Siga-nos nas redes sociais

4ª Temporada

Lawrence Gilliard Jr. fala sobre Bob e sobre os episódios mais loucos de The Walking Dead

Publicado há

em

Pegando – e recolocando no lugar – uma garrafa de vinho na Big Spot na première da quarta temporada, Bob (acidentalmente) ajudou a liberar uma cadeia de eventos que resultou em uma tempestade de walkers sobre nossos heróis, e na morte do namorado de Beth Greene. E então havia coisas acontecendo na prisão – ratos sendo deixados nos portões para atrair walkers, e as (inicialmente não resolvidas) mortes de Karen e de David – que deixaram muitos telespectadores desconfiando de Bob. E ele também não instilou muita confiança no pessoal quando estava tão preocupado em trazer uma garrafa de volta para a prisão durante a ida ao hospital veterinário, na qual Daryl Dixon o ameaçou com danos físicos.

Mas as experiências de Bob com um Tyreese de luto, com os pacientes da gripe e com Sasha, além dele ter sobrevivido à invasão da prisão mudaram as coisas para o antigo solitário, e o personagem de Lawrence se tornou esperançoso e inspirador. Assim como Beth fez com Daryl, Bob ajudou Sasha a acreditar na esperança novamente, e que eles podem achar novos amigos no Terminal, para onde todos os caminhos convergem.

Em uma nova entrevista com o AccessHollywood.com, Lawrence revelou os momentos decisivos de The Walking Dead, revelou o que ele realmente estava bebendo na garrafa verde e nos assustou um pouco com suas pistas sobre os episódios finais da quarta temporada.

AccessHollywood.com: Vimos um pouco da história inicial de Bob em ‘Alone’. O quão animado você está por isso finalmente ter acontecido na série?

Lawrence Gilliard Jr.: Foi ótimo. Quando eu li, eu fiquei muito animado e feliz com aquilo. Eu meio que sabia que aconteceria porque quando eu recebi, tive minha primeira reunião com [o showrunner] Scott Gimple e com [o produtor executivo] Greg Nicotero, eles me contaram que havia algumas coisas planejadas para o Bob, então, eu sabia que aconteceria, apenas não sabia quando aconteceria.

bob-sasha

Access: Você acha que há mais para contar da história inicial dele, talvez sobre sua vida antes do apocalipse zumbi, ou de um dos grupos anteriores de que fez parte?

Lawrence: Espero que sim. Não sei como eles ligariam isso, e não sei o que virá, mas seria interessante descobrir… pessoalmente, porque, enquanto ator, nós criamos toda essa história inicial e eu não tinha lido os quadrinhos ainda. Prometeram-me uma cópia do romance de Scott Gimple e de [Robert] Kirkman. Eles não me forneceram essa cópia ainda, mas ainda estou esperando. (Risos) Eu não os li anda, então estou esperando para ver o que vai acontecer.

Access: O que era aquilo na garrafa verde que você estava bebendo [No episódio 4×13, ‘Alone’]?

Lawrence: (Risos) Na garrafa de NyQuil? Era água com corante alimentar, era isso. Mas parecia bom. Eu tive que beber três garrafas daquilo, então não foi prazeroso.

Access: Então isso acabou deixando sua língua verde?

Lawrence: Deixou, totalmente. Por sorte, era a última gravação que fizemos naquele dia… então, eu só passei a meia hora seguinte no banheiro. Mas foi bom.

Access: O que você acha que mudou Bob e o transformou nesse otimista no episódio?

Lawrence: Eu acho que a maior parte disso veio do oitavo episódio, e ele não era o único que sobreviveu. Eu acho que a história de Bob é uma história metafísica. É sobre, sabe, você manifesta aquilo em que você acredita. Ele acreditava que as coisas iriram dar errado quando estava com esses dois outros grupos, que as coisas seriam ruins, que as coisas seriam negativas. E foram. E, com esse grupo, eu acho que ele viu algo nesse grupo, que mesmo que ele tenha pensado que seria do mesmo jeito, acho que Bob, finalmente, tem um bom coração e não queria que isso acontecesse. E não aconteceu. Ele acabou – especialmente com a Sasha… ele começou a construir uma conexão com a Sasha, então ele não queria ser o único a sobreviver, e não o foi.

