós nos divertimos muito no set de filmagem. Tenho que dizer, as vezes nós satirizamos nossos próprios personagens (risos) e surgimos com essas coisas bobas, e é um jeito ótimo de trabalhar, sair dos momentos intensos.

Você interpretou de verdade o ‘Carol e Daryl no Central Park’? Talvez no meio das mesas do refeitório?

Não (risos).

Vocês são criativos. Poderia acontecer.

Falando em refeitório, aqui vai uma historinha do Norman. Há um tanto de bananas em um tigela na tenda de refeições e Norman assinou todas elas. Ele estava todo arrumado, estava saindo, provavelmente ia pegar algo para levar e [pensou] ‘Acho que vou assinar essas bananas.’ E ele simplesmente as assinou e as deixou na tigela (risos).

Alguém as deveria ter secado. Elas dariam algum dinheiro no eBay.

Sim, é verdade… Secar as bananas. Taxidermia em bananas. Aí vamos nós. Bananas de taxidermia.


Fonte: Access Hollywood

Continue lendo
Publicidade
Comentários

3ª Temporada

The Walking Dead volta a ser exibida pela Band

Vinícius Castro

Publicado há

em

Após um longo tempo fora da programação da TV aberta brasileira, The Walking Dead finalmente voltou à programação da Band. Desde segunda-feira, dia 06 de junho de 2016, o drama zumbi voltou a ser reexibido para o público que não tem a chance de acompanhar por serviços de streaming ou TV a cabo.

De acordo com afirmações da emissora, a exibição trará inicialmente apenas reprises da terceira temporada (definitivamente a mais controversa da série, que sofreu sob o comando do showrunner Glen Mazzara), e o horário é bastante curioso: serão exibições semanais (exceto fins de semana), sem um horário definido – basicamente na faixa entre meia-noite e 2h da manhã.

Exibida originalmente entre 2013 e 2014, a terceira temporada retorna com Rick (Andrew Lincoln) e seu grupo encontrando a prisão. Também introduz o Governador (David Morrissey) e sua cidade, Woodbury. A temporada destacou a introdução de Philip Blake e Michonne (Danai Gurira), e também o retorno de Merle (Michael Rooker), o irmão de Daryl (Norman Reedus).

carls3

Ainda não há informações se a emissora exibirá a quarta e quinta temporadas em sequência, então fiquem ligados para qualquer nova atualização aqui no site.

E então, o que achou desta iniciativa da Band? Irá acompanhar a reprise do terceiro ano? Deixe sua opinião nos comentários abaixo.

The Walking Dead, a história de drama mais assistida da TV a cabo, irá retornar com a sétima temporada em Outubro de 2016 na AMC e na FOX Brasil. O trailer da temporada, bem como a data oficial de lançamento, será divulgada durante a Comic Con de San Diego em Julho.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.

Continue lendo

3ª Temporada

Prédios da 3ª temporada de The Walking Dead estão a venda

Rafael Façanha

Publicado há

em

Não foi exatamente a volta ao lar que Rick e Carl esperavam. Ao retornar a King County, Georgia, juntamente com Michonne, pai e filho lembraram-se de como a vida era antes do apocalipse, e por mais agridoces que fossem aquelas memórias, nada se comparou ao reencontro de alguém do passado, vivo e respirando: um enlutado e enlouquecido Morgan.

O decimo segundo episodio da terceira temporada, “Clear”, é considerado um dos mais pungentes e poderosos episódios em The Walking Dead, mostrando uma performance comovente de Lennie James e uma atmosfera de cidade fantasma. A rua principal cercada por armadilhas se transformou em um set inesquecível, e agora você pode viver neste local onde tantos walkers foram mortos, uma vez que nove prédios do centro de Grantville, Georgia, e que serviram de locação para “Clear”, estão à venda no eBay.

Com um lance inicial de $680.000 – ou mais de 2 milhões de reais, na conversão feita pelo site de leilões – os prédios rústicos de Grantville estão sendo leiloados no eBay e serão vendido a quem fizer a maior oferta até o prazo final do leilão, em 26 de março. A CNN relata que, de acordo com o prefeito de Grantville quatro filmes serão rodados na cidade em um futuro próximo. O espaço ainda foi utilizado na gravação de outras produções, como “Os Infratores” e “Debi e Lóide 2″. Para saber mais informações, visite a conta do ebay ou a página oficial dos tours, que são oferecidos pela região.