Access: Então, a Sasha… claramente, existe uma conexão entre eles dois. Você gostaria de ver isso ficar mais romântico, para que Maggie e Glenn não fiquem como todo o amor do seriado?

Lawrence: (Risos) Bom, sabe, eu não sei. As pessoas me contam que, quando duas pessoas ficam juntas, então há um certo desastre – tirando Maggie e Glenn, quando as pessoas ficam juntas, alguma coisa vai acontecer. Então… eu não sei. Eu acho muito esperto que Scott Gimple escreva esse personagem que sofreu. Ele sofreu, mas ele… está aprendendo a ir além e está encontrando o amor na extremidade disso. Eu acho que muitas pessoas se identificam com isso e que isso é importante e aplaudo [Scott] por dar uma chance a essa storyline – que existe esperança, que você pode superar as coisas que te atrasam, que te deprimem, seus vícios. Você pode superar seus vícios e encontrar o amor na outra extremidade. E muito disso tem a ver não apenas com encontrar alguém para amar, mas com amar a si mesmo. Essa é a grande parte de superar um vício, aprender a amar a si mesmo.

Bob-Stookey-The-Walking-Dead

Access: O quanto você acha que a ameaça de Daryl para Bob (durante a ida ao hospital veterinário) influenciou Bob – sobre não beber antes deles entregarem os remédios para as pessoas? Foi um grito de alerta para ele?

Lawrence: Absolutamente. Sempre que alguém alerta você sobre seu vício ou sobre alguma coisa que você está prestes a fazer por causa do seu vício – e especialmente quando você está tentando ajudar as pessoas e ajudar os outros e está sob influência de algum tipo de vício – faz você pensar. E, como eu falei, que eu gosto de pensar que Bob tem um bom coração. É uma loucura porque você escuta as pessoas – e as pessoas ainda não acreditam no Bob. Eles acreditam que há alguma coisa errada com ele. (Risos)

Access: Que era ele que estava matando os ratos.

Lawrence: Matando os ratos, e, no começo, eles pensaram que tinha sido ele que tinha matado a Karen e o outro gato. Eu acho que Bob, no início, era um dispositivo esperto, muito inteligentemente utilizado por Scott Gimple e pelos roteiristas para criar outra ameaça para o nosso grupo no começo da temporada. Mas parece que Bob é o cara que, assim como eles, está tentando sobreviver, buscando família, buscando alguma estabilidade, tipo – só buscando família, algum tipo de proteção nesse apocalipse.

Access: Só temos mais alguns poucos episódios nessa temporada. Quão intenso as coisas ficarão?

Lawrence: Tudo que direi é que há algumas coisas serão tãaaaaao inesperadas! Vocês nem podem imaginar até ver (risos). É muito animador. Estou animado para ouvir como serão os comentários após esses momentos acontecerem e estou animado por tudo que os fãs de The Walking Dead vão vivenciar e curtir nesses próximos episódios.

Access: Quando você diz que as coisas são ‘inesperadas,’ quer dizer que ficará mais louco ainda?

Lawrence: Sim, quero dizer que ficará mais louco ainda. Sim.

Access: Então deveríamos persistir e…

Lawrence: É tipo, vocês se lembram da [finale] em que o Governador decapitou Hershel?… Eu sabia que isso aconteceria e ainda assim fiquei sentado diante da televisão de boca aberta. ‘O que!?’ (risos) Então, é a mesma coisa – é o que vocês vão vivenciar em certos pontos nesses próximos episódios.

Fiquem ligados aqui no Walking Dead Brasil e em nossas redes sociais @TWDBrasil no twitter e Walking Dead Br no facebook para ficar por dentro de tudo que rola no universo de The Walking Dead.


Fonte: Access Hollywood
Tradução: Lalah / Staff Walking Dead Brasil

Continue lendo
Publicidade
Comentários

EM ALTA