FOTOS DE GRANTVILLE:

grantville-the-walking-dead-001

grantville-the-walking-dead-002

grantville-the-walking-dead-003

grantville-the-walking-dead-004

FOTOS DO EPISÓDIO “CLEAR”:

Você também pode comparar a aparência real de Grantville com a sua aparência durante as filmagens de “Clear” nas fotos abaixo:

the-walking-dead-clear-001

the-walking-dead-clear-002

the-walking-dead-clear-003

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: Daily Dead
Tradução: @Binapic / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo

3ª Temporada

Os 3 momentos mais frustrantes de The Walking Dead em 2013

Rafael Façanha

Publicado há

em

The Walking Dead é o maior e melhor seriado de TV na atualidade, mas, às vezes, ele nos enlouquece. Agora que 2013 se perdeu nas brumas, é um bom momento para relembrarmos os altos e baixos do ano. Já compartilhamos cinco dos melhores momentos de 2013 – que incluiu a segunda metade da terceira temporada e a primeira metade da quarta temporada. Temos apenas três “piores momentos”, já que The Walking Dead definitivamente tem mais altos do que baixos. E mesmo os “piores” momentos não passam de amor bruto – não abandonaremos o show nunca. Então aqui enumeramos três candidatos ao mais frustrante momento de 2013. Confira a lista e deixe sua opinião nos comentários abaixo.

1. Andrea morre, o Governador sobrevive

Andrea-Governador-The-Walking-Dead

Toda a história de Andrea para a terceira temporada é questionável. Por que eles a transformaram na garota ingênua que se apaixona pelo cara errado e fica com o estranho bonitão, e não com sua amiga? O fato de Andrea ser a última a saber de tudo apenas a tornou uma idiota aos olhos do público. É uma vergonha, já que ela é uma excelente personagem nos quadrinhos e sobrevive por muito mais tempo (Na verdade, ela ainda está viva na HQ neste momento).

A pior parte foi vê-la naquela cadeira, durante o season finale da terceira temporada, apenas olhando para Milton e conversando com ele, enquanto o mesmo se preparava para morrer. Ela simplesmente disse “Eu tentei”, e teve sua partida melancólica.

Laurie Holden mais tarde disse que, se ela fosse um dos roteiristas, as coisas teriam sido muito diferentes. O Governador teria morrido – preferivelmente antes de massacrar seu próprio povo – e Andrea seria mais como a equivalente da HQ. Pena… sem dúvidas teríamos uma grande personagem se ela tivesse sido desenvolvida adequadamente.

2. Os novos amigos do Governador concordam com a guerra

governador-grupo-the-walking-dead-4-temporada

Veja, o Governador é sedutor, carismático, manipulador. Entendemos. Andrea certamente concorda! Mas vamos lá! Ele faz um discursinho aos seus novos amigos no velho acampamento de Martinez e, de repente, eles estão todos concordando que é válido atacar a prisão e tomar para eles? Mesmo que isso signifique matar a todos? Eles sequer estavam em perigo imediato.

Lilly disse que eles poderiam simplesmente ficar lá, uma vez que o acampamento era o novo “lar”, o que parecia ser uma opção justa. Poderia ser diferente se eles tivessem sob constante ataque, ou passando fome, mas eles estavam jogando golfe, se reunindo para beber cerveja e passando o tempo. Não havia nenhum ímpeto para a guerra. Por que essas pessoas desejariam arriscar suas vidas pela palavra de um cara que eles sequer conhecem, para tomar um lugar que eles sequer precisavam?

3. A morte aleatória de Meghan

lilly-meghan-the-walking-dead-4-temporada

Realmente, foi muito legal ver um walker literalmente sair de sua tumba daquela maneira. Legal. Mas que final aleatório para Meghan. Primeiro, sua mãe Lilly simplesmente está contemplando o rio, enquanto um walker leeeeeeeeeeeeeeeentamente anda pelas águas, então Meghan acidentalmente ajuda a desenterrar um walker, e acaba mordida. Boom. Simples assim, sua história terminou. De volta à guerra na prisão!

Durante o midseason finale Lilly aparece carregando o corpo morto de Meghan. O Governador atira em sua cabeça, matando-a novamente, e retorna à briga. Sim, entendemos que Meghan morreria em algum momento, mas pareceu uma saída apressada e sem qualquer outro significado, além de mostrar como o Governador está perdendo tudo o que conseguiu. Esta doce menina que aprendemos a conhecer em dois episódios simplesmente morreu em segundos! Não deveria haver mais impacto? Pelo menos a morte de Hershel teve um contexto e um significado.

Você discorda? Estamos sendo excessivamente críticos? Você sugere outros momentos de frustração ou pensam que todos os momentos foram perfeitos até esse ponto? Deixe sua opinião nos comentários abaixo.

The Walking Dead, a história de drama mais assistida da TV a cabo, irá retornar com os oito últimos episódios da quarta temporada no dia 09 de Fevereiro de 2014 na AMC e 11 de Fevereiro de 2014 na FOX Brasil.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: Wetpaint
Tradução: @BinaPic / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo

EM ALTA